1. Spirit Fanfics >
  2. Anomalous >
  3. Twenty-six - enquired.

História Anomalous - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


aqui está, boa leitura ❤️

Capítulo 26 - Twenty-six - enquired.


Indagado.

🍁

Eu não preciso da sua proteção, Taehyung, deixe de ser assim — Yoongi interviu de uma vez. — E é claro que Jeongguk vai cuidar de mim, acho que ninguém duvida disso.

Ele dissera isso enquanto enchia a boca de arroz, os olhos escuros de Taehyung fixaram-se em mim. Me senti um pouco nervoso pelo seu olhar hostil, eles não representavam nenhum sinal de gentileza para comigo. Ou seja, aos olhos de Taehyung, eu jamais seria bem-vindo. 

— E eu não sou criança — ele deixou claro. — Certo? Não era dessa maneira que eu queria apresentá-los.

— Não se preocupe em nos apresentar, hyung — Taehyung respondeu, não parecia estar preocupado com isso. — Jiminie já fizera isso.

Todos pareciam paralisados, não moviam as mãos, apenas os olhos percorriam por mim, Taehyung e Yoongi, que continuava comendo. Yoongi pareciam bem tranquilo comparado a todos nós. Talvez porque ele soubesse como Taehyung seria e decidiu agir por todos nós? Será? Será porque ele é um de seus melhores amigos?

— Ah, então Jimin os apresentou — comentou ele, em um tom quase decepcionado. — Acho que tudo bem.

Novamente um silêncio. Só fora quebrado quando alguém pigarreou na mesa.

— Err… — tentou Wheein. — Acho que você… Pode se servir.

Taehyung suspirou, balançando a cabeça em seguida em negação.

— Não, obrigado, eu já comi. Comi quando eu estava na estrada. Vou tomar um banho, estou cansado — respondeu se afastando da mesa, em passos rápidos, sem muita paciência.

— Ah, espere! Eu preciso falar com você — Yoongi se levantou e o seguiu adentro da casa, deixando o próprio prato sobre a mesa e nos deixando ali, perplexos.

Moon foi a primeira a suspirar. Eles pareciam mais tensos do que eu, aparentemente.

— O… o que aconteceu? — Perguntei, notando o nervosismo de todos na mesa.

— Taehyung parecia bem irritado — comentou Wheein de repente, atraindo os olhares a si mesma. — Ele nunca foi uma pessoa rude, não sei bem o que aconteceu.

— Bom — Moon iniciou, pegando alguns pedaços de carne e pondo no próprio prato. — Taehyung tem uma aura bastante protetora quando o assunto é o Yoongi.

— Vocês ainda acreditam nisso? — Indagou Hoseok, como se fosse uma pergunta retórica, enquanto brincava com o copo de vidro, não parecia muito confortável com o assunto 

— Não é questão de acreditar — disse Kihyun com uma expressão séria. — É um fato, não é como se ninguém soubesse.

De repente, eu me senti confuso e tão aéreo sobre o assunto. Fato sobre o quê exatamente? A que ponto essa conversa chegaria? Por isso, eu tive que perguntar:

— Um fato… sobre o que exatamente?

— Não sei se deveríamos dizer isso… — murmurou Wheein, mordiscando o próprio lábio inferior, hesitante nas suas palavras.

— Taehyung, além de ter se tornado um dos primeiros amigos de Yoongi — Kihyun começou a contar, parecendo não querer esconder nada. — Foi aquele que sempre o protegeu em qualquer sentido.

— Mas, nós sabemos o porquê, embora ele nunca tenha admitido isso — Moon complementou.

Minhas mãos ficaram geladas por um momento.

— Yoongi foi o primeiro amor de Taehyung — concluiu Wheein, abaixando o olhar.

O quê?

Primeiro amor?

Então, quer dizer que tudo que Taehyung me disse sobre me afastar de Yoongi, é porque ele não queria me ver com o hyung? 

Tudo um ato de ciúmes?

Não haveria porquê… Ele já estava com Jimin quando me ameaçou, não haveria porquê ele ter ciúmes de Yoongi quando já estava com outra pessoa.

Hoseok suspirou, interrompendo os meus pensamentos.

— Não deveríamos estar falando isso, quando não passa apenas de uma suposição — ele comentou, parecia insatisfeito com isso. De repente, queria que fosse uma mentira, e que não passasse apenas de uma suposição. — Se nem Yoongi sabe, quem dirá a gente.

— Isso não é uma suposição, Hoseok-oppa — Wheein contestou. — É verdade. Na época que eu gostava do Taehyung, eu saberia que nunca teria chance, porque dava para perceber o imenso carinho que Taehyung tem pelo Yoongi. Por isso, nem insisti. Não havia como competir.

— Espera, você gostava de Taehyung? — Perguntou Kihyun a Wheein, que estava tão envergonhada que dava para notar suas bochechas rosadas.

— Bom, gostava — ela replicou, dando de ombros, sem dar muito detalhe.

Moon riu.

— Parece que temos um ciumento aqui — Moon comentou com um sorriso de lado, observando Kihyun de esguelha. — Olha, Jungkook, sinto muito por termos dito essas coisas, não queremos estragar o relacionamento de vocês — ela disse ao me olhar com carinho. — Jamais faríamos isso. Só… sinto que com Taehyung, talvez ele fique um pouco insuportável.

Suspirei e balancei a cabeça. De qualquer forma, alguma hora eu teria que descobrir, certo? Eu não poderia pedir por mais.

— Tudo bem. Eu não estou chateado.

Eles suspiraram, aliviados, eu presumo.

Mas, é verdade. Eu não estou chateado. Eu não deveria estar chateado por ver que alguém gostara de Yoongi, não julgo, não haveria como não se apaixonar por ele. Porém, isso também não é justificativa para ficar se incomodando comigo ou ficar questionando dos sentimentos de Yoongi para comigo. É isso que me deixa chateado. 

— Dizemos que também, foi uma novidade Yoongi ter alguém — Hoseok comentou aliviando a tensão com o seu sorriso brilhante. — Foi o que eu te disse, ele nunca foi de falar sobre relacionamentos. Mas, com você, foi diferente.

— Sim! — Concordou Wheein, alegremente. — Yoongi parecia tão contente comentando que havia conhecido um garoto. Eu só não sabia que isso se transformaria em uma paixão.

— E foi a primeira vez que ele apresentou alguém como seu parceiro — explicou Kihyun. — Ele não se envolvia com ninguém, ninguém parecia ser o certo para ele.

Oh… Eu me sinto… Radiante em ouvir tudo isso.

— Acredite, Jungkook — disse-me Moon. — O amor que Yoongi sente por você não deve ser duvidado. Ele é um cara sentimental, apesar de não parecer.

Acabei sorrindo, mais aliviado. Em nenhum momento, eu nunca duvidei dos sentimentos que Yoongi sente por mim.

Eu jamais faria algo assim.

🍁

Yoongi estendeu uma cerveja para mim.

— Bebe comigo, por favor? — ele pediu.

Nós estávamos no quarto e todos já haviam ido deitar. Taehyung concordou em dividir o quarto com Hoseok, dizendo que dormir em um colchão no chão, já era o suficiente, comentou que dormir no sofá da sala era bastante desconfortável às suas costas. Ninguém discordou, Hoseok logo levou a mala dele para o andar de cima. Então demorou muito para que todos fossem deitar, exaustos.

Mas, eu não consegui recusar seu pedido, e nós nos sentamos sobre a cama de casal, segurando uma latinha de cerveja na mão, enquanto sorríamos para o outro.

Porém, a expressão de Yoongi se tornou séria, tanto que ele abaixou a cabeça, pensativo.

— Eu queria dizer isso agora, já que na hora não tive como fazer isso — seu tom parecia levemente envergonhado. — Eu deveria ter pedido desculpas pelo comportamento do Taehyung com você. Ele não deveria ter agido assim em nenhum momento.

Inconscientemente apertei meus dedos contra o metal da lata.

— Tá tudo bem, hyung… — Murmurei.

— Não está tudo bem — ele contradisse. — Não gosto dessa sensação estranha que envolve vocês dois. Além dos mais, Taehyung namora seu melhor amigo e você está com o melhor amigo dele, que no caso sou eu. Ver as pessoas com quem eu mais me importo… Me deixa triste.

Yoongi é um cara sentimental, apesar de não parecer”

Comprimi os lábios.

— Eu acho que você não tem culpa disso e ele não tem culpa em ter desconfiança sobre mim, já que ele não me conhece.

— A partir do momento que começamos a ficar juntos, Jeongguk — Yoongi disse em tom sério. — Você é alguém importante e especial para mim. Então, ele não deveria ter motivos para desconfiar de você.

Mas ele tem, é essa a questão. Mesmo que seja algo escondido que eu tenha feito para ajudá-lo, Taehyung ainda sabe do que eu fiz. E por alguma razão, ele ainda não fizera nada sobre isso e eu me pergunto o porquê. Ou talvez seja por aquela razão: comentando algo disso para Yoongi, provável que ele se zangue por notar que Taehyung andara me perseguindo sem sua permissão. Ainda assim, não passam de suposições.

— Hyung, está tudo bem — eu tentei amenizar. Não tinha porque conversamos sobre isso, apesar de serem amigos, pela proteção que um tem para com o outro, não havia motivos. Eu também não queria ser um motivo para a amizade deles acabarem, de jeito nenhum, eu não sou assim.

— Tem certeza, meu anjo?

Concordei com a cabeça. De verdade, para mim, estava tudo ótimo.

— Tenho sim.

Yoongi sorriu e até mesmo levou a própria mão para o próprio rosto, suspirando.

— Ah, eu me preocupo tanto…

— Hyung, você sabe, nós não somos crianças… É compreensível — dei de ombros. — É natural que você se preocupe também. Está tudo bem.

Na verdade, é admirável. Eu admiro a forma como Yoongi se preocupa com todos a sua volta, as pessoas das quais ele considera importantes. E gosto quando ele está mais sensível próximo de mim, coisas que raramente vejo quando está com os outros, é como… Yoongi soubesse que quando está comigo, não precisasse colocar a máscara de durão e irônico.

— Ah… Mudando de assunto, eu amei a comida que você e a Wheein fizeram — fiquei brincando com a latinha metálica por um tempo. — Você cozinha bem, hyung!

Ele sorriu, envergonhado pelo elogio.

— Eu fico feliz que tenha gostado.

— Não tinha como não gostar — eu lhe disse, com convicção. — Você vai fazer o meu café da manhã amanhã?

Então, com veemência, ele concordou.

— Com você me pedindo, é claro que eu não deixaria de fazer. Tudo pelo meu- Ah, além disso…

O olhei, confuso, de sobrancelhas arqueadas. Por que ele mudou suas palavras tão de repente?

— Você… acha que deveríamos oficializar as coisas? — perguntou baixinho, quase que não o ouvi.

Oh.

De repente senti meu coração bater alto, eu tive até o pressentimento de que talvez Yoongi tivesse ouvido. Minhas mãos estavam tão nervosas que apertei a lata com muito mais força que o normal.

— Oficializar? — Eu perguntei, retórico, mas ainda assim, surpreso. Então, quer dizer, que Yoongi não esteja satisfeito com nossa relação, mesmo não sendo uma oficial? — P-por que isso?

— Bem — ele pegou a lata da minha mão, talvez notando que eu estava a apertando, e deixara ao lado da cama, sem risco de cair. — Porque tem vezes que o fato disso não ter nome, fica meio ruim quando é para dar explicação, mesmo que eu não me importe sobre isso — calmamente, ele se aproximou de mim e ficou entre os meus joelhos flexionados. — Você entende o que eu quero dizer?

— Um pouco — eu respondi, confuso e hesitante. — Quero dizer, meio que todos sabem que agimos como namorados…

— Só não nos consideramos.

— Sim.

Yoongi passou seus braços para cada lado do meu corpo, apoiando as mãos próximas do meu quadril sobre o colchão macio. O rosto dele ficou tão próximo do meu, que eu mal tive como reagir a ação, apesar de estar acostumado com a sua proximidade.

— Mas é mentira — Yoongi contradisse, como se fosse um sussurro. — Porque… eu o considero como meu namorado.

— Hyung… — eu sussurrei, o observando com toda atenção. Normalmente, era normal que fosse eu estar tão envergonhado neste momento, mas agora, Yoongi estava mais envergonhado do que eu, porém firme nas suas ações como sempre foi.

— Você aceita? Aceita namorar comigo? 

Minha primeira reação foi sorrir e assentir com a cabeça, não demorei para passar meus braços por seus ombros.

— É claro que eu aceito, hyung.

Yoongi aproximou nossos lábios e selou vagarosamente, dando selares ainda mais lentos e demorados.

Mal notei quando infiltrei meus dedos em seu cabelo, quando nossos lábios não queriam se desgrudar, ou quando sua mão segurava minha panturrilha com cuidado. O sangue quente já estava no meu rosto e borbulhando por todo o meu corpo, agitado, querendo muito mais do que aqueles beijos, fazendo com que tudo fosse tão insuficiente.

Eu nunca me senti tão animado. Meu corpo estava em chamas. Apertar meus dedos contra a sua blusa não era suficiente, por mais que estivesse quente, não era o bastante. 

Será que foi a bebida? Será que foi a oficialização?

Talvez seja a emoção e o amor se juntando em um só beijo. Talvez fosse a vontade de amá-lo mais do que eu posso, muito mais do que ações ou por palavras. Mas tudo foi parado contra a minha vontade quando Yoongi partiu nossos lábios ao mordiscar o meu lábio inferior para respirar. 

— Você está vermelho — ele observou, com uma rouquidão anormal, com seus olhos escuros indecifráveis, radiantes. 

Eu estava ofegante, embora não quisesse estar. Mas, ah, fazia tempo desde então que havia sido beijado com tanta intensidade, era como se meu corpo também tivesse acordado com isso. Céus, Yoongi me fazendo agir desse jeito...

— Não comente isso — eu soltei, respirando fundo, e apertando meus dedos sob o seu cabelo, irritado. — Yoongi…

Odeio como ele consegue me observar tão bem e me deixar envergonhado apenas com algumas palavras. Ele dizendo desse jeito… me deixa morrendo de vergonha.

— Você está animado, não está? — perguntou, sorrateiro, beijando o canto dos meus lábios e logo embaixo do meu lábio inferior. — Eu te deixei animado demais… — Constatou, beijando-me pelo queixo e beijando o meu maxilar com leveza.

Não consegui dizer. Eu sinto como se ele soubesse realmente o que eu estava sentindo.

Yoongi riu tão fraquinho. E eu odeio ver os olhos dele me analisarem tão bem, serem tão incisivos quando podem, me deixando completamente à mercê das suas vontades.

— Você está com vergonha — e então, suspirou contra a minha pele que parecia estar tão febril pelo contato.

— Hyung... — eu o repreendi. Céus, por que eu estou tão sensível? Por que de repente, eu parecia estar me sentindo uma presa sob suas mãos quentes e grandes?

— Me desculpe, me desculpe — voltou a beijar o meu rosto e deixar selares rapidinhos sobre os meus lábios. Então, abraçando seu pescoço, Yoongi encostou sua bochecha na minha e seu corpo ficou sobre o meu. — Eu não deveria ter te animado.

— Hyung! 

Ele riu.

— Eu juro que parei — disse esfregando seu rosto na minha bochecha e depois levantou o rosto. — Tá tudo bem?

Suspirei, revirando os olhos e logo retornei a olhá-lo, concordando logo com a cabeça.

Então eu notei. Não era apenas eu que estava vermelho, mas no caso de Yoongi, ele ficaria vermelho mesmo por causa de muito esforço e por causa do calor, e não por vergonha. Mas ainda assim, observando-o com atenção, eu gostei da sensação.

Meu namorado.

Min Yoongi é meu namorado.

Céus, meu namorado é delinquente.

— Hm, sabe — eu comecei, logo após dele deitar o rosto contra o meu novamente. — Hoje eu estava falando com eles e lembrei dos dias que estávamos nos conhecendo.

— Espera, “eles”? Contou a eles como nos conhecemos? — Ele perguntou com as sobrancelhas franzidas. — Por isso que naquela hora…?

— Sim — eu concordei sorrindo. — É isso mesmo.

Yoongi suspirou, era um tipo de suspiro cansado.

— Não dê material romântico a eles — não demorou muito para retrucasse e eu ri. — É sério, argh. Eu não deveria ter te dado cerveja.

— Fique tranquilo. Eu estou sóbrio o suficiente — acariciei seus fios com cuidado. — Você está falando como se eu tivesse falado algo impróprio, como se eu estivesse falando sobre sexo ou algo assim. Eu não sou assim, hyung.

— Eu sei que não — ele bufou. — Eu só não gosto que saibam demais.

— Não se preocupe. Eu só disse poucas coisas, nem os relatei sobre o nosso primeiro beijo — murmurei, despreocupado. E então, percebi o que eu havia dito. — O nosso primeiro beijo…

— Sabe o que foi incrível sobre aquele dia, Jeongguk? — Yoongi perguntou, levantando a cabeça, e me observando. Balancei a cabeça, confuso, claro.

— O quê?

— Quando eu te beijei, a primeira coisa que eu quis depois de fazer isso, foi beijá-lo outra vez.

Eu acabei sorrindo, mesmo que envergonhado. Eu não consigo ter uma reação normal a não ser vergonha.

— Bom, já que nós somos namorados — eu desviei o olhar. — Você pode me beijar qualquer hora que quiser. Mesmo que quando não estávamos namorando… Nós nos beijávamos de qualquer forma.

Yoongi devolveu um sorriso.

— Sabe, eu estou gostando desse novo conceito de namorados.

É… eu também.

E é como se um peso tivesse sido desfeito entre nós dois. Apesar de não parecer, acho que Yoongi sempre se preocupou com o que eu achava sobre o nosso relacionamento, por isso, ele teve de dar esse passo para que pudéssemos nos resolver de uma vez. Temos a intimidade o suficiente, mas agora estamos assumindo uma responsabilidade maior.

Suspirei enquanto enroscava meus dedos no seu cabelo. Eu estou aliviado e feliz por isso. Gosto de como ele está confortável o suficiente deitado sobre mim, de como seu peito sobe e desce pela sua respiração controlado, do cheiro de sabonete que se impregna nas minhas roupas… Não há nada que eu não goste nele.

Porque eu o amo. Eu sei disso.

— Quero pintar o meu cabelo — Yoongi divagou. — Eu não aguento mais essa cor e eu não estou conseguindo cuidar adequadamente dele. O que você acha?

Dei de ombros.

— Você ficará bonito com qualquer cor, hyung.

— É um erro perguntar para você — ele resmungou. Achei graça nisso.

— Você é engraçado. Você pede uma opinião e eu te respondo, depois reclama que é um erro.

— Mas veja só, sua resposta é muito vaga para mim.

Revirei os olhos. 

— Hyung, você pode ficar careca que eu vou continuar ama- q-que eu vou continuar achando lindo!

— Espera, quê?

Meu Deus. Meu Deus.

— É isso mesmo que você ouviu.

Yoongi arqueou a sobrancelha.

— Você acha mesmo que eu vou ficar bonito careca?

Puxei seu rosto para o meu, plantando um beijo sobre os seus lábios com um sorriso bobo.

— É claro que ficaria.

Ao menos… Ele não percebeu. Ainda bem.

🍁

Yoongi acabou adormecendo depois de muito tempo quando deitamos próximos um do outro. Eu não tinha tanta noção assim que Yoongi ficasse mais confortável comigo nesse nível, dormir sem qualquer preocupação.

Eu decidi descer para jogar a cerveja fora, nós nem terminamos, mas pelo menos não seria esquecida no quarto. Fui até a cozinha para me desfazer da bebida, achando que não teria ninguém lá, me deparo com uma pessoa pensando ali enquanto segurava um copo d’água.

— Hm, oi — eu disse, um pouco sem graça. 

— Que maravilha — ele disse em tom debochado. — Bebendo a essa hora da noite?

— Por favor, poupe dos seus comentários — eu respondi logo que eu ia em direção a pia para jogar a bebida fora.

Ele deu de ombros.

— Parece que decidiu ficar mais afiado...

Suspirei. Ok, eu preciso resolver isso uma vez por todas. Girei os calcanhares após deixar as duas latas de lado, e olhei fixamente para o seu rosto sério.

— Taehyung, o que você quer? Já não basta tem que ser irônico, me incomodar quando teve oportunidade, quando na verdade eu sequer estou mexendo com você — lubrifiquei os lábios e tomei a dizer. — Yoongi, na verdade, está preocupado com esse clima chato que fica entre nós.

— Você sabe que isso é tudo culpa sua, não é? Se não fosse bisbilhoteiro… — Arqueou apenas uma de suas sobrancelhas, a fim de me afetar.

— Essa não é questão. Eu estou falando sobre Yoongi.

De repente, Taehyung ficou em silêncio. Como se a palavra Yoongi fosse uma palavra muito forte para si. E isso me fizera lembrar sobre a conversa que tive com os outros no jantar, fazia sentido ver que ele realmente se preocupa com Yoongi. 

— Você poderia esquecer isso enquanto estivermos aqui? Eu sei que você se importa com Yoongi-hyung, e é por ele que eu peço uma trégua. E não, eu não estou com medo do que você pode ou não fazer, eu não tenho medo de você — esclareci com toda firmeza existente no meu âmago. — Eu só quero ver o Yoongi bem.

Taehyung não moveu um músculo assim que eu terminei. Eu sei que ele não discordaria, apesar de que, Yoongi é seu melhor amigo e assim como eu, acredito que ele também não quer ver Yoongi preocupado.

Ele suspirou.

— Okay. Mas só por ele, eu estarei fazendo isso.

— Tudo bem, obrigado — eu dei um sorriso fraco e então, o ouvi murmurar assim que eu me afastava da cozinha em direção às escadas.

— Mas também faço, porque sei que você faria o mesmo pelo Jimin.

Era tudo que eu estava precisando ouvir.

Já é o suficiente.


Notas Finais


KSJJAHSKSJSSHSJS eu gosto desse capítulo por motivo de: sim, gosto como eles se oficializaram do jeito deles apesar de ter um pouco de pressão sobre as palavras do guinho, sabe? mas ele ainda fez isso porque ele realmente queria ter algo com o jeongguk, não é só um rolo, um algo sem nome, ele queria ter jeongguk como seu. acho que foi importante para ele também, o jeongguk é alguém que tá fazendo diferença na vida do yoongi, então é bom para eles :(( quero saber a opinião de vcs, óbvio! e vcs, o que acharam de tudo isso?

momentos fofinhos que vai ter mais alguns de seus focos, mas terá seus problemas à tona novamente. então, apreciem bastante ❤️

muito obrigada pelo carinho e pelos favoritos na história, muito muito mesmo! ❤️

tenha uma boa noite, uma boa semana e também se cuidem nessa quarentena!!!!

beijão ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...