História Another Life - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Castiel, Lysandre, Priya, Rosalya, Viktor Chavalier
Tags Amor, Amor Doce, Castiel, Doce, Lysandre
Visualizações 93
Palavras 3.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não deu pra postar ontem gente, eu até tentei, mas o site não abria nem por um decreto ahhah enfim, boa leitura ♥

Capítulo 60 - Eu também não entendo


Eu estava terminando de fazer o café quando o Castiel saiu para resolver algumas coisas da banda logo pela manhã antes de roubar uma xícara, até o momento eu não tinha nenhum sinal de que a Nelly ou a Ambre iriam levantar da cama tão cedo e pela quantidade de álcool que as duas tinham ingerido na noite passada, não me surpreendiam em nada que ainda não tinham acordado e também não me seria surpresa se elas acordassem com ressaca, por esse motivo, eu já tinha deixado pronto um suco de laranja para elas tomarem quando as princesas resolvessem se levantar da cama. 

Eu ainda não tinha conseguido achar uma casa que me agradasse, não pelo preço, mas nenhuma realmente tinha me feito querer comprá-la e eu tinha começado a suspeitar de que era por que eu não queria comprar uma casa por aqui, talvez fosse o lugar, eu não me via morando pra sempre em Nova York, então por que eu me veria comprando uma casa por aqui? Não é por que Nova York não fosse uma boa cidade para se viver, ela era eu já estava aqui a anos agora, mas eu definitivamente sentia saudade de Londres, por esse motivo eu tinha marcado uma hora com um corretor de imóveis em Londres na semana que vem. Eu já tinha dado uma olhada em alguns deles que ele tinha em enviado às fotos por e-mail e disse que me levaria aos que eu gostasse e caso tivesse achado algum outro eu o avisaria. Eu tinha separado alguns que tinha chamado a minha atenção, mas tinha uma casa que eu tinha gostado mais, com um quintal gigantesco, devo dizer que ela estava com um valor um pouco acima do orçamento que eu tinha pensado em gastar, mas olhando as fotos ela valia a pena, quem sabe… Eu poderia negociar também. Era em um bairro bem calmo e que eu conhecia bastante, não era tão perto da casa dos meus pais ou perto do Castiel, era quase que um meio termo entre isso.

Nelly - Parece que um caminhão passou em cima de mim, minha cabeça está me matando. (Ela saiu do quarto falando com uma voz rouca e pressionando as têmporas com a ponta dos dedos como se alguma coisa estivesse consumindo o seu cérebro dentro da sua cabeça.)

Anne - Estou até surpresa que você tenha levantado até cedo para o estado que você estava ontem. (Eu disse lhe enchendo o copo de suco e a entregando que ela aceitou de muito bom grado.)

Nelly - Eu acho que eu nunca bebi tanto assim na minha vida. (Bem… Isso era verdade, eu não pude deixar de concordar com ela, então dei de ombros e assenti com a cabeça.)

Anne - Só vá com mais calma da próxima vez e vai ficar tudo bem, seu fígado vai agradecer muito depois. (Eu disse com humor a fazendo rir e terminar de beber o suco.)

Castiel - Espero que o meu café esteja pronto mulher! (Ele disse com humor entrando em casa e engrossando a voz me fazendo rir e revirar os olhos.)

Anne - Claro que sim querido, vai querer na sua cara ou na sua calça, aproveite que ainda está quente. (Ele riu indo rapidamente pegar uma xícara e eu vi o Lys entrar logo atrás.) Bom dia Lys. (Eu disse o fazendo rir sem graça e balançar a cabeça.)

Já fazia algumas semanas agora desde a última vez que tínhamos conversado sobre nós em Londres, foi uma conversa intensa, estranha e tensa para dizer o mínimo, depois disso o assunto meio que ficou por encerrado, com vários pontos de interrogação. Eu não podia dizer que tudo estava as mil maravilhas entre nós dois e que não era estranho estar presença dele, mas pelo menos da minha parte, eu estava tentando agir o mais normal o possível. Claro que não era nada fácil e eu devo admitir que muitas das vezes eu tive que fazer um esforço sobrehumano para me lembrar do por que mesmo eu não poderia me jogar nos braços dele e pedir para ele me foder a noite inteira de um jeito que apenas ele conseguia. Era uma questão de princípios eu não estava pronta para nada sério no momento e além do mais, eu sabia que com ele nunca seria nada de apenas uma noite, ou algo passageiro, não era assim que as coisas funcionavam com ele, não com ele. Mas Deus sabe o quão difícil era pra mim, ainda mais agora sabendo sobre a Celina. Eu não estava com raiva dele nem agora nem antes, eu queria estar, mas eu não conseguia, estava com raiva da situação, me deixava frustrada, mas em partes, foi o que me fez parar para pensar.

Lysandre - Anne, nós podemos conversar? (Foi como se alguém tivesse desligado o som da sala automaticamente quando ele disse isso, de repente, todo mundo calou a boca instantaneamente e travou no mesmo lugar por alguns segundos, mal dava para escutar até mesmo a respiração de alguém ali.)

Anne - Hum… Claro. (Eu disse meio incerta levantando uma das sobrancelhas continuando tomando o meu café. Sobre o que ele queria conversar?)

Castiel - Olha só, está na hora de ir mijar em círculos no muro da vizinha, vamos Nelly, o muro é grande, vamos embora. (Ele disse a puxando pelo pulso a arrastando para o lado de fora de casa a fazendo reclamar sobre a cabeça dela que ainda doía, mas acho que ela tivesse andando mais devagar ele a teria carregado.)

Anne - Ele poderia ter usado pelo menos uma desculpa crível. (Ele riu e assentiu com a cabeça com o meu comentário sobre o Castiel.)

Lysandre - Ou simplesmente saído por motivos óbvios. (Sim, também era uma opção.)

Anne - E então, sobre o que quer falar? (Eu perguntei esperando uma resposta da parte dele. Não seria sobre a Celina, seria? Eu não tenho certeza se ela contaria à ele e se ela não contasse não seria eu que faria isso, eu não conhecia a garota em nada e muito menos sabia se ela se lembraria de ontem, ela tinha bebido e eu não tinha ideia da quantidade. Então eu simplesmente manto a informação é Continuei agindo da maneira mais normal o possível.)


Lysandre - Era uma mentira. (Ele disse respirando fundo me fazendo franzir as sobrancelhas e balançar a cabeça dando de ombros sem entender do que se tratava.)

Anne - Do que é que você está falando? Seja um pouco mais específico por favor,eu preciso de ajuda para entender. (Eu perguntei esperando um explicação um pouco mais clara. O que era mentira afinal de contas?)

Lysandre - Sobre a Celina, ela não está grávida. (Oh, então ela se lembrava da noite passada e tinha criado coragem o suficiente para contar a verdade à ele então. Impressionante eu deveria dizer, talvez ela não fosse tão ruim afinal de contas, foi apenas uma situação desagradável.)

Anne - Ah sim, vejo que ela resolveu te contar. (Ele franziu as sobrancelhas sem entender, vendo que isso não parecia ser nenhuma novidade para mim e isso o fez estranhar o fato.)

Lysandre - Espera… O que você disse? Por que você não está surpresa? Você sabia que ela estava mentindo? (Ele fez várias perguntas quase ao mesmo tempo, quase me senti em um interrogatório em uma daquelas salas minúsculas sendo observada e gravada em tudo o que eu dizia, mas tudo bem, era bem compreensível da parte dele levando em conta a minha reação de nenhuma surpresa no fim das contas. Eu dei de ombros e assenti com a cabeça terminando de tomar o restante do café que estava na minha xícara e levantei da mesa indo em direção a cozinha lavar os copos.)

Anne - Sim, eu sabia, pelo menos desde ontem. Eu encontrei ela numa festa que eu fui com a Ambre e a Nelly ontem à noite. A Ambre a conhece e ela acabou me contando quando o assunto surgiu por que eu reconheci a Celina na festa também e ela estava bebendo. Achei isso estranho pra alguém que se dizia grávida, então ela acabou me contando a verdade quando eu fui falar com ela. (Eu disse normalmente e dei de ombros.Tudo bem que eu amenizei os fatos, eu não tinha ido falar com ela com tanta felicidade do mundo como uma aconselhadora, eu mais tinha a enfrentado do que realmente conversado pra falar a verdade, não que fosse realmente a minha intenção, mas no final acabou tudo muito bem e eu consegui controlar bem a indignação do momento. Não era nenhuma novidade pra mim, mas a novidade era grande coisa pra ele, menos uma responsabilidade na vida, o que não fazia a menor diferença pra mim no momento.)

Lysandre - Por que não me disse antes? (O que ele esperava que eu fizesse? Que eu ligasse para ele no meio da madrugada para lhe contar que a ex namorada estava tentando dar o golpe da barriga? Não iria acontecer.)

Anne - Por que isso não me diz respeito Lys. Ela tinha mentido pra você, então era ela quem tinha que tomar a decisão de contar a verdade pra você ou não. Só por que eu sabia, não significava que eu iria me enfiar no meio da situação, isso era entre você e ela. (Ele franziu as sobrancelhas parecendo estranhar a minha reação, eu não estava tentando ser maldosa com ele nem puni-lo por nada, mas talvez para ele essa era a ideia que eu estava passando mesmo pronunciando cada palavra com calma. Ele não sabia a crise existencial que isso tinha desencadeado em mim, o efeito que toda essa situação tinha descarregado nos meus ombros, muito provavelmente cedo ou tarde eu teria que explicar à ele eu sabia disso, só não imaginei que seria tão cedo.)

Lysandre - Hum… Acho que eu entendo, pelo menos eu acho. (Não, ele não entendia, ele não tinha todas as informações necessárias para entender então eu não o culpava.) Bem… Isso é uma boa notícia não é? Isso quer dizer que não há problema nenhum em sairmos de novo, sabe, não vou ser pai de novo. (Ele disse com humor me fazendo coçar a cabeça e respirar fundo antes de secar as mãos depois de ter terminado de lavar tudo o que estava na pia. Tudo bem, seria cedo então que eu teria que explicar à ele o que estava se passando na minha cabeça, não era uma obrigação da minha parte, mas eu sentia que eu precisava.)

Anne - Hum… Olha Lys, eu… (Eu respirei fundo novamente colocando uma das mãos na cintura e olhando para ele me escorando no balcão da cozinha atrás de mim agora.) Eu não sei se você vai me entender, mas eu vou fazer o possível para ficar o menos confuso o possível. (Ok, já tínhamos começado muito bem, pela cara dele ele já não estava entendendo nada, mas estava fazendo um esforço para entender.) Eu não sei o que eu quero da vida, eu não sei mais quem eu sou e definitivamente não sei quem eu sou sem você. Eu me sinto meio perdida, sem um motivo pra querer fazer as coisas. (Ele parecia não estar entendendo, mas ainda assim que lê continuou calado esperando que eu terminasse de lhe explicar.) Eu basicamente vivi a minha vida sem me importar com absolutamente nada nem ninguém, eu nunca vi um motivo para ser uma pessoa melhor, a não ser quando eu estou com você, então… Eu sou assim? Só me importo com alguma coisa por sua causa? Eu… Eu tenho que descobrir isso primeiro, por que eu não quero ser alguém por sua causa, eu quero ser alguém por minha causa. (Eu acho que eu não poderia ter explicado de uma maneira melhor e eu não acho que ele conseguiria entender também mesmo que eu desenhasse.)

Lysandre - Isso é por causa do que houve com a Celina? Por que ela não vai voltar a incomodar. (Respirei fundo balançando a cabeça de um lado para o outro devagar antes de cruzar os braços.)

Anne - Não é sobre ela e não querendo ser clichê, mas já sendo, o problema sou eu, literalmente, eu preciso de um tempo pra mim primeiro Lys. Eu quero descobrir o que eu quero primeiro antes de ter que me preocupar ou ter que pensar em qualquer outra coisa. (Ele parecia ainda mais confuso do que se eu não tivesse explicado nada.)

Lysandre - Me desculpe, hum… Mas eu não entendi. (Eu não pude deixar de rir levemente do quão sincero essa frase tinha sido da parte dele.)

Anne - Está bem querido, eu não entendo também. (Eu disse dando de ombros.)

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu já estava voltando pra casa, pra falar a verdade eu não tinha dito a ninguém que eu estava em Londres e muito menos que eu estava com um corretor de imóveis. Claro que eu tinha sido obrigada a contar para a Chloe o que eu estava fazendo quando encontrei com ela em um restaurante, mas acabou tudo bem, ela disse que não iria contar nada a ninguém eu não queria nada disso como um assunto por enquanto, foi até bom, eu pude conversar com ela é tirar muita coisa do meu sistema na verdade, nós almoçamos juntas e ela acabou indo olhar as casas comigo. No fim das contas eu tinha simplesmente me apaixonado por uma das casas, pra mim ela era perfeita, um pouco acima do meu orçamento que eu tinha previsto eu devia dizer, então eu acabei fazendo uma oferta e agora a única coisa que eu devia fazer era esperar para ver se os donos atuais aceitariam ou não. Eu já estava quase chegando em Nova York novamente, faltavam alguns minutos para o voo aterrissar.

??? - Anne? Anne Wood? (Larguei o celular antes de virar a cabeça e ver a voz familiar que estava me chamando.)

Anne - Dake? (Eu perguntei completamente estarrecida ao ver o loiro em pé ao lado de onde eu estava sentada. Ele sorriu ao confirmar que era eu mesma e se sentou no assento vazio ao meu lado.)

Eu acho que eu não consigo me lembrar qual tinha sido a última vez que eu tinha falado com ele, mas já fazia uns bons anos. Eu sabia que ele ainda mantinha contato com meus pais, isso por que vez por outra eles me ligavam para me dizer alguma conquista que ele tinha feito e sempre começavam a conversa com: Você lembra do Dake? Como se eu realmente fosse esquecer quem ele era. Mas daí conversar com ele realmente, acho que eu ainda morava em Londres quando isso aconteceu, eu não sei até onde ele sabia sobre mim ou se possivelmente meus pais o mantinham atualizado também.

Dake - Quanto tempo eu não te vejo, parece uma eternidade. (Eu que o diga, eu mal o reconhecia para falar a verdade, confesso que demorei alguns segundos para fazer a ligação com ele.)

Ele estava mais velho é claro, o tempo tinha passado para todo mundo. Mas ele parecia ter mudado completamente os traços, o rosto, o corpo, estava completamente diferente, ou talvez isso se devia ao fato de que fazia muito tempo que eu não o via ou pensava sobre ele, isso pode ter feito com que eu me esquecesse um pouco dele também. Eu sorri minimamente e assenti com a cabeça concordando com ele, realmente fazia muito tempo, era quase em uma outra vida que parecia bem distante agora.

Anne - Está indo para Nova York? (Ele sorriu e assentiu com a cabeça. Ok, então ele não estava fazendo uma ponte aérea.)

Dake - Eu tenho uma reunião na cidade, não vou ficar por muitos dias. Fiquei sabendo que se mudou pra cá a algum tempo. (Claro que ficou sabendo, meus pais provavelmente contaram para ele, ou colocaram em um jornal.)

Anne - É, eu assinei um contrato com uma agência na cidade a longo prazo e pensei que seria uma boa oportunidade. (Ele assentiu antes de escutarmos o piloto anunciar que deveríamos afivelar os cintos e retornar as poltronas para a sua posição inicial por que já estávamos descendo.)

Dake - E então, eu estou na cidade por alguns dias, o que acha de sairmos para tomar um café? Aposto que você conhece os lugares melhores do que eu. (Não pude deixar de me surpreender com o quão rápido isso tinha sido.) Não precisa se assustar tanto, não é nada demais, só dois velhos conhecido colocando o assunto em dia, o que acha? Eu juro, não tenho segundas intenções, se eu tivesse eu já deixaria bem claro. (Claro, eu já tinha me esquecido como ele poderia ser tão direto na maioria das vezes.) Além do mais… (Ele esticou a mão esquerda e me mostrou a aliança em seu dedo, me surpreendendo novamente.)

Anne - Oh Deus você está casado! (Eu disse completamente estarrecida e rindo, feliz por ele, não era só por que eu tinha largado o cara no altar a alguns anos atrás que eu não queria que ele fosse feliz.) Parabéns, quem é a sortuda? (De tantas coisas que meus pais me disseram sobre ele, eu me surpreendia que eles não tivessem me dito que ele tinha se casado.)

Dake - O nome dela é Lara, nos casamos tem dois meses, eu teria até te convidado mas… (Ele sorriu sem graça e deu de ombros.)

Anne - Mas nós perdemos o contato, não nos vemos a anos, muito menos nos falamos a anos e eu não acho que seria uma situação lá muito agradável para a Lara ter sua ex noiva convidada para o casamento. (Ele sorriu novamente e deu de ombros parecendo sem graça, parecendo ser uma conversa que eles já tinham tido, talvez não apenas da parte dele, mas da dela também em relação a algum ex dela.) Por que ela não veio com você? (Ele respirou fundo e deu de ombros.)

Dake - Ela precisou ficar em casa cuidando de algumas coisas. Ela tem um pequeno negócio de jóias na cidade, então a viagem de trabalho que poderia ser de lazer também continuou apenas sendo uma viagem de trabalho. (Ele não parecia lá muito contente ao dizer isso, o que poderia indicar que essa conversa entre os dois não tinha sido lá muito agradável.)

Anne - Vai ter outras oportunidades. (Foi a única coisa que eu disse vendo o avião parar na pista de pouso.) Parece que chegamos. (Ele sorriu e assentiu com a cabeça.)


Notas Finais


Até a próxima sexta ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...