História Another Life - Capítulo 56


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Castiel, Lysandre, Priya, Rosalya, Viktor Chavalier
Tags Amor, Amor Doce, Castiel, Doce, Lysandre
Visualizações 97
Palavras 3.312
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sexta chegou, sexta está aí, capítulo novo também, boa leitura meninas ahha ♥

Capítulo 56 - O que disse?


Ok, eu estava desesperada, ela também estava desesperada, os motivos eram completamente diferentes, mas que levavam a um mesmo sentimento. Eu não tinha muito o que fazer pra falar a verdade, infelizmente eu só tinha que aceitar que pelo fato da curiosidade dela ter sido completamente incontrolável ela tinha descoberto que eu tinha saído com o Lys. Qual é, isso não era grande coisa, mas eu também não estava a fim de publicar isso nas notícias do dia, não era dessa forma que deveria ser, eu estava quase me sentindo como se eu estivesse em um reality show, e eu definitivamente não estava a fim de viver isso. 

Anne - Se eu tirar a mão da sua boca você vai parar de gritar pelo amor de Deus e se comportar como uma pessoa normal? (Ela assentiu ainda com os olhos arregalados perplexa, era como se ela tivesse recebido a notícia do século.) Você tem certeza disso? Promete? (Ela agarrou meu pulso com firmeza e puxou a minha mão da sua boca respirando fundo revirando os olhos sem paciência.)

Nelly - Você tem que entender que é a notícia do século Anne. (Dessa vez foi a minha vez de respirar fundo e revirar os olhos andando até a cama e me jogando nela, por que tanto drama?) Você está saindo com o Lys. (Obrigada senhorita óbvia, eu acho que eu ainda não tinha notado isso ainda, se ela não tivesse me dito eu não saberia. Ela estava falando mais baixo, mas com um esforço notável da parte dela, se eu a deixasse, provavelmente ela estaria gritando aos quatro ventos agora.) 

Anne - Deixe de tanto drama Nelly, não precisa de todo esse show, eu saí com ele, grande coisa não é como se isso fosse realmente nenhuma novidade. Se você não fosse tão curiosa e não ficasse por aí ouvindo conversas alheias você nem saberia disso. (Ela parou à minha frente colocando as mãos na cintura e começou a bater os pés no chão impaciente com o que eu tinha acabado de lhe dizer.)

Nelly - Você não ia realmente me contar? Sério? Eu não consigo acreditar nisso! (Claro que não! Eu sei que ela parecia ofendida por saber disso, e sinceramente eu não gostava de esconder as coisas dela ou mentir, mas tinha certas coisas que eram necessárias como essa. Eu realmente não tinha a menor intenção mesmo de dizer nada a ninguém no momento, não tinha nenhum motivo para isso, muito pelo contrário, haviam mais motivos para continuar sendo um segredo.)

Anne - Não se ofenda Nelly, eu não ia contar à ninguém. Você também estava incluída no meio disso. (Ela cruzou os braços balançando a cabeça parecendo não acreditar no que eu tinha dito.)

Nelly - Por que vocês estão fazendo todo esse mistério? Ele gosta de você, você gosta dele, não tem nada de complicado aqui, então por que manter disso um segredo? (Suspirei e passei as mãos pelo rosto antes de me sentar na cama me endireitando.)

Anne - Nelly, ele tem um filho, ele acabou de voltar pra banda o que significa que ele vai viajar bastante, está no meio de um processo judicial para tentar conseguir a guarda do Jordan, sem contar que vocês não iriam parar de falar nisso se soubessem assim como você está fazendo agora. Então sim, é um pouco complicado. Tudo está tão bagunçado agora que é melhor deixar as coisas do jeito que estão. (Ela bufou e revirou os olhos como se estivesse escutando as maiores bobeiras que poderia na vida, mas não era assim, torne isso de conhecimento público não seria só ter um relacionamento com ele, seria lidar com tudo o que isso impunha também.)

Nelly - Você está sendo ridícula Anne. (Ela disse bufando e revirando os olhos, eu sinceramente não estava com paciência pra isso.) 

Anne - Até o momento eu não sabia que eu tinha que dar satisfação de com quem eu saio para basicamente Deus e o mundo, me desculpe. O que eu tenho que fazer? Colocar a notícia em um outdoor? (Eu não estava realmente chateada, eu estava cansada, ela já tinha descoberto já era tarde para inventar uma desculpa qualquer para fazer com que ela acreditasse que nada disso era verdade, então eu tinha simplesmente desistido, eu só tinha que aceitar o fato de que ela tinha descoberto e fazer com que ela não dissesse nada, mas eu estava indignada de ter que ficar me explicando como se isso fosse a minha obrigação.)

Sinceramente eu não estava com nenhuma vontade ou a menor paciência para ter que ficar explicando as minhas decisões, ou ter que ficar contando cada mínimo detalhe que eu fazia na vida que fosse pra ela ou para qualquer outra pessoa independente de quem fosse. Ultimamente eles estavam me fazendo sentir isso, como se fosse uma obrigação minha ter que ficar contando absolutamente tudo e parecia que eu não tinha mais uma vida independente, era quase como se eu morasse com meus pais novamente. Eu amava minha irmã, ter ela por perto e ajudá-la era ótimo, mas a partir do momento em que ela agia dessa maneira, as coisas começavam a desandar. Eu já tinha coisas dentro da minha cabeça o suficiente para me pensar muito até quase surtar, para ter que lidar com qualquer um que quisesse alguma explicação do que eu estava fazendo da minha vida, eu não queria ter que lidar com isso. Eu não queria ter que ficar pensando e repensando tudo, mas era impossível pra mim e quando ela agia assim, definitivamente não me ajudava em nada, apenas piorava a minha situação. Grande coisa, eu estava saindo com o Lys e eu não estava afim de que isso se tornasse algo público, então qual era o problema? Será que eu poderia não ter que contar pra todo mundo por enquanto?

Nelly - Eu não estou querendo me meter na sua vida Anne, não é isso e me desculpe se eu te fiz sentir dessa maneira, você sabe, às vezes eu me empolgo. Mas eu também sei que você tem o costume de pensar demais nas coisas e acabar surtando, só pensei que pudesse querer alguém com quem pudesse conversar, colocar isso pra fora antes que a sua cabeça exploda. (Não é bem como ela demonstrava, sei muito bem que ela gosta de ficar sabendo de alguma fofoca, também sei que ela se importava comigo, então era sempre muito difícil separar as duas coisas dela, mas… Acho que dessa vez ela estava sendo sincera.)

Anne - Eu gosto dele ok? Eu não sei até que ponto, mas eu gosto dele. Ele faz com que eu me sinta diferente e sinceramente eu gosto da sensação, parece que… Que eu me importo em ser o melhor que eu posso ser quando eu estou com ele e mesmo que isso me assuste, eu não quero evitar. Por que nenhuma outra pessoa conseguiu me fazer sentir isso, eu nunca realmente me importei com nada, por que eu nunca tive motivo pra isso, eu não quero ser melhor por causa dele, é só a sensação que ele me causa. (Eu disse dando de ombros e respirei fundo, essa era a verdade e não tinha mais informações adicionais nenhuma além disso, eu não sabia de mais nada, eu não tinha certeza de mais nada.)

Essa era a verdade, não era como a Ambre tinha dito, eu não estava mudando por causa dele ou ele estava me mudando, não era bem assim, ele só era um motivo suficiente pra eu querer realmente ser alguém melhor, não apenas por querer ter um relacionamento com ele diferente de todos os outros que eu sempre tinha, não apenas isso. Claro eu gostava da sua companhia, fazia eu me sentir bem, mas em qualquer outro aspecto da minha vida, era como se ele conseguisse despertar a minha consciência e me fizesse escutar a voz da razão, eu poderia ser uma pessoa muito melhor, mas eu precisava de um motivo pra isso, por que se não, seria como sempre foi afinal de contas, apenas eu vivendo a minha vida de qualquer forma sem dar a mínima para absolutamente mais nada que envolvesse o resto do mundo e ultimamente isso não estava mais me agradando da maneira como costumava fazer. Parecia que faltava alguma coisa, não era mais tão bom quanto costumava ser antigamente.

Nelly - Viu? Não foi tão difícil falar sobre isso certo? (Você quem pensa! Nossa atenção foi voltada pra a porta do quarto quando escutamos algumas batidas na mesma. Depois do escândalo que a Nelly tinha feito na sala, eles tinham até demorado a aparecer aqui para conferir se estava tudo bem e se não tinha ninguém morrendo dentro do quarto.)

Anne - Está aberta. (Eu disse mais alto passando as mãos pelo rosto e respirando fundo.)

Lysandre - Está tudo bem com vocês? (Ele disse parecendo incerto abrindo a porta do quarto me fazendo rir e assentir com a cabeça vendo a Nelly o olhar com curiosidade e um tanto de ansiedade eu deveria dizer.)

Nelly - Cadê o Castiel? (Ela perguntou praticamente se segurando para não começar a berrar ali mesmo dentro do quarto, por mais que ela tentasse aparentar o mais normal o possível, não era bem assim que ela estava, era notável que ela queria confrontá-lo e não havia nada no mundo que absolutamente ninguém pudesse dizer que a fizesse mudar de ideia. Por isso eu nem ao menos decidi abrir a boca para discordar dela.)

Lysandre - Ele está fazendo café. (Ela praticamente pulou da cama e se o Castiel não estivesse em casa, eu tinha certeza de que ela já estaria gritando na cara dele.)

Nelly - Eu sei! (Ela forçou a sua voz mais baixa tentando o fazer entender sobre o que ela estava dizendo sem ter que realmente dizer com todas as palavras que ela tinha descoberto sobre nós.)

Lysandre - Me desculpe, o que? (Eu ri balançando a cabeça quando percebi que ele realmente não tinha ideia do que ela estava falando. Convenhamos, o Lys não era lá assim tão esperto para perceber esse tipo de coisa, ele era um amor de pessoa, mas nem lento para entender indiretas.)

Nelly - Eu sei! (Ela disse mais lentamente e articulando bastante com as mãos apontando pra mim e depois para ele o fazendo arquear as sobrancelhas, finalmente entendendo agora do que ela se referia.)

Anne - Ela escutou você conversando com o Castiel e ela já tinha conseguido me fazer contar como tinha sido o encontro. (Eu expliquei rapidamente vendo que ele estava tentando entender como diabos ela tinha conseguido descobrir. Ele soltou um “oh” meio incerto, franzindo as sobrancelhas parecendo meio preocupado e olhou pra mim.) Está tudo bem, ela é curiosa demais e não desiste. Eu não acho que ela acreditaria em uma coincidência dessas, ela é meio burrinha, mas eu não acho que seria para tanto. (Eu disse com humor o fazendo rir levemente e escutando ela protestar franzindo as sobrancelhas e cruzando os braços.)

Castiel - O que está acontecendo aqui? Uma festa por acaso? (Ele perguntou com humor chegando na porta do quarto chamando a nossa atenção enquanto segurava uma xícara de café quente nas mãos podendo ver que tinha acabado de ser feito, tanto pela fumaça abundante que saía da xícara quanto pelo cheiro.)

Anne - Nelly ainda está chateada por causa do emprego que ela não conseguiu. (Eu disse dando de ombros a vendo cerrar os olhos pra mim, eu não ia nem dar chance para ela ao menos pensar em dizer alguma coisa e o fizesse suspeitar de algo, então eu disse a primeira coisa que me veio à cabeça retomando o assunto de antes. Eu odiava mentir para ele, mas eu realmente não queria que ninguém soubesse de nada disso, não por enquanto, quanto menos pessoas soubessem era melhor. Não era nem mesmo pra Nelly ficar sabendo, a curiosidade absurda dela que a tinha feito descobrir.)

Castiel - Eu já te disse, não é assim que a vida funciona então acho melhor você descer e colocar os pezinhos no chão. (Ele disse com humor a fazendo revirar os olhos e bufar antes de cruzar os braços, não gostando bem de qual assunto eu tinha colocado em pauta novamente.)

Vi o Lys sorrir minimamente e balançar a cabeça antes de olhar pra mim meio culpado e meio preocupado, apenas murmurei um “está tudo bem” o fazendo se tranquilizar. Tudo estava muito cedo e tinha muita coisa acontecendo, ainda não.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nós estávamos assistindo a um filme… Ou melhor, nós tentamos assistir a um filme, mas na metade dele depois que a pipoca já tinha acabado não estava mais tão interessante assim. Eu não sei, talvez pudesse até ser um bom filme e tudo mais, mas o fato era que eu nem sabia do que realmente se tratava, minha atenção não estava exatamente brinque estava se passando na televisão, isso por que eu tinha coisas muito mais interessantes pra prestar atenção. As mãos do Lys pelo meu corpo por exemplo, não me deixavam nem me lembrar do nome do filme, quem diria assistir à ele. Ele estava me beijando com tanta luxúria e vontade enquanto suas mãos subiram pelas minhas pernas que me faziam esquentar instantaneamente. Eu sentia uma de suas mãos levantando a minha blusa me fazendo sentir os seus dedos contra a minha pele, me apertando deliciosamente contra o seu corpo em cima de mim fazendo a minha mente ficar completamente em branco. Fomos obrigados a parar quando a campainha da casa dele tocou, praticamente o escutei rosnar e respirar fundo me fazendo rir levemente com a testa encostada na minha.

Lysandre - Eu acho que eu preciso de um minuto. (Ele disse com dificuldade me fazendo rir um pouco mais.)

Anne - Eu acho que você vai precisar de muito mais que um minuto se nós não levantarmos. (Eu disse o vendo torcer o nariz, mas não se levantando.)

Lysandre - Talvez eu devesse só ignorar. (Ele disse me beijando novamente, mas não durou muito, a campainha foi tocada novamente duas vezes seguidas dessa vez.)

Anne - Eu acho que não é uma opção, vamos. Não fique assim nós temos o dia inteiro pra assistir qualquer filme que quiser. (Eu disse com humor o fazendo rir e o empurrando levemente agora levantando de verdade.) Eu vou buscar um copo de água. (Eu disse me levantando do sofá e indo em direção a cozinha. O vi esperar alguns segundos no sofá antes de se levantar me fazendo rir novamente indo pra cozinha.)

Era meio de semana, Jordan estava na escola, eu não tinha nenhuma sessão de fotos hoje, Lys já tinha resolvido as coisas com as bandas que ele agenciava e tinha os passado para outro agente, Nelly tinha ido passar um tempo com a Chloe em Londres e não tínhamos nada para fazer, como o Castiel também estava em Londres e a Ambre estava fazendo sabe-se lá o que em casa, eu vim pra cá quando ele me convidou. Estávamos assim às escondidas pelos cantos a quase um mês agora, e devo dizer que pra mim estava tudo as mil maravilhas, eu não poderia estar me sentindo melhor e mais relaxada, mas sabe como é… A tranquilidade dura pouco.

Lysandre - O que está fazendo aqui? (Escutei ele perguntar assim que atendeu a porta, terminei a água do copo o lavando rapidamente e cheguei perto da porta.)

??? - Precisamos conversar. (Eu conhecia essa voz, mas de onde?)

Lysandre - Nós já conversamos Celina. (Claro, era a garota com quem ele estava antes. Parei instantaneamente e inclinei o corpo pra frente dando uma espiada vendo a garota na porta revirar os olhos e o empurrar entrando em casa mesmo sem a permissão dele. Ok, eu era suspeita para falar isso por que estávamos saindo e eu gostava dele, mas eu não gostava dessa garota.)

Celina - Não não, nós não conversamos, você falou e eu só tive que escutar. (Ele respirou fundo passando as mãos pelo rosto.)

Lysandre - O que está fazendo aqui? (Ele repetiu a pergunta, dessa vez não muito paciente eu deveria dizer.)

Celina - Você está me evitando a meses, então eu acho que não tem como você não me escutar se for pessoalmente. (Ele cruzou os braços e revirou os olhos.) Você está sendo ridículo, agindo feito uma criança. (Franzi as sobrancelhas e me encostei no batente da porta da cozinha. Deus… Eu estava me sentindo a Nelly agora, eu sei que muito provavelmente eu não deveria ficar escutando conversas alheias escondida, mas eu não conseguia evitar, não agora.)

Lysandre - Eu sinceramente não tenho absolutamente mais nada para dizer à você sério. (Ela parecia pensar exatamente o contrário.)

Celina - Mas eu tenho! Você está sendo estúpido, nós ficamos juntos por um ano e… Sinceramente Lys, eu gosto de você e nós temos uma boa conexão e você simplesmente terminou comigo por que gosta de uma garota aleatória que te fez mais mal do que bem? Acorde pra vida fofinho, ela não gosta de você da mesma maneira, ela vai te magoar de novo. (Quem ela pensa que é pra dizer uma coisa dessas? Nem que ela tenha escutado o que houve várias vezes, ela não tinha o direito de dizer como eu me sentia.)

Lysandre - Obrigado pela sua opinião, você tinha que dizer o que tinha que dizer e eu escutei, mas isso não vai mudar nada, pode por favor agora se retirar? (Ele disse apontando pra porta fazendo ela engolir seco e cruzar os braços batendo o pé no chão.)

Celina - Você não pode me deixar. (Ela disse batendo o pé no chão novamente com a voz falha e os olhos lacrimejando. Ela gostava tanto dele assim? Por que eu não comprava isso? Parecia muito dramático pra uma pessoa só.)

Lysandre - Por Deus Celina, nós já terminamos, já acabou. (Eu não estava me sentindo muito bem, eu não tinha uma sensação muito boa sobre nada disso.)

Celina - Você não pode me abandonar agora fofinho, eu preciso de você. (Ela disse chorando, colocando as mãos no rosto e dizendo com a voz falha, Franzi as sobrancelhas sem entender e ele definitivamente não estava nada confortável com isso. O que estava acontecendo aqui?) Você só não pode… (Tinha algo errado e eu acho que eu não gostaria de saber, ela parecia forçar o choro e fazer muito drama a toa. Dei um passo pra trás sentindo meu coração pular algumas batidas.) Você não pode me deixar por que eu estou grávida. (Eu senti como se o meu coração tivesse parado de vez agora.)

Lysandre - O que você disse? (Ele disse completamente estarrecido.)

Dei um passo pra trás sentindo minha cabeça a mil por hora. Impossível, eu estava sonhando, isso não estava acontecendo, isso não estava acontecendo de novo. Se antes eu sentia que meu coração tinha parado, agora eu sentia que ele estava disparado, era quase possível sentir a adrenalina correr pelas minhas veias, minha cabeça chegava a doer e eu sentia como se fosse desmaiar. Olhei em volta me sentindo perdida e forcei meus pés a me levarem pra fora dali, eu definitivamente queria ir embora, então eu simplesmente saí pela porta dos fundos, tomando cuidado para não chamar a atenção de ninguém e comecei a correr assim que saí daquela casa. Eu não estava vivendo isso novamente, não não, a qualquer momento eu tinha que acordar em casa, na minha cama. Mas… Eu não estava acordando, não era um sonho.


Notas Finais


Até a próxima sexta ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...