História Anjos, demônios e um amor proibido - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 45
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Tentação de algo novo part2



A aula inteira foi uma verdadeira chatice. Eu fiquei tententando tirar o novato da minha cabeça e focar nos meus estudos (o "feitiço" que também teve efeito em mim), mas com a metade da escola só falando disso foi meio difícil. Às vezes eu olhava para ele e eu sempre o via ele rodeado de meninas, e às vezes eu o via me olhando e eu disfarçava e olhava para outro lugar.

Quando o sinal bateu anunciando o intervalo, fomos para o refeitório. Bom, pelo menos no intervalo foi diferente (eu acho)

- Quem é o novato? - Daniel disse de boca cheia 

- Ele é tudo de bom. Para você ter uma noção ele me deixou sem ar - Britney disse também de boca cheia, mexendo com a colher de um lado para o outro 

- Podemos falar de outra coisa? - eu tentei mudar de assunto, mas não consegui e acabei piorando minha situação 

- Tá com ciúmes? - Britney disse se virando pra mim. Virei a cara e pelo canto do olho pude ver que ela estava super curiosa (e com um sorriso malicioso) para a minha resposta

- Não - dei uma boa colherada da comida  (afinal não tive a oportunidade de tomar café) 

- Você tá sim - ela disse me provocando - eu vi o jeito que vocês se olharam - fiquei um pouco chocada e com vergonha. Quase me engasguei com a comida, tossi e dei alguns tapinhas no peito para a comida descer.

Ela viu?!

De repente me bateu um arrependimento. Por que eu não hesitei no mesmo momento que ele me olhou?

- Vocês se olharam? - Daniel entrou na conversa mais curioso do que Britney - Não esperava isso de você - ele me deu um sorriso de sabichão

- Não - dei a mesma resposta e enfiando mais uma colher cheia de comida na minha boca

- Sim eles se olharam por um longo tempo, acho que ele roubou seu coração - Britney não conseguiu tirar aquele sorriso malicioso do rosto

E lá estava eu sem sai, meus amigos não paravam de me provocar com perguntas, mas eu sempre enchia a boca com comida para não responder. Mas confesso que não deixei de ficar vermelha

O tempo se passaou, até que o sinal anúnciou o fim da aula e Britney foi para casa. Daniel me acompanhou até o meu trabalho de garçonete em um restaurante não muito popular. E meu trabalho lá foi realmente MUITO cansativo, mas pelo menos eu tenho direito a uma refeição grátis

No meu caminho para casa eu estava com um sentimento estranho, como se estivesse sendo seguida ou observada por alguém. O caminho inteiro fiquei olhando de um lado para o outro, e para piorar a minha rua estava completamente deserta. Já devia ser mais de onze horas da noite, já que hoje eu fiz hora extra

Fiquei com o celular na mão já pronta para ligar pra polícia se eu visse algo suspeito, mas quando eu estava perto da entrada do prédio onde moro, tudo aconteceu tão rápido 

Alguém pegou o meu pescoço e me chocou contra a parede, fiquei em estado de choque, desamparada e claro com muito medo.

Meus olhos foram diretamente para o rosto daquela pessoa. Não consegui ver seu rosto, ele estava ancapuzado, mas pela sua força já sabia que era um homem. Ele começou a apertar meu pescoço ficando difícil de respirar. 

Ele vai me matar, só conseguia pensar nisso por várias e várias vezes. Mas mesmo assim não desisti da vida 

Comecei a lutar, eu arranhei seu braço arrancando sua pele  (graças a deus eu havia esquecido de fazer a minha unha), mas ele nem se mexeu, nem ao menos sentiu dor. De corri a outro meio, comecei a chutar suas pernas, na tentativa de falharem e ele cair, mas elas congelaram ao sentir uma forte dor, como se vários cortes sendo tivessem sido feitos nelas  

- Vocês humanos são tão imbecis, lutando pela vida que já perdeu - Disse o homem apertando cada vez mais o meu pescoço

Humanos? Como assim? 

Não tive tempo para pensar, minha visão começou a borrar, meu corpo perder as forças. Minhas mãos começaram a deslizar sobre seu braço perdendo as forças 

É assim que vou morrer? Lágrimas começaram a escorrer sobre minhas bochechas, nem vou poder me dispedir de minha mãe. Comecei a perder a consciência lentamente, quando de repente alguém o empurrou com tanta força que ele caiu no chão, e acabou batendo a cabeça

Cai com tudo no chão, senti uma dor horrível nas pernas. Comecei a recuperar o ar. Meu pescoço doía tanto que ficava difícil de respirar, minhas pernas estavam fracas e inteiramente ensanguentadas por causa dos vários cortes feitos. Tentei, mas não consegui me levantar. Olhei pra cima para ver quem havia me salvado da morte, mas não consegui ver seu rosto por causa da luz do poste.

Preciso sair daqui

Tentei mais uma fez (sem sucesso) me levantar, mas minhas pernas falharam. O meu salvador me pegou gentilmente no colo 

- Você está bem? - ele perguntou, mas sua voz me era familiar

- Sim, muito obri... - quando eu o olhei de perto não pude evitar de arregalar meus olhos. Agora sei o porque de sua voz me era familiar - Heros?!

Ele não me respondeu, ele apenas estava olhando fixamente para o homem caído no chão 

- Você! Como ousa interferir! -  o ar a nossa volta mudou ficou mais pesado, mais gelado. Quando olhei para aquele homem não consegui acreditar no que havia visto 

Sombras. Sombras se formavam como uma névoa há sua volta, e pude perceber que se aproximavam lentamente de nós. Pisquei várias vezes para ver se aquilo era real, o pior é que era.

Heros me segurou firme, me fazendo ficar encostada contra seu peito 

- Segure-se em mim - seu rosto estava mais sério. No mesmo instante botei meus braços envolta do seu pescoço sem intender para que tava acontecendo

Não desviei o meu olhar das sombras, elas estavam a poucos centímetros de nós.

Senti uma forte rajada de vento que me fez fechar os meus olhos na hora, comecei a sentir leves brisas em meu rosto. Abri meus olhos, fiquei boquiaberta 

Eu estava voando!

Meus olhos foram diretamente para as costas de Heros, havia um enorme par de asas extremamente brancas. Aquela visão me fez perder o fôlego 

- Você tem asas? - gaguejei, um pouco sem ar ao perguntar. 

Não consegui acreditar naquilo que eu estava vendo. 

Isso é um sonho, só pode ser. Soletrei cada palavra mentalmente, não consegui acreditar em nada que estava se passando

Naquele momento eu sabia o que ele era, eu sabia muito bem. Mas também sabia que naquele momento que minha vida iria mudar para sempre

Eu iria viver algo novo  








~¤~¤~¤~¤~¤~¤~¤~¤~¤~¤~




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...