História Anne with an e- continuação da série - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Anne with an "E" (Anne)
Personagens Anne Shirley Cuthbert, Diana Barry, Gilbert Blythe, Marilla Cuthbert, Matthew Cuthbert, Mrs. Blewett
Tags Drama, Ficção Adolescente, Romance
Visualizações 65
Palavras 6.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, queridos leitores. Este capítulo também ficou especial e cheio de emoção. espero que vocês gostem e comentem o que acharam, pois sua opinião é muito importante para mim.Eu nunca sei se o capítulo ficou mesmo bom até que leio os comentários, e me sinto motivada a continuar.
Beijos, Rosana..

Capítulo 38 - Compartilhando sonhos


Fanfic / Fanfiction Anne with an e- continuação da série - Capítulo 38 - Compartilhando sonhos

Capítulo 38

Compartilhando sonhos

 

ANNE

 

Anne olhava para a opala em seu dedo e sorria.  Por mais que tivesse desejado, e muitas vezes sonhado, jamais poderia ter imaginado que seria assim. Estava noiva de Gilbert e mal podia acreditar. Ele disse que a queria para esposa, e ela brincou com a ideia em sua cabeça. Anne Shirley Cuthbert Blythe soava tão bem aos seus ouvidos, e queria gritar para o mundo inteiro sua felicidade.

Sabia que Gilbert pedira a sua mão em noivado para que ela não se esquecesse do que significavam um para o outro, e mesmo quando ele estivesse em Nova York, Gilbert desejava fazê-la se lembrar que aquele compromisso assumido por ele era para toda a vida. Ele lhe prometera que se  casariam assim que ele se formasse, e Anne compreendia que demoraria um pouco até que  Gilbert se tornasse médico,  mas ela não se importava em esperar, pois isso  lhes daria mais tempo para amadurecerem antes de se tornarem marido e mulher, e havia tanta coisa que Anne não sabia sobre ser uma esposa,  e queria ser a melhor do mundo para Gilbert,  pois ele merecia ter uma esposa perfeita.

Quando dissera isso para Gilbert ele respondera que para ele Anne já era perfeita, e ela não precisava mudar nada. Na verdade, Anne não queria mudar nada, somente desejava aperfeiçoar suas habilidades em várias áreas, e para isso teria que contar com Marilla para ajudá-la, já que Diana não estava ali para vir em seu socorro. Talvez pudesse pedir a Josie que a ajudasse em algumas coisas como montar seu enxoval, uma vez         que a menina fora preparada desde criança para ser uma esposa, e Anne não tinha nenhuma ideia por onde começar.

Anne pensou no orfanato, e se lembrou de uma das freiras dizendo que Anne era tão pouco atraente que jamais encontraria um homem que gostasse dela o bastante para querer se casar com ela, e por muito tempo, Anne também pensara assim influenciada por tais palavra, mas graças a Gilbert isso tudo mudara, e gostaria muito de mostrar as freiras que elas estavam erradas, e que Anne não era somente muito amada, mas também se casaria com um dos garotos mais cobiçados de Avonlea. Depois descartou tal ideia, não precisava provar nada para ninguém, a pessoa que ela era lhe bastava e sempre conservara dentro de si a essência de si mesma.

Mas, para que seu casamento fosse como imaginava, precisava se preparar muito bem, por esta razão foi falar com Marilla aquela tarde.

- Como assim você e Gilbert ficaram noivos?- Marilla parecia mais brava do que surpresa.

- Foi uma surpresa para mim também, ele pediu a minha mão ontem. - Anne explicou, mas mesmo assim, Marilla continuava chateada.

- Fico muito feliz que Gilbert tenha assumido um compromisso sério com você, mas o que não consigo entender é por que nos escondeu suas reais intenções.

- Marilla, ele quis que fosse uma surpresa para mim, além do mais, tradições assim já são ultrapassadas nos dias de hoje, Ninguém mais as segue as riscas. Ainda mais, por que não vamos nos casar agora, e até lá eu e Gilbert seremos maior de idade.

- Eu sei se tudo isso, Anne Shirley, mas não abro mão de uma festa de noivado, por mais simples que seja. Eu e Matthew não tivemos filhos, como sabe, então, desde que você é Gilbert começaram a namorar, tenho pensado muito sobre isso, e estava planejando fazer a sua festa de noivado em Green Gables, mesmo que o compromisso se torne oficial somente daqui a alguns anos. E tenho certeza de que Matthew compartilha de minha opinião.  Por isso Anne, não nos negue este prazer.

Anne olhou para Marilla, e percebeu que aquilo era mesmo importante para ela, e pensou no quanto a boa senhora e Matthew se sacrificaram para dar a Anne um lar, e por isso, a ruivinha não poderia recusar aquele pedido.

-Está bem, Marilla, falarei com Gilbert sobre isso. Mas lhe dou permissão desde já para marcar a festa de noivado para quando quiser.

- Obrigada, Anne. Vou começar os preparativos agora mesmo. O que acha de fazermos a festa no próximo fim de semana?- Marilla sorriu-lhe em expectativa.

-Tudo bem, Marilla. Vou avisar ao Gilbert. - Anne, sorriu de volta.

Na verdade, Anne não queria festa nenhuma, não se importava com formalidades ou seguir tradições. Em seu coração, ela e Gilbert já estavam unidos, e não precisavam de mais nada. Porém, Anne não queria magoar Matthew e Marilla, por isso, naquela mesma noite contou a Gilbert as novidades.

- Isso é importante para você?

- Não, não é. Mas, é importante para Matthew e Marilla, e não desejo decepcioná-los. - Anne disse séria.

- Então, vamos fazê-los felizes e dar a eles o que querem. – Gilbert respondeu enrolando uma longa mecha de cabelo ruivo em seu dedo.

- Obrigada, meu amor. Pensei que ficaria zangado.  Não sabia se queria manter tudo isso em segredo por um tempo.

-E por que eu desejaria isso? Eu não me importo que todos saibam que estamos noivos. Na verdade, terei muito orgulho de anunciar a todos que você é só minha, em caso de algum engraçadinho estar planejando roubá-la de mim. - Anne riu e respondeu.

- Não acredito que alguém tenha a mesma coragem que você em aturar o mau humor de uma ruiva como eu. - Ela o enlaçou pelo pescoço, tendo assim uma visão completa do rosto se Gilbert tão próximo do dela, e que lhe tirava o fôlego por constatar que a cada dia ele se tornava mais irresistível aos seus olhos. Em seus quase dezoito anos, Gilbert era bonito demais, e estava se tornando a cada dia mais másculo e sexy, principalmente agora, que em alguns momentos deixava a barba por fazer, dando-lhe um ar mais adulto. Será que era possível amá-lo mais do que já amava? E seu coração lhe respondeu que enquanto respirasse, Gilbert seria seu único e verdadeiro amor.

- Às vezes me pergunto se você se olha de verdade no espelho. Como não consegue enxergar o quanto você é linda, Anne? Você já prestou atenção na reação masculina quando você chega a qualquer lugar? A minha sorte é que sei que você me ama, caso contrário eu teria que espantar qualquer cara que se aproximasse de você.  – Gilbert parecia tão sério quando disse aquilo que Anne não pode deixar de dizer:

- Quer dizer que tenho um noivo ciumento? - era a primeira vez que usava a palavra noivo, e isso encantou o coração de Anne.

- Sim, principalmente quando sou provocado como agora. - Anne estava abraçada a ele e seus lábios estavam quase tocando os dele. Querendo provocá-lo um pouco mais, Anne mordeu o lábio inferior, e Gilbert não resistindo mais, beijou a boca dela com possessividade e quando a largou, ambos estavam ofegantes.

- Acho que nosso casamento nunca será aborrecido, se me beijar assim todas as noites. – Anne disse olhando-o com certo humor nos olhos.

- Acho que podemos fazer um acordo de quantos beijos você deseja receber por minuto. -Gilbert disse beijando- lhe as bochechas.

- Que tal três beijos para começar? – Anne continuou em tom brincalhão.

- Acho uma proposta bastante razoável.  O que acha de começarmos agora mesmo?

- É uma sugestão tentadora, mas temos que falar com Mary sobre a festa de noivado. – Anne lembrou-o quebrando todo o clima.

- Não podemos deixar para depois?- Estavam no quarto de Gilbert e as mãos dele já estavam nos botões do vestido que Anne usava.

-Não, vamos falar com ela agora mesmo e depois podemos namorar o quanto quisermos. - Anne sugeriu, rindo da cara de sofrimento de Gilbert.

-Está bem. Vamos aos deveres primeiro, mas saiba que vou cobrar com juros muito altos essa sua provocação

- Eu vou adorar pagar todos os meus dividendos com você mais tarde. - ela sussurrou no ouvido dele, e em seguida desceram as escadas para falarem com Mary.

- Acho a ideia de Marilla incrível. Eu mesma tinha dito a Gilbert que era uma pena vocês não fazerem uma festa para comemorar um momento tão especial. Eu sei que deve parecer antiquado, mas a maioria das moças ainda adora um evento assim. - Mary disse animada.

- Não é que eu não ache isso romântico, Mary. É que quando Gilbert me pediu em noivado foi um momento somente nosso, então, não achei que precisássemos de uma festa para anunciar a todos a celebração do nosso amor, mas já que parece tão importante para Marilla, creio que podemos fazer algo íntimo e simples. -Anne concluiu.

- Claro , Anne. Vou falar com Marilla e ver como posso ajudá-la. Você me disse que ela está planejando algo para o próximo fim de semana.

- Sim, falei com ela hoje de manhã.

-Não se preocupe Anne. Vamos cuidar de tudo.  E você, Gilbert, o que pensa disso tudo? Deseja algo em especial? –Mary perguntou a Gilbert que até aquele momento se mantivera calado.

- Não, o que decidirem está bem para mim Farei o que Anne quiser. Como disse ela disse, ontem foi um momento só nosso, não tinha pensado em uma festa para pedir a mão dela em noivado, mas se ela quiser, é o que faremos. – Gilbert respondeu sorrindo e olhando para Anne

- Bem, então, eu e Marilla vamos resolver tudo. Fiquem tranquilos, faremos valer a pena. - Mary disse animadíssima com os preparativos para o noivado.

Anne e Gilbert voltaram para o quarto dele e quando ficaram sozinhos,  ela disse:

- Obrigada mais uma vez por aceitar essa festa de noivado. Eu sei que não era o que tinha em mente – Anne se desculpou.

- Anne, eu disse que não me importo. - ele pegou na mão dela e a trouxe para seus braços- O que realmente conta para mim é que estamos juntos, e que nos amamos  e se outras pessoas precisam de uma confirmação de tudo o que dissemos um para o outro, ou de tudo o que já vivemos juntos  então, vamos fazer isso para  agradá-los. A única coisa que quero que se lembre é de que te amo.

- Eu também te amo. Você sabe que não me importo com nada disso também.  Somente aceitei a festa para deixar Marilla feliz. Quero apenas que fiquemos juntos. – Anne o puxou para ela e o beijou.

Aqueles momentos com Gilbert eram tão preciosos, ainda mais por que no próximo ano ele  estaria em Nova Yorque, por isso, Anne não queria perder um minuto sequer. Desejava guardar na memória o máximo de lembranças possíveis, para que quando estivessem longe um do outro ela tivesse no que se apoiar em suas horas de solidão e saudade.

- Bem, então, acho que agora é a hora de você fazer seu noivo feliz. Você disse que cumpriria nosso acordo depois que falássemos com Mary sobre o noivado. – Gilbert olhava para ela com os olhos brilhando.

- Estou ansiosa por isso. - Anne respondeu, retribuindo-lhe o olhar.

Assim, passaram as horas seguintes desfrutando da companhia um do outro. Não fizeram amor, apenas mostraram um ao outro como se amavam por meio de beijos e carícias.

Em muitos momentos ficavam assim, sem terem realmente necessidade de se tocarem. Bastava apenas estarem juntos para que a magia entre eles estivesse presente. Era uma das faces do amor que partilhavam, e para Anne esses instantes eram tão perfeitos, quantos aqueles em que se entregavam um ao outro em uma completa comunhão de seus corpos.

Quando Gilbert a levou para casa naquela noite, Anne sentiu que um novo laço se formara entre eles, e nada no mundo poderia separá-los nunca.

 

GILBERT

 

Gilbert acordou radiante. Nunca uma manhã de domingo lhe parecera tão bonita. Dentro dele, seu coração estava em festa, somente por que Anne o aceitara como seu noivo e futuro marido, e isso era a coisa mais maravilhosa que tinha- lhe acontecido em toda a sua vida. Agora tinham um compromisso e uma vida toda para compartilharem e ele mal podia esperar para começarem a fazer planos para o futuro.

Gilbert sabia que teriam que esperar um bom tempo até ele se formasse na Faculdade, mas pelo menos tinham consciência de que estariam mais juntos do que nunca ao final daquela jornada.

Ele também compreendia que ainda teriam que enfrentar a distância, pois Nova Iorque não ficara mais próxima somente porque ele e Anne ficaram noivos, mas de certa forma aquele compromisso acalmava um pouco a ansiedade de seu coração, pois quando voltasse para casa, ele e Anne poderiam falar sobre a vida que teriam, e assim a espera e a saudade seriam menores.

Pensar em Anne como sua esposa o deixava encantado. Já imaginara isso diversas vezes, mas somente agora percebia o quanto desejara aquilo. E quando pedira Anne para ser sua noiva, temera que ela não aceitasse. Não tinha dúvidas que ela o amava, mas tivera medo que ela achasse que eram jovens demais para assumirem tal compromisso, porém, quando ela dissera sim, ele percebera que seu receio tinha sido infundado. Assim como ele podia ver o amor que ela sentia por ele escrito naqueles imensos olhos azuis, o seu amor por ela transbordava por todos os seus poros,  como se seu corpo inteiro respirasse por ela.

Como ele poderia imaginar que aquele encontro na floresta há quase dois anos o presentearia com a garota mais incrível do mundo? Não foi fácil conquistá-la, tivera que derrubar cada barreira que ela construira entre os dois, mas valera a pena, e agora entendia que nada daquilo seria possível com outra garota.Ele se apaixonara  no instante em que a vira, e deixara seu amor embernar dentro dele enquanto viajava pelo mundo, mas não pudera resistir aqueles cabelos ruivos quando a encontrara de novo, e quantas coisas viveram juntos, quantas alegrias e tristezas tinham partilhado ao mesmo tempo em que se fortaleciam e se apoiavam um no outro. E chegaram enfim até aquele instante de mãos dadas um ao lado do outro, e Gilbert só podia agradecer pela mulher maravilhosa que um dia seria sua esposa.

- Posso saber que bicho te mordeu esta manhã? Toda vez que te olho, você está rindo sozinho feito um idiota. - era Sebastian zombando dele, enquanto tomavam o café da manhã.

- Pedi a mão de Anne em noivado ontem, e ela aceitou. – Gilbert contou de uma vez, não conseguindo mais esconder a razão de sua felicidade.

- É mesmo? Que alegria, Gilbert! Ei, Mary, venha até aqui saber das novidades. - Mary acabara de amamentar Shirley, e veio apressadamente para  a cozinha saber do que Sebastian estava falando.

- Que novidades são essas?

- Gilbert e Anne ficaram noivos, - Sebastian contou todo feliz.

- Vocês ficaram noivos? Que maravilha! Parabéns, meu amor. - Mary abraçou Gilbert com carinho. - Mas, por que não nos contou? Poderíamos ter preparado algo especial para você fazer o pedido.

- Eu não sabia se Anne iria aceitar. Então, não quis criar falsas expectativas.

- Você achou que Anne recusaria seu pedido? Aquela garota somente parece viver por você. Como você pôde sequer pensar que ela não aceitaria ser sua noiva? – Mary perguntou incrédula.

- Acho que tem razão, Mary, mas é que nos últimos dias as coisas não têm sido fáceis para Anne, especialmente com a partida de Diana, e achei que talvez ela não estivesse preparada para dar um passo tão sério em nosso relacionamento. Felizmente eu estava errado. – Gilbert sorriu.

- Eu fico tão feliz por vocês.  Sempre achei que são perfeitos juntos, e vocês tiveram tanta sorte de se conhecerem tão jovens e se apaixonarem. Poucas pessoas no mundo são afortunadas com um amor verdadeiro em tão tenra idade. E olhe para você! Consigo enxergar a felicidade em seus olhos. Vocês terão uma vida incrível.

- Faço das palavras de Mary as minhas palavras.   Você precisava ouvi- lo falar de Anne quando viajávamos pelo mundo. E Gilbert costumava negar que estava apaixonado, mas eu sempre soube. 

- Quando eu saí de Avonlea, estava muito magoado com a morte de meu pai, e não estava em condições de admitir meus sentimentos por Anne, mas confesso que ela nunca saiu dos meus pensamentos. - Gilbert admitiu.

- O importante é que vocês se amam e fazem bem um ao outro.  Diga a Anne que torço muito por vocês dois.

- Obrigado, Mary. Anne vai precisar de muito apoio enquanto eu estiver na Faculdade. Preocupo-me muito em deixá-la aqui.  Por mim, a levaria comigo se pudesse.

- Fique tranquilo. Vou ajudá-la como puder. – Mary prometeu.

- Obrigado. Isso significa muito para mim.

Depois deste momento, Gilbert e Sebastian saíram para cuidar dos afazeres da fazenda, enquanto Mary ficava em casa com Shirley. Somente voltaram para casa na hora do almoço, e após ajudar Mary a organizar a cozinha, Gilbert foi para seu quarto descansar um pouco, antes de Anne chegar. Quando a deixara na casa de Josie de madrugada, combinaram que se veriam naquela noite, e Gilbert não via a hora de estar com ela.

Sorriu ao se lembrar de Anne dizendo-lhe que queria ser a esposa perfeita para ele, mas, ele não conseguia imaginar ninguém mais perfeito do que ela para compartilhar sua vida. Anne Shirley Cuthbert. e em um futuro próximo Blythe, era um ser único no mundo.

Ela chegou horas depois toda sorridente, e lhe contou sobre os planos de Marilla.

-I sso é importante para você?- E ela respondera:

- Não, não é. Mas, é importante para Matthew e Marilla, e não desejo decepcioná-los..

Gilbert percebeu a preocupação de Anne com Matthew e Marilla, e disse a ela que não se importava com nada daquilo. Se ela queria fazer Matthew e Marilla felizes, ele concordava com a festa, embora não precisassem nada daquilo para firmarem seu compromisso.

Anne parecera visivelmente aliviada, e o agradecera efusivamente por entender o desejo de Marilla em querer seguir a tradição da família. Gilbert a tranquilizara dizendo:

- Eu não me importo que todos saibam que estamos noivos. Na verdade, terei muito orgulho de anunciar a todos que você é só minha, em caso de algum engraçadinho estar planejando roubá-la de mim. - Anne se divertiu com as palavras dele e comentou:

- Não acredito que alguém tenha a mesma coragem que você em aturar o mau humor de uma ruiva como eu. - Anne se pendurou no pescoço dele, e seus rostos ficaram tão próximos que Gilbert se viu preso nos olhos de Anne fixos em seu rosto, e ele observou fascinado cada sarda que cobria o rosto dela, o nariz pequeno e arrebitado, e os lábios suavemente pintados de rosa. E então disse, sem deixar e de admirá-la:

- Às vezes me pergunto se você se olha de verdade no espelho. Como não consegue enxergar o quanto você é linda, Anne? Você já prestou atenção na reação masculina quando você chega a qualquer lugar?  A minha sorte é que sei que você me ama, caso contrário eu teria que espantar qualquer cara que se aproximasse de você.  – e ela respondera divertida

- Quer dizer que tenho um noivo ciumento? - ouvir Anne chamá-lo de seu noivo deu uma nova dimensão a palavra que fez o coração de Gilbert dar um salto feliz, e ele dissera:

- Sim, principalmente quando sou provocado como agora. - Anne mordeu o lábio inferior, e Gilbert sabia que ela o estava provocando deliberadamente. Então, decidiu que lhe daria exatamente o que ela claramente estava desejando. Gilbert a beijou com todo o fogo que havia dentro de si e se intoxicou com o ardor dela, parando somente quando não havia mais ar para nenhum dos dois. Anne disse-lhe assim que se separaram:

- Acho que nosso casamento nunca será aborrecido, se me beijar assim todas as noites.

- Acho que podemos fazer um acordo de quantos beijos você deseja receber por minuto. –Anne ponderou por um momento sobre a proposta dele e sugerira:

- Que tal três beijos para começar?

- Acho uma proposta bastante razoável. O que acha de começarmos agora mesmo?- Gilbert perguntara já se preparando para arrasar as emoções de Anne, mas ela recusara sua sugestão dizendo:

-E uma sugestão tentadora, mas temos que falar com Mary sobre a festa de noivado. – Gilbert protestara. Queria mantê-la em seus braços o maior tempo possível. Mas, Anne o convencera dizendo que voltariam ao ponto onde pararam, assim que falassem com Mary sobre a festa de noivado. Ele somente aceitara depois de impor uma condição:

-Está bem. Vamos aos deveres primeiro, mas saiba que vou cobrar com juros muito altos essa sua provocação. - Anne aceitara sua imposição sem reclamar.

Nos minutos seguintes falaram com Mary que adorara a ideia de Marilla sobre o noivado, e disse a Anne que ajudaria Marilla em todos os detalhes e a ruivinha explicara que não queria nada sofisticado naquela festa de noivado.

- Não é que eu não ache isso romântico, Mary. É que quando Gilbert me pediu em noivado foi um momento somente nosso, então, não achei que precisássemos de uma festa para anunciar a todos a celebração do nosso amor, mas já que parece tão importante para Marilla, creio que podemos fazer algo íntimo e simples..

Mary concordara com a sugestão de Anne, e depois quisera saber a opinião de Gilbert, já que ele não dissera uma palavra sobre aquele assunto até então. Gilbert pensou um pouco antes de responder, depois disse o que pensava sobre o assunto:

- O que decidirem está bem para mim.  Farei o que Anne quiser. Como el disse, ontem foi um momento só nosso, não tinha pensado em uma festa para pedir a mão dela em noivado, mas se Anne quiser, é o que faremos. – Mary se dera por satisfeita com a resposta de Gilbert, e disse para ele e Anne não se preocuparem, pois a festa seria linda, e agradaria a ambos.

Assim, Gilbert levou Anne para seu quarto, e a menina o agradeceu novamente

- Obrigada mais uma vez por aceitar essa festa de noivado. Eu sei que não era o que tinha em mente – e ele respondera segurando sua mão com carinho:

- Anne, eu disse que não me importo. O que realmente conta para a mim é que estamos juntos, e que nos amamos e se outras pessoas precisam de uma confirmação de tudo o que dissemos um para o outro, ou de tudo o que já vivemos juntos então, vamos fazer isso para  agradá-los . A única coisa que quero que se lembre é de que te amo.

- Eu também te amo. Você sabe que não me importo com nada disso também.  Somente aceitei a festa para deixar Marilla feliz. Quero apenas que fiquemos juntos.

Eles se beijaram, e Gilbert somente conseguia pensar na garota que tinha em seus braços. Nada mais importava a não ser o amor de ambos. Ele a queria para sempre em sua vida e a teria. Era algo concreto e palpável que os levava a um nível muito maior em seu relacionamento.

Então, Gilbert lembrara a Anne sobre sua promessa naquela noite:

- Bem, então, acho que agora é  hora de você fazer seu noivo feliz. Você disse que cumpriria nosso acordo depois que falássemos com Mary sobre o noivado. -E ela concordara dizendo:

- Estou ansiosa por isso.

Assim, ela cumpriu sua palavra, e ambos namoravam por horas em seu quarto. Gilbert apreciava de mais esses momentos com Anne, pois eram sempre únicos e especiais. Estar com ela era o que importava, mesmo quando não havia um envolvimento físico maior além do toque das mãos e beijos românticos. O amor entre eles era sempre intenso, e Gilbert adorava a companhia de Anne mais que tudo.

Quando a levou para casa naquela noite, Gilbert se lembrou que ainda tinha uma surpresa guardada para Anne. Ia contar para ela naquele mesmo dia, mas resolvera esperar a festa de noivado, e estava ansioso para ver o brilho nos olhos dela quando Anne descobrisse o presente que ele preparara para ela.

 

GILBERT E ANNE

 

- Anne, não fique assim. É somente um jantar de noivado. - Josie disse.  Estavam no quarto da ruivinha, e ela andava de um lado para outro demonstrando todo o seu nervosismo.

- Eu sei, mas é que estou tão ansiosa que não consigo me controlar. - ainda bem que Marilla concordara em ser somente um jantar, pois Anne não gostava de ser o centro das atenções, e ela sabia que naquele dia tanto Gilbert quanto ela seria o alvo das atenções e comentários de todo o mundo. Anne vira a lista que Marilla fizera, e felizmente a quantidade de convidados era relativamente pequena.

Iria sentir falta de Cole e Diana. Sempre pensara que quando ela e Gilbert ficassem noivos seus dois amigos estariam ali com ela, mas a vida os levara para outro caminho, e Anne sabia que em seu coração eles compartilhavam esse momento com ela.

Aquela semana fora uma loucura. Ela e Gilbert mal tiveram tempo de se ver, pois Anne tivera que ajudar Marilla com os preparativos do noivado, e apesar de não ser nada sofisticado, elas precisaram preparar toda a comida que seria servida aos convidados.

Anne sorriu ao se lembrar de todos os acontecimentos dos últimos dias. E pensar que ela dissera que nunca seria uma noiva, e muito menos uma esposa, e ali estava ela toda encantada com a ideia. Sentia-se feliz e realizada, e somente faltava ter seu diploma como professora para que tudo estivesse perfeito em sua vida.

Assim como Gilbert no próximo ano, ela iria para a Faculdade e estava muito ansiosa para começar essa nova etapa em sua vida, e quando Gilbert se tornasse médico, ela também teria sua própria profissão, e poderia lecionar como a Srta. Stacy em Avonlea se assim o desejasse.

Anne e Gilbert não tinham conversado ainda sobre onde iriam morar. Era muito cedo para isso, mas ela imaginava que Gilbert iria querer que morassem em sua fazenda. Ele sempre dissera que desejava abrir um consultório em Avonlea devido a escassez de profissionais da saúde naquela comunidade, então,  para Anne era natural que ele quisesse ficar em sua própria fazenda. Ela não se importava desde que estivessem juntos, onde Gilbert quisesse ficar seria o seu lar

- Anne, acho melhor descemos. Creio que todos estão a sua espera.-Josie argumentou.

- Claro. Como estou? – Ela perguntou se olhando no espelho.

- Maravilhosa como sempre.  – Josie dissera, apertando a mão de Anne com afeição.  Tinham se tornado boas amigas desde que Diana partira, e Anne aprendera a apreciar a companhia da menina. O namoro dela com Muddy tinha evoluído bastante, e Anne imaginava que eles seriam os próximos a ficarem noivos. Torcia para que tudo desse certo para os dois.

Enquanto desciam as escadas todos os olhares se concentravam em Anne, mas a menina somente conseguia fixar sua atenção em um único rosto. Gilbert a esperava no pé da escada e olhava para ela maravilhado.  Anne estava mais linda ainda do que já era, ele pensou, e seus olhos admiraram o vestido azul claro que lhe marcava a cintura, e deixava seus ombros a mostra,  revelando sua pele alva e macia.Ela prendera os cabelos em uma única trança, e as únicas joias que ela usava eram o anel de noivado que ele lhe dera,, e um par de brincos prateados que adornavam suas orelhas delicadas.

Quando Anne chegou ao último degrau Gilbert pegou em sua mão e a levou aos lábios dizendo.

- Você está incrível como sempre. Não tenho palavras para descrever sua beleza esta noite.

- Obrigada, e nem preciso dizer que você é o rapaz mais lindo desta festa. - Anne elogiou ainda corada pelas palavras de Gilbert.

- Acho que depois desta festa vou roubá-la somente para mim.

- Sinto desapontá-lo, meu amor, mas vamos ter que deixar nosso encontro proibido para amanhã.  Marilla tem hóspedes em casa e um deles está dormindo comigo em meu quarto – Anne viu o desapontamento estampado no rosto de Gilbert.

- Não fique assim. Prometo que amanhã serei só sua. – beijou-o de leve nos lábios.

- Está bem Que tais se fizéssemos um piquenique só você e eu amanhã?- Gilbert a convidou pensando na surpresa que esperava por Anne. 

- É aonde iremos?

- Te conto amanhã. Agora quero dançar com minha noiva. – e assim, levou Anne para a pista improvisada por Matthew na varanda da casa.

Eles dançaram várias músicas juntos e depois circularam entre os convidados, agradecendo a todos por terem vindo.

Na hora de Gilbert fazer o pedido, Marilla chamou todos os  convidados para se reunirem na sala, e disse:

- Como todos sabem estamos aqui para celebrarmos esta data tão importante que é o noivado de Anne e Gilbert, então, ele agora irá oficializar o pedido. – ao dizer isso, Marilla sinalizou para  que Gilbert se aproximasse.. Ele  estava um pouco nervoso, e não se sentia muito confortável quando havia muitos olhares sobre ele, mas tentou apenas olhar para Anne que sorria para ele naquele momento encorajando-o.

- Bem, primeiro eu quero dizer que estou extremamente feliz por poder compartilhar com vocês esse momento tão importante de minha vida. Como todos sabem, voltei a um ano de uma longa viagem da qual eu não pretendia retornar. Eu achava que não existia mais nada para mim neste lugar depois da morte de meu pai. Mas, eu estava enganado. A primeira vez que pisei neste vilarejo, depois de meses em alto mar, eu tive a sorte de pousar meus olhos nessa garota incrível, por quem me apaixonei desde o primeiro momento em que a vi. Foi aí que eu soube que queria dividir minha vida com ela para sempre,  por isso, Anne, vou te perguntar mais uma vez. Quer ser minha noiva e minha mulher para sempre? – Anne ficara tão emocionada com as palavras de Gilbert, que lágrimas de felicidade rolavam por seu rosto. Ela olhou dentro dos olhos dele e disse:

- Sim, eu aceito.  –e aplausos explodiram ao ouvirem a resposta de Anne. Eles se beijaram rapidamente, e todos os convidados vieram cumprimentá-los, inclusive Matthew, Marilla, Mary e Sebastian.

- Cuide bem dela, Gilbert Essa menina é uma joia rara- Matthew disse.

- Eu sei disso, Sr. Cuthbert.   Fique tranquilo, vou cuidar muito bem de Anne, ela é uma das coisas mais importantes de minha vida.

Após alguns minutos, Gilbert levou Anne para a pista de dança de novo e perguntou sorrindo:

- Está feliz?

- Acho que sou a garota mais feliz do mundo nesse momento  - Anne admitiu. – Ser sua esposa é um sonho que se realiza para mim. Eu te amo tanto, Gilbert.

- Eu também te amo. Mas, por favor, pare de me olhar assim, ou vou esquecer que essa é nossa festa de noivado e vou levá-la para bem longe, de preferência para o meu quarto.

- Quer dizer que não aguenta um pouco de provocação, Sr  Blythe?- ela disse, acariciando o rosto de Gilbert.

- Você sabe que não consigo resistir a nada que venha de você.- Gilbert respondeu, fixando seu olhar nos lábios de Anne.

- Eu também não consigo resistir a você, especialmente quando ficamos tão próximos um do outro como agora, mas teremos que nos controlar até amanhã, o que não será fácil. – Anne suspirou consciente demais das mãos quentes de Gilbert acariciando suavemente suas costas sobre o vestido fino.

- Não se esqueça de nosso piquenique amanhã à tarde. - Gilbert disse.

- Como se fosse possível eu esquecer qualquer coisa relacionada à você. – Anne respondeu.

A música chegou ao final, e eles se reuniram a Josie e Muddy que estavam sentados na sala.  Passaram as horas seguintes em companhia dos dois amigos, conversando e se deliciando com as comidas preparadas por Marilla e Mary, Como o jantar era informal,  cada um se servia do que queria e se sentava onde desejava, sem a necessidade de se reunirem em volta da mesa.

O último convidado deixou a festa exatamente à meia noite, e tanto Anne, como Marilla e Matthew puderam ir para seus quartos descansar.

No dia seguinte, Anne acordou bem cedo a fim de ajudar Marilla a organizar a casa, lavar toda a louça suja do jantar e esperou ansiosamente pelo piquenique que faria com Gilbert naquela tarde.

Ele veio buscá-la logo após o almoço. Tinha nas mãos uma cesta de piquenique, e guardou dentro dela o bolo que Anne lhe entregou.

- Aonde iremos? – Ela perguntou curiosa.

- Você já vai saber. – Ele respondeu com um olhar enigmático.

Então, Gilbert a guiou  em direção a floresta. Passaram pelo clubinho de leitura dela,  e chegaram a uma clareira onde Anne conhecia bem.

- Você se lembra desse lugar? – Gilbert perguntou com os olhos brilhando.

- Como poderia me esquecer. Aqui aconteceu o nosso primeiro encontro de amor. - Anne respondeu encantada por terem retornado aquele lugar mágico.  Tudo continuava igual. Flores de variadas cores estavam por toda parte, as árvores continuavam tão altas quanto Anne se lembrava, e o lago era ainda mais encantador com a cascata que caía sobre ele, em uma chuva abundante de água e a luz do sol que se refletia nela.

Escolheram uma árvore frondosa e estenderam a toalha do piquenique embaixo dela, e se sentaram para comer. Após algum tempo, Gilbert perguntou:

- Gostaria de nadar?

- Eu não trouxe roupa de banho mas acho que gostaria de caminhar um pouco,  se você não se importar.

Gilbert ajudou Anne a se levantar e andaram de mãos dadas à beira do lago. Anne olhou ao redor e pensou em como aquele lugar era lindo. Estar ali com Gilbert depois de tanto tempo era maravilhoso. Seria mais uma lembrança para guardar em sua caixinha de memórias.

Ela e Gilbert se sentaram novamente debaixo da árvore, e segurando na mão dela com carinho, ele lhe perguntou:

- Anne, o que você acha desse lugar?- ela olhou parar ele surpresa com a pergunta e respondeu:

- Este é um dos lugares mais lindos para o qual você já me trouxe. Existe tanta paz aqui, eu poderia passar horas lendo um livro ou admirando essa cascata de água.

- E você acha que seria feliz morando aqui? – Anne arregalou seus olhos incrivelmente azuis e perguntou:

- O que quer dizer?

- Bem, eu te contei que meu pai me deixou uma poupança para cobrir meus estudos na faculdade. Então, essa semana, recebi um comunicado do reitor da Faculdade de Nova Iorque, me dizendo que como fui o único candidato a tirar nota máxima na prova que realizei, eles me darão uma bolsa integral pelo tempo que durar o meu curso de Medicina, com direito a um emprego dentro da Faculdade.

- Que maravilhoso, Gilbert. - Anne o abraçou apertado, e depois manteve seus braços ao redor do pescoço dele e disse:

- O que isso tem a ver com esse lugar?- Gilbert continuou a olhá-la intensamente e contou-lhe a surpresa que vinha escondendo dela:

- Eu tive que ir até a cidade está semana, e ao passar em frente à uma imobiliária, descobri que este pedaço de terra estava a venda. Eu fiquei surpreso, pois nunca imaginei que este lugar tivesse dono. Parece que o antigo proprietário faleceu, e seus filhos não têm interesse nenhum em mantê-lo, por isso o puseram a venda por um preço tão pequeno.  Então, tive a ideia de ir até o banco e verificar a poupança que meu pai fez para mim a  tantos anos atrás, e constatei que os rendimentos foram muito bons durante esse tempo, me  permitindo investi-lo neste lugar. Eu sei o quanto você adora a praia que fica a somente quinze minutos daqui, e nossas fazendas não ficam muito longe, assim, você poderia visitar Green Gables e Mary quando quisesse. É claro que eu ainda não fechei o negócio, pois queria falar com você primeiro, mas eu realmente acredito que esse é o lugar perfeito para começarmos nossa vida. Mas  se você não gostar da ideia,  podemos procurar outro lugar.  O que acha? –somente naquele momento, Gilbert percebeu que Anne não tinha dito nada, não sabendo o que significava aquele silêncio dela.

Anne olhava para Gilbert sem conseguir acreditar na surpresa que ele  lhe preparara. Como ele podia conhecê-la tão bem?Ela conseguia ver crianças brincando por ali, enquanto ela e Gilbert as observavam felizes vendo-as crescer dia a dia.Sem conseguir se conter ela o beijou com tanta energia que surpreendeu Gilbert  Quando se separaram,  ele perguntou sorrindo:

- Isso quer dizer que gostou da ideia?

- O que você acha? –Anne ficou olhando para ele, seu coração quase explodindo de amor por aquele rapaz que significava o mundo inteiro para ela  Aquele beijo fora pouco para mostrar a Gilbert o quanto a atitude dele a deixara maravilhada. Só havia uma maneira de fazer com que ele compreendesse a dimensão que tudo aquilo tinha para ela.

Anne se levantou e despiu a blusa e os shorts que estava usando, deixando Gilbert paralisado e encantado ao mesmo tempo.

- Anne? – ele disse sem conseguir desviar os olhos do corpo perfeito dela à luz do dia.

- Eu te amo, Gilbert Blythe, e nunca vou me cansar de dizer isso para você.  E se vamos começar nossa vida nesse lugar, quero que celebremos nosso amor nele, para que nunca falte momentos assim em nossa vida. – Gilbert estendeu sua mão, pegou a de Anne e a puxou para seus braços.  Anne ajudou Gilbert a se despir, e de repente estavam enroscados um no outro. A boca de Anne encheu o corpo de Gilbert de beijos, enquanto suas mãos o tocavam incansavelmente, levando-o várias vezes ao auge do desejo, enquanto os lábios de Gilbert se deliciavam com o gosto da pele dela que parecia com o néctar dos deuses em sua boca. Eles se amaram como tantas vezes antes, mas sempre parecia a primeira vez para ambos, por que o que sentiam um pelo outro se renovava a cada dia, e nunca se fartavam daquele prazer.

Anne se entregou a Gilbert como sempre se entregaria, com a alma aberta e o coração exposto sem necessidade de palavras. Gilbert se derreteu naquela fonte inesgotável de vida que havia nela, e juntos mergulharam fundo no desejo um do outro, e em um segundo eram apenas um único corpo alcançando voos  cada vez mais altos até que se queimaram no calor de sua própria paixão.

Os olhos de Gilbert estavam escuros quando Anne voltou a olhar para ele   As mãos dele rodeavam sua cintura, e suas peles estavam tão coladas que Anne sentia o calor de Gilbert aquecê-la por inteiro. Ela beijou-o nos lábios e rolou para o lado, mantendo seu corpo bem próximo ao dele. Então, ela falou, enquanto sentia Gilbert acariciando seus cabelos:

- Você é a melhor coisa da minha vida.  Eu somente tenho a agradecer por todas as coisas que você faz por mim. Todo o amor do mundo não é  o bastante para que eu possa compensá-lo. - os olhos castanhos de Gilbert sorriam para ela quando ele lhe respondeu:

- Você é o bastante para mim, Anne, eu não preciso de mais nada.. Quero apenas que possamos construir nossa casa, criar nossos filhos, e vivermos nossa vida inteira juntos, pois nada sem você faz sentido ou vale a pena.

- Eu te prometo que dedicarei meus dias apenas para te fazer feliz. Quero ser tudo o que você merece ter, e nossa vida será repleta de momentos inesquecíveis.- Gilbert beijou sua testa com carinho antes dizer:

- Amo você, Anne.. Quero que saiba que em meu coração você já é minha esposa. Mesmo que eu ainda não tenha nenhum papel para prová-lo.

- Eu me sinto da mesma maneira. Nunca haverá mais ninguém em minha vida como você. – se olharam por alguns instantes daquela maneira que somente o amor de ambos parecia importar. Depois, Gilbert perguntou:

- Quer nadar agora?

- É uma excelente ideia - Anne respondeu, aprovando a sugestão de Gilbert

Enquanto se banhavam nas águas cristalinas do lago, tudo o que Anne conseguia pensar era no futuro que os aguardava. Ainda teriam que lutar por muitas coisas, serem pacientes, e perseverantes, mas no fundo de sua alma sabia que conseguiriam conquistar tudo o que quisessem, pois tinham o ingrediente principal para isso, tinham um ao outro, e isso era tudo do que precisavam.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Tenham uma boa leitura. Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...