História Anjo Mecânico - Capítulo 102


Escrita por:

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, BLANC7, EXID, EXO, G-Dragon, Got7, Se7en, Triple H, TWICE
Personagens Baekhyun, Cl, Dahyun, G-Dragon, HyunA, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Spax, Taeyang, Tzuyu, Yugyeom
Tags Adaptação, Anjomecanico, Jikook, Jiminjungkook, Namjin
Visualizações 33
Palavras 2.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 102 - Alfas...


— JungKook! — Yoongi gritou acima do barulho. — Você perdeu a cabeça? PARE COM ESSA MÚSICA INFERNAL! Tae...

Taehyung, pondo-se de pé, cobriu a boca de JungKook.

— Promete ficar quieto? — Ele sussurrou no ouvido do amigo.

Jungkook assentiu, os olhos negros brilhando. Jimin estava olhando para ele com espanto, todos eles estavam. Ele tinha pensando em JungKook diversas vezes, divertido, amargo, condescendente, com raiva, pena, mas nunca leviano antes. Taehyung soltou-o.

— Tudo bem, então.

Jungkook deslizou para o chão, com as costas contra a poltrona, e jogou os braços para cima.

— A varíola demoníaca está em todas as suas casas — ele anunciou, e bocejou.

— Oh Deus, lá vem semanas de piadas com varíola — TaeHyung observou — estamos por isso agora.

— Isso não pode ser verdade — disse Yoongi — é simplesmente... varíola demoníaca?

— Como sabemos que Namjoon não mentiu para Jin? — TaeHyung perguntou, seu tom de voz suave. — Eu sinto muito, Jin. Odeio ter que te dizer isso, mas os Kim não são confiáveis...

— Eu vi o rosto de Namjoon quando olha para Jin — JungKook falou — foi Jimin quem me disse primeiro que Namjoon gostava do nosso senhor Kim SeokJin, e percebi que era verdade. E um alfa apaixonado vai dizer a verdade. Não irá trair ninguém.

Ele estava olhando para Jimin enquanto falava. Jimin fitou de volta, sem conseguir evitar. Seu olhar foi puxado para ele. A maneira como ele o observava, com os olhos negros como os pedaços da noite, como se tentasse comunicar algo em silêncio. Mas o que na terra... ?

Ele deve sua vida a JungKook, percebeu. Talvez ele estivesse esperando que Jimin lhe agradecesse. Mas não houve tempo! Jimin resolveu agradecê-lo na primeira oportunidade que se apresentasse.

— Além disso, Gajeon estava segurando uma mulher demônio no colo em sua festa, e beijando-a — JungKook continuou, desviando o olhar — ela tinha serpentes no lugar dos olhos. De qualquer forma, a única maneira que você pode contrair varíola demônio é ter relações impróprias com um demônio, então...

— Sun me disse que o Sr. Kim preferia mulheres demônios — Jimin confirmou — não acho que sua esposa soubesse sobre isso.

— Espere — era TaeHyung, que subitamente falou — Kook, quais são os sintomas da varíola demoníaca?

— São muito desagradáveis — JungKook respondeu com prazer — ela começa com uma erupção em forma de escudo nas costas, e se espalha por todo o corpo, criando rachaduras e fissuras na pele.

Taehyung expirou com força.

— E-eu volto em um momento. Pelo Anjo.

E ele desapareceu pela porta, deixando os outros olhando para ele.

— Não acham que ele tem varíola demoníaca, não é? — Hoseok perguntou a ninguém em particular.

Espero que não, uma vez que apenas ficamos noivos, Jimin teve vontade de dizer, só para ver os olhares em seus rostos, mas reprimiu.

— Oh, cale-se, Hoseok — disse JungKook, e parecia como se ele estivesse prestes a dizer algo mais, mas a porta se abriu e TaeHyung estava de volta ao quarto, ofegante, segurando um pedaço de pergaminho.

— Eu tenho isso, diretamente dos irmãos do Silêncio, de quando Jimin e eu fomos ver Jihoon — ele deu a Jimin um olhar um pouco culpado por debaixo de seu cabelo claro, e Jimin lembrou-se dele deixando o quarto de Woozi momentos antes de retornar, olhando preocupado — é o relatório sobre a morte de Barbara Kim. Depois que Yoongi nos disse que seu pai nunca tinha denunciado Silas Kim para a Clave, pensei em consultar os Irmãos do Silêncio e descobrir se havia outra causa da morte da Sra. Kim. Ver se Gajeon também tinha mentido sobre o fato de que ela tinha morrido de tristeza.

— E morreu? — Jimin se inclinou para frente, fascinada.

— Sim. Na verdade, ela cortou os próprios pulsos. Mas havia mais — ele olhou para o papel em sua mão — havia uma erupção em forma de escudo, indicativa das marcas heráldicas de astriola, sobre o ombro esquerdo — ele estendeu-a para JungKook, que pegou e examinou-o, os olhos pretos arregalados.

— Astriola — ele leu — isso é varíola demoníaca. Você tinha provas de que a varíola demoníaca existia e não mencionou para mim! Eu não acredito!

Ele enrolou o papel e atingiu TaeHyung na cabeça com ele.

— Ai! — TaeHyung esfregou a cabeça com tristeza. — A palavra não significava nada para mim! Eu achava que era uma espécie de doença menor. Não parecia como se fosse matar. Ela cortou os pulsos, mas se Gajeon queria proteger seus filhos do fato de que sua mãe tinha tirado a própria vida.

— Pelo Anjo — Yoongi falou suavemente — não é à toa que ela se matou. O marido passou-lhe varíola demoníaca. E ela sabia — ele virou-se para Jin, que fez um som ofegante — será que Namjoon sabe disso?

Jin sacudiu a cabeça.

— Não.

— Mas os Irmãos do Silêncio não são obrigados a contar a alguém sobre isso? — Hoseok exigiu. — Parece bem irresponsável, no mínimo.

— É claro que eles contaram a alguém. Contaram ao seu marido. Sem dúvida que sim, mas e daí? Gajeon provavelmente já sabia — JungKook apontou — não teria havido necessidade de contar as crianças, a erupção só apareceu depois de um bom tempo, eles já estavam muito velhos e não tinha perigo de passar para elas. Os Irmãos do Silêncio, sem dúvida, contaram a Gajeon e ele deve ter dito: “que horror!” E prontamente escondeu a coisa toda. Não se pode julgar os mortos por terem relações impróprias com os demônios, depois eles queimaram o corpo, e foi isso.

— Então como é que Gajeon ainda está vivo? — Jimin exigiu. — Se a doença não o matou até agora?

— Kwon — Jin respondeu — ele está dando drogas para retardar o progresso da doença todo esse tempo.

— Pouco, só para não matá-lo? — Perguntou JungKook.

— Não, ele ainda está morrendo, e mais rápido agora — Jin respondeu — é por isso que ele está tão desesperado, e fará qualquer coisa que Kwon quiser.

— Varíola demoníaca! — JungKook sussurrou, e olhou para Yoongi.

Apesar de seu entusiasmo claro, havia uma oscilação de luz constante por trás de seus olhos, uma luz da inteligência afiada, como se ele fosse um jogador de xadrez examinando seu próximo passo para potenciais vantagens ou desvantagens.

— Temos que contatar Gajeon imediatamente — JungKook falou — Yoongi deve jogar com sua vaidade. Ele está muito seguro de que vai receber o Instituto. Yoongi deve dizer-lhe que apesar de a decisão oficial do Cônsul sair só no domingo, deu-se conta de que é ele é quem vai sair na frente, e Yoongi quer se encontrar com ele e fazer a paz antes que isso aconteça.

— Gajeon é teimoso... — Yoongi começou.

— Não tanto quanto é orgulhoso — TaeHyung replicou — Gajeon sempre quiz o controle do Instituto, mas também quer te humilhar, Yoongi. Para provar que um ômega não pode dirigir um Instituto. Ele acredita que no domingo, o Cônsul irá tirar o controle do Instituto de você, mas isso não significa que você não terá a chance de vê-lo rastejar em particular.

— Para quê? — Hoseok exigiu. — Enviar Yoongi para enfrentar Gajeon adianta em que, exatamente?

— Chantagem — JungKook respondeu. Seus olhos estavam queimando de excitação — Kwin pode não estar ao nosso alcance, mas Gajeon está, e agora isso pode ser o suficiente.

— Você acha que ele vai desistir de obter o Instituto? Não vai simplesmente deixar o negócio para um de seus seguidores? — TaeHyung perguntou.

— Nós não estamos tentando nos livrar dele. Queremos que ele dê seu total apoio a Yoongj. Para retirar seu desafio e declarar o seu incentivo para que ele continue no Instituto. Seus seguidores vão sentir a perda, o Cônsul ficará satisfeito. Nós mantemos o Instituto. E mais do que isso, podemos forçar Gajeon a dizer-nos o que ele sabe de Kwon, sua localização, seus segredos, tudo.

Jimin falou duvidosamente:

— Mas estou quase certa de que ele tem mais medo de Kwon do que um de nós, e ele certamente precisa do que Kwon proporciona. Caso contrário, ele vai morrer.

— Sim, ele vai. Mas o que ele fez, ter relações impróprias com um demônio, então infectar sua esposa, causando-lhe a morte é assassinato de outro Caçador de Sombras. Ele sabe disso. Não seria considerado só assassinato, mas assassinato realizado através de meios demoníacos. O que poderia causar o pior de todos os castigos.

— O que é pior do que a morte? — Jimin perguntou, e imediatamente se arrependeu de perguntar quando viu a boca de TaeHyung se apertar quase imperceptivelmente.

— Os Irmãos do Silêncio irão remover o que faz dele um Nephilim. Ele vai se tornar um mundano — JungKook respondeu — seus filhos vão se tornar mundanos, serão despojados de marcas. O nome do Kim será banido por todos os Caçadores de Sombras. Será o fim do nome Kim entre os Nephilim. Não há maior vergonha. É uma pena mesmo, e Gajeon terá medo.

— E se ele não tiver? — TaeHyung perguntou em voz baixa.

— Então não estaremos em situação pior, acho — era Yoongi, cuja expressão se endureceu enquanto JungKook tinha falado; SeokJin estava encostado na lareira, uma figura abatida, e Hoseok, com a mão sobre o ombro de seu marido, pareciam incomumente moderado — vamos chamar Gajeon. Não há tempo para enviar uma mensagem adequada à frente, ele vai ter uma surpresa. Agora, onde estão os cartões?

Jungkook sentou-se.

— Você já se decidiu pelo meu plano, então?

— É o meu plano agora — Yoongi falou com firmeza — você pode me acompanhar, Kook, mas vai seguir minha liderança, e não haverá nenhuma palavra sobre varíola demoníaca até que eu peça para fazê-lo.

— Mas... mas... — JungKook balbuciou.

— Ah, deixe-o — disse TaeHyung, chutando JungKook de leve no tornozelo.

— Yoongi se apoderou do meu plano!

— Kook — Jimin disse com firmeza — você se importa mais sobre o plano ser executado ou sobre o crédito por ele?

Jungkook apontou o dedo para ele.

— Isso. Escolho a segunda opção.

Yoongi revirou os olhos para o céu.

— Jeon JungKook, isto será entre meus termos ou não.

Jungkook respirou fundo e olhou para TaeHyung, que sorriu para ele, e depois deixou o ar sair de seus pulmões com um suspiro derrotado e disse:

— Tudo bem, então, Yoongi. Você quer que todos vão?

— Você e Tessa, certamente. Precisamos de vocês como testemunhas sobre a festa. Tae, Hoseok, não há necessidade de irem, e peço que pelo menos um de vocês fique para guardar o Instituto.

— Querido... — Hoseok tocou o braço de Yoongi com um olhar zombeteiro no rosto.

Yoongi olhou para ele com surpresa.

— Sim?

— Tem certeza de que não quer que eu vá com você?

Yoongi sorriu para ele, um sorriso que transformou o rosto cansado e comprimido.

— Absoluta, Hoseok. Tae não é tecnicamente um adulto, e deixá-lo aqui sozinho, não que ele não seja capaz, só vai acrescentar combustível ao fogo de reclamações de Gajeon. Mas obrigado.

Jimin olhou para TaeHyung. Ele deu um sorriso pesaroso e, escondido por trás de Jimin, apertou-lhe a mão. Seu toque enviou uma calorosa onda de confiança por Jimin, e o Park pôs-se de pé, em meio a crescente vontade de ir, enquanto Yoongi procurava por uma caneta para rabiscar uma nota para Gajeon na parte de trás de um cartão, que Jooheon iria entregar enquanto esperavam na carruagem.

— É melhor eu ir buscar o meu chapéu e luvas — Jimin sussurrou para TaeHyung, e fez seu caminho até a porta.

Jungkook estava logo atrás delr, e um momento depois, a porta da sala se fechou atrás deles e eles ficaram sozinhos no corredor. Jimin estava prestes a correr em direção ao seu quarto quando ouviu os passos de JungKook atrás dele.

— Jimin! — Ele chamou, e Jimin se virou. — Jimin, eu preciso falar com você.

— Agora? — ele perguntou, surpreso. — Acho que Yoongi está com pressa.

— Pro inferno com essa pressa — disse JungKook, chegando mais perto — pro inferno com Kim Gajeon e com todo esse negócio de Instituto. Eu quero falar com você.

Ele sorriu para Jimin.

Sempre houve uma energia imprudente nele, mas Jimin estava diferente, a diferença entre a imprudência do desespero e do abandono de felicidade. Mas que momento ímpar para estar feliz!

— Você estava absolutamente louco? — ele perguntou a JungKook. — “Varíola demoníaca.” Fala como se fosse a melhor coisa para se dizer! Você está realmente satisfeito?

— Vingado, não feliz, e de qualquer maneira, não é sobre a varíola demoníaca. É sobre mim e você.

A porta da sala de estudos se abriu e Hoseok apareceu, Yoongi logo atrás dele. Sabendo que TaeHyung seria o próximo, Jimin se afastou de JungKook apressadamente, embora nada impróprio tivesse acontecido entre eles. "Exceto em seus pensamentos", disse uma voz no fundo de sua mente, que Jimin ignorava.

— Kook, agora não — ele falou em voz baixa — acredito que sei o que você quer dizer, e está certo ao querer isso, mas este não é o tempo ou lugar, é? Acredite em mim, estou tão ansioso para a conversa quanto você, e isso vem pesando muito em minha mente.

— Você está? É mesmo? — JungKook olhou atordoado, como se Jimin o tivesse atingido com uma pedra.

— Bem, sim — Jimin confirmou, olhando para cima para ver TaeHyung chegando na direção deles — mas não agora.

Jungkook seguiu seu olhar, engoliu em seco e assentiu com relutância.

— Então quando?

— Mais tarde, depois que voltarmos dos Kim. Encontre-me na sala de estudos.

— Na sala de estudos?

Jimin franziu o cenho.

— Realmente, Kook. Você vai repetir tudo o que eu disser?

Taehyung tinha chegado a eles, e ouvir este último comentário, sorriu.

— Jimin, deixe o pobre reunir o pouco juízo que ele tem, ele sai toda noite e olha como se mal conseguisse se lembrar do seu próprio nome — ele colocou a mão no braço do parabatai — vamos, Jeon. Você parece que precisa de uma runa de energia – ou talvez duas ou três.

Jungkook desviou os olhos de Jimin e deixou TaeHyung levá-lo pelo corredor. Jimin assistiu, sacudindo a cabeça. "Alfas", pensou. Ele nunca iria entendê-los.


Notas Finais


Vocês já suspeitam sobre o que JungKook quer tanto falar para o Jimin?

Só digo uma coisa: estou com muita pena do Kookie...

Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo💟😘💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...