História Antes do Alvorecer - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Galina "Red" Reznikov, Nicky Nichols, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Lorna Morelo, Nicole Nickols, Piper Chapman, Willian
Visualizações 182
Palavras 1.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, LGBT, Orange, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Necrofilia, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ooooi gente! Tudo bom com vocês? Comigo está tudo ótimo, obrigada. Essa e minha primeira fanfic Vauseman. Como sou apaixonada pela literatura gótica então nada melhor do que unir o útil ao agradável, não é? Possivelmente a estória que irão acompanhar pode se parecer com outra, um filme ou uma série do tempo medieval, pois como fã incontestável dessas obras sombrias foi onde me inspirei para escrever, nada aqui será copiado e sim inspirado. Espero que gostem dessa aventura pelas terras obscuras e toda crítica construtiva é bem-vinda. Chega de bla bla bla e vamos ao que interessa.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Antes do Alvorecer - Capítulo 1 - Prólogo

Hereford, condado de Herefordshire, Inglaterra 1887.

Era uma manhã onde mesmo o sol se escondendo atrás das nuvens acinzentadas era possível sentir seu calor emitido, já se aproximava do meio-dia. O que não queria dizer que era suficiente para espantar o frio que fazia. Era fim e outono e já se aproximava o inverno europeu.  A pequena fazenda estava a todo vapor como todos os dias.

- Hey bonitões, o almoço está pronto.

- Já estamos indo filha, so faltam algumas pilhas de grãos.

- Tudo bem, não demorem. _ se retirou para dentro da casa novamente.

- Nossa Pipes, o cheiro está ótimo, espero que o gosto esteja também. _ disse seu irmão mais velho a abraçando sendo irônico ao chegar na cozinha.

- Me solte Willian, está suado e cheirando vaca. _ tentou se soltar dos braços fortes do irmão sorrindo. – E sabe que cozinho muito bem seu ingrato. 

- Pois então vou abraça-la mais forte.

Robert entra na cozinha e sorri ao ver a interação dos filhos, os dois eram tudo para ele. Após a morte de sua esposa Caroline ao dar luz a Piper, assumiu o papel de pai e mãe dos dois os criando com esmero e zelo sendo esses seus maiores orgulhos que Carol, como era carinhosamente chamada por ele, havia lhe deixado. Agora ambos eram adultos e faziam todo possível para recompensar o esforço feito por Robert em prol deles. Tinha quarenta e seis anos de idade, seus cabelos já estavam grisalhos o que o deixava mais charmoso, de estatura alta e pele alva ainda possuía a mesma disposição para o trabalho como se ainda tivesse na casa dos vinte anos e idade.

Piper Elizabeth Von Bryer Chapman, vinte e um anos de idade, uma bela moça de olhos azuis, pele clara, cabelos loiros lisos com as pontas cacheadas que iam até o meio de sua cintura delgada, era considerada de estatura alta em relação as jovens de sua cidade. Desde seus doze anos ajudava nos afazeres domésticos sendo ensinada por sua falecida avó paterna que morreu quando Piper completou quinze anos e sendo assim a jovem assumiu todo trabalho, o que para ela era uma enorme satisfação. Em suas horas vagas gostava de ler diversas obras literárias inglesas como Willian Shakespeare, Jane Austen e Charles Dickens.  Piper aprendera a ler e escrever com sua avó, assim como seu irmão e por isso gostava de ensinar as crianças que moravam próximo ao mesmo aprendizado, ganhando uma renda extra como professora. O que na verdade era seu maior sonho, entrar em uma universidade e lecionar mesmo sendo algo praticamente impossível para sua época devido à grande repressão social que as mulheres viviam nesse período. Seu irmão Carl Willian Von Bryer Chapman, apenas chamado de Willian ou Will, trabalhava na pequena fazenda com seu pai ajudando na lavoura de grão de milho e alguns animais bovinos, suínos e aves que serviam tanto para o alimento próprio como para venda. Era alto, branco, de porte forte devido a intensa rotina de trabalho, possuía lindos olhos azuis e cabelos loiros curtos. Era um rapaz muito bonito e educado de vinte e cinco anos de idade.

Os três almoçaram entre risos em uma conversa animada, era sempre assim. Apesar das dificuldades da vida nunca deixavam se abalar buscando permanecer sempre juntos.

- Filha soube que o senhor Lawford está procurando alguém para lecionar para seu filho Victor, parece que o garoto tem dificuldades na escrita e leitura. Coisa comum não é mesmo? O que me diz? _ se pronuncia Robert após terminar sua refeição.

- Me parece interessante papai, apenas acho distante demais onde moram, do outro lado da cidade. _ beberica sua cidra que era acompanhada no almoço.

- Isso não é problema Pipes, eu posso te levar e ir busca-la sempre que necessário. _ diz Willian. – Afinal quase sempre estamos indo até lá.

- A ideia me agrada bastante, obrigada Will.

- Por nada minha linda, estou para isso também. _ sorriu para a irmã recebendo um sorriso singelo de volta. 

- Pense bem querida, quando decidir me avise e então falarei com ele. _ se pôs de pé. – Agora vou descansar um pouco antes de voltar ao trabalho. _ se retirou da cozinha.

- Não acha que vai embora e me deixar aqui sozinha. _ disse Piper ao ver o rapaz se levantando sorrateiramente para ir embora. – Vamos, me ajude com as louças.

- Ai Pipes eu estou cansado. _ fez uma careta. – Ainda tenho que voltar ao trabalho.

- Por isso mesmo, quanto mais cedo me ajudar mais rápido terminamos. _ sorri cínica.

- Tem horas que eu a odeio. _ resmunga carregando as louças até a área de lavagem.

- Eu ouvi isso bonitão.

Do outro lado da cidade

- Filha viu onde deixei meus óculos? _ perguntava o homem de forma apressada olhando entre os vários frascos de diferentes líquidos na grande prateleira.

- Sim, pai eu vi, estão no seu rosto. _ diz rindo da situação.

- Ah sim... claro. _ sorri também. – A cabeça já não funciona como antes. Como você está minha querida? _ indaga encarando os límpidos olhos verdes por trás das lentes de leitura.

- Estou bem pai, foi apenas um daqueles momentos instáveis, nada com que eu já não esteja acostumada. _ lhe sorriu.

- Eu tenho muito orgulho de você Alexandra, não tenho duvidas que foi o melhor presente que Deus nos deu. _ lhe abraça dando um beijo cálido no rosto alvo e bonito.

- Eu também te amo papai. Você, mamãe e aquele chatinho são tudo para mim. _ sorri sem sair do afago paterno.

- Bom... agora vamos ao trabalho que hoje temos muito a fazer por aqui Alex.

Alexandra Lawford Vause, mais conhecida e tinha preferência de ser chamada de Alex, tinha vinte e sete anos de idade, tinha a pele alva que se assemelhava com a neve, possuía cabelos negros lisos que iam até o meio de sua costa, dona dos mais belos par de olhos verdes que eram assemelhados à pedra preciosa esmeralda, tinha a estatura alta e corpo definido devido aos exercícios físicos que praticava, era amante do tiro esportivo, manuseava com maestria o arco e flecha assim como a espada e besta. Alex ajudava sua mãe Katherine nos afazeres de casa quando podia, pois, a maior parte de seu tempo trabalhava na Botica de sua família. Richard Danniel Lawford era um Boticário muito conhecido na cidade de Hereford, além de trabalhar com a manipulação de remédios de todas as espécies também elaborava as melhores fragrâncias de toda região chegando a ser comparadas com as colônias aromáticas francesas. Richard tinha quarenta e oito anos, era alto, branco de olhos verdes e cabelos castanhos claro e era casado com Katherine Lane Lawford de quarenta e seis, uma negra de cabelos cacheados e olhos cor de mel com quem teve um filho chamado Victor James Lawford com dez anos de idade. 

- Bom dia. _ desejou uma moça sorridente ao entrar na Botica.

- Bom dia senhorita Stone. _ respondeu Alex.

- É sempre é prazer revê-la senhorita Vause. _ lhe lançou um sorriso intenso.

- Então em que posso ajuda-la. _ se limitou a sorrir.

- Bem... eu preciso de tudo que está nesta lista por favor. _ retirou o papel da pequena bolsa lhe entregando, mas não sem antes alisar os dedos da morena quando essa pegou o papel de suas mãos. Ambas usavam luvas de couro devido o frio que fazia. Alex rapidamente puxou a mão.

- Aguarde um minuto por favor. _ se retirou.

- Não tenho pressa querida.

Ao retornar trouxe em uma pequena cesta tudo o que estava na lista depositando em cima do balcão.

- Aqui está. Mais alguma coisa? _ perguntou com o semblante fechado.

- Ah sim... eu gostaria de ver uma colônia a qual me agrada muito. Acho que está no outro corredor.

A Botica era espaçosa, possuía várias prateleiras e armários com dois corredores de prateleiras de ferro com inúmeras caixas e frascos.

- Fique à vontade senhorita.

- Se não for lhe pedir muito eu gostaria que me ajudasse a procurar.

- Sim... claro. _ respondeu num suspiro.

Alex ia andando na frente até onde estavam as fragrâncias, Mary Stone vinha logo atrás a analisando dos pés a cabeça. Ao chegarem no final do corredor a ruiva a puxou pela manga do casaco negro fazendo baterem de frente, colocando a mão em sua nuca selou seus lábios aos dela. Alex ficou sem reação e quando ai afasta-la foi surpreendida.

- Alex! O que está fazendo? _ Richard as encarava sério.

- Papai... eu não... não é nada disso. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, vou tentar atualizar a fic o mais breve possível. obrigada a todos e até a próxima.
Bjos no cuore :-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...