História Another World - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 24
Palavras 2.021
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Leiam as notas finais <3

Capítulo 7 - Ressaca


Fanfic / Fanfiction Another World - Capítulo 7 - Ressaca

Zephyr City

Casa do Vida

Domingo

08:00

Narrador, Vida

Confesso que não havia conseguido pregar o olho a noite inteira, eu nem consegui, estava totalmente sem sono, só conseguia pensar no que havia acontecido na noite passada.

Mesmo depois de voltarmos para casa, eu ainda ouvi o Esperança chorando baixinho na cama debaixo, agora ele realmente parecia dormir um pouco melhor, mas as olheiras estavam horríveis.

Eu passei a noite toda me revirando na cama e encarando o escuro. Será que a Morte ficou chateada com aquilo?

Essa era a única pergunta que pairava na minha mente. Eu tenho até medo de ir á escola amanhã, Raiva vai me matar, Egoísmo vai me matar, um clima estranho vai ficar entre o Esperança e a Inspiração.

Como uma festa conseguiu fazer tanto estrago? – Coloquei as mãos no rosto

Pelo menos admitimos que foi uma idéia ruim – Ouvi a voz de Esperança

Ele se virou, na cama de baixo para mim, ainda abraçado aos lençóis e com cara de sono.

Você viu a Inspiração depois da festa? – Esperança

Não, eu liguei pro meu pai buscar a gente, Saudade disse que ia procurar ela e depois iriam para casa – Respondi

O que aconteceu depois que eu basicamente, desmaiei? – Esperança

Eu e a Morte conversamos, foi incrível, então o Egoísmo apareceu, dizendo que queria falar com ela, eles foram para o quarto e eu desci pro primeiro andar de volta – Expliquei

Você deixou eles ficarem sozinhos no quarto?! Qual o seu problema, Vida? – Esperança

E você queria que eu fizesse o que?! – Disse indignado

Deus do céu, Vida – Esperança passo a mão no rosto

Posso continuar? – Vida

Vai lá – Esperança

Nojo se sentou do meu lado, conversamos, Raiva apareceu, eles discutiram, ele saiu fora, continuamos conversando, ele voltou, ela se irritou e me beijou – Vida

Nossa, é tão simples assim conseguir um beijo? – Esperança

Não foi de propósito, Esperança, foi só porque ela tava irritada e queria que ele saísse dali – Vida

Ta, e ai? – Esperança

E ai o pior aconteceu, bem na hora, Morte desceu as escadas com o Egoísmo, nunca vou esquecer o olhar dela, ela me olhou como se eu tivesse feito a pior coisa do mundo, ninguém nunca me olhou com um olhar decepcionado daquele jeito – Coloquei as mãos no rosto

Raiva começou a chorar, ele me ameaçou também, Egoísmo tirou ele de lá e a Morte subiu para o segundo andar de volta, deus do céu, eu estraguei tudo – Vida

É, eu vou ter que concordar, e você vai levar uma surra no colégio amanhã – Esperança

Ah, é mesmo? Muito obrigado, Esperança – Respondi irônico

Mas a surra que você vai levar ainda vai doer mais do que ver a Morte te ignorando – Esperança

Eu duvido muito – Suspirei

.

.

.

Segunda

Narradora, Autora

A semana seguinte havia chegado. Vida seguiu para a aula normalmente. Enquanto passava pelo pátio, ele olhou para o estacionamento, onde viu Nojo e Morte conversando.

A azulada acenou para ele, mas Morte continuou de costas. Ele acenou para Nojo e manteve um olhar triste para Morte. Do outro lado do estacionamento, ele viu Raiva e Egoísmo encostados em um carro, Egoísmo estava com um band-aid no rosto, Vida se lembrou do rosto vermelho dele na festa, ainda queria saber o que havia acontecido no quarto para que ele ficasse assim.

Ele seguiu seu caminho, até encontrar Inspiração e Saudade.

Bom dia, Vida – Saudade

Oi – Ele sorri fraco

Tudo bem? – Inspiração

Tudo sim – Assentiu

Eu pensei que o Esperança fosse vir com você, sabe se aconteceu algo com ele? Esse idiota não responde minhas mensagens – Inspiração olhava o telefone

Saudade e Vida se entreolharam, sabiam o que havia acontecido.

Talvez ele só esteja atrasado – Saudade

É, tenho certeza que logo ele chega – Vida

Hum, ta... Bom, então – Ela os olhou estranho

Vamos entrar? A aula logo já começa – Saudade mudou de assunto

Claro, vamos lá – Inspiração assentiu e saiu na frente

Ele mandou alguma mensagem pra você? – Vida falou baixo apenas para Saudade

Não, eu também pensei que ele estivesse com você – Saudade

Não, ele foi embora ontem logo depois que acordou, não me mandou nenhuma mensagem nem nada, eu liguei pra ele, mas ele não atendeu – Vida

Isso o atingiu tanto assim? – Saudade

Eu não sei, talvez tenha sido – Vida deu de ombros

Vamos torcer para que ele chegue logo, estou preocupada – Saudade

Eu também – Vida

.

.

.

Os três estavam na aula já, Vida encarava o lugar vazio do amigo ao seu lado. Logo, alguém bateu na porta, interrompendo a aula. A professora abriu a porta e um rapaz estava ali.

Vida levantou o olhar e arregalou os olhos vendo o rapaz.

Esperança?! – Vida

Ele era igual ao seu melhor amigo, a única diferença eram as roupas mais descoladas e o piercing na orelha.

Meu deus, o que aconteceu mudou tanto ele assim? – Saudade

Que porra é essa, Esperança? – Inspiração

Esperança? – O rapaz arqueou a sobrancelha

Oi – Esperança apareceu na porta, ao lado do rapaz

Meu deus do céu, existem dois esperanças?! – Vida colocou as mãos na cabeça

O que? Não, esse é o meu irmão gêmeo, Interesse – Esperança apresentou o irmão

Desde quando você tem um irmão? – Inspiração

Desde que eu nasci? – Esperança disse como se fosse óbvio

Mas, mas, nós pensamos que pelo que aconteceu na festa... – Saudade

Nah, eu to bem – Esperança

Por que não atendeu as ligações e não respondeu as mensagens? – Inspiração

Eu perdi meu telefone na festa – Esperança

Você nunca disse pra gente que tinha um irmão – Vida

Interesse estava fora do país, na casa do nosso pai, ele voltou essa semana pra casa e a nossa mãe matriculou ele na escola, agora ele começa a estudar conosco – Esperança

Espera, espera, você tem duas mães e um pai? – Inspiração

É – Esperança assentiu

Que confusão – Saudade

Outra hora eu explico melhor – Esperança

Se o papo já acabou, poderiam se sentar? Eu gostaria de continuar a aula – Disse a professora já de braços cruzados

Foi mal – Esperança

Ele foi para o seu lugar e Interesse se sentou na mesa na sua frente. Interesse era bem ajeitado e charmoso e chamou a atenção das garotas da turma.

Ta tudo bem mesmo? – Vida sussurrou para o amigo

Eu to legal, foi apenas um momento de tristeza e desprezo, seguida de uma ressaca ferrada, eu to bem – Esperança

Meninos! – A professora chamou sua atenção

Os dois se ajeitaram em seus lugares e voltaram a prestar atenção na aula.

.

.

.

Era hora do intervalo entre aulas. Vida saiu da sala para pegar alguns livros em seu armário.

Psiu – Ouviu

Ele olhou em volta, tentando procurar de onde vinha aquilo. Ele viu a porta do vestiário masculino entre aberta. Arqueou a sobrancelha, quem deveria ser?

Ele foi até a porta e a abriu, olhando em volta o banheiro vazio.

Olá? – Vida

De repente, ele apenas se sentiu ser puxado para um canto e empurrado contra a parede. Já imaginou ser Egoísmo ou Raiva que havia decidido lhe dar a merecida surra.

Por favor, não me bate! O beijo foi sem querer! – Ele colocou as mãos na frente do rosto

Mas a pessoa não fez nada. Ele abriu os olhos e abaixou devagar as mãos, vendo um par de peitos com um colar quase entre eles. Subiu o olhar, vendo...

Morte? – Vida

Ela estava na frente dele, com um braço ao lado dele, o prendendo contra a parede.

Queria falar com você – Morte

No vestiário masculino? – Vida

Era o lugar mais vazio, não se preocupe, eu não vou estuprar você – Morte segurou uma das tranças do cabelo dele

Eles ouviram o som de risadas e em seguida, alguém entrou no banheiro. Morte puxou Vida consigo e se esconderam ao lado de um vão entre o armário e a parede.

Vida arregalou os olhos, pois Morte o agarrou contra si e sua cabeça estava nos seios dela. Ela ficou cuidando de canto para quando os rapazes iriam sair do banheiro, o que não demorou muito. Quando saíram, ela o soltou e suspirou aliviada. O rosto de Vida estava como um pimentão. Ela ajeitou seu casaco e colocou as mãos no bolso

Então... Você e a Nojo estão saindo? – Ela foi direto ao ponto

O que? Não – Ele negou

Na festa vocês estavam juntos – Morte

Aquilo foi... Ela me beijou porque o Raiva não parava de importunar ela... E-eu não queria – Vida

Não queria beijar ela? – Morte

Não... Quer dizer, talvez, ela é bem bonita... M-mas não, eu não queria – Vida segurou o braço, encarando o chão

Aquilo foi só pra irritar o Raiva? – Morte

S-sim... – Ele assentiu

Ela se manteve quieta e após alguns segundos, deu uma breve risada.

O-o que é tão engraçado? – Vida

Desculpe, eu me preocupei á toa – Morte

Se preocupou? Com o que? – Vida

Nada importante – Morte negou

Já beijou alguma garota antes? – Morte

Vida ficou mais vermelho ainda, como poderia falar para a garota que gostava, que aquele havia sido seu primeiro beijo? Ele obviamente queria que seu primeiro beijo fosse com ela.

N-não... – Coçou a nunca, envergonhado

Foi um selinho ou um beijo de verdade? – Morte

F-foi um selinho – Vida

Hum – Morte levou á mão ao queixo

Ela se aproximou dele e ele deu alguns passos para trás, até encontrar a parede. Ela levou as mãos cheias de anéis e com unhas pretas até o rosto dele, aproximando seu rosto do dele e lhe dando um beijo.

Vida quase teve um troço ali mesmo, ele estava envergonhado e nervoso, nunca havia beijado antes e agora estava beijando o amor da sua vida.

Sentia a língua dela em sua boca e seus lábios contra os seus. Aquele ele poderia dizer que foi o melhor primeiro beijo da sua vida. O engraçado era o quanto ela tinha que se curvar para poder beijá-lo.

Após um tempo, eles se separaram e manterão os rostos um perto do outro, respirando pesado.

Nada mal para um primeiro beijo, mas você acabou mordendo minha boca – Ela se afastou e passou o dedo no pequeno corte em seu lábio

Meu deus, me desculpa! – Ele colocou as mãos na boca

Ela riu, ele ficava tão bonitinho quanto ficava nervoso.

Tudo bem, agora você pode dizer que já deu seu primeiro beijo – Morte passou a mão no seu cabelo

Ele baixou o olhar um momento, encarando o chão.

Mas... Você não está com o Egoísmo? – Vida a olhou

Hum? Egoísmo? Não – Ela negou

Eu pensei que... Na festa... Vocês – Vida

Ele se declarou pra mim, mas eu disse que não sentia o mesmo, ele se irritou, tentou me beijar, eu bati nele – Ela apontou para o rosto, mostrando onde havia batido nele

Eu expliquei pra ele que não posso ficar com alguém que não gosto, e ele é meu melhor amigo, eu não sinto o mesmo por ele, não podia fazer nada – Morte

Disse para que ele encontrasse alguém que sentisse o mesmo por ele, ele disse que não queria outra pessoa, tentou me beijar de novo e eu acabei arranhando a cara dele, por isso o band-aid, mandei ele ir pro inferno e ficar longe de mim – Morte

Agora ele e o Raiva ficam bostejando por ai sobre a Nojo e eu, mas eu não ligo – Ela deu de ombros

E-entendi – Vida assentiu

Ele ameaçou você, não foi? – Morte

Vida assentiu.

Ele e o Raiva disseram que iam me bater se eu chegasse perto de você, e piorou ainda depois da festa, se eu chegasse perto de você ou da Nojo – Vida

Que babacas, enfim, não se preocupe, eles não vão fazer nada, pelo menos não enquanto eu estiver aqui – Morte sorriu de canto

O sinal bateu para o próximo período. Eles se entreolharam e ela se desencostou do armário atrás de si.

A gente se vê por ai, Vida – Ela deu um beijo na bochecha dele e saiu dali

Vida escorregou pela parede, parando sentado no chão, os coraçõezinhos pairavam em sua cabeça, ele não conseguia acreditar no que havia acontecido. Aquilo havia sido uma prova de que Morte gostava dele, talvez não tanto quanto ele gostava dela, mas, por enquanto, era o suficiente para ele.


Notas Finais


Eai gente, estou ajudando um amigo a divulgar a fanfic dele, então, se puderem dar uma olhada, https://spiritfanfics.com/historia/cacador-de-aberracoes-10913835 agradeço desde já <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...