História Anjo Suicida - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Cartas, Cortes, Depressão, Drama, Fim, Revelaçoes, Suicidas, Textos, Vida
Visualizações 25
Palavras 942
Terminada Sim
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 38 - Como É Ser Você?


Fanfic / Fanfiction Anjo Suicida - Capítulo 38 - Como É Ser Você?

Oi. Como eu posso te chamar agora? Acho que não poderia chamar de “amor” não é? Nenhum amor pisaria em mim, machucaria meu coração, quebraria-o em pedaços, ou iria me deixar em lágrimas. Mas eu infelizmente tenho essa mania. De chamar quem eu amei de “meu”, “amor” e principalmente “meu amor”. Pois bem. Como vai, meu amor? Queria poder não dizer isso, mas eu ainda me preocupo contigo. Será que se preocupa, ou um dia se preocupou comigo? Aquelas cicatrizes ainda estão aqui, para relembrar o amor que eu lhe dei, e foi jogado ao léu. Você encontrou quem precisava? Encontrou alguém melhor? Espero que sim. hoje faríamos 1 ano e 8 meses, doi não comemorar esse dia, doi que esse dia seja apenas de dor,  Sinto muita falta dos nossos momentos. Sinto falta de nós. Por que, mesmo você tendo me machucado tanto, o que construímos valeu á pena. Mas dói muito saber que acabou. Não tem volta. Você era pra quem eu dedicava  meus textos, quem morava nos meus pensamentos. (ainda mora) Mas todo mundo sabia que não daria certo. Apenas eu acreditei. Fui boba. Eu sempre sou tão boba. Sempre acho que não vai ter fim. Que vai ser para sempre. E todos esses pensamentos se tornaram decepção. Acabo me decepcionando toda vez que esse pensamento entra na minha cabeça. Eu sempre choro quando relembro de nós. Dá uma saudade, sabe? E agora, enquanto escrevo esse texto choro, pois relembro de cada momento nosso para escrever essa carta. Puta nostalgia. Se um dia esta carta chegar a você, não pense que tenho esperanças sobre nós. Isso nunca. Já me conformei que quando é um fim, é para sempre, sem continuações, sem segunda temporada, sem segunda chance, sem um segundo volume de histórias. Agradeço a você por ter aparecido pela minha vida. Cresci tanto contigo. Amadureci demais. Acho que nós dois amadurecemos muito. Mas não quero um recomeço, uma segunda parte, não quero um nós novamente. Por que sei que me machucarei, e não vai ser para sempre. Uau, finalmente entendi. Cai na real, pois é. Espero que seja muito feliz. Nossa história teve um rude final. Nem ao menos um pequeno adeus. Um adeus decente. Acho que merecemos isso não é? Acho que esta é uma das maiores cartas que já escrevi. E eu escrevi ela, com o objetivo de dar-nos um adeus decente. Mas é difícil fazer isso. Mas não, não me alimento do passado, das lembranças, não me alimento da esperança de um nós novamente. Você participou do meu “ex eu” que fazia parte da minha “ex vida”. E você me ajudou a virar o eu atual. Então eu lhe devo um adeus, lhe devo um obrigada por me ajudar a me tornar desse jeito, me ajudar a ser melhor. Me ajudar a me auto-reconhecer. Então, um adeus para você, um adeus para nós. Adeus. Adeus meu ex amor, minha ex paixão, meu ex futuro. Ex, ex, ex. Só tenho um fazer a lhe pedir, se não for pedir muito, é claro… Fique bem.



 Estou sentindo que aquela ultima vez que a gente se falou, foi o seu último ”se cuida”. Eu sei, eu sabia que isso ia acontecer. O único problema foi que tu demorou muito pra dizer isso, dizer essa coisa que eu tenho na cabeça, sem precisar dizer nada. É estranho sentir que eu levei tanto na brincadeira, que de uns dias pra cá, eu levei isso a sério. Não entendi isso, talvez tu tenha falado algo,ou demonstrasse algo que me fez pensar que tu também me queria, mas não na mesma intensidade que estou sentido agora, mas queria. Ou talvez, eu tenha lembrado de como tu me beijava exatamente como eu sempre imaginei. E tenho certeza que não vou imaginar outro alguém me beijando como eu imaginei contigo. Ontem à noite, demorei muito pra dormir como de costume, mas parecia que era muito mais que uma simples insônia, eu não sei explicar, e quando eu não sei explicar eu deixo as lágrimas falarem por mim,eu deixo, deixo por que é a única forma que eu posso tenta me aliviar.Sinal de que eu não sabia de nada, sinal de que eu só queria que eu voltasse com mesmo pensamento de antes, mas não foi possível, pelo menos na noite anterior não! Não é loucura, mas era como se eu ouvisse a sua voz, a sua risada, quando eu lembrava das coisas boas que tu me falava, e ao mesmo tempo das coisas que eu imaginava tu me falando. É doido isso de tu estar envolvida com alguém.Tudo, exatamente tudo lembra ele, parece que tu faz questão de lembrar  dele, como se fosse um ponto seguro de que a pessoa ainda tá ali, mas na verdade ele nunca esteve.Fiz questão de saber cada coisinha sua, mas tenho certeza que tu sabe pouquíssimas minhas, não por você não querer saber, mas porque eu não deixava você saber.Eu queria que as coisas fossem devagar, como sempre foi pra mim, mas não a ponto de não saber mais o que pensar ou que fazer.É, tu mexeu comigo de uma forma que eu nunca vou esquecer, eu prometo, não vou me esquecer de como tu foi especial pra mim. Eu juro, que eu contei coisas pra ti que eu nunca contei pra ninguém, e vou levar isso comigo, vou lembrar de como tu me fez bem. Eu sei que todo esse tempo não foi a sua intenção de me machucar de forma alguma, eu sei disso,mas também não existe mais sentimento agora.Então, foi bom lembrar de ti  todos os dias, foi bom eu te ter por perto várias vezes



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...