História Antes do Alvorecer - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Galina "Red" Reznikov, Nicky Nichols, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Lorna Morelo, Nicole Nickols, Piper Chapman, Willian
Visualizações 129
Palavras 3.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, LGBT, Orange, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Necrofilia, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aos poucos vamos seguindo.
Boa leitura a todos 😊

Capítulo 3 - Sensações


Fanfic / Fanfiction Antes do Alvorecer - Capítulo 3 - Sensações

Alguns dias depois

Piper havia aceitado lecionar para o filho do senhor Lawford, o jovem Victor. Seu pai havia ido acertar as condições diretamente alguns dias antes. Willian ficaria responsável de ir levá-la e buscá-la três dias na semana, isso antes que chegasse o inverno, porque depois ficaria difícil estar saindo de casa, ainda mais sendo o local um tanto quanto distante. Seria a tarde após o almoço e terminaria antes do anoitecer. Depois da situação passada Robert não queria arriscar ter seus filhos tarde da noite pelas ruas, sempre as considerou perigosas demais.

- Vamos Pipes... ou irá se atrasar. _ o rapaz já estava impaciente com a demora da loira.

- Já estou aqui seu chato. _ subiu na charrete ao lado do irmão. – Estava procurando um livro, por sorte o encontrei. _ o mostrou guardando em seguida dentro da bolsa de tecido que levava em seus ombros.

- Ótimo. _ então botou Gael para andar. O corcel era usado para viagens mais longas devido seu porte físico forte e veloz por ser considerado um cavalo de guerra.

Não havia sol, o céu estava encoberto por algumas nuvens cinzentas, no entanto era possível sentir um leve clima ameno à medida em que eles se aproximavam do outro lado da cidade. Piper quase não saía de casa, passava maior parte no trabalho em casa e nos tempos vagos aproveitava para colocar a leitura e aprendizado em dia. Pelo caminho ia prestando bastante atenção nas ruas, nas pessoas e ficou encantada ao ver o Rio que cortava a cidade chamado Wye quando passaram por cima da ponte.

Willian já tinha ido algumas vezes até a casa dos Lawford acompanhando seu pai, por isso sabia exatamente onde moravam. Dentro de mais algum tempo chegaram ao destino. A casa ficava em uma rua movimentada quase em frente uma praça, porém não tinha quase buracos como a estrada próximo a sua casa. Blocos de pedras formalizam o caminho. Ali algumas crianças brincavam na rua, outras trabalhavam, era a vida.

- Pipes chegamos. _ o irmão a arrancou de seus pensamentos.

- Ah sim... Claro. _ lhe estendeu a mão para descer.

O loiro tocou a sineta os anunciando e logo a porta se abriu sendo recebidos com um estonteante sorriso.

- Boa tarde senhora, me chamo Willian Chapman e essa é minha irmã Piper.

- Eu estava achando que não viria mais. _ descontraiu dando um aperto de mão no loiro e um abraço em Piper. – Sou Katherine Lawfrod, esposa de Richard. Podem entrar, fiquem à vontade. _ abriu mais a porta lhes dando passagem.

- Bom... eu agradeço a gentileza, mas preciso voltar. Mais tarde retornarei para busca-la. _ tocou o ombro de Piper.

- Ah sim... tudo bem meu jovem.

- Com sua licença. _ tirou o chapéu em tom de cavalheirismo e se foi.

- Seja bem vinda Piper. Quer beber alguma coisa? _ já estavam dentro da casa.

- Obrigada senhora Lawford, eu estou bem obrigada. _ se sentou na cadeira indicada pela mulher.

- Não é necessário formalismo, me chame apenas de Katherine. _ lhe sorriu.

- Tudo bem... _ sorriu de volta. – E onde está o rapaz?

- Victor está em seu quarto. Irei avisa-lo que chegou. Se preferir pode espera-lo na biblioteca. _ os olhos da loira brilharam ao ouvir isso.

- Sim, eu gostaria.

- Me acompanhe por favor.

Foram em direção à uma porta que ficava no final do corredor. Katherine a deixou só e se retirou em seguida. Ao entrar loira gostou do que viu. Era tudo simples, mas muito bem organizado. Havia uma mesa de madeira rústica próximo a uma janela que tinha a vista para o pequeno jardim nos fundos da casa onde havia um pequeno estábulo com alguns cavalos. Nas prateleiras de ferro vários livros preenchiam o local. Tinham alguns armários que estavam fechados. Não tocou em nada apenas colhendo cada detalhe com os olhos azuis brilhantes. Uma batida na porta a tirou de seus devaneios.

- Olá... Boa tarde senhorita Chapman. _ se apresentou um pouco tímido.

- Boa tarde. Certamente você deve ser o Victor. _ sorriu. – Prazer em conhecê-lo rapaz. _ lhe estendeu uma mão.

- Sim, sou eu. _ sorriu também. – O prazer é meu senhorita. _ segurou sua mão estendida.

- Então... Podemos começar? _ indagou divertida.

- Sim... Claro.

****

Já passava da hora do almoço. Estavam quase fechando a Botica para irem para casa, Richard estava atendendo o último cliente enquanto Alex finaliza a alguns cálculos no balcão, estava tão distraída que não percebeu quando alguém entrou e se pôs a sua frente.

- Boa tarde... senhorita Vause. _ de imediato a morena levantou a cabeça encarando a figura conhecida. Seu semblante fechou imediatamente.

- O que você quer? _ nem tentou ser simpática.

- Nós... precisamos conversar. _ lhe encarou nervosa.

- Se veio buscar suas compras elas estão aqui, caso contrário eu peço gentilmente que saia daqui agora mesmo.

- Alex... não faz isso. Você sabe que eu gosto de você. Eu apenas me empolguei naquele dia. _ tentava se justificar.

A morena deu uma olhada rápida para trás e viu Richard ainda ocupado, porém sabia que ele estava de olho nelas.

- Preste atenção Mary, nós nunca tivemos nada, a não ser aquele beijo roubado que você me deu quando tínhamos doze anos. Então me deixe em paz, quanto mais você insiste mais me irrita. Eu não quero você então por favor não me procure mais, finja que eu não existo. Será que estou sendo clara o suficiente? _ sua voz estava mais rouca que o normal e seus olhos transbordavam ira.

- Isso não vai ficar assim Alexandra. _ seus olhos estavam vermelhos de raiva e cheios de lágrimas.

- Leve suas compras e não volte mais aqui. _ botou a cesta com as coisas em cima do balcão com força. A ruiva pegou a cesta e saiu enfurecida sem dizer mais nada.

Assim que o cliente saiu Richard se aproximou de Alex apertando seu ombro.

- Dia difícil?

- Espero que seja a última vez. _ deu um suspiro.

- Eu entendo... isso também acontecia comigo quando mais novo. _ Alex fez uma careta.

- Mamãe sabe disso? _ sorriu.

- Ela quase me aleijou uma vez. Mas enfim... Vamos para casa.

- Vamos sim. Estou faminta.

Fecharam as portas do local e foram conversando pelo caminho. A casa ficava à cinco ruas de distância por isso iam e voltavam a pé. Só usavam a charrete quando era realmente necessário. Ao chegarem foram direto para a pequena sala de jantar onde Katherine estava pondo a mesa para eles dois almoçarem, sendo que ela e Victor já haviam feito suas refeições.

- Vocês demoraram. _ deu um selinho no marido.

- Hoje a loja estava cheia... muito trabalho. _ respondeu Alex se servindo.

- E onde está Victor? _ Richard notou o silêncio na casa.

- Está na biblioteca estudando com a nova professora. _ lhe servia a refeição.

- Ah sim... Ouvi ótimos comentários à respeito dela.

- Sim, sem dúvidas. É uma moça muito simpática e educada. Me agradou bastante. É bastante bonita.

- Isso é ótimo. Espero que Victor corresponda as expectativas.

Alex ouvia a conversa sem se intrometer, almoçava em silêncio. Victor já teve outras professoras e achava que era apenas mais uma que viria só passar o tempo. Não considerava seu irmão um garoto desinteressado nos estudos, apenas tinha dificuldades em aprender a escrita e leitura culta. Ela mesmo o ensinaria caso não tivesse que ajudar seu pai no trabalho.

Já era quase meio da tarde, Alex subiu para o seu quarto indo descansar após o almoço porque logo depois teria que voltar ao trabalho onde ficaria até a noite. Em sua mente vagava várias coisas, tentava encaixar os pensamentos, mas eram muita perguntas para poucas respostas. De tanto pensar acabou pegando no sono.

****

Piper e Victor estavam se dando bem, o entrosamento entre os dois foi rápido. Ela o ajudava sempre que ele não conseguia entender algo. Explicava tudo pacientemente e notava o esforço dele em compreender. Captou os pontos fracos onde teria que trabalhar.

- Você está indo muito bem. _ sorriu.

- Obrigado senhorita Chapman. _ sorriu também. – É muito paciente comigo... as outras senhoras que vieram me ensinar não eram assim. _ ficou cabisbaixo.

- Ah não se preocupe, essas coisas são assim. Às vezes conseguimos compreender facilmente, outras vezes nem tanto, mas nada que com dedicação não se aprenda. Concorda?

- Sim senhorita. _ ficou a admirando.

- O que foi?

- É muito... bonita e gentil.

- Você também é um belo rapaz. _ tocou em seus cabelos negros e lisos.

Ouviram uma batida na porta e logo Katherine se anunciou trazendo uma bandeja com duas xícaras de chocolate quente e fatias de bolo.

- Não precisava se incomodar senho... Quer dizer Katherine. _ Disse Piper ao ser repreendida silenciosamente pela mesma.

- Não é incômodo querida. _ lhe serviu uma xícara. – E então... como estão indo?

- Muito bem mamãe, a senhorita Chapman é muito atenciosa e paciente. Logo serei o escritor mais famoso de toda Inglaterra. _ ambas riram do entusiasmo do menino.

- Fico muito feliz. Vou deixá-los a sós. Qualquer coisa estarei na sala. _ se retirou.

- Então terminamos por hoje. Na próxima aula continuaremos de onde paramos certo?

- Sim, certo.

Finalizaram o lanche e Victor a acompanhou até a sala onde estavam seus pais conversando.

- Olá...

- Olá senhorita Chapman, é um prazer conhecê-la, sou Richard, pai de Victor. _ se pôs de pé e alcançou sua mão beijando como um cavalheiro.

- O prazer é todo meu senhor Lawford, fico honrada em poder ajudar esse jovem. _ sorriu lançando um olhar amigável para o garoto. – Obrigada pela confiança.

- Imagina querida, nós que agradecemos sua disposição. E como foi a aula?

- Muito produtiva. Victor é um ótimo aluno.

- Fico muito contente. _ sorriu para o filho que estava atento à conversa.

O som da sineta sendo tocada interrompeu o momento descontraído.

- Willian como está? Entre por favor. _ o cumprimentou com um aperto de mão lhe dando abrindo mais a porta.

- Estou bem senhor Lawford, obrigado.

- Aceita um chá, café? _ perguntou Katherine.

- Não precisa de incomodar, vim apenas buscar Piper. Já está anoitecendo.

Nesse momento Alex vem descendo as escadas ouvindo algumas vozes notando que havia visita em casa. Estava arrumada para voltar ao trabalho. A morena não era adepta à vestidos, desde criança sempre gostou de vestir calças mesmo sendo induzida por sua mãe a usa-los. Alex era adepta das calças de couro, botas e blusas que lhe deixavam mais à vontade. De preferência tudo em tons de preto. Estava em sua vestimenta habitual.

- Filha que bom que apareceu. Deixe-me apresenta-la aos irmãos Chapman. _ Lhe disse Katherine. Willian assim que a viu abriu um sorriso a achando extremamente atraente. Piper que estava de costa para a escada aos poucos foi se virando até olhar completamente para a morena a sua frente.

– Esses são Willian e Piper. Essa é nossa filha Alexandra. _ Após Katherine falar o rapaz logo se adiantou para cumprimenta-la.

- É um prazer conhece-la senhorita Lawford. _ ao pegar sua mão para levá-la aos lábios foi surpreendido por um gesto rápido onde a morena apenas o cumprimentou com o aperto de mão.

- O prazer é meu. _ não demonstrou entusiasmo.

- Satisfação em conhece-la. _ a loira estendeu a mão sendo correspondida após breves segundos.

- Lhe digo o mesmo senhorita Chapman. _ enquanto segurava as delicadas mãos, Alex encarava os límpidos olhos azuis. Piper fazia o mesmo fitando o verde profundo. Seus cabelos loiros estavam soltos sobre os ombros lhe dando o ar jovial e atraente que possuía.

- Ham ham... _ pigarrrou Willian. – Creio que esteja na nossa hora Piper.

- Ah sim... claro. _ soltou-se rapidamente das mãos geladas de Alex. – Bom... até outro dia então. _ se virou olhando para os demais.

- Nós a aguardamos Piper. É sempre bem vinda. _ foi abraçada pela mulher de Richard.

- Mais uma vez obrigada senhorita Chapman. _ o homem segurou em sua mão. – Willian... _ repetiu o gesto. – Mande lembranças ao seu pai.

- Eu as darei senhor Lawford. Até mais.

O rapaz ajudou a loira a subir na charrete para em seguida partir. Essa em nem um momento olhou para trás, porém sentia estar sendo observada. A volta fora mais rápida e dentro de pouco tempo já estavam em casa.

- Papai? _ chamou a loira ao entrar após notar a casa silenciosa. – Onde será que ele está? _ olhou para o irmão.

- Possivelmente no estábulo. Vou até lá. _ pôs de volta o casaco que havia retirado.

- Tudo bem... aproveite e traga uma galinha para o jantar. _ sorriu.

- Sim senhora. _ fez gesto de continência e saiu.

Enquanto arrumava as coisas na cozinha Piper pensava no dia que teve, sem dúvidas fora muito produtivo. Simpatizou bastante com o jovem Lawford, era um bom garoto e pelo que pôde compreender de seus trejeitos durante a aula tinha um futuro promissor como escritor podendo vir a ter seu trabalho reconhecido entre as grandes obras literárias inglesas.

Involuntariamente seus pensamentos foram direcionados à outra pessoa, um pouco mais alta que ela, de pele muito alva, mão gelada e hipnotizantes olhos verdes. Ficara admirada com tanta beleza e seriedade. A morena ao cumprimenta-la não sorriu, não esboçou nenhuma reação simpática, pelo contrário, seu semblante permaneceu sério, porém os límpidos olhos verdes a fitavam de modo incomum como se através daquele ato pudessem enxergar além da aparência exterior da loira. Sentiu um rápido frio percorrer a coluna ao lembrar-se do belo rosto lhe encarando, mas seus pensamentos foram interrompidos com a chegada de Willian repentinamente.

- Pipes!

- Ai Deus... que susto Will, está louco? _ botou a mão sobre o peito brava.

- Eu não, você que estava distraída. _ sorriu. - Papai está no celeiro, uma das cabras está dando à luz. Aqui a galinha. _ depositou em cima da pia. – Vou voltar para ajuda-lo. _ saiu novamente.

Piper fez o jantar e depois foi até o celeiro chamar os dois e aproveitou para ver o novo cabrito. O pequeno animal estava deitado próximo a mãe se alimentando. Após ver se estava tudo certo os três voltaram para dentro da casa.

- Então filha como foi na casa dos Lawford? E o garoto? _ Perguntou Robert durante o jantar.

- Foi muito bom Papai, são pessoas ótimas muito educadas e gentis. Victor é um garoto excepcional. Mesmo com suas dificuldades, o que acho normal pra idade dele, tem uma carreira promissora. _ sorriu bebendo seu suco em seguida.

- Fico contente por isso.

- Nunca tinha visto a filha deles, Alexandra. É muito bonita e... estranha. _ comentou Willian devorando uma coxa da galinha.

- Por que diz Isso? _ a loira indagou.

- Ah sei lá... me pareceu muito fechada e... introspectiva.

- Deve ser o jeito dela apenas.

- Pode ser. _ deu de ombros.

*****

Após a saída os irmãos Chapman, Richard e Alex seguiram para a Botica apenas para entregarem algumas encomendas de alguns clientes. Durante o caminho a moça permaneceu calada perdida nos próprios pensamentos, com as mãos dentro do casaco grosso olhava para o nada.

- Alex está tudo bem? _ não obteve resposta. – Alex?!

- Ah oi pai... me desculpe, não ouvir me chamar. _ saiu do transe.

- O que você tem? Está com os pensamentos longe. _ subiu a calçada cumprimentando um conhecido, Alex fez o mesmo.

- Estou bem, não tenho nada.

- O que achou dos irmãos Chapman? _ dobraram uma rua.

- São simpáticos. Victor pareceu se dar bem com a senhorita Chapman.

- Ela é uma ótima moça. Katherine gostou dela.

- Isso é bom. _ chegaram ao local.

A primeira vez que Alex se relacionou com uma mulher foi aos quinze anos, era a filha de um médico. Não eram muito próximas, mas com o passar do tempo foi ficando mais encantada com a garota e se tornaram amigas. Em uma noite foi convidada pela mesma para ir dormir na sua casa.

De princípio achou um pouco arriscado sendo que já tinha total conhecimento de suas preferências sexuais por meninas. Não queria ser motivo de escândalo e envergonhar seus pais. E nessa noite Alex soube com era estar com uma mulher pela primeira vez. Depois disso se relacionou com outras ao longo do tempo, porém sem se deixar envolver. Para a sua perspectiva de vida não era viável ter uma pessoa tão próxima e também ninguém havia despertado tal desejo em si, mesmo tendo várias jovens que lhe tinham muito apreço.

****

Piper estava na sala da casa dos Lawford. Já havia completado uma semana que estava lecionando para Victor e naquele dia apenas aguardava Willian ir buscá-la. Katherine lhe fazia companhia entre conversas sobre assuntos amenos e xícaras de chá. Já estava anoitecendo e nada do rapaz aparecer. Estava ficando preocupada, pois ele nunca se atrasava. De repente ouvem barulhos e a porta se abre revelando Richard e em seguida... Alex.

- Boa noite querida. _ lhe beijou nos lábios. – Boa noite senhorita Chapman. _ tirou o chapéu.

- Boa noite senhor Lawford. _ lhe sorriu.

Alex permaneceu calada apenas a olhando diretamente em seu rosto alvo e bonito. As loira a olhou por breve segundos e depois desviou para qualquer lugar sem dizer nada. Alex não imaginava encontra-la em casa naquele horário.

- Há algum problema? _ perguntou Richard.

- Não senhor, apenas meu irmão que ainda não veio e sinceramente eu estou ficando um pouco preocupada.

- Não fique aflita, talvez tenha acontecido algum imprevisto, mas nada grave. Se quiser podemos levá-la em casa.

- Eu sinceramente ficaria muito grata e se não for nenhum incomodo._ lhe sorriu com o semblante preocupado.

- Imagina, não é incômodo algum querida. Eu estou um pouco exausto, mas Alex pode leva-la.

Nesse momento ambas se entreolharam rapidamente, Alex pareceu ficar nervosa mas tentou não demonstrar. Piper estava da mesma maneira e não sabia o motivo daquilo.

- Eu... eu realmente não quero incomodar. _ sentiu as faces esquentar.

- Já lhe disse que não é incômodo. Alex irá leva-la. Filha?

- Sim... Claro papai. _ se pronunciou pela primeira vez, suas mãos suavam.

- Eu recomendo irem a cavalo. É mais rápido. As estradas não estão tão boas para as charretes. Filha vá buscar Ryon. Ele é mais apropriado.

- Sim... Pai. Com licença. _ saiu em direção ao estábulo indo buscar o belo corcel de pelagem negra. Era seu cavalo favorito.

Piper se despediu de Katherine e Richard assim que Alex apareceu já montada no animal. A loira admirou a cena por uns instantes, mas logo se adiantou a subir quando a morena lhe entendeu a mão. Estando de vestido longo ficava um pouco mais difícil subir, mas logo conseguiu.

- Pode se segurar em mim... se quiser. _ a voz rouca soou baixa já que a loira estava bem atrás de si.

- Está bem. _ sussurrou de volta próximo ao ouvido da morena que sentiu o corpo arrepiar.

Durante a viajem Piper se aproximou mais do corpo de Alex enlaçando sua cintura com os braços à medida que o cavalo aumentava a velocidade. A loira estava praticamente colada à costa na morena devido ao intenso frio e o medo de cair com as rajadas de vento que golpeavam seus cabelos e seu rosto. Alex parecia nem sentir. Seus cabelos negros estavam presos e usava um sobretudo da mesma cor. Não queria dar margem para seus pensamentos, mas era quase inevitável não tê-los quando uma bela loira de olhos azuis estava abraçada à ela de forma tão íntima. Sentia a respiração quente e descompassada da jovem em sua nuca e aquilo estava lhe causando sensações de arrepios.

- Qual o lado exatamente que mora? _ perguntou com a voz rouca em busca de afastar tais sensações diminuindo a velocidade.

- Do lado Oeste. Já estamos próximo. Só mais uns cinco minutos. _ soltou-se mais de sua cintura.

Alex apenas assentiu e seguiram o restante em silêncio. Os pássaros grasnavam do alto das árvores, a lua cheia já se fazia presente no céu tendo algumas nuvens como companhia. De repente o cavalo ameaçou querer parar, porém Alex foi mais rápida o impedindo.

- Segure-se senhorita Chapman. _ disse séria fazendo o animal partir em disparada.

Piper se assustou, porém não fez nenhum comentário. Se agarrou novamente à Alex encostando seu rosto na costa da mesma. Dentro de pouco tempo enfim chegaram.

- Muito obrigada senhorita Lawford. _ disse assim que desceu sendo ajudada pela morena.

- Me chame de Vause. _ observou seus cabelos loiros bagunçados com a face corada assim como os lábios. Era sem dúvidas muito bonita.

- Ah sim... senhorita Vause. _ passou as mãos pelos cabelos desgrenhados sem deixar de olha-la. _ Quer entrar? _ ajustava o vestido.

- Não, já está escuro e é melhor eu voltar, mas obrigada pelo convite. _ segurava as rédeas de Ryon em pé de frente para a loira.

- Então está bem... mais uma vez obrigada senhorita Vause. _ lhe estendeu a mão.

- De nada senhorita Chapman. _ segurou sua mão, mas logo a soltou montando novamente. – Passar bem.

- Igualmente. _ lhe sorriu timidamente.

Sem dizer mais nada a morena partiu sumido pela neblina da estrada sendo observada pela loira. Piper não sabia o que estava acontecendo consigo. Ficava nervosa na presença daquela mulher um tanto quanto misteriosa. Seus intensos olhos verdes queriam lhe transmitir algo mesmo que de forma involuntária. Não fazia a mínima noção do que era, mas no tempo certo iria descobrir.


Notas Finais


Então por hoje é isso. Até mais 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...