História Anjos e Demônios - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - O Passeio


 

 

    Quando chego na sala, recebo a reclamação da professora pelo atraso. Me desculpo e vou para minha cadeira. Passo o resto da aula sorrindo, feliz com o que tinha feito. Ao término desta aula, Jennie e Jungkook pararam na minha frente.

  - Está com raiva da gente pelo que houve no refeitório? – Jennie perguntou na hora que chegou.

  - Não. – Sorrio. – Não estou com raiva.

  - Tem certeza? – Jungkook perguntou inseguro.

  - É claro, linduxo. – Sorrio e me levanto só para abraçar os dois. Eles riem e retribuem na hora. – Eu amo vocês, queridos. – Beijo a cabeça dos dois.

  - Nós também te amamos. – Os dois beijam minhas bochechas ao mesmo tempo.

    Eu sorrio com isso mas o sorriso se desmancha ao olhar para Hoseok. Ele estava com uma expressão triste e olhava para seu caderno. Conheço esse caderno muito bem. Ele desenha nele quando está triste ou com raiva. Eu falo para Jennie e Kook que vou conversar com Hoseok, eles entendem sobre a conversa e saem da sala.

  - Hoseok... – Me sento na minha cadeira e olho para ele. O rapaz não me olha e nem fala nada, só continua desenhando. – Hoseok, me desculpa por hoje cedo. – Ele ainda não fala nada, mas pelo menos me olha. – Estava um pouco estressada e... bem... com medo do jeito que você ficou me olhando após o selinho com o Namjoon.

  - Só por conta daquele selinho você não falou comigo?

  - Sim. Você me lançou um olhar mortal. Fiquei com medo. Por isso fui embora logo em seguida ao beijo e não falei com você. – Respiro fundo.

  - Não ligava para aquilo. – Ele ri de leve. – Estava bêbado. E posso dizer que queria te beijar e não gostei do Namjoon ter te beijado. – Ele suspira. – Mas desculpa.

  - De boa. – Sorri.

  - Vamos para aula de Ed.Física. – Ele se levanta e pega suas coisas e sai rapidamente da sala.

    Eu suspiro e faço o mesmo. No corredor, a caminho do vestiário feminino para me trocar, Gabriel aparece na minha frente.

  - Cumpriu seu dever. – Ele sorri. – Parabéns.

  - Obrigada. – Sorri de leve.

  - Hora de voltar para casa. – Ele abre as asas e vira de costas para mim. – Vamos?

  - Gabriel. – Ele me olha. – Posso ficar mais essa semana aqui? – Ele fica surpreso.

  - Não era você quem queria ir embora o mais rápido possível daqui? Por que quer ficar mais um tempo aqui?

  - Quero me despedir dos amigos que fiz. – Digo me lembrando de Jungkook, Jennie e Taehyung. Gabriel ficou um pouco pensativo e logo deu um leve sorriso.

  - Mais uma semana. – Foi o que ele disse antes de sumir.

    Eu sorri e voltei a caminhar em direção ao vestiário. Tirei o uniforme de sala e vesti o de quadra, logo fui ao ginásio onde estavam jogando queimada.

---Mais tarde---

  - Quer mesmo sair comigo? – Hoseok perguntou enquanto caminhava até seu carro.

  - Sim. – Fico na sua frente. – Como um pedido de desculpas por ontem a noite e por hoje de manhã. – Ele coçou a nuca e ficou pensativo, mas logo sorri.

  - Pode ser. – Eu fico animada. – Onde iremos?

  - Que tal cinema? Ou uma sorveteria. – Digo indecisa.

  - Cinema e depois sorveteria.

  - Ok. – Sorri e dei passagem a ele. – Onde nos encontramos?

  - Eu te busco.

  - Mas você não sabe onde eu... a tá. – Ri e peguei meu celular. – Me de seu número. – Ele se aproximou de mim e pegou meu celular das minhas mãos. – Hei.

  - Calma. – Ele ri. – Não vou roubar, só vou salvar meu número. – Ele começa a digitar. – Quando decidir a hora me liga. – Ele me entrega o celular e entra no carro.

    Eu sorrio e desbloqueio a tela, logo vou em contatos e vejo como ele salvou seu número ‘Chuhuzinho da S/n’. Eu ri e logo guardei e fui em direção a parada de ônibus.

---De noite---

    Minha cama estava cheia de roupas. Tirei praticamente todas do guarda roupa para escolher uma para ir ao cinema com o Hoseok.

  - Se for um encontro, te aconselho a usar um vestido mais coladinho. – Jennie disse.

  - Já disse que não é um encontro. – Jogo mais uma roupa na cama. – É só um passeio entre amigos.

  - Não é melhor usar uma calça? Vai que faça frio no cinema. – Disse Jungkook na outra tela do notebook.

  - Estava pensando nisso. – Pego uma calça e mostro para eles. – Essa é bonita, mas acho ela muito colada.

  - Assim que é bonito, mana. Em colada para destacar suas curvas. – Disse a Jennie.

  - Mas que blusa eu uso? – Deixo a calça na cama e vou procurar por uma blusa.

  - Qual você mais gosta? – Jungkook perguntou.

  - Eu gostos muito dessa aqui. – Mostro uma preta, que chega nas minhas coxas, com o desenho da armadura do Sagitário de Cavaleiro dos Zodíacos. – Ela ficaria bonita com a calça e um tênis branco?

  - Eu acho que sim. – Jungkook disse rapidamente.

  - Ficaria em sim, querida. – Jennie sorri. – Vai com esse look, faz uma make básica e deixa seus lindos cabelos soltos.

  - Tem certeza que vai ficar bom assim? – Pergunto meio insegura.

  - Vai ficar lindo, more. – Jennie sorri. – Agora tenho que ir. Prometi pra mamis que ajudaria ela a escolher a roupa para o jantar de niver do casamento dela com meu pai. – Ela ri fraquinho e manda beijo. – Até amanhã meus amores.

  - Até. – Jungkook e eu falamos ao mesmo tempo e ela desliga.

  - Mas e ai, Kook. – Digo começando a arrumar minhas coisas. – Você já decidiu que roupa vai usar no seu encontro?

  - Ainda não. – Ele bufa.

  - Vocês vão aonde?

  - A uma boate gay.

  - Pensei que vocês não queriam ainda expor o relacionamento de vocês.

  - Eu disse isso a ele, mas ele falou que ninguém da escola vai lá. Nenhum conhecido nosso na verdade. – Ele suspira e olha para o relógio em seu pulso. – Já vou me arrumar, mana. Beijos e até amanhã.

  - Até, lindo. – Sorri e ele desliga.

    Depois de ter arrumado tudo e deixado a roupa separada, peguei meu celular e disquei o número do Hoseok.

- Alô, Hobi na escuta.

  - Oi, Hoseok. Sou eu, a S/n.

  - S/n! – Ele parece animado. – Espera um minuto, vou desligar a música. – Quando ele tira o celular do seu ouvido eu realmente escuto uma música. Era lenta e tinha uma pegada sexy. – Pronto. Já tá pronta? É que eu estava treinando.

  - Não. – Ri fraquinho. – Mas já decidi a hora que você pode vir me buscar.

  - Então diga, mademosele. – Ri do jeito que ele falou e ele fez o mesmo.

  - Venha daqui a uma hora. Pode ser?

  - Ok. As oito e meia chego na sua casa. Mas para isso acontecer, eu preciso do seu endereço.

  - Verdade. – Ri de leve e dei meu endereço a ele.

  - Ok. Até daqui a pouco, S/ap.

  - Até, Hobi.’

    Depois deixei o celular na cama e fui tomar banho.

---No cinema---

  - É sério?! – Ele perguntou chocado.

  - Sim. – Abaixo a cabeça e sorrio meio envergonhada.

  - E por que?

  - Sei lá. – Suspiro e olho para cima. – Tenho pesadelos e não consigo dormir direito por um bom tempo.

  - Tudo isso com um filme de terror?

  - Sim.

  - Então temos que escolher um logo. – Apontou para uma das atendentes. – Nossa vez já está chegando.

    Fico um pouco pensativa.

  - Que tal... Bem... Aquele... Não... – A atendente nos chama. – Vamos logo assistir o de terror. – Me vejo derrotada e ele sorri vitorioso, o que me anima bastante. – Já compramos os ingressos, e o filme começa daqui... A uma hora?!! – Me irrito um pouco. – O que vamos fazer em uma hora?

  - Vamos comer alguma coisa, estou faminto. – Aponta pra barriga e segura minha mão, logo me puxa para fora do cinema e vamos a praça de alimentação do shopping. – Vai querer o que? Aqui tem comida chinesa, mexicana, a clássica americana e, olha brasileira. – Ele diz surpreso. – Essa é nova. E então... – Ficou na minha frente. – Vai querer o que?

  - Só quero comer uma pizza bem grande com borda recheada e um refrigerante bem gelado. – Digo quase babando só de imaginar tudo que eu disse. – Tudo bem pra você?

  - O que você decidisse eu iria comer. – Ele sorri e logo fomos a um dos pontos que tinha pizza, fizemos o pedido e fomos nos sentar. – Bem... Você decidiu sair comigo só para se desculpar por ter ido embora da festa sem falar comigo e por ter me ignorado hoje de manhã, ou tem outro motivo?

  - Acho que o primeiro. – Sorrio de leve e suspiro. – Sei lá... quero começar algo com você, uma amizade sabe?

  - Sei. – Ele sorri de leve. – Gostaria de começar algo também.

  - Que bom. – Sorri animada. – Bom, mas amigos tem que se conhecer bem. – Ele balança a cabeça concordando. – Me fale sobre você. – Apoio meu queixo na mão. – Me fale coisas que eu não sei.

  - Tipo o que?

  - Coisas que você faz no seu tempo livre, conte-me um pouco da sua infância. Coisas assim.

  - Bom... Vamos lá. – Ele suspira e sorri, logo começou a falar sobre sua vida. Mesmo eu sabendo de tudo, não tínhamos mais o que falar.

    Depois dele falar, foi minha vez. Uma vida inventada foi o suficiente para ele sorrir e aceitar o começo da nossa amizade. Pouco tempo depois o nosso pedido ficou pronto. Conversamos, sorrimos, comemos e ele conheceu mais um pouco da minha vida de mentira. Quando terminamos voltamos rapidamente ao cinema, pois faltava só dez minutos pro filme começar.

  - Vai querer pipoca? – Ele perguntou logo que chegamos no cinema.

  - Acabamos comer uma pizza, Hoseok. Ainda está com fome? – Pergunto surpresa.

  - Um pouco. Mas um filme sem pipoca não é um filme. – Ele disse fazendo uma cara pidona.

  - Tá. Mas uma pequena.

  - Grande ou pequena é pipoca. – Ele me puxa para a pequena fila que tinha para comprar a pipoca, mas em pouco tempo chegou nossa vez. – Vai querer o que, S/n?

  - Posso dar uma dica? – A atendente perguntou e concordamos. – O combo casal é muito bom, e todos os casais ficam muito felizes com esse combo

  - Não. – Hoseok fala rapidamente. – Não somos um casal. – Ele parece sem jeito. – Somos só amigos, nada mais que isso. Não seremos nada mais que amigos.

  - Nossa. – A mulher diz parecendo surpresa. – Vocês combinam tanto que pensei que eram um casal. – Ela sorri. - Vão querer o combo ou não?

  - Vou ao banheiro. – Digo rapidamente e saio dali.

S/n OFF

     Narrador ON

  - Posso dizer uma coisa? – A atendente perguntou a Hoseok, que estava guardando seu cartão. Ele concorda e olha para a mulher. – Acho que você magoou sua amiga falando que não serão nada mais que amigos. – Hoseok abre a boca, mas não fala nada, logo pega seus pedidos e vai para a entrada da sala na qual o filme iria passar.

    S/n sai do banheiro e logo vai a procura de Hoseok, que já estava entregando os ingressos.

  - Pensei que ia ter de entrar no banheiro para te buscar. – Hoseok fala rindo.

  - Não iria precisar, não demorei muito. – S/n disse pegando sua pipoca e seu refrigerante. – Vamos logo, o filme já vai começar. – Anda um pouco mais rápido que Hoseok e se senta numa das fileiras do meio, logo Hoseok chega até ela.

  - O que foi, S/n? – O rapaz pergunta se sentando ao lado dela.

  - Nada. – Ela disse sem olhar para ele.

  - Mas... – Ela o interrompe.

  - O filme já vai começar. Silêncio. – Aponta para grande tela.

    Hoseok, mesmo estranhando o comportamento da jovem, faz o que ela disse. O filme todo foi sem os dois trocarem olhares ou palavras, e isso incomodou um pouco Hoseok, que estava confuso em relação ao comportamento de S/n. O filme logo acabou e os dois saíram da sala e foram tomar o sorvete que haviam combinado.

  - Vai querer o que, S/n? – Hoseok perguntou enquanto os dois olhavam para o painel que tinha todos os doces do local.

  - Um milk-shake de chocolate. – S/n diz rapidamente. Ela fica de cabeça baixa e chutando o nada.

  - O que você tem? – Hoseok perguntou ficando na sua frente.

  - Nada. – Ela diz simples e dá de ombros.

  - Não, tem alguma coisa com você. – Ele disse segurando nos seus ombros. – Me diga o que foi. Foi o que eu disse no cinema enquanto pedíamos as pipocas? – S/n olha para o lado e suspira. – Foi isso? – Ela não fala nada. – Me responda, S/n! – Disse um pouco impaciente.

  - Hoseok... – Ela olha para ele e se solta dele. – Ou pedimos os sorvetes ou vamos embora. Na verdade, estou com um pouco de dor de cabeça. – Ela sai da fila. – Vou indo. – Ela anda em direção a saída da sorveteria e caminha lentamente pelo shopping. – Que merda. – Ela sussurra e logo dá um tapa na boca. – Me desculpa. – Suspira.

  - O que ela tem? – Se perguntou frustrado e foi atrás dela. – Cadê você, S/n? – Perguntou irritado. Andou a passos largos e rápidos e viu a jovem sentada num banco próximo a saída. – Aqui está você. – Se sentou ao lado dela. – Por que saiu daquele jeito?

  - Estou com dor de cabeça e quero ir para casa. – A jovem disse olhando para Hoseok.

  - Pode, por favor, me falar porque está assim? – Perguntou segurando a mão dela.

  - Porque... Sim, é porque você falou aquilo para a atendente. – Ela suspira. – É idiotice mas é isso.

  - Não é idiotice.

  - É sim. Somos amigos, quer dizer, começamos uma amizade agora o que não é praticamente nada. Então... não tenho motivos para ficar desse jeito. – Respira fundo e sorri de leve.

  - Quer ir para casa? – S/n pensou por um momento e olhou para ele.

  - A noite está ótima, mas o cansaço e o desejo de deitar na minha cama está falando mais alto. – Os dois riram e se levantaram.

  - Então vamos para nossas casa. – Os dois sorriem e saem do shopping indo até o carro.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...