1. Spirit Fanfics >
  2. Anjo no Inferno! >
  3. I need you

História Anjo no Inferno! - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - I need you


Fanfic / Fanfiction Anjo no Inferno! - Capítulo 5 - I need you


- Eu vou te ajudar, Jimin! - digo por fim

Seu sorriso se abre e seus olhos formam pequenas meias-luas. Me pego reparando no mesmo e reparo em seu rosto tão delicado, suas mãozinhas pequenas e gordinhas.

O mesmo se levanta de sua cadeira afoito e quase cai no chão. Mas isto não o abala.  Ele corre até mim com os braços abertos.

- Obrigado, Kookie! Obrigado, obrigado! - me aperta e eu retribuo o abraço deixando um riso anasalado escapar.

Jimin se separa de meu corpo e encara meu rosto. Seus olhos estão azuis e é a coisa mais linda deste mundo.

Ele está hesitando.

Inclina a cabeça. Morde o seu lábio e  só então resolve tomar uma atitude.

Seus lábios encontram o meu por um curto período de tempo, o que me faz perguntar se o que acabará de acontecer, realmente aconteceu ou não fora um delírio de minha mente.

- Desculpa, força do hábito! - O mesmo se pronúncia e eu não entendo o que ele quis dizer.

- Tsc, Tsc. - Taehyung balançava a cabeça e encarava Jimin - Majestade irá se arrepender de ajudá-lo!

Dito isso o mesmo levanta bruscamente e joga sua cadeira para o lado.

- Se vou ou não me arrepender, o futuro que irá dizer. - respondo ainda com meus olhos pousados em Jimin.

- Jungkook? - o menor me chama e eu o encaro fazendo com que o mesmo continue - Você aceitou muito rápido, o que quer em troca?

O fato dele me conhecer tão bem me assusta.

- Nunca disse que queria algo em troca, Park! - o olho de relance, conseguindo pegar a tempo aquele sorriso travesso.

Jimin se ajeita na cadeira, junta suas pequenas mãos e apoia sua cabeça nela e me encara.

Pisca repetidamente seus olhos e faz um bico

- Jungkookie, eu te conheço. - olha para a torta de morango - Uh, morango! - pega um pedaço de torta e eu solto um riso soprado - Então, eu te conheço. Desculpas, amo morangos - o garoto leva um outro pedaço a boca

Como poderia alguém ser tão adorável?

- E é por te conhecer que eu sei - jimin continua - Que Jeon Jungkook, nunca ajuda alguém sem algo em troca! - afirma e prossegue-  Quando crianças, lembro me bem. - Bota seus pequenos dedos sobre seu queixo pensativo - Estávamos aqui ou no meu reino? Ah, estávamos no meu. foi quando me ensinou a voar, inclusive. - Sorri -  Você disse que só me ajudaria com um beijo que nem o dos adultos.

Acho que ou o café não me desceu bem ou foi o que eu acabará de escutar.

- Isso nunca aconteceu! - Digo quando consigo domar minha respiração.

- Claro que aconteceu! - rebate

- Não aconteceu não! - afirmo

- Lógico que aconteceu, seu pateta! - rebate

Ele acabou de me xingar? Na minha casa?

- Se eu disse que não aconteceu - o encaro - Não aconteceu, Park! - com o meu maxilar travado dito

- Então pergunte ao meu irmão, ele viu e ficou nos zuando pelo resto do dia! - cruza os braços

Não é que eu não me lembre de algo do tipo.

É só que, na minha cabeça, era outra pessoa.

Estava no meu reino...

Devia ter 15 para 16 e Taehyung deveria ter seus 10 para 11 anos.

Brincávamos dentro de minha casa até que o mesmo revelou que possuia medo de voar.

Achava estranho um lobisomem querer voar, entretanto, o ajudei com a condição de que o garoto me beijasse.

Mas tinha que ser que nem o beijo dos adultos.

É claro que não fazíamos a mínima ideia de como adultos trocavam salivas.  Éramos crianças e por isso demos um selinho.

Foi o meu primeiro beijo e sei que foi o primeiro de Kim também.

A memória de Jimin batia perfeitamente com a minha, mas algo não se encaixava que era exatamente o fato de ser ele na versão que acabará de me contar.

- Bem, eu vou voltar para a minha prisão - disse com o claro deboche em sua voz - Por favor, me traga roupas novas. - ordenou

Após aquele café da manhã, me apressei em enviar roupas novas aos aposentos de Jimin como o mesmo havia me pedido.

Por algum motivo queria saber outras memórias que o mesmo possuía e por qual razão eram iguais as que tinha.

A forma como o mesmo agiu quando disse que o ajudaria também foi estranha. Aquele selinho, aquela euforia.

E como com um simples sorriso, aquele garoto me desmonta por inteiro? Ninguém nunca me desconfigurou da mesma forma que esse anjinho fez.

Acredito que o maior motivo de meu incômodo é não conseguir sabe os seus pensamentos, chega até mesmo ser cansativo.

Me apressei em retirar minhas roupas no banheiro. Estava perdido em meus pensamentos, navegando cada vez mais fundo sem entender o motivo dele me cativar.

A água quente caía sobre meus cabelos formando uma mini cascata em minha frente.

Fecho os olhos e me concentro em terminar meu banho, contudo, toda vez alguma lembrança daquela torduosa manhã repassava  dentro de meu coração.

Preciso mata-lo, é isso! Nunca demorei tanto para matar alguém! Deve ser falta de sangue angelical. Todo esse meu interesse por ele deve ser por isso.

Imerso em meu pequeno e grande monótono, vai depender de que lado está observando essa conversa de um pobre Jungkook.

Não reparei a porta de meu quarto ser aberto e muito menos a do banheiro, só fui me dar conta quando meu coração quase foi pelo chão.

- Uau, Jungkookie! - o garoto que parecia dar a mínima para o que acabará de acontecer e principalmente para o meu choque, analisava cuidadosamente meu corpo - Nunca pensei que ficaria assim!

Estava perplexo, não sabia se cobria minha região com as mãos ou se expulsava o mesmo do banheiro.

- Como. Como entrou? - Respondi com a única coisa que se passava pela minha mente.

Seu rosto demonstrava tédio e a estava com o seu braço apoiado no corpo e  quadril inclinado para o lado.

- Pela porta, que pergunta Jungkook! - disse como se fosse o óbvio - Aliás, você não tranca a porta não? - perguntou e eu arqueei uma sobrancelha.

Ele não podia ser real.

- Quer que eu saia? - nesse mesmo instante reparou como estava e abriu um sorriso malicioso - Continua o mesmo Kookie, aiaiai!

Dito isso saiu do banheiro como se nada tivesse acontecido, já eu me encontrava da mesma forma.

Enrolado como uma toalha na cintura saio de dentro do banheiro e encontro Jimin sentado de pernas cruzadas na minha cama.

O garoto de cabelos loiros olhava para a janela de meu quarto, sua boca estava entre aberta e seus dedos estavam apoiados em sua perna.

Até então, não havia notado seu visual, Jimin estava com uma camisa xadrez por cima e uma cacharrel preta o baixa. A calça preta faziam com que suas coxas ficassem bem visíveis.

- Kookie, o que olha tanto? - o garoto me pergunta com o rosto inclinado

Finjo tossir e me retiro da frente do pequeno anjo.

Vou em busca de algo para eu usar. Bem, iria ser algo monocromático como de costume e claro que a cor escolhida seria preto.

Hoje iria atrás de informações sobre o grupo de pessoas que querem acabar com o meu mandato e Jimin irá me acompanhar.

Ao me retirar de meu closet, o pequeno principe estava andando e observando cada canto de meu quarto.

Me apoio sobre a quina de meu quarto e o observo, silenciosamente.

O garoto loiro percebe minha presença e abre um sorriso, aquele sorriso alegre que recebi pela manhã.

- Está tão bonito, Jungkook-ah! - o mesmo diz - Vamos em algum lugar? - assinto e seus olhos curiosos me perguntavam em silêncio.

- vamos atrás de informações! - respondo - irá me ajudar, dizem que anjos percebem quando alguém esta mentindo.

Jimin me encara um tanto incerto sobre o que disse, mas não questiona.

Enquanto o carro passava pelas ruas do submundo, olhos atentos de Jimin reparava em cada detalhe e comentava sobre tudo o que via.

- Não me lembrava de todos os seres que existiam aqui - Diz observando pessoas que se encontravam paradas no meio da calçada. - Havia me esquecido do céu avermelhado.

Me permito novamente rir da situação. Era extremamente confortável ficar ao lado de Park.

- Jungkook, por qual razão estou ficando com medo? - o mesmo tinha olhos lilás, quase roxo

Era para ter medo mesmo. Aquele lugar não  é para anjos, todavia, preciso das habilidades do mesmo.

- Eles não irão fazer nada com você, okay? - Afirmo, mas nem eu confio muito nas minhas próprias palavras

Jimin assente e abre um sorriso que logo me acalma

- Sei que precisa de minha ajuda, Kookie! - ele coloca a mão sobre a minha e acaricia com seu polegar

Esse gesto fez com que tudo se acalmasse.

5 minutos. Esse foi o tempo que ficamos parados nos encarando e sorrindo um para o outro.

Park inclina seu corpo sobre o meu banco, apoia seus dedos em minha perna e cola seus doces e gordinhos lábios em minha testa

- Já deu certo e eles não irão mais te importunar, Kookie-ah! - assegurou - Eu dou um jeito em todos! - mostra seus punhos em sinal de luta

Gargalho e bagunço seus cabelos.

- Vamos que eles nos aguardam

O lugar era uma mistura perfeitamente equilibrada entre melancólico e sombrio. A mansão estava totalmente detonada e abandonada. Quem quer que seja o dono, certamente, não é um ser cuidadoso.

Haviam diversas plantas ramificadas sobre a construção. Pinheiros com aproximadamente 60 metros de altura rodeavam aquela velha casa.

Sinto todos os meus pelos do meu corpo darem sinais de que algo estava para acontecer.  Eles já sabem que estamos aqui, não precisam sentir eu andando.

Seguro a cintura de Jimin e fecho meus olhos sendo seguido pelo mesmo. E mentalizo o galpão onde os mesmo estão.

- Não. É seis, seis! - um cara baixinho demais gritava - Me passa o sangue de cordeiro, agora!

Haviam quatro pessoas na mesa e pareciam estar jogando sangue do vampiro, todos pareciam muito concentrados naquele tabuleiro que nem se deram conta da minha aproximação.

- Ora, ora! - pigarreio bem próximo do ouvido de Lee Jihoon - 4 seres inúteis - meus passos eram fortes e precisos - O bastardo, o traidor, o infiel e o lobisomem, digo, raposa. - puxo duas cadeiras da mesa ao lado - Quem será que é o traíra?

Faço gesto para que Jimin sente em uma das cadeiras e o mesmo obedece sem ao menos hesitar.

- Irei fazer algumas perguntas e meu querido ajudante - Encaro Jimin que passava o olhar por todos ali presente - Irá me dizer quem está mentindo e quem não está! -

Me ajeito sobre a cadeira cruzando as pernas. Busco no bolso a pequena arma assim que encontro apoio sobre a mesa. 

O jogo deles tinham terminado e o interesse já havia ido embora. Entretanto o meu, tinha acabado de começar.

- Vamos lá, primeira pergunta! - apoio meus dedo indicador e polegar sobre meu queixo  e os observo - Qual de vocês irá me contar sobre Cho Seung Woo?

- Não os conhecemos senhor! - O garoto de cabelo azulado e piercing afirmava

- Jimin? - Meus olhos continuavam sobre o garoto que acabará de dizer que não conhecia. - Antes do meu garoto dizer, tem certeza que não o conhece?

- Nós juramos senhor! - Dessa vez foi Jihoon que jurou.

Ah, como amo cenas como essa.  Eu sei que estão mentindo e sei que não precisava nde Jimin, mas amo um mini jogo e este está bem divertido.

Levanto meu olhar e observo Jimin que observa os dois rapazes com pena e tristeza antes de me dizer a resposta.

- Eles estão mentindo! - diz depois de três longos suspiros

Recebo olhares receosos e duvidosos, acredito eu que seja pelo meu humor que se tornou agradável neste exato momento.

Já disse que odeio mentiras?

Porém desta vez, isso me trará um retorno. O melhor das recompensas. Nada mais e nada menos que sangue.

Me levanto de minha cadeira e adentro ao pequeno espaço entre o falso lobisomem e o traidor.

Ah, o cheiro do medo! É impossível não reconhecer este odor. O fio de suor que escorre por suas preciosas nucas até me excita.

Imaginar o grito que os outros soltarão após verem a poça que se formara em seus pés.

Minha pele sendo totalmente renovada com o sangue desses imprestáveis.

E é com esse divertimento que me agacho na altura dos mesmos.

- Tiveram a chance de escolher, sabiam? - olho para os meus futuros alimentos - Ah, pelo menos um dos dois se salvariam!

E olha o meu lindo e favorito fio de suor criando sua própria trilha pelo o pescoço do mais baixo daquela reunião.

Com a boca salivando e dedos formigando, passo meus dedos sobre aquela trilha e retorno para a minha boca, fazendo um pequeno ruído de sucção.

Delicioso.

- Mas lembrem-se, foram vocês que pediram por isso! - gargalho sentindo o olhar assustado do anjo a minha frente - relaxe e aproveite a cena deliciosa que está prestes acontecer, Park!

Meus olhos estavam vermelhos do mesmo tom da seiva. Veias saltavam de meu pescoço e subiam criando ramificações em meu rosto.

- Escolham agora! - com a voz rouca e grossa dito - Arma ou magia?

Lágrimas rolavam pelos olhos daqueles que já sabiam seu fim. Súplicas de diversas formas eram ditas.

- Chega, não aguento mais ouvir o choro de vocês! - Levanto cansado - Eu sou o rei, não é mesmo? Então quem decide sou eu!

Olho para cadeira de Jimin que no momento não contia ninguém, olho ao redor e o encontro encolhido em um canto daquele galpão.

- Jimin? - Direciono meu olhar a ele que me encara - Abra as suas asas e sua cubra, lembre de tampar seus ouvidos! - O garoto assente e assim que suas asas o cobrem prossigo.

Ando até a mesa novamente e pego a pequena arma e giro sobre meus dedos.

O assobio espalhava sobre o galpão cada vez mais alto.

Ergo meus braços.

Fecho um olho.

Miro.

1.

2.

3.

Atiro.

A bala é certeira, perfurando a cabeça dos dois no mesmo momento. O corpo dos dois caem no chão.

Ando em direção aos dois e me agacho apoiando um joelho sobre o solo.

Minha mão vai em direção ao coração de jihoon e retiro de seu peito.

- O que foi? Dizem que coração de lobisomem é bom! Okay, ele não era realmente um lobisomem! - mordo uma artéria.

Com sangue escorrendo pelo canto de minha boca. Olho para os dois que sobraram.

- É melhor vocês avisarem ao Cho Seung Woo que ele será o próximo a morrer! - dito - Vazem daqui, seus filhas da puta!

Encosto meu corpo sobre a mesa e continuo comendo meu coração, enquanto observo aqueles canalhas saírem.

É até que para uma raposa, ele era bem gostosinho.

- Jimin, pode tirar as mãos do ouvido - digo calmo novamente

Nenhuma resposta.

- Jimin, você está me escutando?

E foi ao me virar que eu percebi.

Para onde aquele garoto foi?

- Porra!






































Notas Finais


⚰️

E aí meu povo!!!
Como vocês estão?

Demora do cão para atualizar, não é?
Me perdoem!

Tenho novidades e ela é

Agora temos perfil no twitter e no Instagram

insta: @anjonoinferno_
twitter: @anjonoinferno_

Bem tenho outra coisa para tratar...

Esse capítulo era para ter saído no dia do meu aniversário que foi agora no dia 13

Queria postar em comemoração aos meus 18 anos...

Entretanto não postei e estou postando agora.

É isso!!!

beijo no coração de cada um de vocês e até o próximo capítulo.

💜💜💜💜💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...