História Another Love - Malec - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis
Tags Amor, Clace, Malec, Romance, Sizzy
Visualizações 52
Palavras 964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


"Mas o prazer não é ser dono da pessoa. O prazer é isso. Ter um concorrente no mesmo quarto com você."

Desculpem a demora!

Capítulo 10 - Brothers of Blood


        Envelheça comigo

Vamos compartilhar o que vemos e oh, o melhor que eu poderia ser

Nossas mãos podem envelhecer e nossos corpos mudarão

Mas continuaremos a ser quem somos.

-Tom Odell, Grow Old With Me                                                   ∞

- E você pediu para namorar com ele? - Izzy falava animadamente com o irmão. - Estou tão orgulhosa de você.

- Você é o meu orgulho, Isabelle.

Alec abraçou Izzy por bastante tempo, e falavam sobre Magnus, Simon e sobre seus respectivos relacionamentos. Max assistia algum seriado infantil, e Simon estava preparando uma torta doce para sobremesa.

- Como é bom ver os irmãos unidos em comunhão - Jace falara ao abrir a porta - e o intruso.

Simon se encolheu.

- Talvez seja você o intruso. - Rebateu Isabelle.

- Por quê? Porque sou adotado?

- Não foi o que eu quis dizer...

- Mas disse. Tudo para defender seu namoradinho.

- Ele não tem nada a ver com isso... Você começou.

- Parem! - Bradou Simon. - Não quero que brigue com seu irmão, Izzy.

- Irmão adotivo - Jace corrigiu, indo em direção ao seu quarto.

Simon  e Isabelle estavam tensos. A morena seguiu Jace, mas foi impedida por Alexander.

- Deixe que eu falo com ele, eu também preciso.

- Obrigada.

As lágrimas de Izzy rolavam devagar, ela abraçou o irmão e voltou para a sala com o namorado e Max.

- Jace, abra a porta por favor.

- Sai daqui! Você também não me conta as coisas. Eu sou o adotivo.

- Não faça drama Jacie... Isabelle percebe primeiro que você, quando eu conto algo sobre mim para nossa irmã, ela muito provavelmente já sabe mais do que eu.

Jace abriu a porta. Parecia mais cansado que o normal, mas não um cansaço físico.

- O que você tem, irmão? - O Lightwood Maior perguntou ao louro.

- Estou cansado.

Alec suspirou.

- Estamos juntos nesta mesma casa, nesta mesma família há muito tempo, e você é e sempre será meu irmão, nada  mudará isso.

- Às vezes você se distancia Lightwood Maior...

Alexander sorriu

- Temos quase a mesma altura - lembrou do que falou para Magnus - grandão.

- E quanto à mim e você...

Alec se sentia desconfortável quando qualquer pessoa tentava abordar  esse assunto, mas desta vez  foi diferente.

- Jace, esse é o meu jeito. Eu gostava de você. Muito, mas sempre soube que você não poderia retribuir o  sentimento, e mesmo assim uma gota do seu amor fraterno me servia. Vi que tentou, mas pareceu ridículo, porque você não me amava. Simplesmente queria agradecer por.... - Ele não completou. -  Mas eu te amo. Te amo,  irmão.

- Eu choraria - o louro disse sorrindo. - Vem cá, também te amo, Gigante! - E puxou Alec para um abraço.

Pela primeira vez, pareciam dois irmãos felizes.

Isabelle, Simon e Max já estavam comendo, quando Alec e Jace desceram.

Jace foi correndo até a irmã, levantou-a da cadeira.

- Eu te amo, pequena. Me desculpe.

- Não precisa pedir desculpa por nada. Também te amo.

- Desculpe, Simon. Estava estressado.

Simon arregalou os olhos.

- Sem problemas - falou ajeitando os novos óculos.

Izzy, Jace e Alec estavam se abraçando como quando eram crianças e brigavam e Robert pedia para vê-los se abraçando e faziam para agradá-lo

- Bom é ver os irmãos unidos em comunhão - Max repetiu o que Jace disse quando chegou.

Todos riram.

- Vem cá pirralho. - Alec chamou. - É ótimo.

- Simon - disse Jace. - Pode nos abraçar também se quiser, você já é quase da família. E faz uma torta doce maravilhosa!

                ∞

- Catarina sofreu um acidente Mag, está em coma, e por alguma notícia que ela viu dessas coisas que acontecem, se demorasse muito...

- Acalme-se Ragnor! - Magnus entregava ao amigo um copo de água.

- Desligar os aparelhos... eu... não vou permitir isso.

- Não vai acontecer nada, relaxe. Como aconteceu tudo isso?

- Chovia muito, e a estrada estava lisa, até onde sei... ela bateu contra uma caminhonete e...

- E a pessoa do outro carro, como está?

- Bem, o carro de Cat...

- Entendi, o carro era o seu que já está bem velho.

- A caminhonete está perfeita, aparentemente nova.

- Vou ligar para o Alexander.

- Por que? - Ragnor perguntou soluçando.

- Por que ele é meu namorado, e sabe sobre você, Cat e sua ideia mirabolante do passado.

Vinte minutos depois, Alec estava na casa de Magnus e sabia sobre o que havia acontecido a Catarina.

- Alexander, ele é meu melhor amigo na vida. Estou muito preocupado.

- Nunca tive um melhor amigo mas acredite, eu entendo.

Alec segurou a mão de Magnus, apertando-a

- Tenho que ir... - Ragnor falou soluçando.

Alec se levantou abruptamente.

- Eu levo você.

Se Ragnor era importante para Magnus, era para ele também. Beijou levemente os lábios de Magnus e desceu com Ragnor, foram em silêncio até chegarem na casa do mais velho, seguindo a orientação do mesmo. (A única coisa que falaram durante o caminho)

- Cuide do meu amigo. Ele abriu o coração para você. - Ragnor falara olhando para fora do carro.

- Eu também abri o meu para ele, e se cuida. O seu coração está fraco, por que Cat está.

- Você sabe muito, jovenzinho.

O mais velho abriu um sorriso melancólico.

- Até mais.

Alec estacionou novamente o jipe na garagem do apartamento de Magnus. Por mais fria que a noite estivesse,  ele suava.

- Espero que ele esteja melhor. Vim apenas me despedir.

- Não vai dormir aqui? - Magnus fez beicinho -, por favor.

- Amanhã começo a trabalhar.  Mas vou ficar um pouco aqui.

Alec estava deitado sobre o peito de Magnus. Levantou-se rapidamente e subiu no menor, beijando-o com fogo e paixão.

- Vou indo... - beijou outra vez Magnus encontrando sua língua.

- Por que você faz isso? - Bane perguntou.

- Por que eu posso.

- Por que atiça o meu fogo e vai embora?

- Ainda não...

- Shh - Magnus colocou o dedo indicador nos lábios do maior fazendo-o se calar. - Vá! Eu te entendo.


Notas Finais


Bisous 💜💜😍🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...