História Anônimo - Até onde você iria para guardar seu segredo? - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 50 Tons De Cinza, Colegial, Romance
Visualizações 18
Palavras 3.433
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi BBs... Tá tarde mas ainda não dormi, então não atrasou rsrs. Espero que gostem... Boa leitura 😘

Capítulo 32 - Finalmente em casa


Fanfic / Fanfiction Anônimo - Até onde você iria para guardar seu segredo? - Capítulo 32 - Finalmente em casa

👉 João 👈

João permaneceu um tempo observando Jonathan caminhar indo embora, parecia que ele ia passar na barraca de Mariana, mas João não esperou para ver e voltou para dentro da barraca frustrado e com os punhos cerrados.

- O que aconteceu? - perguntou a garota sentada na beirada da cama já vestida.

- Ele quase me bateu. - bufou João. - Não tem como competir, não somos amigos de verdade e a Mary é a melhor amiga dele, claro que ele vai ficar do lado dela. - suspirou.

- Mas iaí? - peguntou ela preocupada. - Ele vai contar pra ela?

- AINDA não Sam. - respondeu João frisando bem a palavra e sentou ao lado dela bufando. - Mas disse que eu tenho até sexta para contar, ou simplesmente terminar com ela. Se não ele conta.

- Entendi. - suspirou Samantha. - Mas a Mary é uma tonta, é capaz de acreditar em você, se você for convincente, claro.

- Ela não vai acreditar, porque ele tirou uma foto nossa no dia do baile a fantasia. - rangeu os dentes em resposta. - Não tem como eu dizer a ela que você me agarrou e ela ainda sim acreditar. - suspirou olhando para ela. - Ela pode ser tonta, mas com certeza não é sega.

- Tem razão. - suspirou ela. - E o que vai fazer?

- Eu vou terminar com ela. - respondeu ele. - Não tem porque te envolver nisso. - completou vendo o olhar aliviado. - Mas não antes de conseguir o que eu quero.

- E como pretende fazer isso? - perguntou Samantha.

- Não quero falar disso agora. Vem cá. - respondeu João puxando Samantha para deitar com ele.

Se na noite anterior foi só sexo, quem visse eles dois hoje diria que foi só uma rapidinha. Ambos estavam tensos e quase não aproveitaram o momento. Depois cada um virou para o seu lado e dormiram, ou pelo menos a Samantha dormiu, porque João ainda pensava...

💭 - Você vai ser minha antes disso acabar Mariana.

👉 Roberta 👈

Roberta escuta seu celular fazer barulho, anunciando uma nova mensagem, ela abre os olhos de vagar para que eles se acostumem com a claridade que invade a barraca e pega o celular que estava a seu lado.

- Nossa. - disse Eduardo a assustando. - Você já acorda com isso na mão? - perguntou fazendo careta. - Estar comigo é tão ruim assim?

- Claro que não seu tonto. - respondeu ela batendo nele. - Bom dia pra você também, já acorda de mau humor? - completou dando um selinho nele.

- Claro, tem alguém que já está acordado te tirando de mim, quem é? - perguntou fazendo drama.

- Aff Dudu, eu tinha esquecido o quanto você é dramático. - suspirou ela sorrindo quando ele a puxou para um abraço e lhe mordeu a orelha.

- Você não briga comigo. - respondeu ele ainda com os dentes na orelha dela. - Eu esperei muito tempo pra ter você de volta em meus braços e não pretendo te dividir com ninguém.

- Tá bom, vai. - suspirou ela. - Mas você vai gostar do que estou lendo aqui. - disse ela mostrando o aparelho para ele.

- É mesmo? - perguntou ele incrédulo apoiando o cotovelo na cama para olhar para ela que estava com a cabeça apoiada no travesseiro.

- Sim, a Sam acabou de me mandar uma mensagem.

- Idaí? O que ela quer Beta? - perguntou Eduardo. - Você sabe que eu não gosto dessa garota.

- Daí que ela quer trocar comigo Dudu.

- Como assim?

- Ela não quer voltar pra casa com o Dom e me pediu pra trocar de carona com ela. - explicou Roberta. - Logo...

- Logo você vai embora juntinho comigo? - diz Eduardo completando a frase dela em tom de pergunta.

- Exatamente. - disse dando um beijo na ponta do nariz dele e se levantando. - Vou falar com o Dom

- Porque? - perguntou Eduardo. - Ele não vai se importar.

- Eu não quero ficar no meio dessa treta da Samantha. - respondeu ela. - Acho melhor falar com ele.

- Você que sabe. - respondeu Eduardo também se levantando. - Ele está na minha barraca, disse que não queria dormir com ela essa noite. Mas melhor irmos para a praia, que é provavelmente o primeiro lugar que ele vai quando acordar.

- Como sabe? - perguntou Roberta curiosa.

- Eu prometi lhe pagar o café da manhã. - respondeu Eduardo erguendo os ombros. - E se conheço bem meu amigo, ele acorda com a fome de cinco mendigos. - completou rindo.

Roberta também riu da piadinha, ambos se trocaram e saíram juntos da barraca. Eduardo parou na frente dela e a olhou nos olhos.

- Aquele papo de ontem era verdade ou eu sonhei com tudo aquilo? - perguntou ele bem sério.

- Do que você está falando? - perguntou Roberta fazendo cara de louca. - Nós não conversamos ontem. - completou quase conseguindo segurar o riso. - Ahaha, você devia ter visto a sua cara. - disse ela se curvando com a mão na barriga de tanto rir.

- Não achei graça nenhuma sua espertinha. - rebateu Eduardo a abraçando pela cintura e a tirando do chão.

- Mas eu sim. - respondeu ela feliz envolvendo seu pescoço com os dois braços. - Você não sonhou não, meu amor. - respondeu ela ainda com o rosto alegre. - Eu realmente senti sua falta e quero tentar de novo, mas... não pretendo ir na sua casa tão cedo.

- Por mim tá ótimo. - respondeu ele radiante. - Não precisamos ir lá nunca se você não quiser, desde que esteja comigo não me importo com mais nada.

Eduardo deu um beijo apaixonado em Roberta e ela sabia que essa era a maior declaração que ele podia lhe fazer, pois Eduardo era muito ligado a família.

Ele a colocou no chão. Olhou mais uma vez nos olhos de sua amada, pegou sua mão, entrelaçando deus dedos nos dela e a puxou para a lanchonete que havia combinado de encontrar Dominic. Chegando lá o viu sentado em uma das mesa, já o aguardando.

- Fico feliz que tenham se acertado de novo. - disse Dominic olhando as mãos entrelaçadas dos dois que se aproximavam sorrindo. - Já pedi o café, mas não sabia que tínhamos uma convidada especial.

- Espero que não se importe que eu a convidei para o nosso café da manhã. - disse Eduardo brincalhão.

- Claro que não me importo. É você quem vai pagar. - respondeu Dominic gargalhando. - Tô brincando Beta, você é sempre bem vinda. - completou olhando a garota que sorria da brincadeira dos dois. - Desde que... sempre o deixe com essa cara de besta.

- Obrigada Dom. - respondeu ela sorrindo para ele e se sentando ao seu lado. - Espero que também não tenha problema se eu voltar pra casa com vocês? - disse ela em tom de pergunta.

- Problema não tem. - respondeu Dominic. - Mas no meu carro só tinha uma vaga sobrando e o Biel já tinha me pedido pra voltar junto com a Nanda.

- A Sam... ela... não quer voltar com você e me pediu... pra trocar com ela. - disse Roberta baixinho achando que ele não fosse gostar da informação.

- Nossa, essa é a melhor notícia do meu dia Beta. - respondeu Dominic com um sorriso largo. - Também não queria voltar com ela, mas não ia expulsá-la.

- Sabia que você ia gostar dessa notícia. - disse Eduardo sentando ao lado de Roberta e de frente para o amigo. - Como foi sua noite sozinho?

- Foi ótima. - respondeu Dominic piscando para que o amigo entendesse.

- Eu vou no balcão pedir o meu café e já volto. - disse Roberta se levantando.

- Eu também chamei uma pessoa para tomar café com a gente, mas pela demora acho que ela não vem mais. - disse Dominic após Roberta se afastar.

- Você fala de mim, mas você também tá com cara de bobo senhor Dominic. - zombou Eduardo rindo enquanto o garçom se aproximava para trazer o pedido que Dominic havia feito. - Aposto que a razão dessa cara se chama Mônica e que ela era a outra convidada para este café. - disse Eduardo enquanto o amigo assentia.

- Outra convidada? - perguntou Roberta ao se aproximar. - Você convidou a Mô pra tomar café também Dom? - perguntou ela sorrindo e os garotos arregalaram os olhos. - Que foi? - perguntou olhando os dois. - Tá na cara que você foi fisgado Dom. - completou ela sorrindo. - Principalmente depois do jogo de ontem.

- Beta... é... eu... - começou Dominic a dizer.

- Relaxa Dom. - disse ela olhando dele para Eduardo. - Seu "Segredo" não está em perigo, pelo menos não por mim. Já que todos provavelmente já perceberam. - completou sorrindo enquanto dava uma mordida no lanche de Eduardo.

👉 Mariana 👈

Mariana terminou de escrever a mensagem, guardou o celular dentro do plástico novamente, o pendurou no pescoço e foi para a água encontrar Mônica.

- Mô. - chamou ela. - Não que seja da minha conta... mas... porque você não está com o Dom? - perguntou Mariana tentando entender o que mais havia acontecido entre eles.

- Porque não Mary. - respondeu Mônica cruzando os braços. - Já era, foi só uma noite. - disse ela olhando o céu azul, quase sem nuvens. - Uma noite mágica, mas ainda assim, só uma noite... - suspirou. - E como a Ella¹, a meia noite o encanto se quebrou e a carruagem volta a ser abóbora.

- Eu não acredito. - respondeu Mariana indignada. - Porque está dizendo isso? O que mais aconteceu que você não me contou? - perguntou ela já cerrando os punhos, pronta para crucificar seu irmão.

- Nada. - respondeu Mônica simplesmente erguendo os ombros. - Eu te contei tudinho, até detalhes que eu preferia guardar só pra mim. - disse rindo. - A noite foi realmente perfeita, ele colocou música para tocar, foi romântico e super carinhoso.

- Então... eu não entendo, porque está dizendo que acabou? - perguntou Mariana relaxando os punhos sem entender.

- Acabou porque o Dom é assim. - respondeu Mônica conformada. - Ou você acha que ele vai pedir pra namorar comigo e vamos nos casar daqui um mês? Qual é? Cai na real amiga. - disse ela sorrindo. - O Dom é um pássaro livre, não vai se amarrar a ninguém. Mas mesmo assim estou feliz que tenha sido com ele minha primeira vez.

- Aí Mônica, o que eu faço com você? - brigou Mariana em tom de pergunta partindo pra cima da amiga e a jogando na água.

Mônica engoliu alguns goles de água salgada quando foi salva por uma voz conhecida próxima delas.

- Mary? - chamou a voz.

- Hum... oi Claudinha. - disse ela soltando Mônica. - Tudo bem? - perguntou ela ao ver que Claudia parecia triste.

- Tô bem... eu acho... eu e o Jon... nós terminamos. - disse ela baixinho.

- Nossa, porque? - perguntou Mônica já recuperada da brincadeira.

- Nós não brigamos, nem nada, mas... - suspirou ela. - Percebemos que não dava pra continuar. - Ele... foi embora essa noite e... eu queria saber se posso voltar pra casa com vocês.

- Por mim pode sim Claudinha. - respondeu Mariana se aproximando dela. - Mas tenho que ver com o Dom, não sei se combinou de alguém voltar com a gente.

- Tudo bem, voltamos só amanhã mesmo. - respondeu ela. - Depois você me fala, se não der eu volto de ônibus.

- Relaxa Claudinha. - disse Mariana sorrindo. - Nós tínhamos um lugar vago na vinda. Se o Dom combinou de voltar com mais gente, vai sobrar lugar no carro do J.P. e eu falo com ele. Você volta com um de nós.

- Obrigada Mary. - respondeu Cláudia.

Mariana sorriu e ficou olhando para Cláudia, sem saber o que dizer. Elas não tinham mais assunto e o clima começou a ficar estranho até que Cláudia sorriu, deu um mergulho e depois foi se sentar na areia para tomar sol, agradecendo mais uma vez a Mariana.

- Mary o que será que aconteceu com o Jon? - perguntou Mônica após Cláudia estar longe o suficiente. - Foi embora sem falar nada...

- Eu não sei Mô, porque tá me perguntando isso? - respondeu Mariana na defensiva. 💭 - Será que ela sabe que ele se declarou pra mim? - pensou Mariana. 💭 - Será que é por isso que terminou com a Claudinha e foi embora?

- Por nada Mary, só achei que você pudesse saber porque ele é seu melhor amigo. - respondeu Mônica também na defensiva.

- Entendi, vou tentar falar com ele. - disse Mariana saindo da água. - Talvez ele precise conversar. 💭 - Eu com certeza preciso falar com ele. - pensou ela. 💭 - Nós temos coisas a resolver. - suspirou.

👉 Jonathan 👈

Ao finalmente chegar em casa mandou uma mensagem para Cláudia.

📱💌 - Tô em casa e cheguei vivo. Se não conseguir voltar com a Mary, me ligue que eu vou aí te pegar, não precisa voltar com o João. Beijo e se cuida.

💭 - Tomara que dê tudo certo e esse pesadelo acabe logo. - pensou ele suspirando, já estava em casa fazia um tempo, ligou o computador e se jogou na cama ouvindo música quando o celular tocou e ele se levantou para ver quem era. - Porque você está me ligando Ana? - pensou ele. - Eu não quero conversar. - suspirou jogando o celular de lado e indo até o computador.

Abriu a galeria e começou a olhar as fotos que tinha com a Mariana, muitas fotos juntos, desde que eram pequenos até agora, muitas viagens e passeios. Todas as fotos ambos sempre sorrindo, mas nenhuma como ele queria, como um casal, alguns beijos mas sempre no rosto ou na testa.

- Ai Ana. - suspirou ele olhando as fotos. - O que será que vai acontecer quando você finalmente descobrir que eu sou o anônimo? Tomara que até sexta feira esse tormento com o João se resolva e você fique livre daquele imbecil. Aí vou poder ativar o chip do anônimo no celular e quem sabe te encontrar mais uma vez antes de você querer me matar? - disse esperançoso. - Tá ligando de novo. - suspirou olhando para o celular. - Desculpe Ana, mas não vou te atender, não hoje depois de te ver sonhando com o João.

- Jonathan. - gritou uma voz feminina do andar de baixo.

- Oi mãe? - perguntou ele também gritando.

- Vem aqui por favor? - gritou Melissa. - Preciso falar com você.

👉 Mariana 👈

- Nossa Mô, o Jon não me atende. O que será que tá acontecendo?

- Não sei Mary, mas você ligou pra ele o dia todo. - respondeu Mônica. - Quando ele quiser conversar ele te retorna.

- Tem razão. - suspirou Mariana resignada. 💭 - Não tem muito o que fazer até voltar pra casa. A não ser que... - pensou ela olhando para o celular e percebendo que o anônimo nem tinha recebido a mensagem.

- Olha o Dom vem vindo. - disse Mônica apontando para ele que se aproximava sorrindo.

- Dom, preciso falar com você. - gritou Mariana erguendo o rosto sem perceber que Mônica se afastava.

- Oi Má. - disse Dominic se aproximando dela de cara feia.

- O que foi? - perguntou ela sem entender.

- A Mônica. - suspirou apontando para a garota já longe. - Ela tá me evitando o dia todo, mas não sei porque. Hoje de manhã ela parecia feliz por estar comigo, mas agora eu não consigo me aproximar, porque ela vai embora.

- A Mônica é um caso sério Dom. - suspirou Mariana tocando no braço do irmão e olhando fixamente nos olhos dele. - Você realmente tá gostando dela, né? - perguntou bem séria.

- Tá na cara, não tá? - perguntou Dominic sorrindo. - A Beta também percebeu. Eu nunca me senti assim com ninguém Má. Ela é diferente das outras.

- Sinto ser a portadora de más notícias, mas você vai ter que ter paciência com aquela cabaça dura. - resmungou Mariana.

- Porque?

- Porque Mônica está convencida que com você é só uma noite, por isso tá te evitando. - explicou Mariana e ergueu a mão para impedir o protesto do irmão. - Ela disse também que foi uma noite mágica, que você foi romântico e carinhoso e blá, blá, blá, mas que assim como Cinderela... a meia noite o encanto se queba e a carruagem volta a ser abóbora.

- Não acredito que ela pensa isso. - foi a vez de Dominic suspirar.

- O que você esperava? - brigou Mariana. - O galinha da escola, que pega todo mundo do nada vai entrar num relacionamento sério com alguém? - suspirou. - Você fez a sua fama irmãozinho... eu até tentei te defender, mas a Mô me mandou cair na real, pois você era um pássaro livre e não ia se amarrar a ninguém. - completou imitando a vos da amiga.

- Fala sério... carruagem volta a ser abobora? Um pássaro livre? - resmungou Dominic. - De onde vocês tiram essas expressões? - perguntou ele incrédulo balançando a cabeça.

- Não importa, pois Isso não vem ao caso... o que importa é que você vai ter que mostrar para ela que mudou. - disse Mariana. - Ela não quer se machucar, mas me disse que está feliz que a primeira vez dela tenha sido com você. - resmungou ela na dúvida se devia ter contado isso a ele ou não. - Agora chega de falar da vida amorosa da minha amiga pelas costas dela. Preciso te perguntar uma coisa. - disse mudando de assunto. - A Claudinha pode voltar no carro com a gente?

- Até poderia, mas já combinei com o Biel de voltar com a gente. - respondeu Dominic. - Ele me pediu isso ontem, depois do jogo.

- Entendi. - suspirou ela. - Vou falar com a Claudinha então.

- Espera. - pediu Dominic segurando o braço da irmã que já se afastava. - Preciso de sua ajuda com a Mô.

- O que você quer que eu faça? - perguntou Mariana sorrindo.

- Não sei, ela é sua amiga. - respondeu Dominic suspirando. - Me ajude a pensar em alguma coisa.

- Tá legal. - respondeu Mariana com a mão no queixo pensando. - Ela me disse que você colocou uma música pra tocar ontem...

- Ela te contou isso também? - perguntou ele com os olhos arregalados a interrompendo.

- O que ela me contou não importa. - rebateu Mariana. - Apenas responda Dominic, a música foi pensada ou aleatória?

- Um pouco dos dois na verdade. - admitiu ele.

- Como assim? - perguntou Mariana sem entender.

- Eu coloquei minha lista de música no modo aleatório, mas a musica que tocava na hora era do Kiss. - respondeu ele se lembrando da noite anterior.

- Você colocou Kiss pra tocar? - perguntou Mariana incrédula.

- Mas tava tocando Forever, você já viu a tradução dessa música? - perguntou ele e quando a irmã negou com a cabeça prosseguiu. - Pra começar, a música chama "Pra sempre", depois tem a tradução dela fala diz que: "Eu tenho que dizer, não há como negar quando olho nos seu olhos garota, estou louco por você. Nunca pensei que colocaria meu coração na linha, mas tudo sobre você me diz que é pra sempre. - recitou Dominic constrangido a tradução da música.

- Ual Dom. - suspirou Mariana. - Tô impressionada.

- Pois é, eu gosto muito dessa música e nesse momento ela fala tudo que eu tô sentindo pela Mô. Acho que a vida tá conspirando a meu favor pra tocar ela bem na hora.

- Também acho, usa isso ao seu favor. - disse Mariana olhando para ele de cara séria.

- Como assim? - perguntou ele sem entender.

- Romantismo caro irmão. - suspirou Mariana já sem paciência. - Faça ela saber o que essa música diz, faça ela sentir que foi pra ela e que é você que está cantando. Sacou?

- Porque não pensei nisso antes? - resmungou Dominic balançando a cabeça.

- Porque você nunca precisou conquistar uma garota Dominic. - bufou Mariana. - Elas sempre caem no seu colo sem que você perceba. - brigou Mariana. - Agora preciso ir, tem outra coisa que preciso resolver. Quando formos embora amanhã pensamos em um jeito da Mô sentar na frente com você, daí você vê o que faz. - completou ela se afastando enquanto o irmão assentia.

Mariana se afastou pegando o celular e discando o número.

- Vamos tia Mel, me atende. - disse Mariana para o telefone que ainda chamava. 💭 - Já que você não atende o celular Jony, vou falar com sua mãe e ela vai obrigá-lo a falar comigo. - suspirou.


Notas Finais


Oi amores, quem achava que era a Sam com o João? Algumas pessoas sacaram rsrsrs acabou esse mistério.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...