1. Spirit Fanfics >
  2. Anomalous >
  3. Twenty five - nostalgic.

História Anomalous - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


hey hey heeeeeeeeeeey

oiIIIIIIIII, tudo beleza? em casa? bem cuidados, as mãos lavadinhas e o álcool em gel???
desculpa a demora, essa vida adulta que acabei entrando e bloqueio criativo também fez diferença, por isso, desculpem mesmo a demora!!

enfim, queria trazer duas atualizações hoje pq só queria quitar, ainda mais quarentena e essas coisas... achei melhor trazer de uma vez.

então, né, boa leitura ❤️

Capítulo 25 - Twenty five - nostalgic.


Nostálgico.

🍁

Hmm?

— Hmm.

— Hm hm?

— Uhum.

Eu acabei rindo, mesmo de olhos fechados.

— Precisamos levantar — sussurrou-me. — Mesmo que eu não queria. Essa cama é muito confortável.

Ele tirou as palavras da minha boca. É verdade. Por isso, que quando nos deitamos, não demoramos muito para adormecer. Apesar de termos ficado cansados durante o dia, o conforto que a cama nos proporcionou uniu o útil ao agradável. O nosso cansaço mais sono mais conforto da cama foi igual à uma boa noite de sono.

— Então, nós ficamos deitados — eu sugeri, baixinho, já de olhos abertos e bocejando em seguida. — Você acha que estão acordados?

— Eu não tenho dúvidas — ele me respondeu. — Hoseok costuma fazer o café da manhã e depois ir para a cidadezinha perto daqui para fazer compras para a quantidade de tempo que ficamos aqui — ah, era bom saber. — Normalmente, é ele e a Moon. Eles costumam ser os “responsáveis”.

— O café da manhã é bom?

— Pode não ser o mesmo café da manhã que tivemos na casa do Jimin, mas… sinceramente, eu prefiro quando eu faço o café da manhã — comentou, convencido. Olha… Eu realmente não sabia que ele fazia café da manhã.

— Você fará algum dia? — perguntei, curioso. Mal imagino como seria o café da manhã de Yoongi.

— Por você, eu posso fazer quando me pedir.

— Mas hyung… café da manhã é para ser comido de manhã.

Ele revirou os olhos.

— Você sempre corta o meu barato — resmungou, manhoso e eu ri.

— Você pode fazer amanhã, por exemplo — eu lhe sugeri.

— Vou ver o que eu posso fazer — então respondeu.

Fiquei observando o seu rosto por um tempo e eu assenti, sem muito o que pudesse dizer. Mas, vê-lo acordando sempre do meu lado não me deixa mais do que feliz. Era uma visão que eu gostaria de ter sempre, gosto de aproveitar esse momento, já que não posso ter o tempo todo.

— O que foi? — Ele perguntou.

Balancei a cabeça.

— Eu só… Eu gosto de te ver assim.

Sorrindo minimamente, ele assentiu.

— Digo o mesmo sobre você.

— Oh meu Deus…! — alguém exclamou na porta. — Parece até que transaram!

Meu rosto queimou tanto! Tanto que escondi meu rosto até as maçãs, que queimavam de vergonha. Até parece que alguém veria, mas poxa… transaram

— Wheein! — reclamou Yoongi. — Feche a porta, sua enxerida!

— Eu só vim chamar vocês para tomar café da manhã! — Ela argumentou. — Não tenho culpa se vocês estavam todo apaixonadinhos, sabe?

— Terminou? — Revirou os olhos, Yoongi parecia bastante aborrecido.

— Ai, tá bom! Que oppa estressadinho… — ela reclamou até ouvirmos a porta ser fechada com suavidade.

Havia uma expressão bem emburrada em Yoongi, mas quando ele olhou para mim, sua expressão mudou para uma carinhosa.

— Está tudo bem?

— Isso acontece constantemente? — Não deixei de perguntar. O que há com essa gente?

— A Wheein é bem espontânea quando pode. E não… Na verdade, é a primeira vez que ela faz isso — respondeu, com um tom levemente envergonhado. — Está tudo bem mesmo?

— Uhum — assenti. — Eu só fiquei envergonhado. Ainda mais nas últimas palavras.

Yoongi me olhou com uma expressão indecifrável. 

— O quê?

— Não me faça repetir o que ela disse, hyung.

— Do que você está falando?

Fiquei sem o que dizer. Eu não tinha vontade nenhuma de repetir as palavras dela, pois me causavam uma absoluta vergonha. Eu não conseguia repetir.

— Acho melhor esquecer…

— Jeongguk — chamou-me e eu o olhei atentamente nos olhos. — Está tudo bem — segurou o meu rosto e depositou um beijo tenro na minha bochecha e descansou os lábios ali mesmo, assim eu pude sentir sua respiração quente e ritmada. Fechei os olhos, relaxado diante de sua atitude. — Não vamos falar nada que você não queira.

Então, ele beijou-me por todo o rosto, carinhoso e cuidadoso. “Obrigado”, eu pensei. Aposto que deve ter ouvido dizer isso e ele só sorriu, o senti sorrir contra a minha pele.

Eu não deveria estar mais satisfeito que isso.

— Vamos tomar café da manhã, sim?

Assenti.

🍁

— Kimbap! — Disse Moon, entregando-me alguns. — Sabe, não são exatamente caseiros, mas dá para o gasto. E que aliás, Hoseok até tentou fazer alguns, porém ele é um desastre na cozinha. Nunca deixe esse doido aqui — ela disse, informando-nos.

— Hoseok só é bom em fazer café — Wheein disse, encostada no balcão, enquanto bebericava alguma bebida. 

— Ya! Façam melhor então — ele retrucou, lavando a louça, próximo de nós.

— Com prazer! — Afirmaram elas em uníssono.

Enquanto eles conversavam, eu fiquei comendo os kimpab, que por sinal, estavam maravilhosos. Me fez pensar na saudade que eu estava sentindo em comer kimbap feito pela Sunmi, fazia tanto tempo desde que comi pela última vez. Até da nossa tia de Busan! Os dela com certeza eram saborosos, com o famoso sabor caseiro.

Observando ao redor, notei depois de muito tempo que Yoongi não estava aqui, nem mesmo Kihyun.

— O que foi? — Indagou-me Wheein.

— O hyung sumiu.

— Ah, provavelmente ele e o Kihyun estão responsáveis em limpar a piscina. Melhor fazer agora do que deixar para depois — ela respondeu. — O Kihyun levou comida para lá, devem estar comendo por lá. Daqui a pouco estaremos montando as coisas para fazer um jantar incrível com churrasco e tudo.

— É exatamente isso — confirmou Moon, animada. — Um banquete digno do feriado!

— Quem vai cozinhar?

— Yoongi e provavelmente a Wheein.

Então… O hyung que fará o banquete.

— Aposto que nunca comeu nada dele, não é? — Disse Hoseok, de repente, secando as mãos. — Eu te digo uma coisa: A comida do Yoongi é maravilhosa, um ótimo cozinheiro, inclusive.

Sobre ele estar convencido do próprio café da manhã, não era brincadeira. Ele realmente sabe o que faz. Oh, eu estou ansioso por isso.

— Só estou curiosa para saber o que ele vai fazer! — comentou Wheein, animada.

— Um excelente ramyeon — deduziu Hoseok.

— Um excelente ramyeon já seria o suficiente — opinou Moon.

— Ou frango… — adicionou ele.

De repente, eu senti mais fome do que deveria.

— Oh, nem me fale! — murmurou Wheein, parecendo com apetite repentina também.

Ajudei Hoseok a guardar a louça assim que eu acabei de tomar o meu café da manhã. Wheein e Moon disseram que estavam temperando as carnes que usariam para grelhar, Hoseok logo me disse para ver como estava o andamento da piscina, me pediu também para levar uma caixa de isopor com gelo e algumas bebidas dentro.

Carreguei até a parte do ar livre da piscina, o sol parecia ótimo para o dia. Estava um dia bem quente, era ironia que estivesse um tempo bom assim nessa época do ano. Parece que o mundo decidiu colaborar com a gente.

— É bebida para a gente? Se for, eu quero muito — perguntou-me Kihyun, eu mal havia notado os dois.

Dei de ombros.

— Não sei se é pra vocês, mas a minha missão era trazê-la até aqui — eu respondi.

— Não tem problema, o Hoseok traz alguma coisa para gente daqui a pouco — Yoongi explicou. — O que achou do café da manhã?

— Achei delicioso.

Kihyun riu.

— Ainda bem que vocês não comeram os kimbap do Hoseok — comentou com uma careta engraçada. Senti pena de Hoseok, ora essa, eles são muitos ingratos.

— Privilégios de acordar mais tarde — hyung disse. — Preciso avisar ao Hoseok que o café de manhã será por minha conta.

— Por que você faria o café da manhã? — Então seu olhar caiu sobre mim. E ele soltou um “Aaaah!”. — Ele quer te impressionar?

Eu acabei rindo.

— Ele não precisa me impressionar. Mas ele disse que um dia faria um café da manhã para que eu pudesse experimentar — eu lhe respondi dando de ombros. — Conversamos sobre isso logo depois que acordamos.

— Tá vendo? Diferente de você, eu não preciso impressioná-lo — brincou Yoongi e Kihyun fizera uma careta estranha.

— Do que você está falando sobre impressionar?

Yoongi o ignorou e continuou a limpar a piscina.

— Eu recebi uma mensagem — informou Kihyun de repente, olhando para o seu celular. — Ah, é do Taehyung.

Um arrepio percorreu pela minha espinha e um gosto bem amargo preencheu o meu paladar. Não esperava que fosse ouvir o nome dele tão cedo e muito menos achei que o temesse tanto assim.

— O que diz? — Perguntou Yoongi, mesmo que estivesse ocupado, ele estava prestando atenção em Kihyun.

Me diz que Taehyung não virá aqui.

Me diz que isso não vai acontecer.

Estava perfeito até demais. Eu deveria ter desconfiado.

— Ele vai chegar pela noite — disse ele e eu tive que fingir que isso não me atingiria, mas atingiu tanto quanto eu esperava. Pelo menos até à noite, eu teria um momento de paz.

— Ah, certo — murmurou Yoongi e então, ele olhou na minha direção dando um sorriso franco. — Eu quero muito que você conheça Taehyung, Jeonggukie.

— Mal posso esperar… — eu murmurei, sem demonstrar muito ânimo, mas dei-lhe um sorriso fraco. Ele parecia animado com isso e eu sequer tenho forças para contrariá-lo, porque ele me dava impressão de que isso seria uma boa ideia.

E afinal? Seria realmente uma boa ideia? Taehyung pareceu ser bem próximo de Yoongi, quando ele me abordou naquele dia. Pelo visto, Taehyung ainda não contou nada para Yoongi e parecia não ligar sobre a situação. Ou é apenas um jogo para me pressionar?

Suspirei.

Eu não sei mais o que pensar sobre Taehyung. Encontrá-lo e ser apresentado pela segunda vez, mas por Yoongi, estava longe dos meus planos, porém nos planos de Yoongi, eu iria ser apresentado a Taehyung de qualquer forma.

De repente senti o meu pulso ser envolvido por uma mão, e eu olhei assustado para o lado, mas era ninguém menos que Hoseok. Eu acabei suspirando, de alívio. Mal notei que estava apavorado pelos meus próprios pensamentos.

— Yoongi, eu espero que você não se importe, eu estarei pegando seu namorado emprestado para me ajudar — ele disse me puxando lentamente consigo. Ajudar? Ajudar no quê?

— Ya! Não o sobrecarregue.

— Tá. Pode deixar — concordou com ele, Hoseok a abaixou a voz quando estávamos na porta, perto de entrar na casa. — Você viu que ele nem negou sobre “namorado”?

O pior que nem eu percebi isso.

— Acho que ele nem notou… — eu disse, inofensivo.

— Notou — respondeu Hoseok com um sorriso amistoso. — Ele só não conseguiu negar.

Com essa convicção, eu me senti envergonhado. Naturalmente não estávamos considerando muito um nome sobre o nosso relacionamento, mas, era inegável também dizer que nós não parecíamos um casal de namorados. Agimos como um, ter um nome não era tão importante assim.

— Eu vou te dizer uma coisa — ele iniciou assim que pisamos na cozinha vazia. — Yoongi nunca foi tão sentimental, sabe? Ele teve um grande problema de falar sobre sentimentos após perder seus pais e ter o único irmão desaparecido — gentilmente ele encostou próximo do balcão. — Yoongi anda mais macio e mais confortável que o normal, ele ficou assim logo depois que vocês se tornaram amigos. Digo que ele esteja bem tranquilo quando você está aqui.

— Oh — eu sinto meu coração derreter. Eu nunca ouvi alguém dizer isso, ouvir que eu faço a diferença na vida de Yoongi me deixa completamente tímido e feliz. — Obrigado.

— Não me agradeça, Jungkook — Hoseok apoiou a mão em meu ombro com um sorriso reconfortante nos lábios. — Eu que agradeço por deixar o nosso Yoongi feliz. Somos amigos de longa data também, vê-lo assim, tão feliz, de bom humor e tão aberto, me deixa muito feliz.

— Eu não sei o que dizer… — Eu falei em um tom baixo. E realmente, eu não sabia nem como reagir e nem como dizer sobre isso. Eu só sinto feliz pelas palavras dele, como se eu estivesse fazendo a coisa certa.

— Obrigado por estar cuidando dele — ele deu duas batidinhas no meu ombro com um sorriso gentil no rosto. E óbvio, eu assenti. Porque por mim, eu sempre estarei dando o meu melhor para fazer Yoongi feliz.

— E não vou parar — eu afirmei.

— É assim que se fala! — Hoseok alegrou-se. — Mão na massa, Jungkook!

Eu darei o meu melhor, mesmo que Taehyung venha aqui e tente me incomodar, não será ele que vai me impedir de cuidar de Yoongi. Porque afinal… Eu o amo demais para deixá-lo só por causa dos meus caprichos, não preciso temer, não é? Posso ter medo, mas acho que posso arriscar.

Tudo para vê-lo feliz.

🍁

Eu mal notei quando anoiteceu. Estávamos o tempo todo fazendo algo na cozinha para o nosso grande banquete, tanto que quando fomos tirar um descanso, tiramos na piscina, nadando e nos refrescando e até mesmo brincando na água como crianças.

Momentos de paz que mereciam durar para sempre.

Quando notamos a noite, começamos a nos preparar para fazer o banquete. Hoseok ficou na churrasqueira, enquanto Wheein e Yoongi estavam fazendo a comida. Kihyun, Moon e eu ficamos responsáveis em arrumar o quintal para que pudéssemos comer sob as estrelas. De repente eu não conseguia parar de sorrir, porque estar sob as estrelas é umas das minhas experiências favoritas, apesar de nostálgica.

— O que foi, Jungkook? Parece todo sorridente — indagou Moon para mim, curiosa.

— Comer sob as estrelas é um pouco nostálgico para mim — eu respondi, inquieto. 

— Nostálgico? Isso tem a ver com a sua família? — Perguntou-me Kihyun, me observando com curiosidade também.

— Não — mordi o lábio para conter o sorriso, mas mesmo assim não consegui. — Tem a ver com o Yoongi-hyung.

Kihyun e Moon trocaram olhares, ambos sorriram e se aproximaram, rasteiros, com uma curiosidade gritante em suas auras. Eu ri, achando graça da ação deles.

— Nos conte! — Disseram em uníssono, inquietos e curiosos.

— Ah, bem… Digamos que foi a primeira vez que nós saímos juntos — comecei a contar, lembrando dos detalhes. — Ele me convidou para andar por aí, para que nós pudéssemos nos conhecer melhor. E então, desde aquele dia, nós alimentamos essa relação especial. Ele nos levou para um gramado bem verde, afastado da cidade, o que dava claramente para ver as estrelas — detalhei, sorrindo pela lembrança.

Parece loucura. Yoongi se tornou alguém tão querido, que eu realmente me sinto um idiota por ter ficado tão hesitante em querer conhecê-lo, porque meu medo era dele ser um delinquente e não do que ele poderia ou não deixar de fazer. O delinquente para mim, era o suficiente para que eu o estranhasse. Mesmo ele sendo delinquente, mesmo que ele não me conhecesse, Yoongi era ótimo em ficar fazendo aqueles flertes baratos e ainda assim, ele quis se tornar um amigo de alguém como eu.

Nós éramos tão estranhos. É tão estranho ver que um garoto como eu, queria conhecer conhecer um garoto como ele. É tão estranho lembrar que isso relativamente era um estranho bom!

— Vocês parecem ter uma longa história — Moon comentou, suspirando, sonhadora. — Yoongi nunca foi de contar sobre relacionamento amorosos, ele só apenas contava que estava com você. Nunca deu detalhes minuciosos.

— Não foram tão detalhados assim…

— Mas foi o suficiente — Kihyun disse. — Pelo menos para mim. E pelo visto, não é só isso, parece ter mais.

E eu assenti, é claro. Além do primeiro “encontro”, também tem o segundo foi na sua casa, quando foi que eu notei que estava tendo sentimentos por ele; e a terceira vez, da qual foi o nosso primeiro beijo. A pura nostalgia me conduzia, até então… Parecia que havia se passado anos, mas na verdade, era apenas alguns meses atrás.

— É, deve ter bem mais — riu Moon, brincalhona e eu também ri, envergonhado, pois eles não sabiam nem da metade.

— Do que estão falando? — Perguntou uma voz, olhamos para trás para saber quem estava perguntando, e bem, era Yoongi. — Espero que não seja sobre mim.

— Hm… Era sobre você — confirmei e ele arqueou a sobrancelha. Eu sei que está curioso. — Mas eu não vou te contar sobre o que era.

Yoongi então, vendo que eu não cederia tão fácil, ele olhou para Moon e para Kihyun, ambos voltaram a terminar de arrumar as coisas, fingindo que nem estavam lá.

— Ok… Daqui a pouco estará tudo pronto — ele informou. — Acho que o Hoseok deve ter terminado. 

— E eu terminei! — Anunciou ele, mal havíamos notado a sua presença. — Tragam a comida que nós vamos começar.

A mesa estava recheada de pratos lindos, bem feitos e apesar de cheirosos, pareciam saborosos. Wheein e Yoongi pareciam satisfeitos com suas obras de arte, enquanto Hoseok pareciam ainda mais satisfeito pelas carnes grelhadas por ele. Até então, nós agradecemos o nosso banquete e começamos a comer.

Enquanto estávamos comendo, também conversávamos, não demorou muito para que eu cedesse pela minha curiosidade.

— Quando vocês se conheceram? — Eu perguntei e Moon riu.

— Eu e o hyung nos conhecemos quando nós brigamos — respondeu Hoseok, para a minha surpresa. — Pensa em uma briga feia! Foi exatamente essa. Tanto que nós paramos no hospital por isso.

Caramba…

— Por que vocês brigaram?

— Porque ele falou que o meu café estava horrível! — Apontou Hoseok para Yoongi, que riu, sem ao menos demonstrar vergonha disso. — E eu tinha acabado de abrir a minha cafeteria! Ele nunca foi o tipo sensível.

— E estava mesmo — ele afirmou com convicção. Hyung não tem um pingo de consideração…

Notei que Hoseok ainda se sentia atingido por isso, mas ele acabou por sorrir, tranquilo.

— Mas, se não fosse por isso, talvez eu nunca tenha chegado até aqui e tenha feito uma família tão bonita como essa — observei todos os presentes na mesa e eles também compartilhavam do mesmo sorriso genuíno que Hoseok ao falar sobre a família que eram. — Apesar dele ter sido consideravelmente insensível.

Yoongi revirou os olhos e comeu um pedaço de carne, ignorando as palavras dele.

— E você, Kihyun?

— Digamos que eu fui encontrado — respondeu dando de ombros. — Eu tinha acabado de roubar alguns livros que haviam acabado de chegar na biblioteca. Eram livros de programação — explicou atentamente. — E o Yoongi me ajudou, mesmo sabendo que era um roubo?

Olhei para ele e o hyung apenas me olhou com as bochechas cheiinhas pela comida. O olhei como se quisesse uma resposta para essa ação tão inusitada do seu passado, mas ele não parecia se importar em ter ajudado um pequeno ladrãozinho.

— Ilegais…! — Murmurou Wheein. — Yoongi conseguiu ajudar eu e a Moon-unnie a comprar a boate.

Fiquei surpreso.

— Estava faltando uma quantia considerável para comprar a boate — Moon tornou a explicar. — E na verdade, não acreditam muito que eu e Wheein tomamos conta de um lugar assim — ela deu de ombros. — Sabe, o mundo machista e por aí vai. Por isso, não pareciam convictos de venderem para nós, quando Yoongi decidiu ajudar, foi uma ajuda e tanto. Desde então, estamos com a boate.

— Vocês têm uma história bem inusitada — eu comentei.

Hoseok riu.

— Não é? A única que vale a pena é o das meninas.

— Acho que todos valem a pena — opinou Yoongi, mastigando. — Mas sim, da Moon e da Wheein é o único que não chega a ser estranho.

— O modo como se conheceram foi estranho? — Perguntou Wheein, nos observando com seus olhos curiosos.

Eu ri.

— Foi bem estranho — foi difícil não concordar. — Ele entrou no petshop em que trabalho, e bem de repente, desmaiou. Yoongi tinha machucados no rosto, eu fui tratá-los, apesar de eu estar acostumado em mexer com pets...

Todos soltaram um som de de surpresa, com exceção de Yoongi.

— Ele se meteu em uma briga, não é? — Adivinhou Hoseok. — Não imagino outra coisa. Ele levou muita sermão naquele dia.

— Ah, nem me lembre disso — resmungou Yoongi, enquanto comia, distraidamente. — O melhor daquele dia só foi ter sido cuidado por um garoto bonito.

Senti minhas bochechas queimarem.

— E você invadiu o meu quarto! — Apontei, envergonhado.

— Se não fosse por isso, nós jamais estaríamos juntos — ele afirmou.

— Oh! Então… Vocês realmente assumem que estão juntos — Kihyun comenta de repente. — Por que não namoram logo?

Deveria ser uma boa questão, porém, para mim, não seria problema nenhum. Mas acho que isso causa certo estranhamento em Yoongi, porque ele nunca namorou um homem, então… Eu jamais o forçaria a nada e muito menos forçaria em dar um nome ao nosso relacionamento. E também, eu não tenho pressa.

— Eu não tenho pressa — respondi, leviano. — Desde que eu esteja com hyung, falando que somos namorados ou não… Eu não me importo — levantei meus olhos para pousarem sobre o seu rosto, que me observavam com surpresa. — Estar com ele, para mim já é o suficiente.

Yoongi sorriu tão carinhosamente que eu tive vontade de beijá-lo com muita força que havia no meu âmago. Mas, eu só pude retribuir o seu sorriso carinhoso, eu sabia que era tão recíproco quanto.

— É melhor que cuide do Yoongi mesmo — disse uma voz de repente, surgindo atrás de nossas costas.

Quando me virei, eu não fiquei surpreso. Na verdade, eu já esperava que ele fosse aparecer a qualquer momento.

— E eu vou — eu disse, convicto.

— Porque o Yoongi, é como se fosse meu irmão mais velho — ele afirmou. — Espero que cuide mesmo dele, ou senão eu acabo com você.

Com palavras ásperas, mãos dentro dos bolsos, roupas confortáveis e estilizadas, o olhar incisivo, não havia outra pessoa que me deixava tão desconfortável quanto ele.

Quem chegou para comemorar era nada menos que Kim Taehyung, o homem do qual eu estive temendo por todo esse tempo.

Ótimo.


Notas Finais


e vamos de treta?

KHSKWHSIHWIWJ

vou trazer a outra att daqui a pouco, sem demoras, beijinhos ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...