História Anjos e demônios - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 1
Palavras 692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - A rainha do inferno


Fanfic / Fanfiction Anjos e demônios - Capítulo 5 - A rainha do inferno

No céu a comemoração estava agitada que dava para se ouvir no inferno todos sabiam que hoje era o aniversario de sua primogenita.

Mas o inferno passava por uma escasses de comida e esse ano como em todos os anos seria o passado em branco o aniversário de sua princesa nenhum dos demonios tinha o que fazer eles morriam e de definhavam de fome alguns dentro do castelo nao tinha o que comer aquela grande naçao de gerreiros fortes e temidos se afundava de fome e de despero.

O rei mau comia nao sabia o que fazer para melhorar seu reino, o que fez com que ele acaba se esquecendo do aniversário de 6 anos de sua filha.

A rainha que não era muito amigável fora falar com seu marido.

-COMO VOCE OUSA ESQUECER O ANIVERSÁRIO DE SUA FILHA SEU IDIOTA? NAO VAI FAZER UMA FESTA? USA OS DESGRACADOS DOS ANJOS FAZENDO A MERDA DE UM ALVOROÇO PELA FALSA PRINCESA! E VOCE NAO FAZ NADA? VOCE NAO A AMA?

-Quem você chama de idiota sua desgraçada, eu tenho mais que fazer que lembrar de uma criança eu tenho que cuidar de um reino.

Os dois discutiam em quanto sua filha está atrás da porta ouvindo tudo ela sabia que nao faltava muito para meia noite o horário de seu aniversário, ela sempre ficava triste, na verdade decepcionada foi a cozinha onde tinha uma amiga a filha da cozinheira que não cozinhava fazia tempo.

Ela foi chorando a cozinha.

-  Mari meus pais não se lembram do meu aniversário.

-O querida acontece com as melhores pessoas.

Mari a cozinheira pega sua filha no colo e logo em seguida pega a princesa elas se sentão a mesa de madeira velha, o cheiro de massa de bolo estava no ar mas era impossível ter comida imagine um bolo quando o relógio bate 12.12 Mari chega com um bolinho que cabia em sua mão a princesa chorou e agradeceu.

-Como estou feliz nao como faz dias.

É abocanha seu bolo e divide entre as 3 nesse momento de felicidade.

A rainha está pelo louca pelo castelo procurando a sua filha.

-Liza, Liza minha filha onde está.

Quando entra na cozinha ve Liza sentada ao colo de Mari a cozinheira e da um chilique. 

-Minha filha o que faz no colo dessa imunda.

Puxando sua filha pelo braço diz.

- Nao nao diga nada eu já sei essa imunda. Olha a cozinheira de cima a baixo. - tentou te sequestrar nao foi.

-mandarei que a matem.

- mas mae ela e minha amiga

- não, não é filha ela é uma imunda

No dia seguinte todos estavam cientes e ansiosos para a morte que viria logo, na aula manha Liza nao quiz brincar foi posta em seu vestido negro e sentou se a frente da guinotilha. Mas viu que tinha duas guinotilhas porque duas. Se remexeu na cadeira quando o rei levantou o ar esfriou eles esta furioso e exclamou.

-Tragam aquela a quem a minha filha sequestrou.

Logo arrastada por guardas a cozinheira e sua filha pequena nao tinha mais de 7 anos foram arrastadas a te a guinotilha olhando para Liza, Mari deu um pequeno sorriso Liza so a queria tirar da li. Mas nada adiantaria colocaram a cabeça da cozinheira na guinotinha, sua filha chorava de desespero. E a filha gritava:

-nao machuquei ela é tudo culpa da Liza ela quem foi a cozinha.

Liza estava quieta fria mórbida. Em uma batida de pé do rei uma o carrasco soltou a corda a lâmina afiada deceu na velocidade da chuva, aqueles segundo quando Mari esperava a lamina acertace seu percoso nunca foram  tão devagar. Logo depois disso foi sua filha que por dó, recebeu uma facada no coração morreu rapido mas aquilo que foram 30 minutos demorou uma eternidade para Liza ela estáva chocada traumatizada ela se slevantou com o sangue de sua amiga em seus pés a sensação de pisar em algo tão quente e frio a chocou ela nunca esqueceria aquela sencasao aquele sangue rubi que manchou seu vestido, correndo  Foi ao seu quarto e chorou.

A partir daquele dia ela jamais seria a mesma.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...