História Antes dos Vinte (Kim Namjoon) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 43
Palavras 1.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Avisos antes da leitura:
☾ A fic se passa em Cartagena, uma cidade na Colômbia (Ao longo da história isso vai ficar mais claro)
☾ Pode ser que a fic tenha alguns dialetos em espanhol ( mas quando houver, fiquem tranquilos! Será explicado nas notas finais do cap)
☾ A maioria dos personagens são inspirados em cantores latinos que >Eu< gosto, e sempre que eles aparecerem eu irei colocar nas notas finais também.
☾Essa fic é baseada em uma música que se chama Antes de los viente
☾Ah, por último e não menos importante, eu espero que gostem dessa estória, porque eu estou super empolgada com ela eu espero que aproveitem muito!

Capítulo 1 - Prólogo


Antes dos vinte-Prólogo.

 

    

“Antes dos vinte, dizem que vale a pena ter delírios de um delinquentes”




 

➵♡Dominika;

    Depois de uma longa conversa de chamada de vídeo com meu pai, que neste momento estava em algum lugar do mundo desliguei meu notebook, e me deitei na cama indo dormir.

    Na manhã seguinte acordei com o som insuportável do meu despertador, tateei a cama procurando o bendito celular quando o encontrei, confesso minha vontade foi de jogá-lo contra a parede mas não o fiz, apenas cessei aquele som irritante. Abri meus olhos devagar, coçando os mesmos fixei meus olhos na grande janela que havia de frente para minha cama que agora estava iluminando grande parte do meu quarto.

—Hoje o dia vai ser quente.—Disse para mim mesma dando um salto da cama me pondo de pé, indo em direção a janela abrindo-a, sentindo o vento quente misturado com a brisa vinda do mar adentrar meu quarto.

Ah, Cartagena era a cidade mais perfeita do mundo e eu jamais teria dúvida nisso.

    Me espreguicei caminhando para o banheiro que havia no meu quarto, logo ouvindo batidas suaves na porta.

—Entre.—Disse com a voz ainda um pouco rouca

    A porta foi aberta lentamente revelando minha mãe, já arrumada para o seu trabalho.

—Que bom que já está de pé, Nika.—Sorriu finamente—Achei que iria se atrasar para a faculdade

—Que nada mãe!—Estalei a língua, sorrindo em seguida—Eu nunca me atraso!

—Sim, eu sei filha, mas ontem você ficou até tarde da noite conversando com seu pai, então talvez você dormisse mais...—Disse e eu dei um beijo em sua bochecha

—Ah! Entendo, mas, não… eu estou bem.—Respondi

—Se arrume logo!—Advertiu, dando meia volta e saindo do quarto

Bom, meus pais são divorciados e eu moro apenas com a minha mãe e meu irmão mais novo; Juan. Meu pai, é um oficial da Marinha, quase nunca o vejo já que ele está sempre viajando mesmo assim, sempre que ele pode nós nos vemos. Apesar dos meus pais não se suportarem eu amo meu pai e não é a separação deles que vai fazer com que eu o ame menos.

    Assim que ela se retirou do cômodo eu fui para o meu armário dedilhando minhas roupas escolhendo uma para me vestir; por fim, escolhi um short de cintura alta e uma blusa azul clara e meus quase que inseparáveis all star preto, que estavam bem gastos mas eu me recuso a jogá-los fora, meus melhores dias foram com eles.

 

    

    Andava a passos lentos pelas ruas estreitas até chegar na faculdade que não ficava tão longe da minha casa, ajeitei minha mochila nas costas, apertando minhas mãos nas alças da mochila, já avistando o prédio maior da universidade, que era para os estudantes de computação. Adentrei o campus da faculdade rapidamente me dirigindo até um dos bancos parando a música dos meus fones de ouvido, colocando minha mochila ao meu lado.

—Bom dia moça bonita!—Aquela voz grave eu reconheceria em qualquer lugar; Martín

    Martín era o meu melhor amigo da faculdade, era um garoto de estatura mediana cabelos longos-Tão longos que vivem presos num coque bem feito no topo de sua cabeça- normalmente ele trajava camisas sociais listradas que caiam perfeitamente em seu corpo esguio.

—Bom dia Martín!—Exclamei—Como está?—Perguntei educada vendo ele se sentar do meu lado

—Vou bem...Mas só um pouco preocupado com a prova de hoje.—Respirou fundo

—Meu santinho…—Fiz uma pequena pausa crispando os lábios, passando a mexer as pernas em sinal de nervosismo—Martín!!—Exclamei novamente assustada—A prova! Eu...esqueci!—Mordi um pedaço do lábio apreensiva—Eu fiquei conversando com meu pai e esqueci da prova!

—Por Deus Dominika!—Ele me encarou—Fique calma, você é a garota mais inteligente que eu conheço, mesmo sem estudar você vai se sair bem.

—Não! Eu não vou!

—Como foi a prova?—Martín questionou vindo em minha direção assim que eu saí da sala de aula

—Sei lá...—Fiz uma cara de tacho—Acho que fui bem mas ao mesmo tempo eu acho que eu fui mal eu nem sei.—Dei de ombros ajeitando a mochila nas costas passando a caminhar pelo corredor junto com ele

—Hum… eu acho que eu fui péssimo, também faltei várias aulas então não posso reclamar.—Verbalizou olhando para o chão

—Verdade, o senhor tem faltado muitíssimo!—Dei um mini empurrão no seu ombro e ele abraçou minha cintura dando um beijo na minha bochecha

—Martín!—Disse alto, surpresa e a minha voz ecoou por todo o corredor

—Vamos deixar essa prova para lá, agora é passado, tive uma ideia melhor…—Me soltou segurando minha mão direita ficando frente a frente comigo—E se a gente for tomar um sorvete no restaurante do seu tio?

Um sorriso largo se delineou em meus lábios ao ouvir aquilo ele sabia o quanto eu amava o restaurante do meu tio Miguel e fazia semanas que eu não o via.

—Sim!—Verbalizei empolgada

Andava a passos lentos pelas ruas estreitas de Cartagena devagar enquanto conversava sobre qualquer assunto com ele, vendo as ruas mais movimentadas nesta época do ano quando a quantidade de turistas aumentava consideravelmente, dobramos a esquina vendo a fachada colorida do restaurante do meu tio o qual estava ajeitando as mesas.

—Tio!—Exclamei abraçando o mesmo

—Nika!—Me abraçou na mesma intensidade me tirando do chão—Que saudades da minha sobrinha favorita!—Disse com um sorriso nos lábios, sorriso de Miguel era realmente invejável seus dentes branquinhos e devidamente alinhados. 

Na realidade, Tio Miguel era um homem de dar inveja. Nos seus trinta anos, com uma barba bem alinhada, cabelos com as pontas claras e com a camisas regatas que normalmente usava sua tatuagem do lado direito do seu tórax ficava a mostra.

—Vou contar para o Juan que diz que sou sua sobrinha favorita.—disse irônica e ele riu

—O que veio fazer aqui, Nika? E ainda trouxe o Martín— Abraçou o garoto puxando uma das cadeiras e se sentando

—Ah...a gente veio da faculdade e resolvemos fazer uma visitinha—Vi ele sorrir largo se pondo de pé, indo para dentro do restaurante e eu o acompanhei

—Tio, está cuidando de tudo sozinho?—Ele assentiu simplista—Precisa de ajuda? Eu posso te ajudar!—Exclamei

—Nika, não precisa, eu dou conta sozinho!—Se aproximou de mim, dando um beijo na minha bochecha

—Eu insisto tio!—Exclamei novamente

    Caminhei para parte de trás do bar onde ficava os materiais de limpeza e peguei uma vassoura e alguns produtos de limpeza.

—Pode descansar, hoje eu vou te ajudar. Vem Martín me ajuda também!—Disse prendendo os cabelos num coque mal feito

—Você não tem jeito, viu Dominika.—Estalou a língua—Te amo muito—Deu um beijo na minha testa indo para a cozinha

    Terminei de guardar as coisas na dispensa sentindo meus músculos latejarem. Como meu tio conseguiu ficar tanto tempo assim trabalhando? Por Deus! Isso cansa demais!

—Cansados?—Miguel trouxe um copo de água para mim e para o garoto que estava comigo e eu sorri minimamente

—Muito! Tio, como consegue? Cuidar desse lugar é cansativo demais!—Me sentei em uma das cadeiras

—Costume.—Se sentou na minha frente—Vai para casa e descansa Nika...E você também Martín!—Riu nasalado pegando na minha mãos

—Você precisa de ajuda em algo?—O garoto perguntou pousando o copo sobre a mesa

—Não, você já me ajudou demais, obrigado.—Sorriu sem mostrar os dentes

 

    Destranquei a porta de casa entrando na mesma e indo em direção ao sofá me jogando no mesmo de modo desajeitado, tirei meus tênis me jogando no sofá. Por Deus que dia! Eu estava literalmente moída!


 

➵✩Namjoon;


 

Destaquei a porta do apartamento adentrando o mesmo com as sacolas de compras indo direto para a cozinha colocando as mesmas sobre a pia, suspirei profundamente abrindo a geladeira pegando um pouco d'água definitivamente aquele fuso horário estava acabando comigo!

Retirei o celular do bolso vendo várias notificações na tela, desbloqueei o mesmo lendo as mensagens enquanto bebia o conteúdo do copo devagar com pequenos goles.

Você tem 1 mensagem perdida de Tom

 

"Como você foi na prova?"

"Sei lá, acho que fui mediano. O fuso horário acaba comigo!" 

"Até você se habituar talvez demore um pouco"

"Eu sei. Mudar de país é horrível!"

"Concordo."

 

Sai do cômodo me dirigindo até o meu quarto jogando meu corpo no colchão. Maldita hora que eu decidi sair do meu país, pensei comigo mesmo sentindo minha cabeça latejar de cansaço.

Há mais ou menos dois meses eu tomei a decisão que virou minha vida de ponta cabeça, depois de quase dois semestres cursando a faculdade de direito eu decidi largar o curso e fazer o que realmente me apaixona; literatura espanhola. De início meus pais foram completamente contra. Como era possível de um advogado a estudante de literatura? Mas é minha paixão e entre viver infeliz e viver o que eu amo, prefiro viver com o que amo. Nunca foi da minha vontade viver dentro de um escritório entre papéis, mas por pressão familiar direito virou minha primeira opção.

    Meu celular-o qual estava sobre o colchão- vibrou me tirando dos meus pensamentos, peguei o aparelho, olhando o visor do aparelho,minha mãe, sorri minimamente me pondo de pé, atendendo o mesmo caminhei para a sala de estar.

    Oi mãe-Verbalizei empolgado

Oi filho, como está?-Mesmo sem vê-la, sabia que ela estava com um sorriso delineado em seus lábios finos naquele momento

Bem…-suspirei cansado-e você? Como vai as coisas?

"Bem filho, seu pai está viajando…"- soltou uma pequena risada- Sua irmã está super atarefada com as coisas da faculdade…

"Hum… entendo" estalei a língua no céu da boca pondo minha mão livre no bolso da calça

"Está cansado? Sua voz está tão desanimada…"

"Sim, o fuso está me matando!"-confessei fechando os olhos, jogando a cabeça para trás esvaziando os pulmões

"Eu disse que você iria sentir o fuso" ela praguejou baixinho "sinto saudades de você, filho." sua voz assumiu um tom calmo, tão maternal que chegava a fazer com que fez meu peito doer

"Mãe…"-Minha mãe saiu arrastada, logo pigarreei-"Também sinto saudades"-minha voz voltou ao tom normal

"Mamãe! É o meu irmão?"-Minha voz alheia se fez presente na ligação, já sabia que se tratava da minha irmã mais nova

"Sua irmã quer falar com você."-sorri

"Oi irmãozinho lindo. Estou com saudades!"

"Também estou sua chatinha!"

Eram quase oito da noite e eu estava na cozinha preparando meu jantar, eu definitivamente não era bom na cozinha mas eu me virava digamos que eu não morreria de fome morando sozinho.

Terminei de preparar meu jantar, me servindo indo para sala de estar sentando-me no sofá, ligando a tv colocando uma série para passar o tempo.

Meu celular vibrou no meu bolso fazendo com que eu pegasse o mesmo.

“Ei, já sabe o que vai fazer no seu aniversário? Vinte anos, passou tão rápido!”

“Vinte anos? Isso não é nada demais!”

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Link da música que inspirou essa fic: https://www.youtube.com/watch?v=ZE_BCBckcCY


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...