1. Spirit Fanfics >
  2. Another Day >
  3. Verdades

História Another Day - Capítulo 19


Escrita por: MadEva

Notas do Autor


Demorei mas cheguei 😎

Capítulo 19 - Verdades


Annie ainda estava calada quando sentou na toalha que Lílian havia preparado. Eles conversaram durante alguns minutos, rindo e falando sobre a vida. Após um tempo Shiva foi sentar à beira do lago para meditar, estava na hora. 

Dhiren dormia deitada à sombra de uma pequena arborização, e Lílian e Kane desfrutavam de um momento de paz entre casal. Era o momento oportuno para Levi e Annie conversarem. Alguns soldados sondavam o lugar, e Levi sabia que era psra ver o que eles faziam. 

- Annie, você trouxe seu caderno?

- Aqui - Annie tirou a caderneta da bolsa, entregando-a ao Cabo. Ele folheou rapidamente. Um soldado observava, e deu uma ordem a outro. Annie via sua movimentação e não conseguia impedir o nervosismo. 

- Pode me emprestar a caneta? - Sem entender a garota pegou a caneta e deu. Levi rabiscou algo em uma parte em branco que encontrou, e passou o caderno a Annie.

"Sorria como se eu tivesse escrito algo lindo. Eles estão nos observando."

Ela sorriu bobamente como ele mandara, e o olhou nos olhos, surpreendendo-o com tanta veracidade nas suas ações. O soldado sorriu balançando a cabeça, e disse ao superior:

- Sério que vocês querem vigiar o Cabo flertar? Não tenho estômago para isso - disse ele se dirigindo ao carro. O outro soldado que estava no comando continuou observando.

Levi segurou o braço de Annie e a puxou para si, lhe envolvendo em um abraço. Lilian e Kane pararam e sorriram para a cena. Todos precisavam acreditar, de fato. O soldado aguardou alguns minutos e seguiu seu companheiro, indo para o carro em meio a resmungos de "Não recebo para isto".

Aninhada nos braços de Levi, Annie aguardava silenciosa pelas palavras dele, afirmando que poderiam seguir a conversa. Apesar de não olhar diretamente, pela panorâmica Levi distinguiu o carro partindo, continuando a ronda ao redor do perímetro da cerca. Naquela área algumas pessoas passeavam, usando o mesmo tempo para um pouco de paz. Muitos casais sentavam ao redor do lago. O dia de um funeral nunca é feliz.

- Eles já foram, mas vou lhe pedir que continue aqui enquanto falamos, por precaução - disse Levi sobre a cabeça de Annie, que recostada em seu ombro apenas fez um sinal positivo - Então. Li rapidamente as anotações em seu caderno, assim como Rubio falou. Ele deve ter deixado alguma sugestão para você nos livros, depois releia-os. O laboratório já foi averiguado pela guarda, não poderemos dar um passo na Concentração sem que eles saibam. Mas como deve saber, tenho minhas suspeitas de quem encabeça. Pelo que Rubio e Roy me contaram, parece que eram as deles também. Alguém da alta patente. 

- Conan.

- Exato. Rubio só inferiu isto quando você foi mandada para o campo logo após fazerem exames no seu sangue. Annie, ele disse que isolaram antígenos. Suspeitam que você possa ter tomado algum tipo de vacina. Lembra de algo?

- Vacina? Não. Por quê?

- Porque seu corpo reagiu ao contato com os bestiais. Nos estudos de Rubio, que a patrulha de Conan já resgatou, havia a menção a uma possível tentativa de resposta às armas biológicas alemãs. 

- Está dizendo que eu sou um experimento?

- Você? Não, você não é tão especial assim - Levi sorriu, Annie beliscou seu braço - Ai! Quero dizer que não é você. Rubio não colocou isso na pesquisa, mas ele falou. Possivelmente uma parcela da população dos países da Barain receberam isso sem saber. Um experimento forçado. Deu certo.

- E agora Conan quer descobrir como reverter isso?

- Sendo sincero? Conan trabalha para a Aliança do Norte, tenho certeza. Mas seu intuito é conseguir vantagem. Provavelmente tentar controlar vocês. Ainda não sabemos o que isso no sangue de vocês pode fazer. Desde que Rubio sumiu Conan jogou sua pesquisa nas mãos de Augustus. Ele pode ser um imbecil que está mais preocupado em flertar, mas com certeza é inteligente e entrega resultados.

 - Contei muita coisa a Rubio e aos oficiais - Levi assentiu afirmando que Rubio lhe deixara a par - Será que tentarão me matar novamente?

- Não se acharem que você está seguindo sua vida.

- E você?

- Acho que tentarão umas três vezes por dia.

- Por que implicaram com você? - ela levantou a cabeça tentando olhar para Levi, que manteve o olhar no lago. 

- Não importa. O que importa é que precisamos tomar cuidado agora e nos unir. Não posso contar para os outros para não comprometer ninguém. Mas estou investigando. 

- Eu vou entrar no laboratório de Augustus. 

- Você ficou doida?! - agora ele a olhava nos olhos. Eles estavam bastante perto.

- Não interessa. Mas você falou que tinha aliados. 

- Já liguei para amigos em outras bases.

- Como está a guerra?

- Complexa. Parece que vão remover a maioria das pessoas daqui mais cedo, e realocar o exército para proteger os alojamentos. Algo parece estar dando errado nas ações das Alianças. 

- Os Alojamentos ficarão bem? - Annie pensava na mãe e no pai. Desde que eles foram evacuados ela foi para o Alojamento com Lua e Leo, junto de Audrey, dos avós de Annie, e tantas outras pessoas. Os smartphones não pegavam bem, os sinais de rede para Internet foram bloqueados e o máximo que conseguiam era usar telefones e computadores via satélite, de muitos anos atrás. A energia e rede que estava disponível era redirecionada para os laboratórios, centros de construção e comunicação militar. Annie falava todos os dias com a mãe, mas ela não sabia como estava a situação, nem ao menos sabia das aventuras dela. 

- Ficarão bem.

- Certeza? - Annie olhava no fundo dos olhos de Levi, procurando verdade e alento. Ele sustentou seu olhar profundamente.

- Você é doidinha, mas é uma ótima pessoa sabia? Eles ficarão bem.

- Eu não sou doida, nem uma boa pessoa.

- Você é. Falta você enxergar isso.

- Por que diz isso?

- Porque... Você tem ânsia de viver. É forte e determinada. Se importa com os outros. Faz questão de ver os outros sorrirem. 

Annie absorveu aquelas palavras e fitou o lago. Levi inconscientemente acompanhou seu olhar, brincando com uma mecha do seu cabelo. 

- Talvez você seja a única pessoa que acha isso... - sussurrou Annie. 

- Mc'Arleen. Posso falar uma coisa?

- Diga...

- Hale pode agir como um idiota, mas é nítido que gosta de você - Annie fechou os olhos com aquela frase. Pensar em Ryan ainda era doloroso. Não sabia como tivera forças para dizer tudo o que disse - Fora ele, seus amigos e seu irmão sentiram muito a sua partida. Lilian chorava muito. Você tem uma boa cunhada. Além disso, conquistou pessoas. Rubio sentiu sua falta. Até alguns oficiais sentiram. Você cativou muitas pessoas... Inclusive... - Levi deixou as palavras pairando.

- Inclusive..?

- Nada. 

Sentindo uma pontada de decepção, ela se levantou dos seus braços e se deitou. Levi deitou ao seu lado. Ela pensava se queria que ele dissesse que ela o cativara. Por outro lado, Levi pensava se valia a pena falar. Olhando para o céu, deitados, eles ficaram em silêncio.


Ryan observava de longe Annie e Levi abraçados. Uma lágrima de raiva desceu pelo seu rosto, caindo na camiseta branca. Então era isso. Ela não queria dizer, mas parece que o Cabo tinhs um lugar especial, que Ryan já não ocupava. O peito apertou com esse pensamento, e ele virou, pretendendo voltar para junto dos outros. Nesse momento uma sirene soou. Era um alarme, algo acontecera.

A paz não parecia durar mais que trinta minutos.


Notas Finais


Preciso ter cuidado para integrar bem as informações :3 e aí, team Le-Annie, ou Ry-Annie? (quase uma Rihana) o bagui ficou doido, que alarme foi esse?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...