História Animals (Malec) - Capítulo 5


Escrita por: e AlineVilaca

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Malec
Visualizações 426
Palavras 1.299
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Unconditionally


Fanfic / Fanfiction Animals (Malec) - Capítulo 5 - Unconditionally

 

 

 

A ponta da língua de Magnus circulava o mamilo esquerdo de Alexander, enquanto o estocava com maestria.

Alec sentia a água quente em seu corpo, o seu rosto estava enterrado na curva do pescoço de Magnus, mordiscando a pele do homem, marcando-o, sentindo os músculos tensos de Magnus contra os seus dentes.

Alexander leva a sua mão ao seu membro, estimulando-o rapidamente, Magnus sorri contra o pescoço de Alexander, chupando-o com vontade.

-Tão apressado. –Recrimina, ofegante, distribuindo beijos por toda a extensão do pescoço de Alexander, intensificando as estocadas. Alec aperta o ombro de Magnus com força, afastando-se da curva do seu pescoço e atacando os seus lábios.

Os ofegos se misturam, assim como o som dos seus gemidos e o calor das suas respirações, enquanto o beijo ainda era realizado, uma mistura de língua, saliva e dentes.

Magnus intensifica os seus movimentos, as costas de Alexander deslizam pelos ladrilhos gelados, derramando-se no interior de Alexander assim que chega a sua satisfação, emitindo um gemidos animalesco entre os lábios de Alexander, causando um temor, continuando a estoca-lo, enquanto substituí a sua mão da dele, masturbando-o, levando-o ao seu ápice também.

O beijo se finda e Magnus roça o seu nariz no dele, firmando-o no chão quando as suas pernas estremecem.

Alexander estica-se em direção ao sabonete e começa a ensaboar o corpo de Magnus, que fecha os seus olhos e solta um suspiro satisfeito... Alexander tinha consciência do quanto Magnus gostava de tomar banho com ele, de ser banhado por ele e Alec tinha que confessar que, também apreciava aquele momento.

O banho transcorreu entre beijos e caricias e assim que o casal sai do boxe, ambos se enrolam em suas toalhas.

-Por que eu tenho a impressão de que há alguma coisa? –Questiona, recebendo um olhar duro de Magnus.

-Max está sendo ameaçado. –Responde, colocando uma boxer preta, assim como Alec veste uma branca.

Alec o observa deitar-se na cama, colocando um dos seus braços abaixo da sua cabeça.

-Como é? –Pergunta, gritando, com os seus olhos azuis arregalados.

Magnus alisa os seus cabelos negros e rosto, enquanto Alexander senta-se ao seu lado, tocando a sua mão.

O coração do homem estava batendo descontroladamente, a sua respiração fica entrecortada, entrelaçando os seus dedos nos de Magnus.

-Ele acabou de me contar... Mostrou-me bilhetes de ameaças, bilhetes de recorte de jornais. –Revela, irritado. –Não pode ser rastreado, o que é uma puta de uma notícia ruim. –Garante, taxativo.

Alexander engole em seco, ele sempre virá Max como seu filho, ele o havia criado, desde que ele era apenas um bebê, ele o alimentou, o trocou, o pôs para dormi, quando os seus pais não se importavam com ele, cuidou dele até mesmo quando fora rebaixado como a puta da família.

Max era seu primeiro bebê e talvez... Talvez fosse o seu último. Afinal de contas, Magnus sempre adiava a conversa sobre aumentar a família e mesmo sabendo que poderia insistir no assunto, ele queria que Magnus tocasse no assunto e Alec sabia... Um dia, ele iria.

Mas não era isso que o estava perturbando, o fato da sua família estar em perigo, o fato de Max estar em foco, faz com que qualquer vontade fique pequena no coração de Alexander.

-Então, Woolsey sabia algo. –Sussurra, atraindo a atenção de Magnus, engolindo em seco.

O olhar de Magnus cai sobre si, ele senta-se, sentando-o em seu colo, apertando a sua coxa direita, seguindo em direção a bunda de Alec, puxando-o para mais perto.

Alec sabia que Magnus estava pensando o mesmo que ele.

-Sim, aparentemente, aquela puta sabe mais do que eu esperava. –Afirma, irritado.

Alec engole em seco, tentando pensar em algo, algo para que todos tivessem o que queriam, com exceção de Woolsey e de quem queria feri Max.

-Woolsey tem algum irmão? –Questiona, confuso.

-Tem. –Responde, analisando-o com atenção. –O irmão mais velho... Ralf. O que essa linda cabecinha está maquinando? –Questiona, acariciando os cabelos de Alexander.

-O quão próximo ele é desse Ralf? –Questiona, interessado.

-Ralf criou Woolsey, muito mal por sinal... Quando tivermos filhos, eles não serão criados assim... Pode ter certeza. –Responde, arrancando um suspiro de Alexander.

-O pegue... Torture-o, se são próximos tenho certeza de que ele sabe de alguma coisa e se não sabe de alguma coisa, podemos troca-lo pelas informações que Woolsey pode ter sem que ele tenha o corpo do meu marido. –Afirma, possessivo, recebendo um tapa na bunda.

-Oh, meu anjinho caído! –Sussurra, maliciosamente, sentando-se e colando os seus corpos, tomando os seus lábios, num beijo lascivo, explorando a sua boca, apertando a sua bunda com força, roçando os seus membros e arrancando-lhe um gemido alto.

Alexander embrenha os seus dedos nos cabelos de Magnus, puxando-o para mais perto.

Magnus afasta os seus lábios dos dele, dando-lhe um selinho demorado.

-Excelente ideia... Alexander. –Sussurra, chupando o lábio inferior de Alec. –Uma ideia diabólica... Desde que empregou Julian, eu pensei que tinha ficado com o coração mole. –Brinca, contra os lábios de Alec.

Alec empregou dois dos  Blackthorn se mostrando misericordioso pelo fato de Robert ter falido o tio do rapaz, o que o levou ao suicídio, deixando todos os sobrinhos sem um tostão furado.

Julian e Mark... Mark fazia entregas, ele ficou responsável por todos os irmãos mais novos ao lado de Helen.

Magnus sempre lhe disse que devia ter mais alguma coisa e Alexander tinha que concordar que havia algo ali, principalmente, pelo fato de que os irmãos mais velhos de Julian sempre estarem afastados dele e terem o tirado do convívio dos irmãos mais novos, o que sempre o deixa revoltado.

-Não é diabólica... É eficiente. –Afirma, chupando o queixo de Magnus. –Não quero Woolsey em nossas vidas, eu não quero nem mesmo a menção do nome dele em algumas semanas. –Confessa, arrancando uma risada de Magnus. –Sim, eu sou ciumento. –Afirma, revira os olhos. –E eu não lhe vejo reclamando! –Acusa, inclinando o seu corpo sobre o de Magnus, que deita-se na cama, alisando a linha da coluna de Alexander, causando-lhe uma serie de arrepios.

-Todas as suas inseguranças... Toda a roupa suja... Nunca me fizeram piscar uma vez! –Garante, roçando os seus lábios. –Seja ciumento o quanto quiser... Gosto quando me dá uma chave de coxas sempre que se sente ameaçado. –Revela, fazendo-o semicerra os olhos. –Ninguém tem a sua bunda... A única bunda que chega aos seus pés é... De Max, mas ele é boca suja demais para mim, fora que seria quase como um incesto. –Brinca, recebendo um tapa de Alexander em resposta, que joga-o em cima da cama, deitando-o em cima dele. –Não que o garoto precise saber, mas eu meio que o vejo como um filho. –Murmura, roçando os seus lábios nos dele. –Pelo menos foi um bom treino. –Brinca, puxando-o para um beijo.

Um sorriso de satisfação se forma e Alexander entrelaça os seus braços no pescoço de Magnus, porém quando Magnus tenta intensificar o beijo, Alexander afasta-se.

-Vai fazer o que eu sugeri? –Questiona, contra os lábios de Magnus, mordiscando-o.

-Vou, meu consorte. –Garante, sorrindo maliciosamente.

- E se eu te pedir mais alguma coisa, você me dá? – Pergunta Alec sorrindo travesso.

- Incondicionalmente. O que você quer? –Questiona, malicioso.

- Outro orgasmo!  -Pede, manhoso.

Alec viu Magnus sorrir devasso, tirando a boxer que ele havia acabado de colocar, pegando seu membro na mão bombeando forte.

- Isso vai ser rápido e gostoso! Grita, Alexander! –Manda, dando-lhe um tapa em sua bunda alva, deixando os seus dedos marcados na sua carne.

E Alec fez o que Magnus pediu, gritou ao sentir ter todo seu membro colocado na boca, chupando com vontade, enquanto Magnus serpenteava toda a língua pela extensão e sugava glande que já estava inchada e molhada, até explodir em outro orgasmo alucinante chamando o nome do marido.

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...