História Anjo Negro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Anjo, Anjo Negro, Deathfic, Demonios, Hinasasu, Luta, Mês Sasuhina, Morte, Romance, Sasuhina
Visualizações 223
Palavras 2.000
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Luta, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente eu vou responder os comentários depois, principalmente os das outras fanfic, andei um pouco doente e sem animo, mas quando eu tentava focar eu tive esse maravilhosa ideia e tentei fazer algo apresentável.
Mas enquanto eu criava o enrendo eu acabei matando um dos protagonista sem querer, mas é isso! Não me fiquem com raiva.
Eu criei todo o universo! Ele é totalmente meu e nem de mais ninguém, somente os personagens que não.
O dia que eu escolhi é sobre fanfic SasuHina sobre Anjo/Demônio com UA (universo alternativo). Isso veio de um grupo do facebook Cutirdores da SasuHina/Br
Bem a data 07/08 foi um dia aleatorio, mentira eu coloquei a data errada mesmo! Ignorem isso.
Boa leitura! Ignorem os erros.

Capítulo 1 - Anjo


Fanfic / Fanfiction Anjo Negro - Capítulo 1 - Anjo

Devia ter ficado em silêncio.

Escondida entre os arbustos, ou até mesmo ficando em casa ao invés de sair e ver essa cena deplorável, cena digna dos filmes e contos de terror que costumo ver ao lado do mesmo, daqueles que lhe roubam o sono e testam sua sanidade de forma absurda.

Eu vi o homem que eu digo amar matar outro a sangue frio. Ele nem ao menos excitou, não demonstrou o menor dos sentimentos de culpa e muito menos está a sentir remorso, sem se importar com o sangue da vítima que escorria pelos seus dedos.

Eu amei o cara errado, ele não é normal. Pois ninguém mata outra pessoa sem um motivo ou causa, me fora ensinado que toda vida é preciosa e que devemos zelar pela nossa e pela do próximo.

Nunca foi, mas infelizmente somente agora me dei conta do meu erro. O sorriso amargo e até mesmo o mau humor o denunciavam, todavia eu me iludia pensando que esse era o resultado da educação rígida que recebeu do pai.

Misturada aos traumas do passado que o fizeram daquele jeito, que serviram de molde para a personalidade distorcida do mesmo. Para que ele se agitasse ao ver cenas que embrulham o estômago e rir quando se deve sentir medo.

Contudo ele é um monstro.

Ele não disfarça, pelo contrário o assume com orgulho e ainda se exibe como se fosse inatingível.

Tenho medo das suas reações e daquilo que ele faz só que temo que agora eu vire mais uma em sua lista, que eu acabe como o homem deitado a minha frente, completamente sem pulso.

A faca em sua mão, o sangue no moletom e o sorriso sádico estão a me causar arrepios. Os restos grudados em sua calça, o sangue respingado em seu sapato e a poça que se formou sobre o corpo já sem vida do homem à sua frente. Ele levanta a faca, se agachando em frente ao homem ele o esfaqueia, perfurando seus órgãos e lhe abrindo a barriga.

Ele o faz enquanto sorri. O corpo começa a adquirir o uma aparência horrenda, ficando deformado devido aos cortes e sangrando com ainda mais intensidade à medida que a faca vai descendo, que vai cortando cada parte do corpo do homem morto.

Psicopata.

Sádico.

Maníaco.

Palavras assim estão a ecoar por minha cabeça, a me fazer pensar em como me envolvi romanticamente com esse homem, como um dia fui capaz de dizer que o amava.

Solto um grito quando eu o vejo arrancar o coração do homem, tal ato me denuncia, Sasuke se vira para mim, seu sorriso somente por poucos segundos até que ele volta a aparecer em seu rosto, ainda mais assustador do que ele estava a dar há poucos segundos, o sorriso gengival e os olhos avermelhados estão a me deixar me deixar paralisada.

Caio o chão molhado e sujo mancha meu short branco. Meus olhos ficam levemente borrados, minha mente não consegue processar as palavras que Sasuke está a falar, não consigo responder o mais velho, não me sinto capaz de desviar o olhar do homem que está a vir à minha frente.

O assassino que eu deveria ter evitado, que eu jamais deveria ter conhecido e muito menos declarado amor.

A faca se encontra apontada para o meu coração, não irei morrer de amor, apesar de ser ele a me matar. O golpe ironicamente não foi dirigido a mim, mas sim ao homem que se encontra logo atrás de mim, seus caninos são diferentes e os seus olhos amarelos.

Algo está errado, afinal ele se parece com o homem que o Uchiha estava a mutilar há segundos atrás. Algo se encontra completamente errado, o meu amargo psicopata avança para cima do homem que está a falar algo que eu não me julgo capaz de compreender. Meu peito se aperta no segundo em que sinto algo – alguém – me agarrar, uma adaga prateada e posta sobre meu pescoço, solto um grito no momento em que o objeto faz um pequeno corte em minha pele.

Sasuke para de lutar no momento em que sua faca perfura o peito alheio, uma nuvem preta sai do corpo do homem e começa a pairar sobre o ar antes de se dissipar. Ele se encontra ofegante, o homem lhe acertou alguns golpes em sua face e lhe desferiu alguns cortes em seu braço, contudo uma estranha luz está a sair de seus ferimentos.

O chamo chorosa, Sasuke cerrou os punhos e respira fundo, ele escuta com atenção as palavras do ser que está a me segurar, o cheiro forte de enxofre e bebida está a me deixar nauseada.

– Solte a faca! – ele ordena, soou frio no momento em que ele volta a pressionar a adaga contra minha jugular.

– Solta ela, seu demônio!

– Olha quem fala o anjo que foi expulso da legião por cobiçar a criação de Deus.

– Calado! – ele dita.

– Ora, ora ela não sabe quem você é não é mesmo! Ninguém nunca sabe que você mata demônios todas as noites e ainda volta para se deitar ao lada dela como se nada tivesse acontecido, que ainda acata as ordens de seu Criador, mesmo tento sido expulso do céu. Não sei quem é mais patético, você por achar que ninguém saberia dela ou ela por amar um anjo.

Encaro Sasuke que jogou a faca aos pés do homem, que está a sorrir, os cadáveres jogados próximos a nós estão a virar poeira, o sangue a sumir das vestes do Uchiha. O sorriso sádico sumiu, dando lugar a uma feição de súplica.

A adaga volta a ser pressionada contra o meu pescoço.

Sasuke reza. Pedindo para que o bom Deus o ajude, para que ele tenha força para suportar a provação e coragem para o que está prestes a fazer. Pedindo orientação e proteção para que nenhum mal caia sobre mim, para que tudo se resolva da melhor forma possível.

Meu peito se aperta ao ver ele correr em minha direção, os cortes em seu braço aumentam, um forte brilho toma conta do lugar, fecho os olhos enquanto o homem o encara de forma inexpressiva.

O cheiro de enxofre e ferrugem toma conta das minhas narinas, novamente sinto uma forte ânsia que rapidamente é substituída por outra onda. Todavia essa é quente e calorosa, tão confortável que me faz com que eu me sinta nas nuvens.

Um sacrifício foi feito. A adaga cravada no peito do homem à minha frente é a prova de seu sacrifício, o peito perfurado não atravessou seu coração, mas o dano causado fez com que ele cambaleasse, enquanto a névoa preta se dissipa sobre nossas cabeças.

O meu peito se alivia, mas rapidamente se desespera ao ver o estado de Sasuke, ao presenciar o sangue do meu anjo negro escorrer para fora do corpo do mesmo.

A luz radiante que está a sair de seu corpo me preocupada, em suas costas um enorme par de asas brancas se fazem presente, o sangue que está a sair de sua boca.

Meu peito se aperta, ao sentir seu corpo perdendo as forças, de ser sua luz aos poucos ficando mais fraca. Eu o julguei pela aparência é o cataloguei como psicopata, sem entender que na realidade ele era o meu anjo da guarda.

O meu anjo que ama vestir preto. Que fuma e que vai contra tudo aquilo que se diz maléfico para mim, o anjo de boca suja e de aura maligna.

Suas mãos tocam o meu rosto à medida que ele vai perdendo a sua coloração natural. Desespero-me, aquela angustiante sensação de vazio está a me preencher, a inundar o meu ser e a fazer com que grossas e teimosas lágrimas escorrem pelo meu rosto.

– Eu falhei.

–... não falhou. Meu amor você nunca fez nada de errado. – tento segurar minhas lágrimas, não ficar emotiva e nem pensar no pior. – Você sempre fez o seu melhor, constantemente me fazendo sorrir, Sasuke você é o melhor namorado que alguém poderia querer.

– Falhei sim Hina, pois te fiz chorar.

– Eu não estou chorando. – ele se força a fazer um movimento positivo com a cabeça. Limpo as lágrimas que estão a descer de forma rápida, seu sangue suja meu rosto e escorre até minha blusa roxa.

– Desculpa ter mentido e te abandonado dessa forma, – ele diz sem graça. – queria poder ficar mais tempo com você, mas eu não posso, queria dizer o quando eu te amo... ei, já disse pra não chorar.

– Não me pede isso Sasuke, pois é impossível não chorar seu idiota! – ele toca em meu rosto, de forma singela ele limpa as minhas lágrimas e volta a dizer para que eu não chore e nem que eu fique triste.

Eu amo um bastardo egoísta que não me permiti chorar mesmo com ele morrendo em meus braços, um completo e autêntico idiota! Eu o odeio por me fazer sentir assim, apesar de amar sentir seu corpo próximo ao meu.

– Não! Não! – começo a me desesperar quando a sua luz finalmente se apaga, os olhos fechados e o pequeno sorriso nos lábios. – Sasuke! – o chamo de forma desesperada, seu corpo está a ficar frio e arroxeado. – Não, por favor, não. – me sinto incapaz de raciocinar enquanto o corpo do homem que eu um dia amei começa a se desfazer em meus braços.

A vida é cruel! Ela é injusta, nunca me dando e nem permitindo me deixar ficar com quem eu realmente amo, com aqueles que fazem com que o meu coração dispare.

Aperto o moletom do mesmo com força contra o corpo. Sussurrando seu nome, eu tento me despedir de forma adequada do Uchiha.

Solto um soluço alto, isso acaba por chamar a atenção de um curioso que estava somente de passagem, o lugar ainda cheira a enxofre e a ferrugem, todavia aquele inconfundível cheiro ainda se faz presente.

O cheiro de nicótina, aquele indistinguível cheiro que irradiava da pele de Sasuke e o seu perfume preferido, o perfume que eu bati o pé e disse combinar com a personalidade misteriosa do mesmo. Com aqueles misteriosos olhos nublados tão profundos quanto à escuridão.

– Eu te amo! – o homem que está a me encarar está a me chamar, me encontro com um pequeno corte no pescoço e rodeada de restos de roupa que não me pertencem. – Sasuke! – o chamo chorosa, embriagada e com a garganta dolorida de tanto chorar.

– Moça? – ele sacode o meu ombro, enquanto eu pressiono com força a roupa de Sasuke. – Moça o que aconteceu aqui?

– Ele se foi... simplesmente se foi e eu nem ao menos pude me despedir.

– Quem se foi?

– O meu anjo. – digo area.

– Que anjo?

– O Sasuke, meu... m-meu... – não consigo terminar a frase.

Ele era meu namorado, mas ao mesmo tempo era um anjo. Só que ele não era um anjo qualquer, ele é o meu anjo, apesar da aparência e do humor negro, ele era um anjo que inundava a minha vida com a sua luz e alegria.

Um anjo negro. Um homem que apesar da personalidade fria, o humor negro e até mesmo a forma como ele se portava diante das pessoas; sempre se sentido superior e acima de todos a sua volta.

“Cala a boca humano.” Sua mania de se sentir o dono do mundo, até a sua arrogância eu costumava achar arrogante.

Narcisista, mas com razão.

– Moça você batem a cabeça em algum lugar? – o moço de cabelos grisalhos me questiona.

– Não, apesar de desejar esquecer o adeus que dei a ele há pouco.

Desejo chorar, sumir e me esconder até que o meu anjo volte. Que o homem que se escondia através de uma aura sombria de volta ao meu lado.

Só quero que o meu anjo chamando Sasuke perto de mim. Quero o meu moreno, o príncipe da arrogância perto de mim.

Sinto saudade, sinto a sua falta.

Te quero de volta anjo negro.

 

Te quero do lado durante as minhas noites de insônia, para afagar meus cabelos e dizer que me ama enquanto dormimos.


Notas Finais


Bem é isso.
Sei que não é o final que muitos gostam, com final feliz e os dois juntos, eu quis mostrar que não devemos confiar somente naquilo que as pessoas mostram para a gente. Que as vezes escondemos e temos segredos, cicatrizes e marcas, que muitas vezes não contamos para ninguém ficamos em silêncio. Fazemos sacrifícios e as vezes abdicamos de algo para que possamos ter alguém do lado.
O Sasuke aqui matava demônios, mesmo tendo sido expulso do céu. Ele caiu por amar Hinata, mas nunca fugiu e nem abandonou os valores que lhe foram ensinados, por isso quando ele morreu voltou para o lugar de origem, mas com o risco de cair e voltar a ficar ao lado de Hinata.
Bem é isso! Depois eu tenho que fazer mais um, só que isso só acontecerá quando eu responder aos comentários e tomar vergonha na cara e escrever o enredo de uma fanfic e atualizar as outras.
Beijinhos comentem e favoritem caso tenham gostado!
Beijinhos da Indra_Kimura/@_ruina


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...