História Anjinhos Crescidos - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Coma, Hospital, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Voluntárias
Visualizações 200
Palavras 4.091
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello filhotes!!!
Cap complexo, esse...
Masss leiam e nós conversamos nas notas finais!!
Boa leitura!!!

Capítulo 16 - Conselhos açucarados


Fanfic / Fanfiction Anjinhos Crescidos - Capítulo 16 - Conselhos açucarados

Pov Min Yoongi.

Estava lindo e esverdeado, em meu sofá, dormindo, quando Hoseok entrou no apartamento com a sutileza de um elefante desastrado.

-pra que todo esse barulho?- resmunguei.

-tem alguma coisa acontecendo?- perguntou o Jung, que agora tinha os cabelos ruivos.

-como assim?- perguntei, sentando no sofá.

-eu encontrei com o Jimin no corredor e ele parecia furioso- contou Jhope.

-estranho... Vou ligar para a Lunna- falei, pegando o celular enquanto o Jung dava de ombros e seguia para seu quarto.

-hey nanica- chamei, quando ela atendeu.

-o que foi, Suga?- perguntou a pequena.

-tá tudo bem?- perguntei, meio preocupado.

-tá sim, por que?- perguntou ela, parecendo confusa.

-é que eu tava dormindo e...

-você tá sempre dormindo- interrompeu.

-deixa eu falar, aish- resmuguei- eu tava dormindo e acordei com Hoseok chegando em casa e ele disse que...

Nessa hora ouvi alguém bater na minha porta e fui atender, com o telefone no ouvido.

-disse que?- perguntou ela, quando me calei subitamente.

-peraê que tão batendo na porta- pedi.

Abri a mesma, dando de cara com Jimin, de respiração acelerada e cara fechada. Suspirei meio supreso de vê-lo.

-o que...?- comecei a perguntar, mas o garoto desviou os olhos para o celular que eu trazia, lendo o nome do contato, e levantou as mãos apressadamente.

-não diga que estou aqui!- pediu ele apenas movendo os lábios, sem emitir som.

-Yoongi?-chamou minha irmã- Yoongi? O que foi?

-desculpa mana, eu vou ter que desligar- disse, encarando o Park- mais tarde eu te ligo.

Desliguei o aparelho antes que ela pudesse retrucar e puxei o garoto para dentro do apartamento.

-o que você fez?- perguntei logo com um tom acusatório, sabendo que esse moleque aprontou alguma.

-eu meio que fugi de casa- murmurou ele.

-como é?!- perguntei, chocado- a Lunna sabe disso?

-ela parecia nervosa?

-não.

-então acho que ela ainda não notou que eu saí- disse ele, ficando irritado de repente- deve estar muito ocupada...

-calma... Senta aqui e vamos conversar- falei, trazendo-o para o sofá- conta tudo.

-Hyung...- ele começou a reclamar, mas eu interrompi.

-tu baixou na minha casa, me fez mentir pra minha irmã e ela vai me matar se souber disso, então trata de abrir a boca- falei já sem muita paciência.

-aish! Tá bom...- resmungou ele- eu discuti com a noona, brigamos feio e eu me tranquei no quarto...

-pera, conta direito, criança, por que vocês brigaram?

-eu pedi pra ir numa festa hoje e ela não deixou...

-por que ela tem bom senso, ótimo, continue- interrompi, vendo ele fazer bico.

-daí nos começamos a discutir e eu falei que ela não confiava em mim...

-ela não confia nem em mim- interrompi de novo.

-aish hyung! Deixa eu falar- resmungou ele.

-tá bom, fala.

-daí ela negou, mas eu disse que vi vocês nos espionando no colégio hoje- estava prestes a interromper de novo, mas ele foi mais rápido- sim eu vi, vocês não foram nada discretos. Mas enfim, eu fiquei com raiva e falei umas coisas que não devia e me tranquei no quarto.

-tu falou o que pra minha irmã, pirralho?- perguntei, estreitando os olhos.

-eu disse que ela estava me sufocando... E que era pra ela parar de se meter na minha vida por que ela não era minha mãe- contou ele, baixando os olhos envergonhado enquanto eu dava um tapa em minha própria testa.

-você não fez isso... Aish! Ela deve estar péssima agora, criatura- falei, incrédulo.

-eu sei! Eu não queria ter dito isso, mas eu tava com raiva de mais pra pensar direito- disse ele, ainda de olhar baixo.

-tá vai, continua- pedi, suspirando.

-bom, dai eu fui pro quarto e o Taehyung estava dormindo, então eu fiquei ali pensando no que eu tinha feito e me arrependi na hora, mas quando eu fui na sala pedir desculpas, vi ela abraça com o Namjoon e...

-e você ficou com ciúmes- concluí, vendo ele ficar vermelho- certo, depois falamos disso, continue.

-eles não me viram, então eu voltei para o quarto e fiquei espiando. Eles foram para o quarto dela e eu estava com raiva de novo, por isso peguei a chave e saí de casa.

-pra onde você foi?

-eu pensei em ir naquela festa com o Jungkook só pra fazer birra, mas estava agitado de mais pra isso. Daí eu fui para a pracinha aqui perto, onde costumávamos tomar sorvete. Fiquei ali um tempo, esfriando a cabeça, até pensar que a noona ia ficar preocupada quando não me achasse, por isso eu voltei.

-então por que está aqui?- perguntei sem entender.

-quando eu cheguei no nosso andar, vi a noona na porta com o Namjoon. Eles ficaram ali conversando um tempinho até ele sorrir e se aproximar para dar um beijo nela...

-beijo? Beijo, beijo? Tipo beijo mesmo?- perguntei, chocado.

-eu não sei... Eu não vi direito- bufou o garoto, claramente ficando irritado de novo.

-tá calma... Não acredito que tenha sido algo além de beijo na bochecha- garanti, mas ele apenas cruzou os braços e fechou a cara- é sério, se eles fossem reatar o namoro, já teriam feito isso. Além do mais, o Namjoon estava aqui antes de ir para lá e não me disse nada a respeito. Eu só acho que merecia ser informado caso ele pretendesse subir para agarrar minha irmã.

-eu não informaria- murmurou ele, mas ainda sim eu pude ouvir.

-como é?- perguntei, chocado.

-nada- disse ele, desviando os olhos e ficando levemente rosado.

-certo...- falei, estreitando os olhos- agora continue.

-eu vi eles e... Bem...

-ciúmes, já sei. Pode pular essa parte.

-eu saí de lá, é isso que importa- disse ele ainda mais rosado- esbarrei com Hoseok hyung no corredor enquanto descia para a portaria.

-você ia sair de novo?

-ia... Mas daí eu achei que seria melhor conversar com alguém... Então eu vim pra cá- contou ele, tornando a baixar os olhos.

Esse menino já mudou de atitude tantas vezes nessa conversa que eu estou ate tonto.

-e posso saber por que você não voltou para casa?- perguntei, cruzando os braços.

-eu estava com raiva, não queria vê-la- disse ele, irritado- eu voltei achando que ela estaria preocupada, mas ela sequer notou que eu sumi. Estava ocupada de mais com o Namjoon.

-hey, calma lá- pedi- eu sei o que você está pensando e não, não é isso.

-como você pode saber?

-eu conheço minha irmã- disse simplesmente- é mais fácil ela ter ficado mal por causa da discussão e o Namjoon foi consolar e não do jeito que você esta pensando.

-eu nem disse nada!- defendeu-se ele.

-nem precisa. Tá escrito na sua testa- acusei, vendo ele desviar os olhos- agora escuta, tu pisou na bola moleque, essa discussão toda foi desnecessária e a única coisa que você conseguiu foi deixar ela triste e ficar com raiva.

-eu não discutiria se ela confiasse em mim- retrucou ele.

-como quer que ela confie em você se por qualquer coisa você pega a chave e foge de casa?- perguntei, erguendo uma sobrancelha.

Ele se calou, baixando os olhos e suspirando.

-eu só quero que ela pare de me tratar como se eu fosse um bebê...

-Jimin, eu entendo isso. Todos os adolescentes querem isso. Eu já quis isso- falei, olhando no fundo dos olhos dele- mas tenta entender que normalmente levam-se anos para entrar e sair dessa fase. E você era um garotinho infantil a menos de um mês!

-eu não tenho culpa disso...

-eu sei, não estou te acusando. Eu só quero que entenda que ela te conheceu frágil e confuso. Isso fez ela querer te proteger de tudo e de todos. Vai ser difícil para ela ver que você está crescendo, ainda mais em tão pouco tempo. Ela não age assim porque não confia em você e sim porque ela tem medo que algo te aconteça.

-mas precisa de tudo isso? Ela está me sufocando, hyung!- disse ele e pude notar seus olhos ficando marejados.

-então diga isso pra ela, mas não aos gritos no meio de uma discussão. Se quer quer ela pare de te ver como um bebê, então mostre que sabe agir como um adulto e exponha seus sentimentos de forma adulta- falei, agora vendo as lágrimas ameaçarem escorrer- Jimin, minha irmã abriu mão de muita coisa pra cuidar de vocês, ela assumiu uma responsabilidade que não era dela, te deu um teto, amor e carinho. A única coisa que ela quer em troca é que você lhe trate da mesma forma. E não é magoando ela desse jeito, que você vai conseguir.

-desculpa- murmurou ele, tentando enxugar as lágrimas com os dedos gordinhos.

-não é pra mim que você tem que pedir desculpas.

-eu... Eu não queria ser ingrato- disse ele, fungando- eu juro que sou extremamente grato a tudo que ela me fez. Nunca pensei em magoa-la...

-mas é isso que você faz quando a acusa de desconfiança, quando discute e se revolta desse jeito- falei, suspirando enquanto ele começava a soluçar- aish, vem cá moleque.

Puxei ele para um abraço, deixando que ele chorasse, enquanto dava tapinhas em suas costas e balançava para um lado e para o outro.

Se alguém entrar aqui agora e ver isso, eu alego insanidade e digo que fui obrigado.

-passou, passou- murmurei, ainda balançado, e logo escutei ele soltar uma risadinha- que foi?

-nunca pensei que estaríamos numa situação assim um dia- disse ele fungando, mas com um ar de riso.

-tu não me provoca, se não eu te taco na rua- resmunguei, vendo ele rir de novo- agora continua chorando, antes que eu me arrependa disso.

Ele riu de novo, mas não me largou. Não sei quanto tempo eu fiquei ali ouvindo ele desabafar sobre o que estava sentindo enquanto tentava segurar as lágrimas. Ficamos nisso até ouvir a porta ser aberta e Liv passar por ela, estancando assim que nos viu.

-ai meu Deus, que fofo!- exclamou ela, assustando o menino que se afastou na hora, muito vermelho.

-nem fala nada, passa reto- resmunguei, esticando a camisa e recuperando minha postura.

-droga! Devia ter tirado uma foto- reclamou ela.

Jimin parecia morto de vergonha por ter sido pego nessas condições e apesar da ligeira falta de noção de minha namorada, ela pareceu perceber e por isso apenas se aproximou, me dando um selinho e um beijo na bochecha de Jimin, antes de ir para a cozinha.

-vai voltar para casa, agora?- perguntei enquanto ele esfregava os olhos.

-vou.

-então vai antes que minha irmã chame a polícia- disse, vendo ele assentir e se levantar.

Levei-o ate a porta e fiquei observando o garoto seguir ate o elevador.

-já dá pra ser pai- ouvi minha namorada comentar risonha, atrás de mim.

-nem vem- neguei, fechando a porta.

-sei, mas não é só isso que rolou aqui que está te preocupando, ou é?

-na verdade não- confessou ele.

-e o que é?- perguntou Liv, abraçando minha cintura.

-eu acho que aquele menino tá começando a se apaixonar pela minha irmã- falei, vendo ela me olhar espantada.

-por que?- perguntou ela enquanto eu brincava com seus fios de cabelo- só por que ele tem aquele ciuminho?

-Liv, aquilo não é mais ciuminho faz tempo- falei, erguendo uma sobrancelha- aquilo já virou ciúme mesmo.

-tem certeza que não é paranoia sua?- questionou ela.

-eu não posso afirmar com certeza, mas garanto que ele no mínimo já está vendo ela com outros olhos.

-e isso é um problema?- questionou a moça, roçando o nariz no meu.

-pra mim não, mas temo que a Lunna não saiba lidar com isso...

-vai ser difícil para que ela deixe de vê-lo como um "filho"- concordou ela, fazendo aspas.

-bom, só espero que isso não vire um problema maior- suspirei.

-calma, vai dar tudo certo... E quem sabe você não saia disso com um cunhado?- disse ela sorrindo marota.

[...]

Pov. Luanna Di Angelo

-como assim eles sumiram?!- perguntou Jessie, arregalando os olhos.

-sumiram! Não estão aqui!

-ai meu deus- murmurou Jessie, nervosa- liga para o Jimin.

-celular tá aqui na cama- falei indicando o aparelho. Jessie não tinha devolvido o celular de Taehyung e por isso nem adiantaria tentar.

-lascou-se tudo...

-liga pra portaria, vê se eles sairam do prédio- falei, puxando o celular do bolso e caçando um contato- vou ligar para o Jungkook.

Jessie correu para o interfone enquanto eu tentava falar com o Jeon. Chamou diversas vezes e nada. Desisti e começei a ligar para o Namjoon.

-Moon?- atendeu ele.

-Namjoon, você viu os meninos?- perguntei imediatamente.

-hã? Não vi não- negou ele- por que?

-eles sumiram.

-puts... Já tentou ligar para o Jungkook?

-já! Ele não atende- falei beirando o desespero.

-calma Moon, eles devem ter ido para aquela festa. Eles vão aparecer.

-e se acontecer alguma coisa?

-eu vou tentar achar o Jungkook e ver se consigo algo- disse ele- fique calma que eles vão aparecer.

-tá bom- falei, sentindo minhas mãos tremerem de leve só de imaginar algo acontecer com aqueles garotos inconsequentes.

-o porteiro disse ocorreu um problema e ele precisou deixar a portaria, mas viu ambos saírem do prédio- disse Jessie, aparecendo no quarto.

-Namjoon disse que não sabe deles e o Jungkook não atende- contei.

-e agora?- perguntou a moça, ainda nervosa.

-agora... A gente senta e chora...

-Lunna!

-o que?! Não tem muito que possamos fazer- disse, jogando as mãos para cima- se a gente ligar para a Angelline e eles estiverem numa festa qualquer, vamos preocupar ela a toa.

-se aquele moleque tiver fugido pra ir numa porcaria de festa, eu vou matá-lo- disse a moça se jogando na cama do, agora, ruivo.

-ainda são 21:00 horas, vamos esperar até as 22:00, se não tivermos notícias a gente pega o carro do Suga e sai pra procurar.

-procurar onde?

-sei lá, alguém tem que saber onde é essa festa.

-e se eles não tiverem ido pra lá?- cogitou ela, parecendo assustada.

-eu tô tentando mater a calma, Jess! Não me deixa nervosa- resmunguei, respirando com força.

-o que você quer que eu faça?! Eles sumiram!- rebateu ela.

-mas...!- comecei a responder, mas engoli a frase e respirei fundo- entrar em pânico não vai ajudar... Temos que ficar calmas.

-olha quem fala. Você parece prestes a ter um ataque cardíaco- acusou minha amiga.

-e eu estou mesmo- choraminguei, me jogando na cama ao lado dela.

-vamos ficar aqui deitadas, entrando em pânico?- perguntou ela, virando para me olhar.

-você tem ideia melhor?

-err... Não- admitiu ela, quase chorando.

Estávamos de mãos atadas. Não tinhamos como falar com eles pelos celulares, a única pessoa que poderia saber deles era Jungkook e o garoto não atende.

Até pensei em ligar para Yoongi, mas ele tem estado tão estressado nos últimos dias que eu não queria perturbá-lo com isso. Especialmente considerando que os meninos podem aparecer a qualquer momento.

Foi nesse pensamento que me agarrei para não imaginar mil e uma tragédias que poderiam acontecer com aquelas crianças.

O relógio marcou 22:00 e eu estava pronta para jogar tudo para o ar e rodar as ruas a procura deles, quando Namjoon ligou.

-achou o Jungkook?- perguntei ansiosa, logo que atendi.

-achei, mas ela disse que não sabe dos meninos- contou o Kim, me deixando com o coração na mão.

-ai meu Deus...

-olha, Moon, tenta ficar calma. Vocês brigaram não foi? Eles podem ter saído pra esfriar a cabeça- ponderou o rapaz, tentando me acalmar.

-eu vou chorar- murmurei, me jogando de volta na cama.

-aigoo... Não chora, calma- pediu ele.

-vou ficar calma quando meus bebês estiverem aqui- choraminguei- vou sair pra procurar...

-não! Tá tarde Moon, é perigoso vocês sairem sozinhas- disse o Kim, preocupado.

-já estou sentada sem fazer nada há uma hora, Nam! Eu vou ficar maluca aqui- falei, agarrando um travesseiro- e não me pede pra ficar calma!

-tá cal...- ele se interrompeu quando notou o que ia dizer- quer dizer, espera. Eu... Eu vou procurar com o Jungkook tá bom? Ver se alguém nessa festa sabe algo deles.... Já que tem muita gente do colégio aqui.

-Namjoon- choraminguei.

-só fiquem ai quietinhas, que logo logo eles aparecem- pediu o Kim- qualquer coisa liguem.

-tá bom...

-alias cadê o Suga?- perguntou o rapaz- por que você não chamou ele?

-eu não queria incomodar- falei meio baixo ao me tocar do quanto isso soava idiota.

-ta falando sério? Moon é do Suga que estamos falando- observou o Kim.

-tem razão... Eu vou ligar pra ele...

-faça isso. No mínimo pede pra ele ficar ai com vocês ate os meninos aparecerem- disse ele- se eu souber de algo eu ligo.

-ok... Tchau- me despedi, desligando o aparelho.

-já to ligando- informou Jessie, que estava deitada do meu lado, e logo enfiou o telefone na minha mão.

-ai pera... Suga!- chamei, quando ele atendeu.

-já sei... Tá procurando o Jimin- falou ele de cara.

-como você...?

-ele acabou de sair daqui- informou meu irmão.

-o que?! Seu bandido! Eu to quase tendo um ataque aqui e você estava com ele esse tempo todo!- esbravejei, me pondo de pé.

-em minha defesa, ele pediu pra não contar...

-isso não te defende em nada!- gritei, saindo do quarto com Jessie no meu encalço.

-conversa com ele primeiro, depois você pode brigar comigo o quanto quiser- prometeu ele- mas é pra conversar, Lunna.

-eu vou assassinar esse garoto!- falei, abrindo a porta do apartamento e saindo do mesmo, deixando Jessie para trás.

-Lunna... Por favor, escuta o que ele tem pra dizer- insistiu meu irmão.

-você tá defendendo ele?- questionei, observando os andares subirem na tela do elevador até parar no andar do esverdeado.

-claro que não, mas tenho que ser justo e dizer pra você ouvi-lo- disse Yoongi- agora desliga esse celular e fala com ele.

-Yoon...- comecei a rebater, mas ele já tinha desligado.

Nesse exato momento a porta do elevador abriu, mostrando o Park apoiado no espelho que a cabine metálica possuía.

-noona?- espantou-se ele ao me ver ali parada.

-eu vou te matar- tentei soar furiosa e revoltada, mas tudo que consegui foi uma frase entrecortada pela queimação na minha garganta.

-desculpa. Desculpa. Desculpa- pediu ele, saindo do elevador e me puxando para um abraço.

-você tem ideia do quanto eu fiquei preocupada!- falei, lutando para não derramar as lágrimas que se acumulavam em meus olhos.

Eu estou sensível de mais para o meu gosto... Eu ein...

-desculpa- repetiu ele, me apertando contra seu corpo- eu juro que nunca mais faço isso.

-ai de você se fizer- resmunguei, fungando. Ate que me toquei de algo extremamente importante- Jimin...

-o que?- perguntou ele se afastando.

-cadê o Taehyung?

[...]

-como assim você não sabe?!- gritou Jessie.

-eu deixei o Tae dormindo- contou o menino, erguendo as mãos em forma de rendição enquanto eu começava a ficar nervosa de novo.

-ai meu Deus...

-Jimin, você tem alguma ideia de pra onde ele foi?- perguntei, segurando ele pelos ombros enquanto Jessie andava de um lado para o outro.

-não- disse o Park, mas pude notar uma hesitação em sua voz.

-não minta pra mim, Park Jimin- avisei, olhando no fundo de seus olhos.

-mas eu não...- ele começou a negar novamente, mas Jessie lhe lançou um olhar muito ameaçador- ai tá bom! Eu não sei onde ele está exatamente, mas sei com quem.

-quem?- perguntamos as duas ao mesmo tempo.

-os caras do colégio que você viu- contou o menino, olhando para mim.

-os valentões?- me espantei.

-por que o Tae estaria com eles?- perguntou Jessie.

-por que eles tem se encontrado basicamente todos os dias- contou o Park, baixando os olhos.

-espera... Eu achei que vocês saíssem juntos!- falou Jessie e logo as palavras de Namjoon vieram a minha cabeça.

-vocês mentiram... Os três!- acusei.

-bem... Foi- admitiu ele- a verdade é que o Jungkook nem sequer saí dos colégio durante a tarde. Ele fica lá com as amiguinhas dele.

-e onde diabos você se enfia?!- perguntei, já nervosa.

-eu até costumava sair com o Tae, mas ele começou a andar com aqueles caras e eu não gosto nem um pouco deles, por isso eu ia pra praça aqui de perto...

-e onde o Tae fica com esses caras?- perguntei.

-não faço ideia... Eu ouvi eles comentarem algo sobre um ferro-velho ou algo do tipo...

-um ferro-velho?!- espantou-se Jessie- o que infernos ele está fazendo num ferro-velho?

-pelo que eu entendi... Aqueles caras gostam de apostar rachas de carro- contou Jimin, baixando os olhos.

-se você sabia disso, por que não contou?!- questionei incrédula enquanto Jessie ficava pálida feito vela.

-ele me pediu pra não contar... Disse que não estava fazendo nada errado e bem... Ele é meu melhor amigo- murmurou o Park.

-liga para o Namjoon- pediu Jessie, rumando para o próprio quarto.

-por que?- perguntei confusa, seguindo-a com o Park.

-pergunta se ele conhece esse tal ferro-velho- disse ela, pegando a bolsa na cama- eu vou atrás do Taehyung.

-o que? Jessie, você pode se meter em problemas- avisei, seguindo-a de volta para a sala.

-não quero saber- disse ela, pegando a chave.

-leva o Yoongi ou o Hoseok pelo menos!- pedi, vendo ela sair pela porta do apartamento.

-estou indo lá com eles, só me manda o endereço, quando conseguir- disse ela apertando o botão do elevador- fica aqui e conversa com ele.

-não faça nem uma burrada, Jess- pedi, segurando em seu braço.

-confia em mim- disse ela, dando uma piscadela.

A moça entrou na cabine de metal e logo as portas fecharam. Suspirei, pegando o celular do bolso e ligando para o Kim.

-achou eles?- perguntou o rapaz assim que atendeu.

-achei um, agora o outro tá metido numa bruta encrenca- falei, voltando ao apartamento, onde Jimin me esperava na sala.

-como assim?- contei tudo que o Park disse e questionei a respeito do tal ferro-velho. Ouvi o Kim trocar algumas palavras com Jungkook do outro lado da linha, antes voltar a falar comigo- Jungkook sabe de um lugar onde os jovens costumam fazer essas apostas, mas pode não ser esse.

-já é alguma coisa. Mande o endereço para o número da Jessie- pedi, sentando no sofá.

-tá bom, mas tem um porém- disse o Kim- esse lugar é barra pesada, Moon, não seguro nem pro Tae e muito menos pra Jess.

-ela disse que ia chamar o Suga e o Jhope- falei enquanto Jimin sentava do meu lado.

-melhor assim, mas por precaução vou ligar pra alguém que pode ajudar- disse ele.

-quem?- perguntei confusa.

-só pede pra Jessie tomar cuidado- cortou ele- vou mandar o endereço.

-tá bom...

O Kim desligou o aparelho, me deixando ligeiramente (lê-se totalmente) confusa.

-aish!- resmunguei sozinha, enfiando os dedos em meus cabelos.

-tá brava comigo?- perguntou o Park, de cabeça baixa, me fazendo lembrar de quando ele costumava ser um garotinho manso e tranquilo.

-brava é pouco- rosnei, agora reunindo toda a mágoa e frustração que estava sentindo antes.

-desculpa...

-não é assim tão fácil Jimin- falei, virando para olhá-lo- você fugiu, me deixou desesperada, depois de ter gritado comigo e me dito tudo aquilo e agora você me vem com simples desculpas?

-eu sei que te magoei, você tem todo o direito de estar furiosa comigo, mas eu juro que não fiz por mal...- disse ele, erguendo o rosto para me olhar.

-por que você fez isso comigo?- perguntei, já sentido as lágrimas retornarem.

-eu... Eu estava com raiva...

-por causa de uma festa?- perguntei incrédula.

-não tem a ver com a festa, tem a ver com tudo noona- suspirou ele- eu só não aguento mais você me protegendo como se eu fosse quebrar.

-está em culpando por me preocupar com você?

-não... noona não é isso...- disse ele, se arredando no sofá para mais perto- eu não te culpo, pelo contrário eu só tenho que te agradecer por se importar tanto comigo, acredite em mim, a última coisa que eu quero é te ver chorar por minha causa, mas... Mas parecia que você não me ouvia.

-você não falava comigo!

-eu sei! Eu estava... Eu estou confuso, noona... É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e tudo que eu quero é que você entenda que eu não sou mais criança...

-então por que você se afastou de mim?- perguntei, fungando.

-eu estava com raiva por aqueles caras estarem me incomodando, eu fiquei inseguro... Só queria ficar sozinho, mas você parecia não entender isso.

-eu sabia que tinha algo errado, mas você não me contava nada- acusei- eu estava tentando te fazer falar.

-acontece que eu não queria falar- disse ele- eu sabia que quando você descobrisse ia ficar toda preocupada e iria quer me defender e isso só ia me fazer sentir mais ainda como uma criança.

-Jimin, além de responsável por você, eu sou sua amiga, poxa. Não precisa passar por essas coisas sozinho...

-se eu tivesse contado, você iria só me ouvir? Não iria tirar satisfação com ninguém?- perguntou ele, erguendo uma sobrancelha.

-err... Bom...- murmurei.

-viu só, por isso eu não contei.

-tá bom... Eu já entendi- falei suspirando- desculpa eu devia ter prestado mais atenção em como você estava se sentindo e lhe dado seu espaço.

-desculpa, eu devia ter conversado direito com você e não ter provocado todas aquelas discussões. Especialmente a última, me perdoa por ter gritado e dito tudo aquilo.

-eu perdoo você, mas me prometa que nunca mais vai fazer isso... Você não sabe o quanto doeu ouvir aquilo e ver você se afastar de mim.

-eu não devia ter dito aquilo... Sim, você não é minha mãe, mas não significa que não seja uma das pessoas mais importantes da minha vida- disse ele, segurando minhas duas mãos entre as suas.

-eu te amo- falei, soltando as mãos e puxando-o para um abraço- quero muito te bater ainda, mas eu te amo.

-eu também te amo, noona- disse ele rindo enquanto escondia o rosto na curva do meu pescoço- amo muito.


Notas Finais


Bommmmm! Quanto ao comportamento do Jimin, eu só queria explicar que ele realmente não fez por mal, ele apenas estava se sentindo inseguro, indefeso e frágil diante dos ataques do Luhan. E, não sei se lembram, mas ele conta num cap lá atrás que quando mexiam com ele, era o Tae quem defendia, pq ele nunca teve o instinto de revidar ou algo do tipo, ele só ameaçou responder o ataque quando o Luhan falou das noonas dele. Ou seja, o fato de o Tae, que sempre defendeu ele, ter deixado o bullying rolar, fez ele se abalar muito, ele meio que não sabia como reagir e preferiu se isolar, mas a Lunna pegava no pé e ele ficava com raiva... Sacaram? Espero que sim...
No próximo, vamos resolver essa treta do menino Taehyung e eu tbm vou explicar mais umas coisinhas.
Ps.: Suga melhor pessoa❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...