História Antes do "Eu te amo" - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Midoriya Izuku
Tags Bakumido, Izuku Katsuki, Katsudeku, Vida Adulta
Visualizações 236
Palavras 2.834
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que finalmente dê certo, já é a terceira vez que eu tento AVE MARIA!

Hunf... voltando a ser alegre e medíocre*

[Capítulo não revisado]

Mais uma One desse maravilhoso shippe <3 Katsudeku um dia vai dominar esse site assim como dominou meu kokoro ❤

E se você não gosta, problema seu.

"Ah, mas Bakudeku é um relacionamento abusivo"

...querido. menos tá? Conheça primeiro o conceito de relacionamento do Katsuki e do Izuku, antes de falar algo blz?

Eles se batem? Sim, mas em um relacionamento amoroso não seria essa batessão que o anime mostra. Até pq o Katsuki não seria idiota ao ponto de maltratar o próprio companheiro, talvez um jeito meio agressivo nas falas, mas nada que acabe em um olho roxo!! PELAMOR DE DEUS!!

E se vocês acham que isso é algum tipo de indireta, fiquem a vontade pra explodir com a minha simples frase; Bakuraraka não é nem gente.


Bem, desabafei, agora chega de enrolação!!


Boa leitura para as fujoshis!!

Capítulo 1 - Amizade Colorida


 

 

- Kacchan...- a voz do esverdeado chama atenção do loiro que estava de frente para a janela da sala de aula vazia da famosa Yuuei, fumando um de seus famoso cigarros perante a noite atrás do vidro, os olhos rubros se dilataram - o que faz aqui?

- não é óbvio? - o homem levanta um pouco a mão em que segurava aquele pedaço de papel e erva - e você? Não tá me seguindo de novo tá?

- eu já passei dessa época!

 O rebate do menino sardento fez Katsuki revirar os olhos, era meio difícil esquecer da época em que Midoriya o seguia pra lá e para cá. Dizendo aquele apelido estúpido que agora não o incomodava tanto como antes enquanto corria atrás de si. De certa forma sentia saudade, mas com certeza não diria isso. Seria como por fim ao seu ego "superior" que ele ainda acredita manter. Ou ele quer causar a impressão que tem.

- hun...sei.

 Com a pequena resposta, Izuku, sem nenhum pingo de hesitação, foi até o lado do loiro e sentou na classe que ficava ao seu lado. Sentindo o cheiro de cigarro enquanto encara o céu meio nublado da noite pela janela.

 Engraçado pensar que quando começaram a estudar na U.A essa janela parecia ser bem maior. Igualmente as cadeiras, as classes, o quadro, a porta. A sala inteira para váriar. 

 E agora, Midoriya e Bakugou se sentiam enormes. Nem tanto só, estão mais que antigamente. Ao invés de vestir o uniforme cinza da academia, os dois jovens adultos vestiam uma roupa social negra. Um usava uma gravata verde, enquanto o outro era visto com uma blusa vinho por baixo do terno. Chique daquele jeito, era para a festa que todos de sua sala organizaram em um salão da academia. Para meio que dar Adeus a aquele lugar. Aonde todos aprenderam o que era ser um herói. Onde criaram laços fortes de amizades. Onde sentimentos começaram a se entender.

 "Até demais" pensava o loiro.

- sabe...- comenta Izuku sorrindo - vai ser estranho acordar de manhã cedo e não pegar o mesmo caminho de todos os dias.

 Katsuki o encara por um instante antes de fechar os olhos - não consegue mudar o próprio funcionamento? - sorriu - que vergonha Deku.

 O esverdeado finge uma cara de indignado e encara o colega, realmente, sua amizade com Katsuki evoluiu muito durante esse três anos da Yuuei. Comparado ao que passaram no fundamental, Izuku gostava e Katsuki afirmava mentalmente que aquilo era algum tipo de insegurança por parte do loiro. Coisa que o mesmo até hoje nunca explicou direito. E toda vez que o esverdeado tocava no assunto, isso acabava como uma espécie de lutinha não letal.

 Fazer o que? Agressividade e empolgação em batalhas parecia que era o pilar dessa amizade nada saudável. E mesmo assim, nenhum dos dois se deixou levar por alguns comentários sobre "segurança" que lhe eram apontados. 

 Parecia que só eles entendem esse estranho sentimento que ronda sua amizade.

- você também não fica muita atrás não é Kacchan? - riu o esverdeado atraindo o olhar meio apreensivo do loiro - era sempre o primeiro em primeira hora a chegar nos treinos, será uma dificuldade deixar isso daqui pra frente?

- ha! Me aguarde nerd - deu um de seus famosos sorrisos convencidos - quando me ver novamente estarei dez vezes mais forte do que fiquei quando estive aqui!

- oh, iremos nos ver de novo?

- acha mesmo que acertou as contas comigo? - Izuku riu da "ameaça" do loiro - ainda não lutou pra valer comigo.

- isso de novo? - revirou os olhos.

- eu já disse que irei te passar...- Bakugou deu uma última fragada antes de jogar o maço de cigarro pela janela e sorrir mais abertamente - parece até que tá fugindo.

- nunca fugiria!

 Nunca... por mais que incomodasse esse jeito meio herói e excessivo de Izuku, Katsuki não podia deixar de sorrir de um jeito mais sincero.  Seria mentira se dissesse que não gostava quando Midoriya concordava em lutar, parecia que em suas lutas eles tinham mais liberdade de mostrar como se sentem ou, de alguma forma, ter mais intimidade um com o outro. Isso é com certeza uma das inúmeras coisas que muitos se perguntam se não é abusivo ou algo do tipo. Mas para eles, era uma espécie de demonstração de sentimento. Uma demonstração estranha sim, mas ainda assim é como sempre;

 Só eles entendiam.

 Mas, para o loiro, parecia que não era o suficiente. 

 De algum jeito, ao longo desses três anos, junto de sua maturidade, Katsuki começou a ter pensamentos meio estranhos sobre o esverdeado. Vê-los com outros olhos seria mais correto a si dizer, e o que ele via, fazia o mesmo sentir raiva. Justamente por não saber o que era. Mas se assemelhava muito ao que sentia no fundamental. Queria ouvir mais a voz de Deku. Só que de outro jeito.

mas acho que isso vai demorar...

 O comentário do esverdeado fez Katsuki acordar, não era de hoje que ele se perdia em pensamentos assim. Era até estranho.

- Hãn? - foi tudo que saiu de sua garganta.

- quero dizer...- Izuku vira um pouco o rosto - todos vamos se afastar por um tempo, alguns para outros países. Outros para suas agências por um tempo meio indeterminado. É até meio assustador.

- eu tô até meio feliz em me livrar de vocês - mente Bakugou levando os braços atrás da cabeça, recebendo um olhar indignado de Midoriya, idiota, acreditou - irritam muito.

- os seus "morram!" também irritavam sabia? - o loiro no mesmo instante encara o homem sardento que sorri cruzando os braços - era praticamente 17 por dia.

- tá me chamando de irritante?!

- você que tá dizendo isso! - riu mais alto.

- ora seu bostinha...

 Midoriya só teve tempo de desviar de Bakugou e segurar os punhos do mesmo, fazendo  máximo de força para não cair pra trás. Agora os dois meninos se encontravam em uma partida de força. Os punhos serrados de Katsuki contra as palmas firmes de Izuku. E ao mesmo tempo, os dois cuidavam para não ativar suas individualidades. Tá certo que a Yuuei seria destruída para reformas após a saída de todos, mas não era nem por isso que eles iriam se incentivar a destrui-las em uma brincadeira. Não como antigamente.

qualé Deku, esse é toda a força do herdeiro de All Might? - comenta Katsuki convencido, o que só aumentou a adrenalina do esverdeado.

- é fácil falar né Kacchan? - sorriu perversamente aplicando mais força, fazendo o loiro dar um passo pra trás - deveria agir mais ao invés de gritar.

- tá me tirando?! - riu já sentindo sua mão esquentar.

- talvez - devolveu o sorriso também sentido algumas fagulhas.

 Essa luta entre força e ofensas se acabou quando os dois meninos caíram cansados no chão. Dando um empate como sempre, agora Izuku entendia a frustração do loiro quando ocorria tal efeito, era realmente ruim estar disposto e convencido de que iria ganhar para no final dar empate. Sorte de Midoriya ser o mais passivo do relacionamento.

- eu quero revanche...- declara o esverdeado encostando a cabeça na parede.

- um dia a gente arruma um terreno baldio e resolve tudo de uma vez - rendo Katsuki ansioso por esse dia - de preferência sem grama, iria queimar.

- que específico.

 O silêncio reinou nesse momento, tanto Bakugou quanto Midoriya podiam ouvir a respiração um do outro. Nem parecia mais ser o lugar onde dava-se para ouvir o som de música alta e gritarias. O salão em que ocorria a festa ficava perto daquela sala. E falando em festa...

- é melhor você voltar - Izuku encara o loiro meio sem entender - sua namorada de rosto de pneu vai ter um treco.

- a Uraraka-san? Ela não é minha namorada! - rebate meio que desesperado pelo loiro ter tal pensamento, a quanto tempo ele achava isso?

- que vergonha Deku - Katsuki abriu um sorriso encarando Izuku de perto - aposto que até hoje nunca beijou uma garota.

 Era tão facial manipular o jovem de 18 anos com sardas que chegava a ser engraçado. O rosto de Izuku corou como nunca, ele desviou o olhar para o lado querendo não tocar em assuntos assim. Falar sobre sentimentos era uma coisa, agora falar sobre sentimentos amorosos, principalmente com Katsuki ao seu lado, era como se estivesse fazendo uma missão real. Qualquer passo ou comentário em falso poderia acabar com sua vida. Literalmente.

- i-isso...- aperta os punhos - n-não é algo que eu me p-preocupei muito...

 Tão tímido, por um momento Katsuki sentiu seu peito bater. Mas com tanta força, que sua caixa torácica provavelmente teria quebrado.

- ué? Qual o problema? - o loiro finge despreocupação - todo mundo um dia vai beijar não é? Até um nerd fodido igual a você também, eu espero...

- como assim espera?! - okay, agora Izuku sentiu uma pontada de raiva.

- oh por favor - Katsuki cerra os olhos para ele, queria mostrar que ela óbvio - eu não consigo imaginar você beijando alguém e a pessoa gostasse.

- eu...eu...eu...- era tanta indignação no peito de Izuku que ele mal podia completar a frase, de alguma forma, isso mexeu com ele, Katsuki sabia que Deku era o tipo de cara  que  não dava satisfação para ninguém, e mesmo assim no final surpreendia. Qual seria esse final? Era o que o loiro queria descobrir. Ah e como queria.

- eu eu o quê? 

- EU SEI BEIJAR!

- nossa...até parece - Katsuki vira o corpo para que Midoriya não enxergue o pouco de rubor que estava em suas bochechas franzidas em um sorriso perverso, não imaginava o tamanho do desespero que o esverdeado ficou.

- a-ah tá, e você Senhor Bomba? - senhor bomba? É sério? Katsuki queria rir e chorar ao mesmo tempo. Mas sabia que viria coisa pior - por acaso já beijou?

- eu já!

-  aé? Quem?! 

- ah - pensa num nome, pensa num nome, pensa, pensa! - Tsuni...ka.

 Izuku parou e o encarou com um olhar neutro, há não, não vai dizer que ele acreditou?!

- só ela?

 Meu Deus sim.

- uhum - era certo que o loiro se segurava pra não cair na gargalhada, mas estava muito bom, ele queria ver até onde isso iria.

- é...legal, pra você - desviou o olhar.

 O que estava acontecendo? Poucos minutos Izuku parecia que iria ter um ataque e agora, parecia meio... triste. Bakugou não gostou dessa mudança de personalidade.

- o que tem de errado? - pergunta sério.

- n-nada! Só estou meio...- frustrado?  -  surpreso.

 Bakugou nada disse, apenas observa o sorriso torto do esverdeado. E como o rosto do mesmo se iluminou com a luz da lua que agora entrava pela janela, dando-lhe um toque mais charmoso. O loiro sentiu mais uma batida no peito.

- por que tá mentindo pra mim? 

 Os olhos de Izuku se abrem meio preocupados,suas mãos tremeram um pouco - o-oque?

- ficou triste do nada - Katsuki se aproximou um pouco, com isso, o esverdeado se afastou também - e agora tá indo pra longe.

- e-eu gosto do meu espaço sabe? - virou mais uma vez o rosto, sentindo-o arder mais do que quando perguntaram sobre Ochako.

- e eu não gosto de mentiras - de uma vez, Bakugou segurou o queixo de Izuku com certa brutalidade, o fazendo se virar para encara-lo. Nesse momento os olhos verdes e redondos encontraram os vermelhos cerrados - desembucha.

- mas eu não tenho...

- AH! - Izuku sentiu o queixo arder, era um aviso, e com o que aprendeu sobre Kacchan nesses últimos anos era melhor não fazer nada que ele não queira quando dá um aviso desses - fala logo Deku.

 Midoriya não sabia o que fazer, estava tão perto do loiro que podia sentir o cheiro de cigarro de suas respiração. Nunca esteve tão perto de alguém assim, era meio estranho, mas sendo Bakugou, de alguma forma o mantida constrangido. Mais do que o normal.

  Mas mesmo com essa sua timidez, Izuku se sentia cansado. Cansado de sentir e sentir, seja um sentimento bom ou ruim, estava tudo ligado à Katsuki. Ao seu Katsuki, ao seu Kacchan.

 Ele precisava mostrar esse sentimento na mesma moeda...

- não vai dizer nada? - Izuku nem se atreveu desviar o olhar - beleza entã...

 E seria agora.

 Com toda força que tinha dentro de seu ser, Deku deu um impulso para frente fechando os olhos com força. Bakugou só viu a imensidão verde se apagar, e os lábios encostarem em algo macio e gélido. 

 Nessa hora, parecia que o peito de Katsuki rachou, seus braços e pernas tremerem e um frio na barriga o invadiu. Sua respiração se misturava com a de Deku o fazendo sentir falta de ar. As mãos cicatrizadas do esverdeado apertavam a frente de seu blazer, temendo levar algum tipo de agressão. 

 Mas tudo que sentiu foi algo segurar a parte de trás de seu pescoço, e outro seu ombro. Um arrepio subiu a coluna de Izuku. Que apertou mais o tecido negro.

 De algum jeito, Midoriya não sabe como, mas do chão onde ele estava, agora se encontrava em cima de uma classe velha da sala. Sua classe antiga. E Katsuki entre suas pernas aprofundando mais os lábios, deixando suspiros por falta de ar escaparem.

 As mãos do loiro apertavam e aqueciam a cintura do esverdeado, e como odiava ficar na defensiva, Deku cruzou as pernas atrás de Bakugou. Colando firmemente seus quadris. O que fez o loiro ofegante.

- merda...- declarou sem tempo de esperar o colega responder pois o beijará novamente.

 Midoriya não sabia o que pensar só sentir, sua mente pela primeira vez estava em branco. Tudo que ele fazia era seu corpo agindo por conta própria, como se soubesse o que estava fazendo. Igual quando seus braços abraçaram as laterais de Bakugou. Não era ele, mas queria que fosse.

 Quando seus lábios se afastaram um fio de saliva grosso que ligava os dois começou a cair. Sujando um pouco o queixo de ambos. A respiração era alta, parecia que tinham acabado de correr em uma maratona.

- Kacchan...

- não conte sobre isso entendeu?!

 A ordem do loiro fez Izuku tremer, era meio preocupante mas ele mais do que ninguém entendia esse lado meio inseguro do loiro. Se deixava levar por qualquer comentário rude, imagine um preconceito.

- okay - declarou abaixando a cabeça e a encostando no peito do maior. 

 O que acabou de acontecer era meio que um choque, esse sentimento....era ele que rodeava sua estranha amizade? Se fosso, eles teriam muito que conversar.

 Mas estamos falando de Izuku Midoriya e Katsuki Bakugou, mesmo sendo praticamente adultos eles ainda agem como duas crianças, e um sentimento se alargar assim era confuso e assustador. Justo na noite que eles iriam se separar então....

 O que dizer para tal pessoa que você recém demonstrou um afeto tão grande antes de ir embora por alguns(muitos) anos?

 Respirando fundo, Bakugou segura o rosto de Izuku fazendo o mesmo o encarar vergonhosamente. Suas mãos eram quentes, mas não tão quanto o rosto dele. 

 Seus olhos verdes estavam meio fechados e molhados, o vermelho parecia que iria queimar sua alma. Perante ele, já passou por várias coisas, e agora, iria sentir saudade. Saudade daqueles olhos vermelhos rubros.

 Igualmente há Katsuki, ele sentiria falta do verde florescente que o mantinha relaxado e trêmulo ao mesmo tempo.

 Engolindo a saliva, Kacchan finalmente achou coragem dentro de si.

Eu te amo nerd maldito....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Os olhos verdes abriram assim que seu corpo foi para frente, ele estava suando e ofegante enquanto segurava os lençóis firmemente. A agitação chamou atenção da morena que antes dormia tranquilamente ao lado do marido. Esfregando os olhos, ela disse;

- querido...? O que foi? - pergunta Ochako sonolenta.

 Provavelmente cansada depois de tanto festejar na festa de casamento de Kirishima e Bakugou, ao qual compareceram nessa mesma noite.

- n-nada...- declarou pondo a mão na testa meio úmida - por favor volte a dormir.

- o que aconteceu? - as mãos dela foram para os ombros do marido, que no mesmo instante deu um pequeno salto - parece perturbado...

- eu tô bem é sério - deu um de seus melhores sorrisos que era possível ver na escuridão do quarto do apartamento - foi só um sonho.

- hum...okay - rendeu-se a mulher voltando a deitar e  se aconchegar com a cabeça no travesseiro macio - um sonho bom ou um sonho não ruim?

 Acho que estaria mais para lembrança.

 Olhando para a grande vidraça do quarto, Izuku podia ver entre as inúmeras luzes da cidade, luzes vermelhas e rubras. Apartando com mais força os lençóis, o grande herói se deita e encara o teto sorrindo de um jeito bobo.

- um sonho bom....

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


PLOT TWIST

Bem bem bem, o que eu tenho a dizer? Só duas coisas!

Primeira!

Eu não sou contra nenhum tipo de Shippe, o "Bakuraraka não é nem gente" foi uma brincadeira em um certo padrão. Eu acho, que todos têm o direito de shippar quem quiserem. Até pq os personagens pra início de conversa nem existem. Você não é obrigado a aceitar o shippe de alguém só pq não pesquisou direito e é um noiado da cabeça, mas pelo menos o respeite.

Eu amo Katsudeku, e não é pq pessoas achem que o relacionamento deles é "abusivo" que vai me fazer parar de shippar. Até pq as pessoas parecem nem saber que uma pessoa muda em um relacionamento amoroso, se o Katsuki é esperto e humano ele não irá bater no/na companheiro/a.

Agora segundo!

Desculpem pelos erros de ortografia >□< é que eu tô com muita preguiça de corrigir então, se tiver algum me avisem okay?!?!


Bem, é isso.

Espero que tenham gostado
^^ e até a próximas!!



Kissus da Zukki💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...