História Another Wall - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB)
Personagens Jacob "Jake" Pitts, Personagens Originais
Tags Jake Pitts
Visualizações 20
Palavras 1.631
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Era uma vez, há...


Fanfic / Fanfiction Another Wall - Capítulo 5 - Era uma vez, há...

● Outubro de 1998

-Jake?-A garotinha segurou os ombros do amigo com cuidado.-Jake, acorda... Anda, a gente vai pra fazenda hoje.

- Eu não quero, Ame...

O garotinho resmungou, se enrolando na coberta.

- Não... Jake...- Ela chamou mimosa.-Vamos... Tia Carolyn disse que eu posso cuidar de você o dia todinho. Vem, levanta...

A garotinha tentou todo tipo de suborno, carinho, chantagem e escambo. Mas o amiguinho não deu a menor importância. Até ouvir um soluço baixinho.

Praticamente pulou da cama, quase sendo derrubado pelas próprias cobertas. Sentada no pé da cama, a menininha abraçava os próprios joelhos, e chorava baixinho.

Um pouco lerdo pela febre, o garotinho foi, enrolado na manta, até a amiguinha. Se sentou lado dela e a abraçou sem jeito.

-Por que está chorando, Amelyne?

-Você não me quer aqui...-Outro soluço baixo e sentido.-Não quer que eu cuide de você... Eu vou pra casa...

-Não!-Ele a envolveu mais fortemente no peito.-Desculpa, Ame... Meu corpo dói... Eu quero ficar na cama...

-Então ficamos nós dois! Eu fico com você. Não precisa passar por isso sozinho.

-Não preciso?

Dessa vez ele é quem foi aconchegado.

-Não. Eu amo você. E sempre vou estar aqui só pra você.

•~❦~•

A ruiva se deu um momento para chorar em paz. Era tão injusto que tivessem arrancado ele de seus braços daquela forma tão cruel.

Ele era seu Jake. Seu ursinho panda manhoso e inseguro.

•~❦~•

● Julho de 2008

E finalmente era 4 de julho. Dia da Independência dos Estados Unidos da América.

Os dois já tinham 20 anos. E naquele 4 de julho eles haviam decidido comemorar seu aniversário de amizade. Afinal, suas mães haviam se conhecido em uma queima de fogos de 4 de Julho, 26 anos atrás.

Por isso estavam deitados naquele cobertor felpudo, esperando a queima de fogos começar. Cada um com uma garrafinha de cerveja.

-Jake... E se a gente fizesse uma viagem?

-Viagem? Por mim, não decidimos nada sobre a faculdade mesmo...-Deu de ombros, mas naondeixou de acariciar os cabelos ruivos.-Pra onde quer ir?

-Qualquer lugar! Desde Las Vegas, até Milão... Talvez Paris... Berlim!

-Não quer ir ao Japão? Ou pra Índia...

-Eu quero. Mas não é o tipo de viagem que você ia querer fazer. Você é ligado na tomada. E muito tímido. Imagina! Um bonitão norte americano desfilando pelas ruas asiáticas.

-Bonitão americano... Essa é boa.-Deu um gole em sua garrafa, e se distraiu em admirar a moça, enquanto os primeiros fogos de artifício começaram a estourar, lançando reflexos multicoloridos nela.-Eu amo você.

Os olhos cinzentos se fixaram nele. Apesar do sorriso, havia uma amargura no olhar dela. Mas ele era muito novo para ver isso naquela época.

-Eu também amo você.

"Mas não do jeito que você Imagina."

•~❦~•

Mais lágrimas. Os dois foram para Vegas naquele ano. E acabaram percorrendo os Estados Unidos inteiro. Então veio o convite, e a partir de Novembro de 2009, Jacob Mark Pitts, ou Jake Pitts, passou a ser a nova guitarra solo da Black Veil Brides.

Com isso vieram as festas, mulheres, bebidas mais pesadas e mais frequentes.

-Fiquei três anos esperando toda aquele seu encantamento com a vida de Rockstar passar.-O lamúrio veio baixinho. Ela acariciava a foto no porta-retratos, o rosto dele. Era a primeira foto com aquela clássica caracterização que Jake eternizaria na banda. Ela o havia maquiado, e os dois mais tinham rido do que tomado a decisão do estilo que ele ia seguir. Aquilo tinha sido algo impensado. Mas era especial pra eles.-Eu sabia que você voltaria pra mim, Jake. Naquela época nada tiraria aquela certeza. Independente de como fosse, você me amava. Do seu jeito e como sua amiga. Mas me amava.

•~❦~•

Ela não foi na formatura. Na verdade, ela mudou de Universidade, trocou de curso e de endereço. Até mesmo seu local de trabalho.

Era necessário. Claro que Sarah e Carolyn seriam absolutamente contra. Mas ela iria protegê-lo.

Não se importava em ter de perder o homem que amava para qualquer outra mulher. Não se importava de verdade. Ela continuaria cuidando dele a distância, acompanhando.

E foi o que fez por 5 anos. Cuidou, vigiou, torceu, e se encantou cada vez mais por ele. Jake naonera mais um menino, era um homem. Mas ainda era aquela figura frágil e indefesa, mesmo que quase ninguém pudesse ver. Diziam que ele era fechado, as vezes até antipático.

Ah, mas as pessoas não entendiam. Jake só não conseguia... Se ver fazendo algo em que não era o melhor possível. Mas o TEP ainda é incomum. E quase ninguém entende.

Ela entendia, sempre soube lidar com ele e suas crises de ansiedade. Ele era bonzinho, só precisava de um colo, e de alguém para conversar.

As vezes, via o quão surtado ele estava. Haviam os sinais. A maioria das pessoas não percebia. Mas ela conviveu com eles por mais de 20 anos. Os reconhecia em qualquer lugar. E tudo o que queria era envolvê-lo em seus braços, dizer que tudo estava bem, e que ele não estava sozinho.

Mas ela só podia ajudar através de Jinxx. Apesar de ser contra tudo o que ela fez, Jeremy entendia sua tentativa de proteger Jake. A isso ela sempre seria grata a ele. No fim, os dois se tornaram bons amigos. E foi Jinxx quem sempre assistiu todo o ciúme, a dor, a melancolia dela.

Claro que Jake jamais poderia saber disso. Ele ficaria realmente irado. O amigo estava trabalhando nas suas costas. Independente de ser para protegê-lo. Aquilo era traição. E os dois conheciam bem o temperamento do outro guitarrista.

Eles se encontraram numa cidade visinha á que banda estava hospedada par ao show. Aquele encontro havia sido insistência de Jinxx. Quando falou com a ruiva pelo telefone, depois da entrevista no dia anterior, ele sentiu que tinha algo mais errado do que a crise de ansiedade de Jake. Ao menos aquilo manteve os outros entretidos enquanto ele saia de fininho.

Eles estavam na pequena pousada onde a ruiva estava hospedada. As vezes dava certo ela assistir aos shows ao vivo.

-Você não vai me contar?

Ela tirou os olhos do próprio café, fixando-os no amigo.

-Sobre o que, Jeremy?

-Está profundamente magoada. Magoada com Jake. Porque ele pediu Ella em casamento. Porque você o ama, mas não admite isso nem para si mesma.

-E o que sugere?

-Está brincando? Você é uma mulher linda, se estalar os dedos vai ter o cara que quiser na sua cama.

A ruiva arqueou a sobrancelha, fixando os olhos cinzentos os azuis do guitarrista. Ergueu a mão esquerda, e estalou os dedos. Então deu um risinho desanimado, voltando a olhar a xícara quase vazia. Sendo assim, ela não viu Jeremy ficar de pé.

-Está enganado.

Parado atras da moça, uma das mãos longas segurou as suas pelo punho com delicadeza sobre a mesa, enquanto ele pegava as chaves do quarto dela com a mão livre. Então aproximou o rosto do dela.

-Provocou o homem errado, Amelyne Brooks. O homem errado.

•~❦~•

Bom, aquilo havia acontecido algumas vezes, durante o período em que Jinxx se separou de Sammy e conheceu Alice. Mas eles também concordaram que seria mais um segredo para somar na conta.

Jinxx realmente não queria que um dos melhores amigos soubesse que havia dormido com a mulher que ele amava, sabendo o que estava fazendo.

Depois que Jake havia decidido voltar a entender que era Amelyne, Jinxx realmente achou que tivesse perdido uma grande amiga. Mas ele havia se enganado redondamente. O mesmo sentimento de amizade e companheirismo que ele passara a nutrir pela ruiva era extremamente recíproco. Mas agora que ela podia cuidar do panda por si mesma, os temas das conversas eram basicamente brisas que os dois tinham.

-E então, Jerry... Ansioso pra casar de novo?

-Pra ser bem sincero? Não mesmo. Mas acho que Alice está meio... Insatisfeita.

-E porque não conversa com ela?-Arqueou a sobrancelha.-Pelo amor de... Jinxx, seu primeiro casamento não acabou exatamente por isso? Essa falta de diálogo. E você é bem falador, não consegue conversar com a sua namorada? Tipo a menina que partilha quase todos os níveis de intimidade com você há dois anos?

O guitarrista riu baixinho.

-Sabe o que é pior? Você tem razão. Sempre tem razão. Acho que vou escolher um presente pra Alice...

-Leve-a no restaurante favorito, escolhe uma mesa mais reservada e converse. Depois você dá um presente. Só não fique enrolando a menina.

-Sim, senhora!-E a seriedade do papo foi embora quando os dois riram, e então bateram as canecas de café.-Ah, Amelyne... Não sei de o Jake te contou, mas eu acho que deve saber. Isso pode ser razão pra ele ter uma crise ou sei lá. Ele pediu o divórcio há algumas semanas.

Ela parou a caneca no meio do caminho para tomar um gole. Colocou o objeto de volta na mesa.

-Jake não me contou.

-Talvez ele conte da próxima vez que saírem. Acho que ele estava com medo de te contar e desistir no meio do caminho.

A ruiva parou para pensar um momento, e então franziu a sobrancelha.

-Por que eu tenho tanta certeza de que não foi Jake, em uma roda de conversa, que contou isso pra você?

-Porque você conhece nosso pandinha muito bem. Se ele não contou nem pra você...

- Acho que eu prefiro que você não me conte o que aconteceu... Porque eu vou ter um prazer muito sádico em dar a surra que aquela varia merece há anos.

-Sim, senhora. Não vou contar que ela foi uma cadela com seu Jake, gritou uma porção de coisas ruins pra ele e o fez ficar trancado e isolado um dia inteirinho.-Ele viu um ódio descomunal se acender nos olhos cinzas.-Se o seu prazer vai ser bater, o meu vai ser assistir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...