História Annie - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Badboys, Bullying, Escola, Hot, Nerd, Popular, Preconceito, Romance
Visualizações 8
Palavras 830
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Desencontros


Fanfic / Fanfiction Annie - Capítulo 3 - Desencontros



Merda! Se eu correr agora vou parecer muito patética? 

— Responda! — o garoto pergunta ao arquiar uma das sombrancelhas — Quem é você? E o que está fazendo aqui? 

Percebo que o melhor não seria correr, então apto por apenas respondê-lo 

— Eu me chamo Annie... — falo enquanto ele me examina 

— E estou aqui porque meus pais trabalham aqui. Sou filha dos novos empregados — ele não diz nada, então decido continuar — O meu pai é o jardineiro e minha mãe a nova cozinheira da casa 

Ele me olha por longos segundos até que eu resolvo pronunciar:

— E quanto ao seu celular, não se preocupe, ele parece ser caro e com certeza deve ser, mas eu vou pagar, teria que ser em algumas prestações, mas se... 

Paro de falar quando ouço sua gargalhada 

— Prestações?  — me olha forçando uma risada

— Bem... sim, a minha mesada não daria para pagar tudo de uma vez 

— Aaah garota, você é realmente hilária — diz com tom de deboche e se aproxima 

— Pode ficar tranquila — fala passando os dedos entre meus cabelos — Eu vou te cobrar por isso, mas não vai ser em dinheiro 

Ele fala enquanto desce os dedos para meu ombro 

Abaixo meu olhar em direção as suas mãos e só então percebo que minha blusa está totalmente transparente, isso graças a minha mania de tirar o sutiã sempre que chego em casa. O problema é que eu não estou mais em casa, Droga!

Noto que ele olha para direção dos meus seios me deixando ainda mais mortificada 

Passo meus cabelos para frente na tentativa falha de esconder o óbvio e vejo que ele ainda me encara 

— E como pretende me cobrar? — pergunto 

Ele se aproxima e toca minha barriga, fazendo círculo com os dedos, deixando aquela área pegando fogo, Automaticamente sinto minhas pernas fraquejarem e o sangue correr mais rápido por aquela região 

— Você saberá — diz curvando-se para frente sem deixar de me encarar — No momento certo 

Seus olhos estão em chamas, mas agora é diferente, não é mais o olhar sombrio de quando caímos no lago. 

Ele pega uma mecha do meu cabelo e cheira em seguida 

Notei que as coisas começavam a ficar estranhas, então decido que o melhor seria me afastar 

— Eu... eu vou voltar pra minha casa — falei entre os dentes 

 Ao passar por ele nossas mãos se chocam acidentalmente, e eu sinto como se uma corrente elétrica passasse por elas. Gostaria de ficar e entrelaçar nossas mãos, mas isso seria realmente esquisito

Caminho a passos largos em direção a minha casa, sentindo a temperatura do meu corpo aumentar e uma inquietude se manifestar em meu ventre. Sensação inusitada, eu deveria estar com frio, visando que minhas roupas estão encharcadas devido a queda no lago.

Ao entrar em casa, notei que meu pai já havia chegado e discutia algo com minha mãe. A mesma percebe minha presença e me olha de cima a baixo, analisando-me 

— Filha! O que aconteceu com você? Por que demorou tanto? — indaga Alice preocupada 

Penso se deveria contar a verdade sobre o que aconteceu, mas decido que é melhor omitir algumas coisas 

— Não foi nada de mais, mãe. Eu acabei escorregando na beira do lago — falo sem mencionar boa parte dos acontecimentos 

— Mas você está bem querida? — questiona Patrick com os olhos semicerrados em desconfiança 

— Sim, estou ótima pai — respondo — Só um pouco cansada, acho que eu vou tomar um banho e dormir um pouco 

— Claro filha! Vá descansar, amanhã teremos um longo dia pela frente — declara Patrick 

Avanço em direção ao meu pai depositando um beijo de boa noite em seu rosto, fazendo o mesmo com minha mãe. 

Em seguida percorro o caminho até meu quarto determinada a dormir o máximo de tempo possível. Quero aproveitar enquanto ainda estou de férias

 

05:30 AM 

Acordo sentindo uma enorme vontade de tomar água. Levanto em um sobressalto e percebo que deixei a janela aberta

Caminho em direção a ela com a pretensão de fechá-la, mas ao se aproximar, percebo que há alguém tentando entrar na mansão pelas portas do fundo 

Forço mais a visão e constato que é o mesmo garoto do lago. Ele está cambaleante tentando se manter em pé, até que tropeça e cai sob a grama ainda molhada pela recente chuva 

 Cinco minutos se passam e ele não faz menção de se levantar. O garoto parece dormir enquanto uma leva chuva começava a se formar  

— Ele não pode dormir alí, vai acabar ficando doente 

concluo no exato instante em que uma rajada de luz corta o céu fazendo um enorme estrondo 

No momento em que cogitava a idéia de ir ajudá-lo, noto o mordomo se aproximar apressadamente o ajudando a se levantar com cuidado 

Sinto minha garganta coçar e lembro-me da sede. Caminho para cozinha com o intuito de tomar água e voltar a dormir em seguida.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...