História Annael: Um amor de um mundo inesperado - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Celta
Tags Legolas
Visualizações 6
Palavras 4.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 35 - O começo de nossa jornada


Fanfic / Fanfiction Annael: Um amor de um mundo inesperado - Capítulo 35 - O começo de nossa jornada

-Annael... -O Légolas me chamou enquanto analisávamos alguns livros sobre a mesa, decidimos que ao invés de arrumarmos toda aquela bagunça, iríamos primeiro ver o que tínhamos a nossa disposição naquela saleta, iríamos "estudar" um pouco antes de irmos, queríamos saber o que a Galadriel e o Elrond estavam nos escondendo.
-Hum...? -Soltei em resposta ao seu chamado, mas ainda com meus olhos presos a um dos livros.
-Como você conseguiu ler aqueles pergaminhos? -Falou indicando os pergaminhos espalhados a minha esquerda sobre a mesa. -Eu sei que você é parte elfo, mas todas as mensagens que são enviadas para Valfenda são escritas em celta antigo... E apenas os elfos conhecem esse idioma! -Falou em um tom curioso e suave.
-Bem... Não sei ao certo! -Falei dando de ombros e levantando meus olhos para ele. -Galadriel disse que parte de mim está ligado ao celta antigo, talvez seja por isso... -Falei sem ter muita certeza ainda encarando seus olhos penetrantes e brilhantes. -As palavras simplesmente... Voam das páginas! -Falei voltando a olhar para o livro e fazendo sinais com minhas mãos imitando as letras flutuando sobre as páginas envelhecidas dos livros. -E meio que se transformam dentro de minha mente! -Voltei meu olhar para ele e ele me encarava com um olhar diferente, mas que demonstrava um leve sorriso. -O quê houve? -Perguntei sentindo meus lábios se alargarem em um leve sorriso.
-Você é explêndida... -Falou me encarando com seus braços apoiados sobre a mesa e me lançando um olhar que fez com que eu sentisse meu rosto esquentar, e então rapidamente abaixei meu olhar de volta para o livro, mas eu ainda sentia seus olhos e sua atenção sobre mim.
-O quê foi...? -Perguntei sorridente quando levantei meu rosto e percebi que ele ainda me examinava.
-Nada, eu só... -Ele parou por alguns segundo e continuou a manter seus olhos dentro dos meus. -Tenho muita sorte! -Disse em um tom que me fez sentir que aquilo era um segredo entre mim e ele, e novamente aquele olhar que ele sempre me lançava se fez presente, me fazendo sorrir ainda mais.
-Então... Quer me dizer que se apaixonar por uma garota em que seu destino é acabar com a rainha das feiticeiras, ter de ajudá-la e  acabar entrando em uma batalha de trevas e luz é sorte? -Perguntei em tom de brincadeira, mas seua expressão nunca foi tão séria.
-Eu tenho sorte por ter você ao meu lado... -Então de repente enquanto eu me sentia hipnotizada por aqueles olhos, eu senti um toque suave e carinhoso nas pontas dos meus dedos de uma de minhas mãos, rapidamente meus rosto se suavisou mas meus olhos continuavam a sorrir para aquele ato. -Eu tenho sorte por você ter salvado minha vida! -Falou quase em um sussurro quando seus olhos foram invadidos por um brilho dourado.
-Eu não salvei sua vida... -Falei carinhosamente no mesmo tom.
-Sim... Você salvou! -Falou e então lançou seu olhar para nossos dedos entrelaçados, mas eu mative meu olhar preso ao seu rosto. Meu coração batia tão forte que parecia querer saltar para fora do meu peito. -Antes de você eu vivia apenas para lutar, matar, liderar... Eu não sabia o que era dormir pensando nos olhos que fazem seu coração saltar dentro do seu peito, eu não sabia o que era acordar e o primeiro pensamento a vir a sua mente era aquela que você tanto ama, antes de você eu não sabia o que era o amor... Eu não sabia o que era viver por alguém! -Ele parou por alguns segundos e então voltou seus olhos para os meus, eu já nem ao menos conseguia controlar minha respiração. -Antes de você eu nunca pensei que poderia sentir o que sinto quando estou com você, eu nunca pensei que seria capaz de dizer o que digo para você, eu nunca pensei que seria capaz de amar alguém como amo você... -Apesar de meus lábios estarem sorrindo, uma fina lágrima de alegria escorreu pelo meu rosto, acelerando ainda mais minha respiração. -Eu sei que... Tudo a nossa volta está um completo caos... A Galadriel e o Elrond esconderam de nós este lugar, tem uma guerra acontecendo lá fora, existe a Maouriel, existe essa profecia... Mas eu quero que saiba que não importa o que aconteça, eu estarei sempre ao seu lado! Eu sempre estarei com você, meu amor! -E então ele envolveu minha mão com a sua e a apertou um pouco mais forte me passando segurança. Ele me olhava com tanta doçura e confiança que eu senti que realmente ele era tudo o que precisava.
-Tantas coisas aconteceram de repente, tantas mudanças, tantas coisas que para mim são estranhas estão acontecendo... E agora sabendo que eles esconderam esse lugar de nós, eu sinto que não existem muitas pessoas que posso depositar total confiança... Você é tudo o que tenho, Légolas! -Falei sentindo mais finas e quentes lágrimas escorrerem pelo meu rosto. -A Galadriel fez muito por mim, ela me tratou como sua filha... O Elrond me aceitou em Valfenda quando eu não tinha nenhum lugar para ir... Mas não posso entender o motivo deles terem feito isso! Poderíamos ter salvado tantas pessoas inoscentes... -Falei abaixando e fechando meu olhar para fazer aquelas pequenas lágrimas pararem de cair.
-Eu sei que eles devem ter seus motivos... Eu os conheço, sei que eles jamais fariam algo deste tipo sem ter real necessidade! -Ouvi sua voz dar a volta na mesa e se aproximar de mim, logo senti seu toque que antes estava sobre uma de minhas mãos vir até minha cintura e a outra acariciar a lateral do meu rosto, então lentamente voltei a abrir meus olhos, logo que encontrei seu olhar, meu coração começara a finalmente se acalmar.
-O quê vamos fazer agora? Nós precisamos fazer algo, mas o quê? -Perguntei apoiando minhas mãos sobre seu peitoral.
-Deve ter algo aqui que nos ajude a encontrar a Maouriel, que nos ajude a para-la... Que nos diga o que podemos fazer, já que eles não queriam que descobríssemos... -Falou olhando a nossa volta, mas minha mente estava ligada a uma única frase "que nos ajude a encontrar a Moauriel". -Annael...? Meu amor...? -Chamou tocando meu rosto e levando de volta meu olhar ao seu, me tirando de meus pensamentos. -O quê houve? -Perguntou analisando meu rosto. Eu abri e fechei meus lábios várias vezes, mas nenhum som se ouviu, até que minha vóz criou coragem e apareceu.
-Eu não quíz dizer nada antes para que não se preocupassem, além de que pensei que fosse tudo coisa de minha cabeça... -Ele estreitou seu olhar como se desejasse ver minha alma, o que me fez falar tudo ainda mais rápido. -A algumas noites atrás, eu tive um sonho...
-Do que você está falando? -Perguntou lentamente em um tom sério.
-Nele a Moauriel aparecia e me dizia coisas muito estranhas, coisas que me deixaram dúvidas... E hoje tive certeza! -Falei lhe lançando um olhar sério.
-Certeza...? -Disse confuso analisando meu rosto.
-Certeza de que a Moauriel pode entrar em minha mente! -Falei receosa, sem saber qual seria sua reação, mas ele apenas me lançou um olhar ainda mais sério e preocupado. -No dia em que desmaiei e meu sangue entrou em conflito comigo... Eu vi e ouvi a Moauriel dentro de minha mente, tempos depois a Galadriel falou para a Arwen que quando estava mantendo o poder das feiticeiras dentro de mim ela sentiu o poder a Moauriel me controlando! E hoje a Galadriel me disse uma coisa sobre os elfos e as feiticeiras que vai de total encontro com o que a Moauriel me falou em meu sonho... A guerra entre os dois povos, a aniquilação das feiticeiras! -Falei lentamente, pensando em cada palavra e sempre com meu olhar preso ao seu. -Eu acho que... Existe alguma ligação entre mim e a Moauriel... -Falei assustada e pensativa, então lentamente o Légolas me soltou e levou uma de suas mãos até sua têmpora, enquanto apoiou a outra sobre a mesa, ficando de costas para mim... Eu apenas via suas costas se mexerem com sua respiração pesada.
-Por que você não me disse isso antes? -Perguntou ainda de costas para mim, me causando uma sensação estranha sobre meu peito, eu então segurei minhas mãos e as apertei contra meu corpo.
-Eu não havia pensado nisso antes, eu ainda não tinha certeza... Não tenho certeza! -Respirei profundamente. -Eu não queria lhe preocupar! -Falei sussurrando.
-Me preocupar...? -Falou se virando de volta para mim bruscamente. -Não há um minuto que se passe sem que eu me preocupe com você... -Falou soltando os braços ao lado de seu corpo. -Eu jamais me perdoaria caso acontecesse algo com você! -Ele então veio novamente em minha direção, colocando suas mãos em meu rosto para manter meus olhos nos seus. -Se você desconfia de algo... Por favor... Não esconda de mim! -Disse me olhando preocupado.
-Me perdoe... Não foi minha intenção!
-Eu sei... Também peço que me desculpe... Não deveria ter ficado nervoso! -Ele então me olhou por alguns segundos e logo me tomou em um forte abraço, apoiando minha cabeça sobre seu peito. Eu sempre adorava esses momentos em que eu sentia meu coração acelerar e logo se acalmar apenas por um simples toque ou um simples olhar daquele elfo. Eu então retribuí o abraço apertando-o um pouco mais contra meu corpo, fechando meus olhos e aproveitando o momento.
-Eu sei que deveria ter lhe contado... Mas não queria lhe preocupar a toa... Ainda não tenho certeza se realmente possuo uma ligação com a Maouriel! -Falei sentindo uma carícia sobre minha nuca.
-Está tudo bem... -O senti soltar um forte suspiro enquanto me apertava mais contra seu peito, mas então de repente algo estranho aconteceu... De repente ele me soltou e se virou de frente para a porta que dava passagem para a saleta, me mantendo às suas costas como para minha proteção.
-O quê foi? -Perguntei assustada tentando encontrar seus olhos, mas ele olhava fixamente para a porta com uma expressão de quem está pronto para matar se for preciso.
-Tem alguém vindo... -Falou de repente puxando suas duas espadas presas às suas costas, me fazendo recoar de repente.
-Légolas, por favor... Deve ser a Arwen, guarde isso! -Pedi assustada tocando suas costas, mas ele não me deu ouvidos.
-Não é ela... -Ele falou em um tom baixo ainda encarando a porta, e por estar assustada sem saber o que esperar eu também começei a encarar a porta, até que então de repente ele voltou a guardar as espadas e se virou rapidamente para mim.
-O quê...? -Perguntei com meus olhos espantados.
-Entre ali! -Falou tocando minha cintura e me virando em direção a um pequeno baú de madeira.
-O quê aconteceu? Légolas! -Falei quando ele abriu o baú e começou a tentar me empurrar para dentro dele.
-Apenas entre, por favor! -Falou indicando o baú que possuía alguns livros em seu interior, eu olhei do baú para ele algumas vezes, até que então ergui a saia do meu vestido e entrei no baú, lentamente me sentei, fui um pouco mais para a frente e me deitei com minhas pernas dobradas, mas posso dizer que quase tive um colápso quando o Légolas também entrou no baú e se deitou sobre mim, entre minhas pernas e logo depois fechou o baú.
-Hum... -Soltei quando senti o peso de seu corpo sobre o meu e uma de suas mãos sem querer (ou não) se prendeu na pele nua de uma de minhas pernas. Estávamos em total escuridão e os livros abaixo de mim pareciam estar prester a atravessar minha coluna, quando de repente ouvimos um barulho, o mesmo barulho que ouvi quando a porta da saleta se abriu para que a Arwen e eu estrássemos, logo depois pudemos ouvir passos entrando na saleta e logo depois o barulho da porta se fechando.
-Shhh... -O Légolas fez um sinal de silêncio tocando o indicador nos lábios, eu apenas acenei com a cabeça, o rosto dele era tudo o que eu conseguia ver dentro daquele baú.
-Galadriel... Já basta! -Pude ouvir uma voz masculina e familiar falar seriamente... (Elrond)! -Não podemos mais esconder a verdade!
-Não estou lhe pedindo para esconder a verdade, estou apenas lhe pedindo para esperar mais tempo... Ela não está pronta!
-Como você pode saber?! Já recebemos vários indícios de que ela está pronta... Mas você ainda teme! Ela não é Celebrian, Galadriel! Ela é a única que pode acabar com essa guerra e seu amor por ela está lhe cegando!
-Eu sei que ela não é Celebrian... Mas ela é apenas uma menina e está sob meus cuidados! Não irei permitir que uma guerra que não é dela a faça sofrer...
-Esta guerra não é de nenhum de nós, ninguém é culpado, apenas a Moauriel... Mas não irei permitir que seu carinho por essa criança impeça o que deve acontecer!
-Você não a conhece como eu a conheço... Ela é doce, gentil, inteligente e corajosa...
-Eu sei que é...
-Por que ela não pode ter uma vida longa e feliz? Se casar, ter filhos e criar uma família?
-Você sabe o motivo... Eu também tenho um carinho muito especial por ela... Mas você está temendo sem saber o que irá acontecer com ela! A profecia fala das batalhas, do amor deles e dos dois reinos... Mas não fala nada além disso! Não sabemos se algo de ruim irá acontecer com ela ou não... Precisamos tentar! A cada dia que passa ela irá ficar mais forte, os poderes dela irão crescer... Eu sei que ela será forte o suficiente para suportar esse poder!
-E se não for? E se algo der errado?
-Não há como saber...
-Você não devia ter enviado o Gandalf atrás deles antes de falar comigo... Eles não vão querer esperar! -Quem são "eles"?
-Eles estão sofrendo tanto com essa guerra quanto nós... Já jogamos muito tempo fora escondendo esse lugar! Não podemos esperar mais... No dia em que tivemos certeza dos poderes da Annael, foi o dia em que devíamos ter lhe entregue toda a verdade... Não apenas sobre essa guerra, mas também como detê-la!
-Eu sei... Você está certo! Por favor... Apenas me dê tempo para conversar com a Annael e com o Légolas!
-Você é a elfo mais sábia que conheço e é também uma grande amiga minha... Eu entendo sua preocupação, mas precisamos fazer o que é certo e precisamos confiar que ela conseguirá acabar com essa guerra!
-Eu compreendo... Hoje mesmo eu irei conversar com eles!
                                           ***
Depois de ficarmos alguns minutos presos naquele baú desconfortável com livros que quase quebraram minha, a Galadriel e o Elrond saíram da saleta, nos permitindo finalmente sairmos também. Depois que atravessamos o lago sob as águas e estranhamente não nos molharmos, fomos em direção ao palácio, pelo mesmo caminho que a Arwen e eu fizemos, ainda pensativos sobre a conversa que a Galadriel e o Elrond haviam tido.
-O quê a Galadriel quer falar com a gente? -Perguntei enquanto andávamos pela floresta de mãos dadas. Eu não havia percebido que se passara tanto tempo, a noite já começava a nascer.
-Eu não sei... Mas não tenho certeza se será sobre as cartas... -Disse afastando alguns galhos. -Pelo jeito que estavam falando, acho que nos esconderam algo mais! -Disse saltando por cima de um tronco caído e logo depois me ajudou a passar por cima dele me segurando pela cintura.
-A Galadriel disse que Elrond pediu para o Gandalf  ir atrás deles... Quem são eles? -Perguntei sabendo que ele não saberia me responder.
-Bem... Logo descobriremos! -Falou quando finalmente chegamos a orla da floresta e nos deparamos com o palácio já tendo suas janelas e entradas iluminadas pelos candelabros a pouco acesos.
-Isso tudo está muito estranho... Tudo isso que eles tem nos escondido... -Falei quando paramos de andar e ficamos olhando para o palácio.
-Eu sei... -Disse apertando ainda mais minha mão, eu então lentamente levei meu olhar para o seu rosto e ele retribuíu o ato me lançando um olhar carinhoso. -Mas estamos juntos! -Eu então acenei com minha cabeça com um leve sorriso em meus lábios.
Nós então continuamos nosso caminho em direção ao palácio, tendo destino final meu quarto, pois era lá que imaginávamos que a Galadriel estaria e assim foi. Quando finalmente chegamos ao meu quarto, abrimos lentamente a porta do meu quarto e nos deparamos com uma mulher de longos cabelos dourados, um lindo vestido azul claro admirando o nascer da lua pelos portais. Nós demos alguns passos para dentro do quarto, mas ela não percebeu nossa presença... Bem, foi o que pensei!
-Precisamos conversar... -Ela falou em um tom suave e sereno ainda de costas para nós.
-Sim... Precisamos! -Falei concordando parada no meio do quarto encarando aquela figura calma e serena a nossa frente. Senhora... Antes de tudo... Nós já temos noção sobre a saleta sob o lago, sabemos sobre as cartas e os pedidos de ajuda... E sabemos que a senhora e Elrond esconderam isso de nós... -Falei em um tom calmo ainda segurando a mão do Légolas ao meu lado.
-Entendo... -Falou em um longo suspiro decepcionado abaixando o olhar e logo depois se virou para nós com um rosto entristecido. -Compreendo que devam estar decepcionados e irritados... -Disse em um tom frio.
-Estamos, senhora! -Respondi no mesmo tom. Ela apenas continuava a nos encarar com um rosto frio e sem emoção, o que entristeceu meu coração.
-E eu compreendo que vocês estavam escondidos na saleta... Sei que escutaram parte da conversa. -De repente meu estômago gelou, mas minha expressão continuou impassível. -Mas saibam que não estou zangada! Entendo que vocês apenas foram atrás de respostas que eu não fui capaz de lhes dar...
-Senhora, nós... -Ela então estendeu uma de suas mãos em sinal de silêncio.
-Amanhã nós receberemos convidados muito especiais... Eles os ajudarão em sua jornada!
-Nossa jornada? -O Légolas perguntou, mas ela pareceu não se importar, o que me causou muita estranhesa.
-Existe uma feiticeira, muito poderosa... Porém ela ainda guarda os ensinamentos de seus antepaçados, ao contrário da Moauriel! Essa feitiçeira lhe ajudará a controlar seus poderes, seus poderes crescerão muito e muito rápido... Se não tiver o devido cuidado superior, você não conseguirá controlá-lo! -Falou se referindo a mim.
-Poderes?
-Esta mesma feiticeira sabe da localização de uma arma muito poderosa, uma arma que só poderá ser usada pelo escolhido... -Falou desta vez indicando o Légolas. -Vocês deverão passar por essa jornada, lutar, e acabar com essa guerra...
-Mas senhora... -Tentei contestar e entender o motivo de sua frieza.
-Tenham uma boa noite! -Falou andando rapidamente pelo nosso lado e indo até a porta, nós rapidamente nos viramos para ela. -Amanhã tudo será explicado com mais clareza. -Falou parada na porta e então se fora, nos deixando ali sozinhos e boquiabertos.
-O quê foi isso? -Perguntei ao Légolas que parecia tão surpreso quanto eu, mas existiam tantas palavras em sua boca quanto na minha.
-Bem... Queríamos respostas, agora temos! -Falou virando seu olhar para mim. -Amanhã começaremos nossa jornada nesta guerra!
-Ela está tão fria... -Sussurrei encarando seus olhos.
-Ela tem sentimentos muito fortes por você, meu amor... Deve ser difício para ela ter que fazer isso! -Ele ergueu uma de suas mãos e levou até a lateral do meu rosto.
-Ela não quer se ferir... -Soltei em um pensamento alto. Eu mantive meus olhos presos aos do Légolas e logo percebi que seu olhar sério logo deu lugar a um rosto leve e com um sorriso suave no lábios. -O quê houve? -Perguntei sem entender o motivo do seu sorriso e de sua calma.
-Annael... Eu sei que este não é o melhor momento... -Falou abaixando seu olhar para os próprios pés.
-Aconteceu alguma coisa? -Perguntei preocupada.
-Herr... Lembra de quando você disse que... Aceitaria ser minha esposa? -Falou quase em um sussurro.
-Lembro... -Falei procurando seus olhos.
-Eu não consigo parar de pensar nisso desde que saímos do lago... -Lentamente ele voltou a levantar seu rosto e finalmente nossos olhos se encontraram.
-Hum... -Falei sentindo minhas pernas começarem a bambear.
-E... Eu quero lhe dar uma coisa! -Falou colocando uma de suas mãos dentro de sua camisa e retirando do seu peito uma espécie de colar... Era lindo! Uma linda corrente prateada terminava em pequenas pedras brilhantes e transparentes que juntas formavam um lindo anel. O Légolas ergueu o colar em frente aos meus olhos e meu rosto paralisou com tamanha beleza. -Este foi o colar de casamento de minha mãe... É tudo o que ainda tenho dela! E agora quero que seja seu... Quero que você seja minha esposa!
-Oh... Légolas! -Soltei com sua declaração, eu jamais poderia imaginar que alguém como o Légolas pudesse ter um coração tão doce e gentil! Eu o amo mais que tudo!
-Você aceita? -Ele perguntou me lançando seu olhar mais brilhante, fazendo meu coração balançar e minhas pernas tremerem.
-Eu já aceitei uma vez... E aceito quantas vezes forem necessárias! -Falem sentindo um enorme e sincero sorriso nascer em meu rosto. -Eu aceito! -Um enorme e brilhante sorriso também brotara em seu rosto. Lentamente ele andou até minhas costas e delicadamente ele colocou o colar em meu pescoço, ainda surpresa e cheia de alegria eu toquei suavemente o anel formado de várias pedras com a ponta de meus dedos, sentindo cada detalhe. E então querendo ver o rosto do elfo que amo eu me virei de volta para ele, e com muito cuidado ele também tocara o anel, mas então um pequeno estalo me assustou, quando o anel se dividiu em dois e uma de suas metades caiu sobre a mão do Légolas, por um micro segundo pensei que o colar havia se quebrado, mas seu sorriso mostrava o contrário. -O quê é isso? -Perguntei quando ele entregou a metade solta do anel em minhas mãos, só então percebi que eu deveria colocar aquele anel nele. Carinhosamente eu toquei sua mão esquerda e coloquei o lindo anel em seu dedo anelar... Eu podia jurar que minha alma estava festejando de alegria dentro do meu corpo. Em um piscar de olhos o Légolas me tomou em seus braços e acariciou minha boca com a sua, arrepiando todo o meu corpo, e então quando o ar se fez necessário, separamos nossos lábios, mas mantivemos nossos olhos unidos.
-Minha esposa... -Só então percebi o que havíamos acabado de fazer, e uma grande gargalhada escapou dos meus lábios... Que alegria! -Meu amor! -Falou também soltando uma gargalhada de alegria.
-Meu Légolas... -Falei voltando a ter seus lábios presos aos meus.
                                            ***
-Você está feliz...? -Perguntei em um sussurro ao seu ouvido com minha cabeça sobre seu peito, e então o percebi alargar seus lábios em um lindo sorriso.
-Nunca estive tão feliz... Acho que estou sonhando! -Falou fechando seus olhos e suspirando, lentamente levei meu indicador até seu maxilar e o acariciei delicadamente.
-Se isso for um sonho... Eu nunca vou querer acordar! -Falei admirando seu lindo rosto sereno e pálido sob a luz do luar.
-É o sonho mais lindo que já tive... -Falou virando seu rosto para mim e penetrando meus olhos com os seus.
-Verdade? E com o quê você sonha... Geralmente? -Perguntei com tom de brincadeira.
-Depende! -Falou virando seu corpo para mim e apoiando sua cabeça sobre seu braço, me olhando de cima.
-De quê? -Perguntei admirando seu olhar.
-Quando estou com você... Sonho com seus olhos, sua pele... Seus lábios! -Falou erguendo uma de suas mãos e passando gentilmente seu polegar sobre meus lábios, fazendo meu corpo estremecer.
-E quando não está comigo? -Perguntei sentindo seu olhar se fixar em meus lábios.
-Contiuo sonhando com você... -Falou com uma voz grave e rouca enquanto aproximava seu rosto do meu e então foi minha vez de prender meu olhar em seus lábios perfeitos que estavam prestes a beijar os meus.
Sempre que nossos lábios se tocavam uma festa acontecia dentro do meu peito, minhas entranhas brigavam entre si, meu coração parecia querer sair por minha boca, minha pele se arrepiava e meu corpo estremecia... Desta vez não foi diferente. Seu corpo nu se deitou sobre o meu, e sua pele quente roçava contra a minha causando sensações maravilhosas, suas mãos passeavam por todo o meu corpo sem o mínimo pudor e nossas bocas se amavam tanto quanto nossas almas.
Seus beijos, seus carinhos, seus sussurros de amor e paixão ao meu ouvido me anestesiavam quanto tudo o que estava acontecendo a nossa volta... Eu então lacei minhas pernas em seu quadril para manter seu corpo ainda mais perto do meu... Eu precisava sentir seu corpo, seu calor!
E então suas mãos carinhosas se cruzaram com as minha que estavam caídas ao lado de minha cabeça, seus lábios lentamente se separaram dos meus e começaram a passear pelo meu pescoço, lentamente foram foram descendo pelo meu corpo.
-Hum... -Prendi mordendo meu lábio quando os lábios quentes dele tocaram a pele nua de minha barriga que subia e descia por conta de minha respiração pesada.
Enquanto seus lábios e seu hálito quente acariciavam minha barriga, uma de suas mãos foi até minha perna, tocando primeiro meu calcanhar e depois foi subindo lentamente até chegar ao meu quadril... Pude sentir minha pele se arrepiar por completo!
Lentamente seus lábios foram passeando e descobrindo meu corpo até se voltarem ao meus.
-Eu te amo... Eu te amo! -Sussurrei entre nossos beijos de amor.
-Meu amor... -Sussurrou em resposta a mim.
Louca de amor e paixão por aquele elfo, precisando sentir cada vez mais seu corpo e seu amor, eu me deitei sobre seu corpo e tomei sua boca ainda mais para mim. Seus lábios que havia sido feitos para os meus, para beijar os meus soltavam pequenos gemidos de prazer a cada vez que meus lábios andavam sobre seu corpo.
Então de repente seus braços envolveram minha cintura, me apertarem contra seu corpo e de repente senti seu corpo se erguer e se sentar sobre a cama comigo sobre ele. E então sentada em seu colo, de frente para o meu esposo e com seus braços me envolvendo, nossos lábios lentamente se separaram e nossos olhos se encontraram.
A luz da lua passeava pelo quarto, iluminando nossos corpos e dando um brilho maravilhoso aos olhos do meu elfo que me olhavam com carinho e ternura.
-Nada será capaz de destruir o que sinto por você... -O Légolas disse acariciando lentamente minhas costas nuas cobertas apenas por meus longos cabelos.
-Nada! -Falei segura levando uma de minhas mãos até seu rosto e o acariciando levemente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...