História Anjos! - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gowther, Helbram, Jericho, King, Meliodas, Merlin
Tags Baine, Ban, elaine
Visualizações 51
Palavras 1.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Amorecos do meu coração, mil desculpas pela demora👏😓 Estava com alguns problemas de família e não estava muito bem para escrever, os capítulos sairiam uma merda. Desculpa de verdade.

Mais as coisas estão melhores e me senti boa para escrever🎉
Não me mantém 👏😂

Agora vão ler🤗

Capítulo 17 - Peça do destino.


Fanfic / Fanfiction Anjos! - Capítulo 17 - Peça do destino.

Pv.Ban

Depois da fala de Meliodas, fiquei estático, sem reação alguma, meu cérebro entrou em curto. O que aquela maluca está fazendo aqui? Justo agora que estou me acertando com alguém novamente.

- Ei Ban? – Meliodas me chamou em um tom de voz mais alto, me retirando dos devaneios. – Está tudo bem?

- Bem? – O encarei. – Até agora eu não entendi o porque da volta da Jillian, parece que o destino quer me pregar mais uma peça.

- Nem eu meu amigo. – Meliodas se ajeitou na cadeira. – Ela apenas veio a minha sala a sua procura e claro que falei que você estava em uma conferência importante; ela apenas agradeceu e disse que te veria quando você voltasse.

- Não sei pra que. – Suspirei, já pensando nas probabilidades dessa volta repentina de Jillian me causar problemas, sérios problemas. – Preciso falar com Merlin. – Me levantei em arranco.

- Ei espera, não te contei que marquei um encontro com a estagiária do meu irmão. – Meliodas tentava chamar minha atenção, queria muito escutar meu amigo, já que ele sempre me escuta, mais nesse momento Elaine é minha prioridade.

- Desculpa Meliodas. – Abro a porta de sua sala e vou saindo. – Depois você me conta. – Sai em disparada, peguei o elevador e subi ate o andar no qual a sala de Merlin ficavam, entrei sem bater causando certo espanto na morena.

- Que isso? Está maluco? – Merlin me conhecia bem e sabia que algo me afligia.

- Preciso que você me dei esse final de semana de folga. – Falei em meio ao uma respiração cansada.

- Oi? – Merlin me encarou com uma expressão nada feliz. – Você ficou fora quase uma semana...

- Porque você me pediu. – Cortei sua linha de pensamento, tentando culpá-la da minha “viagem”.

- Detalhe. – Merlin passou as mãos nos cabelos. – Ban, eu não posso ficar sem você aqui, Meliodas fica muito sobrecarregado.

- Eu sei, mas...

- Ai Ban. – Foi a vez dela me contar. – Esse final de semana não tem como.

- Mais Merlin eu preciso muito desse fim de semana. – Porra como eu ia contar a ela que era para levar Elaine a Inglaterra para se separar do tampinha, Merlin ia me achar um bobo, adolescente apaixonado, ainda jogar na minha cara que eu estava deixando minha carreira que tanto lutei para ter de lado.

- Vamos fazer assim, lhe dou folga no outro fim de semana. – Melhor que nada ne, só teria que tomar cuidado para nada dar errado durante esses dias. – Meliodas precisa de um descanso e esse final de semana é dele.

- Sem problemas Merlin. – Abro um sorriso. – Agradeço.

- Afinal. – Merlin me encarou com um sorriso malicioso. – Por que você precisa de um final de semana mesmo?

- Há. – Forço um sorriso.

- Eu já imagino o porque, fica tranquilo seu segredo está guardado comigo. – Merlin me conhecia mesmo. – A propósito, Meliodas te falou que a Jillian veio a sua procura?

- Sim. – Revirei os olhos. - Mais uma peça do destino na minha vida.

- Tome cuidado com ela, Jillian  é uma mulher ardilosa e você sabe muito bem que no fundo ela nunca aceitou o fim do “ relacionamento”. – Merlin fez sinal de aspas, tanto Meliodas e ela sabiam bem que eu nunca amei Jillian.

- Espero que ela não seja uma ex vingativa. – Querendo ou não, Jillian era misteriosa demais, vai saber.

- Veremos. – Merlin esboçou um sorriso e foi se levantando, pegando sua bolsa. – Preciso ir buscar Arthur na escola. – A morena me encarou. – Você deve uma visita ao seu afilhado.

- Você fica me enchendo de trabalho, por isso não vou ver o garoto. – Merlin me fitava furiosa, mais era culpa dela mesmo, mais fazia muito tempo que não seu filho, Merlin era uma mãe super protetora, Escanor, seu marido, reclamava as vezes que ela mimava muito a criança, era uma familia que mesmo com alguns problemas, sempre se mantia firme.

- Não vou te falar nada viu. – Merlin foi saindo. – Até amanhã Ban.

- Até, mande um beijo para meu afilhado.

Pv.Elaine

Já havia explorado boa parte daquele apartamento enorme, nunca fui bisbilhoteira, mais quando se trata do anjo platinado, minha curiosidade vai a mil. E o que mais ne chamou a atenção foram alguns portas retratos, tinha foto de Ban adolescente, com os cabelos grandes; tinha outra que ele estava com Meliodas e mais dois rapaz, que provavelmente eram os irmãos do médico loiro; fotos de sua formatura, junto com os pais de Meliodas e com o baixinho e dentre tantas fotos, a que me chamou mais atenção, porque achei fofa é claro, era do doutor criança, sentando a beirada de uma piscina e lógico Meliodas do lado. Todas as fotos Ban já estava com a cicatriz, não tinha nenhuma foto com seus pais, a infância parecia ter sido sofrida demais para guardar qualquer recordação.

- Elaine? – Aquela voz, ele havia voltado, estava tão concentra admirando as fotos, que não percebi sua chegada. – Estagiária?

- Esta atrasado. – Cheguei a sala e meu anjo platinado estava deixando suas coisas sobre o sofá.

- Achei que tinha partido. – Fui até ele o abracei, senti que ele estava tenso e distante.

- Aconteceu alguma coisa? – O encarei a espera de uma resposta.

- Não. – Ban forçou um sorriso, me deixando mais desconfortável. – Nossa viagem a Inglaterra ficará para o próximo fiz de semana.

- Tudo bem. – Isso me deixou nervosa, já havia pensado mil forma de terminar com Helbram, mais não cheguei a uma que não o machucasse.

- Devo um almoço a você. – Ban me deu um beijo calmo.

- Sim, deve doutor. – Me soltei dos seus braços. – Por que não se troca e depois prepara o almoço para nós?

- Seu pedido é uma ordem. – Ban me deixou na sala e foi para seu quarto, voltou com uma blusa branca e uma calça moletom. – Venha me ajudar. – Me puxou para a cozinha, e la começamos a preparar o almoço; Ban fazia tudo super concentrado e eu apenas me divertia, tentando o ajudar. Depois ele me fez colocar a mesa, e quando começamos a comer, ele me encarou. – Eai, gostou?

- Se eu gostei? – Encarei a comida no meu prato. – Eu adorei.

- Sabia que ia gostar. – Ban tinha uma expressão de satisfeito, depois de comermos, limpamos nossa bagunça e depois fomos para sala assistir filme, e claro que não era de romance, já que Ban deixou bem claro que odiava filmes melosos, que sua paixão era filmes de heróis.

- Ban você não se importaria se eu fosse embora hoje a noite? – Me ergui um pouco do seu peito, para ver seu rosto.

- Queria que você ficasse. – Ban suspirou. – Mais tudo bem, te levo em casa mais tarde. – Me deu um beijo na testa e voltou sua atenção ao filme. Assim passamos toda a tarde, curtindo o momento, trocando carícias e para fala a verdade eu queria que esse dia não tivesse fim. Mais como tudo que é bom dura pouco, a noite chegou e Ban me levou em casa, me ajudou com as malas e depois voltou para perto do seu carro.

- Obrigado por esses dias maravilhosos estagiária. – Ban mantia em um sorriso tranquilo e encantador.

- Eu que agradeço doutor. – Me aproximo e lhe beijo. – Até amanhã.

- Até senhorita Milenti. – Ban me deu mais um beijo e depois partiu, entrei em casa e já fui barrada por minhas amigas, que me olhavam de uma forma susoeita.

- Pode começar a contar. – Diane me puxou para o sofa e me fez contar tudo, ambas estavam eufóricas. – Então você vai largar do banana do Helbram?

- Vou sim. – Elizabeth e Diane pularam de alegria, depois disso Elizabeth me contou que ia sair com o irmão do seu patrão e quando ela me disse o nome dele, quase surtei era Meliodas e amigo de Ban. Elizabeth ficou feliz em saber que eu já conhecia o homem que a tanto estimava. Diane me contou também que iria esse fim de semana ver meu irmão, os dois estavam se acertando aos poucos isso era bom. Depois de muita conversas, botando o papo em dia, resolvi tomar um banho e dormir, queria que noite passe rápida só para eu ver meu anjo platinado.

                                [...]

Acordei com meu despertador a tocar, me levantei e me arrumei rapidamente, desci tomei café com as meninas e sai em disparada para o MED, estava atrasada. Essa correria me trouxe uma puta nostalgia do meu primeiro dia de estágio, quando encontrei o anjo pela primeira vez, quem diria que um “atropelamento” mudaria minha vida tanto assim.

Ao chegar o MED, recebi olhares frios da enfermeira chefe, ela deve me odiar, mais não tenho culpa se Ban nunca quis ela. Passei sem lhe dizer nada e fui aos meus afazeres, logico que antes contei a Gowther como foi tudo durante a viagem, o mesmo ficou me perguntando muitas coisa, era mais curioso que Elizabeth e Diane juntas.

Pv.Ban

Acordei com uma falta de disposição tremenda, demorei muito dormir, minha cabeça parecia que ia explodir, fiquei pensando em Elaine e que deveria ter lhe contado que Jillian estava na cidade, mais não, resolvi dizer nada. Maldita hora que Jillian veio para essa cidade.

Arrumei forças e me levantei, me arrumei e quando cheguei a cozinha, Vivian estava la, já havia preparado meu café e estava se preparando para arrumar o apartamento. Depois de tomar café da manhã, me dirigi ao hospital, quando cheguei, Jericho veio até mim, provavelmente me interrogar.

- Depois a gente se fala, tenho pacientes para atender.

- Mais eu só queria...

Não deixei ela terminar sua fala e adentrei o hospital, durante todo o trajeto ate o elevador, busquei a estagiária com o olhar, mais sem sucesso, deveria estar na área específica da pediatria. Entrei no elevador e depois que o mesmo parou no andar onde ficava minha sala, caminhei calmante, ate ela, percebi que a porta estava entre aberta, para mim isso era estranho. Entrei na minha sala com cuidado e quase tive uma parada cardíaca.

- Jillian?

- Olá querido.


Notas Finais


Desculpem os erros amorecos🖒


✔ Jillian no anime para quem não se lembra, era uma cavaleira sagrada e pertecia ao primeiro esquadrão do Slander ✔


Espero que estejam gostanto, a opinião de vocês é super importante, me motiva bastante. Agradeço a todos de coração, por acompanharem, comentarem e seguirem.❤😍👏

Beijão a todos 😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...