História Anjo Vermelho (BTS Jungkook) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Got7, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Min Yoongi, Mistério, Rap Monster, Romance, Suga, Taehyung, Vampiros
Visualizações 84
Palavras 3.489
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi pessoas, primeiramente desculpa eu sei que demorei muito pra postar. tipo, muito mesmo.
me desculpem, eu cheguei a querer desistir da fanfic, na verdade ainda penso, mas vou continuar e ver no que dá

BOA LEITURAAAA

Capítulo 17 - Kim Namjoon


Fanfic / Fanfiction Anjo Vermelho (BTS Jungkook) - Capítulo 17 - Kim Namjoon

SEGUNDO ATO: KIM NAMJOON

 

Havia se passado dois anos desde a morte do pai dos garotos. Jin já tinha 16 anos, Namjoon 14 e Taehyung 11.

_Ela quer vê-los, um de cada vez _ a mulher abriu a porta do quarto vendo os três garotos sentados no banco vermelho que ficava na parede ao lado.

Jin foi o primeiro a se levantar e seguir para o quarto onde sua mãe passava seus últimos momentos. Minutos depois ele saiu com uma postura firme, mas estava claro em seu rosto que ele havia chorado desde o momento que entrou.

_ Sua vez Nam _ o mais velho colocou a mão no ombro do irmão sorrindo fraco e se sentando ao lado de Taehyung, que não mexia nenhum músculo e se mantia de cabeça baixa.

O Kim do meio se levantou respirando fundo e entrando no quarto. Sua mãe estava na cama, coberta até o tórax, sua pele estava pálida e os fios da franja estavam colados em sua testa pelo suor, mas mesmo assim ela sorria. Namjoon se aproximou ficando ao seu lado com uma postura ereta olhando fixamente para a parede do outro lado do quarto.

_ Kim Namjoon _ a mulher chamou como um fio de voz ainda sorrindo _ como você está filho? _ ele se manteve calado, usando toda a força que tinha pra não chorar. Ela diminuiu o sorriso _  como estão as Poesias? E os treinos? _ continuou sem receber as respostas e assim seu sorriso morreu _ me perdoe por estar indo tão cedo.

Ele travou o maxilar e os punhos finamente a olhando _ Omma, posso segurar sua mão?_ pediu recebendo a mão estendida para ele e a segurou se aproximando para se ajoelhar ao lado da mãe _ Omma… não vá embora, sim? Fique mais tempo conosco, ok? _ disse como se pudesse a convencer de não “ir” Como se ela pudesse escolher _ a senhora nem viu minha última poesia e.. E o Tae Tae está pintando um quadro novo pra senhora, e a senhora nem nos viu conseguir as Guias ainda… omma _ seu queixo já começava a tremer e ele aproximou a mão dela de sua testa _ omma não vá… por favor, por favor não vá _ disse finalmente se permitindo chorar.

Ela sorriu novamente soltando sua mão para pousá-la sobre a bochecha do esverdeado _ você se parece tanto com seu pai _ fez um carinho deixando uma lágrima solitária escorrer por sua bochecha.

Namjoon fechou os olhos com força enquanto o choro tentava rasgar sua garganta _ eu te amo omma… eu te amo muito, muito, muito.

_ Eu também te amo, meu pequeno poeta.

☪☪☪

_ Bem vindos meninos, como foi a viagem? _ Morgana recebeu os irmãos na porta de sua mansão, enquanto os empregados levavam as malas para dentro.

Desde o parto de Taehyung, feito por ela, a morena ficou muito próxima da família, ajudando na criação do menino, mas algum tempo depois ela se casou com um homem rico e se mudou para uma mansão próxima a Tallinn. Como ela era a mais próxima da família os meninos acabaram tendo a guarda dada para ela.

Os três a olharam, fazia quase três anos que não a viam. Ela estava completamente diferente, mais bonita.

Taehyung deixou que seu queixo tremesse, não havia chorado nada desde a morte da mãe na noite anterior, mas ali, na frente da mulher que fez parte de toda sua infância. Quase como sua mãe. Ele se deixou amolecer. Caiu aos prantos colocando as mãos nos olhos e assim seus irmãos também choraram.

Morgana sentiu um grande peso em seu peito, estava tentando se manter forte, afinal ela também havia perdido uma grande amiga, mas apenas os abraçou.

_ Eu sinto muito meninos _ sussurrou para os três.

☪☪☪

Namjoon entrou em seu quarto, era espaçoso e a cama era enorme, se tivesse energia teria pulado nela até que suas pernas parassem de mexer.

Abriu uma de suas bolsas e começou a arrumar as coisas pelo guarda-roupa até chegar na última, a esvaziando e encontrando seu pequeno caderno no fundo da mesma. O segurou por alguns segundos e depois levantou os olhos para o espelho que ficava na parede, em cima da cômoda, o encarando, mas já não sabia quem era aquele em seu reflexo. Jogou o caderno dentro do guarda-roupa e se jogou na cama.

_ “cada vida é um livro” _ disse de olhos fechados, era um pedaço de um poema escrito por ele _ “nós temos diferentes estrelas e histórias, nós temos diferentes noites e manhãs” … mas essa noite é uma página que eu não quero ler _ completou.

“Você se parece com seu pai”

Lembrou-se das palavras de sua mãe. “Parecido em quê?” Se perguntou. Ele mal se reconhecia, muito menos conseguia se comparar a algo.

Dois longos meses se passaram e eles estavam se acostumando com a nova rotina. Namjoon costumava passar o dia inteiro dentro do quarto, às vezes deitado, às vezes olhando seu reflexo. Estava tão perdido si mesmo que havia deixado sua antiga guia de lado sem nem ter conseguido a ligação com ela, já não era mais o menino que havia a escolhido.

Os raios Sol entravam pela varanda do quarto junto com uma brisa leve. E lá estava ele, sentado em sua mesinha, tentando, pela milésima vez naquele dia, escrever um de seus poemas, mas nada saía, nada era bom o bastante.

_ Namjoon? _ Morgana abriu a porta do quarto devagar.

_ Sim? _ o esverdeado parou de olhar para o caderno se virando para ela.

_ Tenho algo para te mostrar, venha comigo por favor _ ela deu um pequeno sorriso e ele se levantou para acompanhá-la.

Eles passaram pelo corredor dos quartos e Namjoon não pode deixar de notar o grande quadro na parede mais a frente. Eram Morgana e seu marido, um ao lado do outro. Pareciam felizes. Desde a chegada, os meninos não viram o rosto do Homem sequer uma vez.

_ Dona Morgana _ o menino a chamou.

_ Só Morgana, esse dona me faz sentir velha _ ela sorriu e continuo andando até alcançarem a escada descendo por ela até a sala.

_ Onde está seu marido? Não tive a oportunidade de vê-lo.

_ Ele está em uma viagem de trabalho _ ela disse quando alcançaram uma grande porta de madeira escura com detalhes em prata a abrindo e dando espaço para que ele passasse _ gostou?

O garoto ficou completamente perplexo com o tamanho do lugar, repleto de livros de todos os tipos.

_ Parece a biblioteca na ilustração do livro Bela e a Fera _ disse olhando por todos os lados como se estivesse tentando guardar cada detalhe em sua memória.

_ Leu esse livro? _ ela ergueu as sobrancelhas _ Não é comum entre garotos, é considerado “livro de menina”

_ Não existem “livros de meninas” Existem apenas livros _ disse sem olhá-la.

Ela sorriu. Com certeza ele pensava como a mãe _ fico feliz que pense assim. É sua.

Ele a olhou confuso _ O que?

_ A biblioteca, ela é sua. Percebi que não gosta de sair sequer para treinar como fazia quando menor, mas que ainda gosta de ler e escrever seus poemas. Pode passar seu tempo aqui e descobrir os segredos desse lugar.

Pela primeira vez em dois meses ele sorriu e o espírito da aventura acendeu uma chama em seu coração.

_ Obrigado, muito obrigado _ ele fez uma reverência e correu até a primeira estante de livros enquanto Morgana virava as costas para se retirar.

Algum tempo depois, Jin e Taehyung entraram na biblioteca a procura do irmão.

_ Namjoon Hyung! _ disse Taehyung ao avistá-lo entre uma montanha de livros _ não vai… treinar?_ desviava dos livros até alcançar o esverdeado.

_ Já faz tempo, precisamos voltar a treinar Namjoon _ Jin disse com as mãos nos bolsos.

_ Hyung, eu não tenho guia, não posso treinar _ respondeu ainda lendo o livro que estava em sua mão.

_ E o que aconteceu com sua espada? _o mais velho franziu o cenho

_ Não me sinto bem a usando, não faz mais… sentido _ ele respirou fundo. Como iria explicar para seu irmão que já não sabia o que se passava com ele, nem quem ele realmente era?

_ Meninos _ Morgana entrou _ o que estão fazendo?

_ Precisamos treinar, mas o Nam disse que não quer mais a espada como Guia _ o mais novo se aproximou da mulher.

_ Hum, posso ajudar com isso _ a mulher disse com um sorriso cúmplice _ me sigam.

Eles foram atrás dela, que apenas atravessou a sala até outro portão, esse era vermelho em detalhes Dourados.

_ Essa é a sala de armas _ ela disse entrando com os meninos logo atrás _ podem olhar e escolher qualquer uma.

_ Uaaah _ Taehyung sorriu largamente se aproximando de um armário apenas de Katanas. Jin se aproximou de uma mesa lotada de facas e pequenas armas de corte. Aquela já havia se tornado sua sala preferida na mansão.

Namjoon apenas observava com as mãos dadas atrás das costas. Morgana logo percebeu que o garoto não parecia muito interessado nas armas que via, então resolveu mostrar algo diferente.

_ Namjoon _ ela o chamou e logo ele apareceu do seu lado _ venha comigo _ ela se aproximou da parede do Fundo da sala que, diferente das outras, não tinha arma nenhuma, e bateu palmas duas vezes fazendo a parede se mexer e subir dando espaço a um conjunto de redomas que eram quase do tamanho de Morgana _ meu marido costuma guardar as melhores aqui _ ela disse quando os olhos dos garotos se acenderam e eles se aproximaram.

_ Por que não estão todas preenchidas? _ SeokJin perguntou se referindo às redomas que estavam vazias.

_ Ele ainda está procurando as que podem preenchê-las _ ela pôs as mãos na cintura orgulhosa pelo marido. Ele era o fornecedor de armas mais importante de Tallinn _ gostou de alguma? _ perguntou para Namjoon enquanto os outros se afastaram para olhar.

_ Aquela _ disse apontando para a Khopesh de lâmina verde.

_ Ótima escolha, essa aí tem uma grande história _ ela disse se aproximando e passando o dedo indicador pela redoma a fazendo subir e dar espaço para a arma. Ela a segurou entregando para o garoto.

_ História? _ ele perguntou já com ela nas mãos.

_ Sim. Meu marido a encontrou em uma de nossas viagens para o Japão. Ela pertencia a um Monge que era caçador.

_ Um monge caçador? _ ele juntou as sobrancelhas.

_ Os pais dele o consagraram ao templo antes de seu nascimento, então ele nasceu com a marca do ar. Ele não podia usar armas por ser um monge e treinava escondido de seus superiores _ enquanto ela contava Namjoon escutava atentamente cada palavra _ então uma onda de ataques e mortes começou na vila em que o templo ficava. como não haviam muitos caçadores ele começou a lutar contra as criaturas malignas que atacavam o lugar, mas ninguém podia saber quem ele era, então ele se disfarçou com uma roupa preta e uma máscara de guerreiro se tornando o maior herói do lugar.

_ Uaah _ ele disse sem fôlego _ isso realmente aconteceu?

_ Claro que sim! existe até uma estátua dele na praça principal da vila. Meu marido teve que pagar uma fortuna por essa khopesh _ ela disse cruzando os braços _ e então?

_ Posso ficar com ela? _ ele sorriu animado.

_ Não _ ela disse seca vendo o sorriso dele murchar _ é brincadeira, meu bem, claro que pode _ apertou as bochechas dele como se ainda fosse um moleque, e na verdade, para ela, todos eles ainda eram _ muito bem meninos _ bateu palmas fazendo as redomas voltarem para trás da parede _ vamos comer.

☪☪☪

Conforme o tempo passava, Namjoon voltou a treinar e parecia realmente que tudo estava indo bem, mas aquele vazio em seu peito continuava ali. Reinando sobre todo o resto. Ele fazia questão de não preocupar ninguém, então aprendeu a fingir bem. Quem eu sou? estou fazendo realmente o que quero? Não sabia as respostas a muito tempo. Era como se sua mãe tivesse levado consigo todo o sentido de sua mera existência.

Então uma noite, depois de passar a tarde treinando com seus irmãos, eles foram mais cedo para a cama, pois estavam exaustos. No meio da noite, Namjoon acordou com sede e resolveu descer até a cozinha para beber água. No caminho para ela, ele começou a ouvir vozes vindo do escritório do marido de Morgana. Parecia uma discussão e ele imaginou se alguém teria entrado lá sem permissão. Se aproximou a passos lentos e espiou pela fresta da porta.

_ Eles são ótimos meninos! Não se atreva a tocar em um só fio de cabelo deles! _ Morgana apontava o dedo para alguém que o esverdeado não conseguia enxergar.

_ Eles são apenas um consolo para você. Admita que no fundo ficou feliz com a morte da mãe deles, afinal esse era o único jeito de você ter filhos! _ uma voz de homem a respondeu acusadora fazendo o estômago de Namjoon gelar na hora _ não sei como me casei com você! Nem um herdeiro de sangue você pode me dar e ainda me traz esses órfãos inúteis!

Logo um som de tapa foi ouvido. Ela havia batido no marido _ não é como se eu não quisesse ter filhos de sangue! Eu não escolhi ser estéril.

_ E não é como se eu quisesse casar com uma estéril! _ ele a segurou pelo braço com força _ eu já amei você… hoje eu só tenho pena de você _ ele a jogou contra o chão se preparando para sair.

Namjoon se afastou da porta se escondendo atrás do vaso de flores ao lado da mesma. O homem logo saiu do escritório a passos pesados. Quando já não era mais possível vê-lo, o esverdeado se aproximou da porta vendo Morgana,que estava abraçada aos joelhos, tremendo, talvez de raiva, talvez de medo.

_ Morgana? _ ele a chamou e como mágica ela parou de tremer.

_ Oi meu bem, o que faz acordado a essa hora? _ ela se ergueu com o maior sorriso que conseguia pôr no rosto, e sacudiu o vestido.

_ Está tudo bem? _ ele perguntou mesmo já sabendo qual era a resposta, mesmo sabendo que ela mentiria.

_ Claro que sim. Você quer alguma coisa?

_ … água, por favor _ ele pediu e logo ela assentiu indo até a cozinha com ele _ a senhora está, mesmo, bem?

_ Sim, meu bem. Não poderia estar melhor _ ela entregou o copo cheio para ele _ eu estou indo me deitar e espero que você também vá _ disse se retirando para o quarto e ele fez o mesmo deitando em sua cama sabendo que não conseguiria dormir.

Quando o dia amanheceu, batidas na porta chamaram a atenção do esverdeado que correu para abri-la dando de cara com o Jin.

_ Vamos descer rápido. O marido de Morgana voltou e está nos esperando na sala de jantar _ o mais velho disse apressado.

_ Hyung, eu não gosto desse homem.

_ Hum? Por que? _ O moreno perguntou confuso e Namjoon contou tudo que havia visto na noite anterior _ isso não é possível.

_ Mas foi, precisamos ajudá-la _  ele disse sério.

_ Por enquanto não vamos fazer nada. Precisamos pensar bem antes de fazer qualquer coisa, se não pode ser pior para ela. Vamos _ fez um sinal com a cabeça para eles irem.

Durante o café tudo parecia às mil maravilhas. O homem os recebeu inacreditavelmente bem e Morgana sorria como de costume. Sim, tudo estava bem, até que os dias se passaram. Então já não era mais possível esconder as brigas no meio da noite, os hematomas já eram mais difíceis de esconder, e o anseio de fazer algo por parte dos meninos só crescia.

Muitas vezes eles chegaram a apanhar no lugar dela quando seu marido voltava bêbado para casa, tentavam segurá-lo e sempre acabavam recebendo pedidos de desculpas de Morgana. Uma vez ele chegou a trazer uma amante para dentro de casa, colocando-a para dormir com ele no quarto, enquanto sua mulher deveria dormir, bem, em qualquer lugar.

☪☪☪

_ EU NÃO AGUENTO MAIS! _ mais uma vez a voz desesperada de Morgana gritava do quarto do casal.

_ ENTÃO PORQUE NÃO VAI EMBORA? SERIA MARAVILHOSO.

Os meninos estavam reunidos no quarto de SeokJin e haviam recebido a ordem de não sair por nada.

_ Hyung… precisamos fazer alguma coisa _ disse Taehyung segurando sua agonia.

_ O que vamos fazer? Ele vai bater nela e em nós também, vamos piorar as coisas _ Jin respondeu preocupado. Aquela sensação de impotência, que ele odiava, gritava em seu peito.

_ CALE A BOCA MULHERZINHA PODRE _ e foi ouvido primeiro tapa, seguido de outro e outro.

Namjoon estava em seu limite. Passou o tempo todo segurando seus instintos e então percebeu que era aquilo que ele era. Instintos fortes que sempre o levavam a fazer o certo. Ele levantou da cama abrindo a porta do quarto indo em direção ao seu. Jin e Taehyung foram atrás dele.

_ O que vai fazer? _ o prateado perguntou vendo ele pegar a khopesh no guarda-roupas.

_ Vou acabar com isso!

_ Namjoon, é perigoso _ Jin tentou impedi-lo.

_ Não me importo. Não sei vocês, mas eu não sou alguém que deixa algo assim continuar! Eu vou fazer o possível para fazer o certo, porque esse sou eu! _ disse firme e então a khopesh se transformou em suas mãos.

Jin abriu bem os olhos, depois sorriu _ mamãe ficaria orgulhosa _ pode ver pequenas lágrimas se formarem nos olhos firmes do menor _ muito bem _ se aproximou colocando a mão no ombro do esverdeado _ Nos diga o que fazer, Líder.

Foi a vez de Namjoon arregalar os olhos _ Hyung…

_ Anda logo não temos o dia todo! _ Taehyung disse já impaciente fazendo os outros rirem.

_ Vamos _ Namjoon tomou a frente marchando para o quarto de Morgana derrubando a porta com um chute.

O homem largou Morgana no chão e pegou uma espada, que enfeitava a parede em cima da lareira, partindo para cima deles. Jin impediu que ele acertasse a lâmina em Taehyung, sustentando ela com sua halaide.enquanto Namjoon foi para trás dele chutando seus joelhos o fazendo cair sobre os mesmos. O homem abriu os braços fazendo Jin se afastar, mas quando voltou a ficar de pé Namjoon colocou a khopesh contra seu pescoço o fazendo ficar imóvel. Então Taehyung tirou a espada do maior também a apontando contra ele.

_ Vamos ver o que os guardas vão dizer sobre o senhor _ o prateado sorriu.

_ Seus moleques desgraçados! _ antes que ele pudesse dizer mais alguma coisa algo o atingiu na cabeça e ele desmaiou.

_ o único desgraçado aqui é você! _ Morgana apareceu de pé atrás dele segurando o atiçador da lareira, que havia usado para bater na cabeça dele.

Os meninos ficaram assustados por um breve momento, mas logo se puseram a rir. Na mesma noite os guardas de Tallinn levaram o homem para a masmorra e todos os seus bens foram consequentemente transferidos para Morgana, que agora não era apenas a maior fornecedora de armas, mas também mãe de três garotos incríveis que fariam tudo para protegê-la.

☪☪☪

_ Meninos! Já chega de tanto lutar, venham comer, rápido! _ a nova empregada da casa chamou impaciente.

Já haviam se passado mais dois anos e eles estavam vivendo uma boa vida, sem preocupações. Entraram na sala de jantar se sentando em seus lugares de costume, começaram a se servir animados, enquanto morgana lia, com uma cara séria, alguns papéis sobre a mesa.

_ Mãe? O que foi? _ Taehyung, que havia pego o costume de chamá-la de mãe, perguntou preocupado.

_ Aqui diz que, todos os meninos de dezesseis anos para cima devem ir ao centro e se alistar para o exército, parece que a guerra piorou e eles precisam de mais homens _ ela respondeu deixando os papéis sobre a mesa. Aquela guerra já havia durado seis anos e agora iria levar seus meninos com ela?

os meninos se entreolharam _ quer dizer que… nós vamos para guerra?_ o prateado perguntou aflito.

_ Não! eu não vou deixar.

_ A senhora não pode ir contra o exército, mãe _ foi a vez de Jin falar.

_ Mas eu não posso permitir que eles levem vocês! Vocês são meus meninos _ a voz dela saiu angustiada e os garotos levantaram para abraçá-lá.

“Meus meninos”

 

FIM?

 


Notas Finais


bom pessoas, foi isso.
espero que tenham gostado, e espero mais ainda que eu consiga voltar a escrever kkk
ate a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...