História Another World - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 27
Palavras 1.294
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais uma música pra ouvirem durante o cap, link nas notas finais

Capítulo 6 - Festa - Parte 2


Fanfic / Fanfiction Another World - Capítulo 6 - Festa - Parte 2

Casa da Nojo

Sábado – Dia da Festa

02:30

Narrador, Vida

Talvez ter vindo á essa festa realmente não tenha sido uma boa idéia. Suspirei. Fazia mais de meia hora que o Egoísmo tinha levado a Morte pro quarto e não saíram de lá. E a única coisa que eu conseguia fazer era ficar encarando o andar de cima, sentado no sofá com alguns casais na minha volta enquanto tomava um copo de refrigerante que eu milagrosamente achei no meio de tanto álcool.

Minha mente só me trazia os piores pensamentos sobre o que os dois estavam fazendo que estavam demorando tanto. Passei a mão no rosto, suspirando novamente.

Ok cambada, cai fora, achem outro lugar pra se agarrarem – Ouvi a voz de Nojo que expulsou os casais na minha volta

Ela se sentou do meu lado, ajeitando o cabelo azul e me olhando.

O que você tem? Está quietinho ai há um tempão – Nojo

Seus amigos te largaram? – Nojo

Ah, não, não é nada disso, eu só tava... Pensando – Respondi com um sorriso fraco

Como está o seu amigo? Esperança, não é? – Nojo

Ele está bem, demos um remédio e ele ficou deitado no quarto, Saudade ficou lá para cuidar dele, obrigado por ter nos ajudado – Sorri para ela

Não há de que, querido, vocês são uma gracinha, mesmo sendo apenas um ano mais novos do que a gente, vocês são tão queridinhos – Nojo colocou a mão no meu ombro

Nojo? – Ouvi uma voz masculina

Raiva estava parado na nossa frente e ele me encarava com uma cara nada boa.

E... Você – Raiva

Ai meu deus, o que você ta fazendo aqui, Raiva? – Nojo passou a mão na cabeça

Você tinha me convidado, lembra? – Raiva

Eu te convidei antes da gente terminar, o que significa que você não deveria ter vindo – Nojo

Mas a gente não terminou – Raiva

A gente terminou sim – Nojo

Não, a gente não terminou, você brigou por uma coisa idiota e disse que queria um tempo – Raiva

Ok, Raiva, eu vou ser mais especifica então – Nojo se levantou, parando na frente dele

Estamos terminando, aqui, e agora, deu pra entender? – Nojo o encarou

Você... Que porra, Nojo, por que ta fazendo isso?! A gente tava tão bem! – Raiva estava visivelmente irritado e começava a alterar a voz

Eu ainda to achando que isso vai dar ruim.

Nós não estávamos bem coisa nenhuma, Raiva, você e esse seu ciúmes possessivo me irrita, e eu sei que aquele sutiã não era meu – Nojo

Eu já disse que era seu sim e que você não se lembra – Raiva

Eu posso ser um pouco esquecida, mas se tem uma coisa que eu não esqueço, é das minhas roupas – Nojo

Isso é paranóia da sua cabeça, sua maluca, eu já te disse que não te trai – Raiva

Não ouse alterar esse maldito tom de voz comigo, Raiva, eu já disse que acabou e pronto – Nojo

Nojo... Vamos pra outro lugar, por favor, vamos conversar – Raiva foi até ela, segurando seus ombros e a olhando tristemente

Como esses caras conseguem mudar de expressão tão rápido?

Raiva, me solta, eu já disse que acabou, não temos mais nada para conversar – Nojo se soltou

Ela voltou para o sofá, sentando ao meu lado.

Agora, se não se importa, dá o fora da minha casa, eu estou ocupada conversando com meu novo amigo, você sabe onde fica a saída – Nojo

Raiva me olhou irritado.

Tentando roubar a garota do meu melhor amigo e agora, a minha? Qual o seu problema, moleque? – Raiva veio na minha direção

Eu disse pra cair fora, Raiva! Você é surdo? – Nojo se pôs na minha frente

Eu juro por deus que vi a calcinha branca dela por debaixo da saia curta. Não era minha intenção, mas acabou acontecendo. Eu fiquei vermelho como um pimentão e virei o rosto para o lado.

Nojo- Raiva

Agora, Raiva, antes que eu chame o pessoal do time e eles vão te tirar a força – Nojo cruzou os braços

Ele permaneceu quieto por um tempo e encarou o chão, logo, voltou a me encarar.

Você me paga, garoto – Raiva apontou para mim e deu as costas, saindo dali

Ela suspirou e voltou a se sentar do meu lado.

Você está bem? – Perguntei

Eu estou sim, desculpe por isso, Raiva se irrita facilmente, e não se preocupe, ele não vai bater em você – Sorriu gentilmente

Obrigado, por me defender – Sorri

Tudo bem, agora, eu vou precisar perguntar, que história é essa de roubar a garota do melhor amigo dele, ele tava falando da Morte e do Egoísmo? – Nojo

Engoli em seco, droga, o que eu ia fazer? Já estava muito na cara, não podia mentir agora.

O Egoísmo gosta dela? – Eu já sabia, mas queria ter a total certeza

Isso fica bem na cara, não é? Mas, sim, ele é apaixonado por ela – Nojo assentiu

Droga.

Bom, ele falou sobre eu roubar a garota do Egoísmo, pois, já faz um tempo que... Eu gosto da Morte... – Eu disse isso tão baixo, torcendo para que ela não ouvisse

Ela arregalou os olhos e abriu um largo sorriso.

Não acredito, que amor, você gosta dela – Nojo

Por favor, não comenta isso com ninguém – Pedi

Não esquenta, isso fica entre a gente, foi por isso que veio na festa? Era uma chance de conseguir falar com ela? – Nojo

Também, eu nunca tinha ido em uma festa também – Cocei a nunca

Já faz quanto tempo isso? – Nojo

Desde que eu entrei no colégio, foi amor á primeira vista, sabe? Ela era tão linda, tão gentil e legal, desde então, o sentimento só aumentou, mesmo sabendo que eu nunca teria chance nenhuma com ela – Contei

Meu deus, isso parece história de livro, tão fofo, nunca pensei que alguém gostasse dela assim, a Morte sempre foi bem na dela, mesmo com os garotos babando por ela, ela nunca quis ninguém, mas ela nunca teve um brilho nos olhos com ninguém, mas daí vocês começaram a conversar de vez em quando, ela parecia admirar o brilho que você tem – Nojo

É-é mesmo? – Eu fiquei surpreso

Sim, quem sabe o sentimento não seja recíproco? – Nojo

Acha que eu teria alguma chance? – Vida

Eu não digo que não teria, mas sim, que você deveria tentar, quem sabe – Ela sorriu, dando de ombros

A Morte já passou por muita coisa, acho que seria bom ter alguém como você do lado dela – Nojo sorriu gentil

De repente, ouviram a voz masculina novamente.

Vida! – Era Raiva que vinha em sua direção

Puta que pariu! – Nojo se irritou

Ela me segurou pela gola da camisa e... Me beijou! Eu arregalei os olhos, Raiva parou no mesmo instante, e no mesmo instante... Morte descia a escada junto do Egoísmo. Ela me olhou e em seguida desviou o olhar, parecia... Decepcionada? Merda!

Nojo me soltou e segurou meu braço, encarando Raiva.

Ta satisfeito agora? – Nojo

Você... – Raiva estava incrédulo, assim como eu

Egoísmo desceu as escadas, indo até o amigo.

Raiva! O que aconteceu? – Egoísmo

Eu vi que a bochecha dele estava vermelha, o que havia acontecido lá em cima?

Raiva estava... Chorando?! Eu vi os olhos dele se encherem de lágrimas, meu deus, o que eu fiz?! Egoísmo o puxou, saindo para fora.

Morte me encarou ao pé da escada, com as mãos no bolso e voltou para o andar de cima.

Desculpe, Vida, eu tive que dar um jeito – Nojo me soltou

T-tudo bem... – Apenas assenti

Ah, droga, acho que a Morte viu – Ela passou a mão no rosto

É melhor você ir pra casa, encontre seus amigos, vou encerrar a festa, não se preocupa, eu falo com ela, esclareço tudo – Nojo colocou a mão no meu ombro e se levantou

Eu assenti e ela saiu dali. Passei a mão no rosto. Merda! 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...