1. Spirit Fanfics >
  2. Anjo meu. >
  3. Não deu certo.

História Anjo meu. - Capítulo 5


Escrita por: Letrivamika

Notas do Autor


Oi gente...
Desculpa pela demora.
Hoje trago mais um capítulo pra vocês, espero que gostem.
Obrigada por todos os comentários e favoritos.
Desculpa os erros, ainda não revisei.
Boa leitura 💕

Capítulo 5 - Não deu certo.


Mikasa...

Já se passaram quatro dias desde a última vez em que vi o anjo.

Pode parecer estranho, mais mesmo eu não o vendo, posso sentir sua presença.

Pensei que ele fosse pegar a pena que eu tinha guardado, mas naquela mesma noite, olhei a gaveta e ela ainda permanecia lá.

Achei estranho, porque ele a queria muito.

Eu ainda não tinha respostas para todas as minhas perguntas, até porque dependia dele para responde-las.

E até aquele momento eu não sabia onde ele estava.

Depois que as aulas terminaram, fui direto me trocar para treinar. A treinadora já tinha chegado, e estava junto com os outros alunos.

Gosto muito de nadar. E como sou boa nisso, participo de vários campeonatos contra os alunos do colégio, e também contra outras escolas.

Nossa treinadora é bem rígida, mas é uma excelente profissional.

Desde que comecei a treinar com ela, não perdi nenhum campeonato.

Já estava quase chegando na piscina, quando ouvi  Hange gritando.

-Vai Mika... Você consegue, você é a melhor.

Olhei para o lado, vendo ela sentada na arquibancada junto com a Sasha e o Armin,  comendo cachorro quente.

-É só um treino Hange...

Falei sorrindo.

Gostava muito de tê-la torcendo por mim. Até porque, na maioria das vezes era só ela, Sasha, Armin e Annie que me incentivavam.

Tirando é claro a treinadora, e meus pais.

Mesmo eu sendo a melhor do colégio na natação, não era muito reconhecida.

Não quando minha concorrente era a filha do diretor do colégio.

Mina Carolina, era o tipo de garota que tinha tudo aos seus pés. Quando não estava beijando algum carinha no escondido, estava fazendo bullying com os outros alunos. Ela era a famosa patricinha do colégio, com suas roupas caras, seu cabelo perfeito, rica e mimada. Andava sempre com um grupinho escolhidos por ela a dedo. 

Mesmo ela não sendo tão boa nadando, a maioria dos alunos principalmente os garotos torciam por ela.

Depois que o treino acabou, encontrei com a Annie no estacionamento.

Ela já estava de saída, mas quando me viu, saiu do carro e veio até mim.

- Oi Mika, desculpa por não ter ido no treino hoje. Estava terminando alguns trabalhos antes de começar as provas.

Falou se aproximando de onde eu estava.

-Não tem problema Annie, foi só um treino rápido. Depois que as provas terminarem, vai começar o campeonato... Aí sim quero você lá torcendo por mim.

Falei ansiosa pra que chegue logo esse dia.

- Pode deixar que eu não vou perder por nada esse campeonato. A Mina conseguiu passar também?

Perguntou, mesmo sabendo da resposta.

-Sim, ela é muito boa nadando...

-Você é muito melhor. Os alunos deveriam te apoiar mas. Até porque, você é a única a trazer um troféu pra essa escola.

Disse Annie me cortando.

-Eu não me importo com isso, desde que meus amigos me apoiem, não ligo para os outros.

Falei, mas me sentia uma mentirosa. É claro que me importava, vê toda galera chamando pela Mina mesmo quando eu chegava em primeiro lugar, me fazia sentir triste as vezes.

Annie sorriu. Ela não acreditava em mim.

-Vou fingir que acredito.

Eu ia protestar, mas ela foi mas rápida.

-Você sabia que ela tá dando em cima do Eren? Tudo isso é porque você gosta dele, e como ela não consegue te vencer na natação, vai querer pegar teu homem.

-Ele não é meu homem Annie. Ele não olha nem pra mim. Se os dois querem ficar juntos, que façam bom proveito.

Eu disse chateada comigo mesmo.

-Você tem razão. Você merece coisa melhor. Vem, me dá um abraço.

Me aproximei, a abraçando forte.

- Como amanhã é sábado, vamos dá uma voltinha? Estou pirando por ter que ficar só estudando. Vou ligar pra alguns amigos hoje e amanhã te aviso pra gente decidir.

Annie falou dramática.

-Tudo bem. Vou esperar você ligar pra gente combinar tudo.

Falei, subindo na minha moto.

Depois que falei com Annie, minha cabeça começou a doer. Era muita informação, que eu não conseguia processar direito.

Eren é um carinha que gosto desde o fundamental. Mas ele nunca me olhou, pelo menos não do jeito que eu gostaria. Agora parece que a Mina está com dele, e se ela está eu não tenho a menor chance.

Chegando em casa fui direto tomar um banho.

Mamãe ainda estava no trabalho, e hoje ia chegar mas tarde, porque ia dá uma volta com as amigas.

Terminei meu banho e vesti uma calcinha e uma camisa que era do meu pai, ficava no meio das minhas coxas. Estava muito confortável.

Fui até a cozinha e preparei macarrão com queijo.

Comi em frente a TV.

Já estava ficando tarde, quase 23:00 horas.

Mamãe nunca tinha demorado tanto assim.

Peguei meu celular e vi várias ligações dela. Não ouvi porque ele estava no mudo e eu não sabia.

Retornei a ligação. 

No segundo toque ela atendeu.

-Alô...

-Oi mãe o que aconteceu? Por que tá demorando tanto para chegar?

-Mikasa, você se importa de dormir sozinha hoje? É porque estou na casa da minha amiga e estamos querendo maratonar uma série.

Fiquei de queixo caído.

Minha mãe dormir na casa de uma amiga, e ainda por cima maratonar uma série? Isso era estranho demais.

-A senhora está bem?

Perguntei preocupada.

-Sim... Não me sinto tão bem faz tempo.

Ela realmente parecia bem... E feliz.

-Tudo bem mamãe, mas qualquer coisa me avise por favor.

-É claro meu amor. Feche todas as portas e janelas. Tenha uma ótima noite. Cuidado.

-Boa noite!

Respondi desligando.

Será que ela estava bem mesmo? Ela não mentiria pra mim. Ou será que mentiria?

Suspirei, e fui fechar todas as portas e janelas.

Subi e fui para meu quarto me aprontar para dormir.

Estava saindo do banheiro, quando o vi na frente da minha janela de costas, do mesmo jeito que estava na primeira vez em que o vi.

Suas asas não estavam a vista.

-Quanto tempo anjo.

Falei sentando na minha cama e fingindo indiferença.

Ele virou bem devagar me olhando surpreso.

-O que foi? Por que está me olhando assim?

Perguntei, estranhando seu comportamento. Parecia que nunca tinha me visto antes.

-De novo não... De novo não...

Ele falava e passava as mãos pelos cabelos.

-De novo não, o que?

Perguntei sem saber o que ele queria dizer.

-Todos esses dias tentando fazer com que eu não fosse visto, foi tudo em vão. Porque agora você está me vendo de novo.

Falou inquieto.

-Por que você não quer que eu te veja?

- Já disse que você não é digna.

-Só isso? Parece besteira para mim.

Falei, vendo ele se irritando.

-Por que você é assim?

Ele perguntou, fazendo gestos com as mãos e apontando em minha direção.

-Assim como?

Perguntei sem entender.

-Assim... Desse jeito.

Ele falou, fazendo uma cara engraçada.

-Olha, não sei o que você está querendo dizer com isso anjo.

-É claro que sabe. E tenho certeza que faz tudo de propósito, só pra me irritar.

- Eu te irrito?

Perguntei, não sabia o que ele queria dizer com tudo aquilo.

-Muito...

Falou e foi até a janela, se sentando ficando de costas pra mim.

Fiquei triste, não sabia se era porque ele me achava irritante, ou porque ele não me dava atenção, me ignorando completamente... Acho que os dois.

-Você é meu anjo da guarda?

Perguntei depois de algum tempo.

-O que você acha pirralha?

Falou, mas não me olhou.

- Não sei... Você nunca me diz nada. Poderia pelo menos conversar comigo já que está aqui? Responder algumas perguntas...

Falei e me levantei, indo fechar a porta do banheiro.

Quando voltei, ele estava me olhando estranho. Seus olhos brilhavam de um jeito diferente.

Vi quando ele engoliu em seco.

Foi aí que percebi que eu estava vestindo apenas calcinha e uma camisa, e estava sem sutiã. 

Na mesma hora corei. Subi na cama e me cobrir.

Seus olhos não saiam do meu, eu não sabia o que fazer. Aquilo já estava me incomodando.

-Dá pra parar de me olhar desse jeito? Você me deixa sem graça.

Falei e puxei a coberta mas pra cima.

-Você já é sem graça, não precisa do meu olhar pra saber disso.

Falou, e voltou a olhar para o Céu.

Não era isso que eu estava falando. Mas ele disse que eu era sem graça, com todas as letras.

-Você se acha muito. Deveria ser menos convencido já que é um anjo. Agir desse jeito não é pecado?

Perguntei,  ignorando o olhar severo que ele direcionou para mim.

-Só estou dizendo o que acho. E para mim, você não é nada interessante.

Essa doeu muito.

-E quem te perguntou? Você pode não me achar interessante, mas tem gente que acha...

Falei convencida.

Eu não sabia realmente se existia alguém que me achava interessante, mas eu não ia ficar por baixo daquele ser metido.

-Sério? Tipo quem? Aquele que sua amiga loira disse que está saindo com outra?

Ele estava tirando onda com a minha cara.

-Como você sabe disso?

Perguntei incrédula. Isso aconteceu hoje.

-Fiz minha lição de casa.

Falou e voltou a olhar para fora.

- Você está me espionando?

-Eu não preciso disso, como você já sabe, sou um anjo da guarda.

-Você está toda hora comigo?

Perguntei constrangida. 

-Não... Só quando você me chama, ou quando sinto que é necessário.

-Você já falou que eu te chamo várias vezes. Como é que eu faço isso? Tem como não fazer?

- Por que? Não quer que eu te proteja mas?

-Não sei. Só não quero te chamar quando eu estiver em algum momento... Você sabe...

-Na verdade eu não sei.

Realmente parecia que ele não fazia idéia do que eu falava.

-Tipo quando eu estiver tomando banho, ou estiver em um momento privado.

Ele ficou só me olhando.

-Acho que eu tenho que te dizer algumas coisas... Mas em troca...

Ele desceu da janela e veio andando em minha direção. Suas roupas eram totalmente pretas hoje. A única cor, vinha dos seus lindos olhos azuis acinzentados.

Encolhi as pernas, pra ele sentar na beirada da cama. Mas ele continuou em pé.

-Se eu responder algumas perguntas, você devolve a minha pena?

-Já disse que aquela pena é minha. Você tem um monte, custa deixar aquela pra mim?

Perguntei... Não queria devolver a pena, mas gostaria de algumas respostas.

-É isso, ou não vou falar nada.

Que crueldade. Aquela pena me fazia sentir bem. Mas se não tinha outro jeito.

- Então tá. Pra começar... Por que não posso ficar com a pena?

-Não vou te responder isso... Próxima pergunta.

-Você não pode pular, tem que responder.

- Não essa pergunta.

Mas o que? 

-Ok... Deixa eu vê... Por que só eu posso te ver? Por que sua pena muda de cor?  Como faço pra não te chamar toda hora?...

Cada pergunta que eu fazia. Ele ficava mas carrancudo.

__×__

Levi...

Credo... Como essa pirralha fala.

Já não aguento mais tantas perguntas. Apesar de não ter respondido nenhuma ainda.

Nenhum anjo antes, teve que dá explicações a um humano. Mas esse caso e meio que especial, pelo fato de que ela pode me vê.

E se eu não disser nada, ela não vai parar de falar.

Vou responder algumas perguntas, só pra conseguir minha pena de volta, e pra ela me deixar em paz.

-Tá bom, chega de perguntas.

Falei e voltei para janela.

-Eu vou te dizer algumas coisas, mas enquanto eu estiver falando, não quero que você me interrompa. Entendido?

Perguntei, ignorando ela se levantando e vindo em minha direção.

-Tudo bem anjo. Prometo não dizer nada, até que você termine de falar.

A olhei de cima a baixo...

Eu não sabia o que estava acontecendo comigo, pois minha barriga ficava mexida toda vez que ela ficava assim... Tão perto.

Por que ela usava aquele tipo de roupas? Que garota estranha. Não consigo pensar direito com ela por perto.

-Primeiro... Volte para a cama.

Falei. Queria ela longe de mim.

Pela cara que fez, não estava entendendo nada. Mas mesmo assim, foi sentar.

- Bem... Eu não tenho certeza do porque você pode me vê. Seu antigo anjo da guarda, falou que você nunca o viu. Quanto a pena mudar de cor... Esse assunto é bem constrangedor para mim. Mas ela muda de acordo com o que estou sentindo, de acordo com meu humor.

A olhei... e aquela cara de pau estava rindo de mim.

Rindo não, gargalhando.

A encarei furioso.

-Desculpa... Sério, desculpa... Eu não queria...

Ela não conseguia parar de achar graça da minha cara.

-Acho que já terminamos por aqui.

Falei, e me aproximei da cômoda dela.

-Agora, devolve a minha pena.

- Mas você não disse nada. Só respondeu uma pergunta.

Falou, ficando de pé na minha frente. Perto demais...

-Dá pra você se sentar?

-Por que?

Essa menina me irrita...

Passei as mãos pelo meu rosto.

-Devolve a minha pena.

-Só se você responder mas algumas perguntas anjo. Você não respondeu nada.

Suspirei, aquilo estava me cansando.

- Olha... Eu não sei de tudo pirralha. Alguns anjos dizem que os protegidos podem nos ver, quando tem uma conexão muito forte entre os dois.

Falei de uma vez.

-Então quer dizer que nos dois estamos conectados?

Perguntou sem jeito.

-Eu não disse isso...

-Mas é o que basicamente significa.

Disse me olhando com aqueles olhos escuros como a noite sem estrelas. 

Não... Estava mas para um buraco negro, onde me sugava, e depois que eu entrasse, não teria mas como voltar.

Sai de perto dela. Fui até a janela, não queria me perder naquela escuridão.

-Você pode devolver minha pena agora? Talvez outro dia possamos falar sobre esse assunto de novo.

-Por que não agora?

Ela perguntou, e voltou a se aproximar de mim. Dava pra sentir, o quanto ela estava perto.

Mas não a olhei.

-Porque não quero falar sobre isso agora.

Ouvi ela suspirando.

-Tudo bem anjo. Apesar de você não ter respondido quase nada... Eu tenho tantas perguntas.

Disse frustrada.

-Eu sei, outro dia respondo.

Eu queria sair daquele lugar, da presença daquela garota. Me sentia sufocado.

-Aqui, toma...

Me virei pra pegar, e ela estava alisando minha pena, com um olhar perplexo.

 A ponta da minha pena estava na cor vermelha. Olhei incrédulo. O que aquela cor significava? Nunca tinha ficado naquela cor antes.

- O que você está sentindo? Agora ela está vermelha.

Perguntou, ainda alisando minha pena. 

Me sentia estranho demais. Seu olhar estava cravado em mim. Sua boca estava entre aberta, e fazia minha cabeça queimar com pensamentos nada apropriado para se ter por uma protegida.

Peguei a pena e sai de lá em disparada, sem olhar pra trás.

Por que tinha que ser logo ela? 

Essa era a pergunta que eu me fazia todos os dias.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E então, gostaram?
Espero que sim.
Ainda são muitas perguntas sem respostas.😬
Obrigada e até o próximo capítulo 💕.
Vocês são demais 😘.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...