História Antes do fim - Hinny, Ronmione, Dramione... - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Neville Longbottom, Ronald Weasley
Tags Dramione, Gina Weasley, Hinny, Ronmione
Visualizações 123
Palavras 1.858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Magia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeiramente gostaria de me desculpar pela demora...
E para quem não lembra em que parte da história paramos, o último capítulo que eu postei foi o aniversário de Harry, onde ele e Gina tiveram uma noite memorável, Rony teve uma crise de ciúmes e Hermione desabafou todo seu descontentamento em relação ao seu namoro com Rony.
Eu espero que vocês gostem, me digam o que estão achando da história, isso faz toda diferença S2
Ps: Capítulo não revisado!

Capítulo 14 - Draco Malfoy


Na manhã seguinte Harry foi o primeiro a acordar, demorou algum tempo para entender o que estava acontecendo a sua volta. Gina estava adormecida ao seu lado, seus belos cabelos ruivos espalhados sobre o travesseiro de fronha branca, usando apenas a lingerie preta com o lençol que a cobria até a cintura.

Harry sentiu - se sortudo por estar ali, vendo aquela cena que pra ele era perfeita, talvez nunca tivesse agradecido por ter sobrevivido a tantas tentativas de morte, se não estivesse vivo, não estaria vivendo esse momento único.

O garoto continuou com seus pensamentos observando a ruiva quando foi interrompido por passos do lado de fora do quarto, imediatamente seu coração acelerou e com um grande impulso, Harry se endireitou na cama, atento a qualquer movimento do lado de fora, ele escutou a senhora Weasley bater nas portas dos quartos em uma tentativa de acordar os filhos para o café da manhã. Para alívio de Harry, ela logo desceu.

- Gina...- Ele encostou lentamente na mesma que se mexeu

- Sua mãe está chamando... Se ela nos encontrar aqui... - continuou enquanto a ruiva lentamente abria os olhos

- Bom dia - murmurou sentando na cama

- É melhor você vestir uma roupa - foi só nesse momento que a ruiva percebeu que estava basicamente nua e corou fortemente enquanto Harry ria

- Está tudo bem - falou virando de costas para ela

---------.----------

- Obrigada por ontem! - a ruiva já vestida falou dando um rápido selinho nele e saindo às pressas do quarto.

Harry cuidou de deixar o quarto ajeitado e entrou no quarto do Rony, que dormia pesadamente, ele se deitou e aguardou a Sra Weasley chamar novamente.

 

Na hora do café o silêncio se instalou na cozinha dos Weasley, Rony e Hermione estavam com um tremendo mal humor, Gina apesar de Feliz,  estava sonolenta assim como Harry.

- Eu preciso falar com você! - disse Hermione em um tom baixo dirigindo - se diretamente a Rony que estava sentado a sua frente

O ruivo imediatamente se levantou e caminhou até a sala sentando -se

- O que foi? - perguntou desconfiado

- Ron, eu...eu quero terminar

- Eu sei que agi como um bobo ontem, não vai se repetir. Eu confio em você, Mione. Eu te amo! - os olhos da morena se encheram de lágrimas

- Você só está complicando as coisas, Rony. Eu já me decidi, nosso namoro não está fazendo bem pra mim, me entenda! - a garota passou a mão pelo rosto  secando as lágrimas que escorriam

- Como você pode deixar de me amar com tanta facilidade? - Rony pergunta com certa amargura na voz

- Eu não deixei de te amar, Rony. Você é muito especial para mim, eu juro. Mas esse relacionamento não está fazendo bem para nós. - Hermione tentava controlar a voz de forma calma e meiga enquanto as lágrimas continuavam a cair

- Diga por você, Hermione. - Rony se levantou, o rosto estava vermelho, ele tremia, seus sentimentos alternavam entre ódio e tristeza

- Ronald, espera! - Hermione disse também se levantando - Por tudo que já vivemos, podemos ser amigos? - seu semblante é de piedade

- Por tudo que vivemos? Como você ousa colocar isso em jogo? Você está jogando tudo pela janela! Tudo que já passamos não significou nada pra você, não é? - Rony praticamente gritava

- Em Hogwarts tudo era diferente, Rony. Por favor, me escuta. Nós mudamos, agora que sabemos que não tem perigo lá fora, que podemos viver em paz...as coisas não são mais as mesmas...

- Então você me usou? Me usou enquanto achava que iria morrer, eu servi pra você enquanto você pensava que não haveria futuro...Mas saiba, Hermione, que eu te amei, independente de futuro,  eu acreditei em nós. - seu olhar era tomado de ódio - E em nome de tudo que já vivemos e que não significou nada para você,  eu quero que você suma da minha vida! - o Weasley saiu da sala às pressas e se trancou em seu quarto 

Hermione aparatou logo em seguida para sua casa, precisava de alguém para desabafar, mas não servia a irmã do seu ex namorado. Por esse motivo a morena abriu o jogo com seus pais, revelou para eles o real motivo de ter tirado a memória dos mesmos, e contou - lhes porque estava tão chateada e como seus sentimentos haviam mudado tão rápidos em relação ao Rony.

Apesar de não ter mais voltado na Toca, a morena sabia exatamente o que se passava por lá, ela e Gina trocavam cartas todos os dias. Hermione sabia sobre as aflições da ruiva em relação ao seu namoro com Harry, já que ele estava totalmente atarefado com seu novo emprego de auror, sabia também sobre o fato de Rony não sair mais do quarto e isso a deixava angustiada.

Os dias passaram e as cartas de Hogwarts chegaram. Hermione voltou a ficar alegre. A sensação de estar no lugar em que ela tanto aprendera era maravilhosa. Em uma das várias cartas que Gina enviava, a ruiva contava sobre o drama que estava vivendo em sua casa, Rony não queria de forma alguma voltar a Hogwarts e isso era motivo de muitas discussões na casa, outro problema era Molly que vivia chorando pelos cantos a morte de Fred. E finalmente em uma tarde, Hermione recebeu uma carta da Weasley que contava quando ela, a mãe e talvez Rony iriam comprar o material para o novo ano letivo, a morena evitando ter que encontrar com a sra Weasley por medo de que ela a culpasse pelo estado de Rony,  decidiu ir mais cedo e resolver seu material sozinha.
-------------.---------------

No dia planejado, Hermione aparatou no Beco Diagonal e foi as compras. Deu prioridade aos livros e saiu carregando a pilha em um dos braços, enquanto conferia a lista em sua outra mão. Totalmente alheia ao que acontecia a sua volta, as pessoas que cochichavam e apontavam para ela quando a reconheciam como amiga do menino-que-sobreviveu. Passando por uma loja, Hermione avistou uma coruja mesclada de branco e preto, ela possuía olho marrom meio caramelo, a morena simpatizou muito com a ave e por isso decidiu compra - la, tanto para facilitar o envio de cartas à Gina, como também para escrever para seus pais e para Harry enquanto estivessem em Hogwarts.

E assim, Hermione saiu da loja, ambas as mãos ocupadas, ao mesmo tempo que se concentrava em segurar tudo, ler o papel e andar até a loja da Madame Malkin, onde ela pretendia comprar vestes novas. Ao mesmo tempo em que Hermione tentava ser mil utilidades, do outro lado, caminhando em sentido oposto a Hermione, andava um rapaz usando terno e gravata, carregava uma maleta preta e na outra mão estava um papel que o garoto muito estava concentrado, sem prestar atenção por onde andava.

Eis que o choque aconteceu. Hermione e o rapaz se colidiram. Os livros da morena foram parar no chão, ao mesmo tempo que a maleta do rapaz também caiu espalhando os vários papéis que se encontravam lá dentro e a gaiola da nova coruja voou alguns centímetros, libertando a mesma que depois de um breve voo, pousou na gaiola caída esperando que alguém a prendesse de novo

- Me desc...- Hermione abaixara-se assim que percebeu todo o material que havia caído. Enquanto recolhia, levantou os olhos para o rapaz e ia pedir desculpas quando seus belos olhos reconhecerem aquele rosto tão famoso, Hermione travou, sua expressão ficou séria e tensa

- Me desculpe, Granger, eu não estava prestando atenção. - falou Draco Malfoy abaixando - se para recolher os papéis espalhados

- T-tudo bem, eu também estava distraída - seus olhos encontraram o olhos do Malfoy e a garota não pode mais enxergar o menino rude e egoísta que ela havia conhecido na escola de magia e bruxaria. Draco parecia mais calmo, mais piedoso, mais humano. Ela desviou o olhar e continuou a recolher seus livros

- Mais um ano em Hogwarts, suponho - Ele disse já em pé, com seus papéis guardados observando Hermione se levantar

- Você não? - Mas era óbvio que ele não voltaria, por que raios Hermione havia perguntado? 

- Claro que não! Sabemos como sou bem vindo naquela escola - Ele exibiu um sorriso irônico, deu uma olhada a sua volta e reparou na coruja abandonada ao lado, decidiu pega -la e ajeitou- a na gaiola

- Estou resolvendo uns problemas de família - falou sem que Hermione houvesse perguntado - Acho que isso te pertence - entregou a gaiola a mesma

- Obrigada, Malfoy - a morena sorriu

- Tome mais cuidado - alertou- a - Preciso ir agora, até algum dia...- E com um aceno de cabeça se despediu da morena e continuou seu caminho

Hermione demorou algum tempo para processar tudo que ocorrera ali. Draco estava mesmo sendo gentil? Por que ele a havia ajudado? E ainda pedido desculpa?  Ela se recordou da vez que havia encontrado Malfoy na homenagem em Hogwarts e como ele havia tratado bem aquela criança. Lembrou- se então no dia da guerra, quando estavam na sala precisa e Harry decidiu voltar e salvar a vida de Draco. Por que Harry tinha feito aquilo? Por que salvou a vida de seu inimigo? Talvez Draco não fosse tão ruim assim e Harry sabia disso e quem sabe podia compreende - la.

Hermione descreveu toda a cena, seus sentimentos e confusões para Gina, tudo isso rendeu - lhe três  folhas. Gina respondeu o mais rápido que pôde, disse a Hermione que era normal se arrepender de coisas horríveis, como as que Draco fez, a ruiva não acreditava que Draco estivesse completamente arrependido,mas acreditava que ele não fosse mais o mesmo e que estivesse querendo se redimir.

" Quanto ao Harry, sei que ele tem um coração gigante e é por isso que salvou o Malfoy, em defesa do meu namorado já te aviso que Harry não acredita que Draco seja santo. Aliás, todos nós lembramos que quando Harry chegou "morto" Draco mudou de lado, além de tudo ele era um comensal".

Esse foi o trecho da carta que Hermione releu algumas vezes, tentando fixar em sua cabeça que Draco não era um mocinho bonzinho e sim um vilão tentando se redimir, mas algo em Hermione insistia para que ela o perdoasse de todo o coração,  um sentimento estranho que assombrava ela quase o dia todo, que fazia ela discutir com ela mesma várias probabilidades de Draco ser uma nova pessoa. Hermione passou a reviver vários momentos ao lado dele, momentos em que Malfoy era um completo babaca.

- O que será que você se tornou, Draco? - Hermione perguntou a si mesma enquanto estava deitada admirando o teto de seu quarto escuro. Foi só então que Hermione se deu conta que havia falado o nome dele sem nenhum tipo de restrição, ela se surpreendeu e continuou a pensar, até que adormeceu e acabou tendo um sonho estranho, um sonho intrigante, e o personagem principal do sonho, não era ela como de costume, era simplesmente...
Draco Malfoy 


Notas Finais


Esse é o capítulo de hoje
Nosso Dramione está se tornando real haha
Obrigada por lerem! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...