História Antes que seja tarde demais... - Imagine BTS (Jungkook) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Personagens Originais
Tags Amor, Bts, Drama, Imagine, Morte, Our Secret, Sacrifício
Visualizações 68
Palavras 2.519
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, LGBT, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Dúvidas - parte 1


Fanfic / Fanfiction Antes que seja tarde demais... - Imagine BTS (Jungkook) - Capítulo 8 - Dúvidas - parte 1

POV __________ on

6 meses antes...

Durante um período de tempo, me senti como se tivesse caído num sono profundo... Para onde quer que eu me virava, só via escuridão! Entrei em desespero, me sentido a ser puxada por algo. A última coisa de que me lembro, antes de cair nas trevas foi uma luz branca e um nome... um nome do qual eu nunca poderei esquecer: Jeon Jungkook.

Actualmente...

ão sei quanto tempo, eu estive no escuro. Por vezes, eu fazia um exercício de me lembrar de coisas... mas meu pensamento só estava em querer sair daquele breu! Aos poucos, eu me senti a cair no abismo, sendo sugada para algum lugar... foi então que eu comecei a ouvir algo estranho.

Um estranho bip, ecoava na minha cabeça...
Eu vi algo como uma cena qualquer de um filme, passando pelo meu pensamento. Um nome me veio à mente: máquina hospitalar de ritmo cardíaco. Me lembro que se o som ficar demasiado irritante e demasiado repetitivo, pode ser muito mal sinal...

Foi então que eu senti uma mão envolvendo a minha, juntamente com uns lábios nos meus. Me assustei com aquilo, de tal forma, que eu reagi de imediato. Empurrei quem quer que fosse aquela pessoa...
O choque e a adrenalina me fizeram perder o controlo de mim, mesma!

- ___________... Sou eu, o Taehyung! - falou então um rapaz atrapalhado, após eu começar aos gritos. - Sou seu amigo... - tentou ele me contar, colocando as suas mãos em cada lado do meu rosto.

De forma instintiva o empurrei, novamente. Seu rosto não me lembrava ninguém, nem sabia o nome daquele garoto de cabelos negros...

- Eu não te conheço! - gritei. - Saia daqui agora. - exigi, dentro da minha limitação, no momento. - SOCORROOOOOOOOO!!!!

E eu não parei, enquanto alguém não aparecesse. Homens e mulheres, de bata branca e azul, surgiram... Tentei lhes dizer que aquele garoto era louco, que eu não o conhecia de parte alguma... foi então que eu caí, mais uma vez, no escuro.

----

Quando voltei a abrir os olhos, minha cabeça doía.
Uma luz forte surgiu no meu campo de visão, encadeando meus olhos. Me sentia sonolenta, ainda...

- Querida! Fique calma. Você está no hospital, agora em segurança... - falou uma senhora perto de mim.

Seu olhar era confortante, embora que estivesse um pouco preocupada.

- Humm... Hospital? - questionei , abrindo os olhos devagar, me adaptando à claridade do local.

- Sim. O meu nome é Kim Danjae, a sua enfermeira responsável! - confirmou. - Você sofreu um acidente, que te deixou inconsciente por um tempo. - acrescentou ela. - Você se lembra de alguma coisa? - questionou a enfermeira Kim.

Me senti confusa! A minha cabeça doía, imenso, e eu não conseguia lembrar de qualquer coisa, antes de acordar, ali. E por consequência disso, talvez, as máquinas deviam ter captado essa minha ansiedade...

- Tudo bem, não há problema! É normal isso acontecer. Você bateu com a cabeça com muita força... acontece! - explicou, não me deixando muito tranquila, mesmo assim... - Seus amigos vieram te visitar! - comentou ela, dando a passagem a um garoto.

A luz que invadia o quarto, incidira sobre o rosto do garoto e, por um instante, me senti ofuscada.
Repentinamente, uma enorme dor de cabeça surgiu. Tentei conter o máximo que consegui, pois me sentia confusa... Eu tinha amigos? Eu tinha um nome, que todos deveriam saber qual era, menos eu! Porquê? Porque é que eu não sabia o meu nome? Quem eu era, na verdade?

Quando o rosto daquele garoto se tornou mais claro, na minha (estúpida) visão, algo (ainda) mais estranho aconteceu!
Diante dos meus olhos, o seu rosto surgiu - à parte - num local pouco iluminado, tendo sido focado por uma luz que vinha na sua direcção...
Seriam os faróis de um carro? Foi então um grito ecoara na minha cabeça. Um nome...
Jeon... Jung... Jeon Jungkook!

- Oi, ___________________!

Ao ouvir a sua voz, pela primeira vez, me senti calma...
Como se, naquele instante, eu fosse como um bote que tinha atracado num porto seguro, depois de uma tempestade.

- Quem é a "__________________"? - questionei, me sentindo mais mais baralhada, ainda. Mas ao mesmo tempo, senti um aperto no peito. - Desculpe, enfermeira Kim... É normal eu ter tantas dores de cabeça? - perguntei, olhando para a enfermeira, que me olhava com cuidado.

- Só nos próximos minutos. - confirmou. - E não se preocupe. Esse garoto vai explicar algumas coisas! - acrescentou, indicando aquele rosto pouco familiar. - Se precisarem de mim, é só tocar na campainha de emergência. - concluiu antes de sair do quarto.

A enfermeira Kim saíra do quarto, após analisar as máquinas que me rodeavam. A minha cabeça continuava doendo, mas nem isso me fez mostrar frágil... Tinha a estranha sensação de que alguém correra perigo de vida. Aquele nome me deixava apreensiva, não sei porquê! Foi nesse momento, que eu pensei que o nome - que aquele cara tinha falado - poderia ser o meu próprio nome...

- Meu nome é _________? - perguntei, tentado pensar de forma mais clara, mesmo tendo uma explosão na minha cabeça.

- É! _________ ____________. - respondeu, puxando uma cadeira.

Fechei os olhos por um segundo. Afinal, eu não estava a ficar assim tão louca! Me dei conta que o mesmo garoto era alto e que estava bem nervoso. Me perguntei o quanto ele poderia saber sobre mim... Ele importar-se-ia com as minhas perguntas, que eram mais do que muitas?

- Me desculpa, por falar isso, mas... eu sinto que te conheço, mas não me lembro de onde... - comecei, sem saber como perguntar o que realmente era importante e o que importava no momento. - Só me recordo de ver uma luz branca... de ver um rosto parecido com o seu e de ouvir um nome... - confessei, tentando não parecer louca. - Isso me tem dado muitas dores de cabeça. - suspirei, com os dedos nas têmporas, tentando - em vão - aliviar a dor.

- Nome? - repetiu. O seu tom de voz denotava algum nervosismo, embora que ele tivesse se esforçando por o esconder.

- Jung-qualquer-coisa... - disse eu, sem saber como pronunciar aquele nome que se repetia, com várias imagens diante dos meus olhos, sem que tivesse acontecendo no momento. - Je... Jeon...

- Jeon Jungkook?

Definitivamente, aquele garoto queria, de facto, me ajudar. Louvei, internamente, a Deus - e a qualquer força que me tenha sustido até ali - por ter conhecido semelhante pessoa... Mesmo que eu não soubesse o seu nome, mas eu estava-lhe grata por ele me ajudar!
Os seus olhos - castanhos escuros - brilhavam, contendo uma alegria que me era estranha, mas no entanto, reconfortante... Era como se o conhecesse a minha vida toda, mas, contudo, não tinha nada que me pudesse catalogá-lo de outro jeito a não ser de "um estranho amável", em vez de "amigo", como a enfermeira fizera!

- É esse o nome? - perguntou ele, seguidamente.

- Acho que sim. Está tudo muito confuso, aqui dentro! - respondi, batendo na minha própria cabeça, sem pensar no quão ridícula, eu podia estar parecendo. - Você sabe o meu nome, mas eu não sei o seu...  ​Desculpe a arrogância! - me desculpei, depois de ter exteriorizado aquela angustia, mesmo sem ter tido a minha questão resolvida. Mesmo assim, calculei que o dito Jungkook fosse amigo daquele desconhecido simpático!

- Não precisa pedir desculpa...Meu nome é esse mesmo: Jeon Jungkook! - respondeu, verdadeiramente emocionado. - A enfermeira me contou que você se assustou antes de eu ter chegado... - comentou, depois, mudando para uma expressão mais... protectora, talvez?

- Um garoto que nunca tinha visto na vida estava de mão dada comigo... e me beijando! - expiquei, me sentindo ultrajada... e um pouco enojada, na verdade. - Você o conhece? - perguntei curiosa.

A recordação daquele garoto foi terrível! Nem sei como existe alguém que acha romântico a cena idiota do príncipe beijando a bela adormecida ou a branca de neve. Sério! Isso pode resultar para quem tem memória, mas no meu caso... é horrível!
Eu tento lembrar de coisas simples, como o meu nome, minha idade...É como se eu me tivesse tornado numa folha em branco e sentir aquele beijo... Ugh!

- Conheço, sim. E você também... - confirmou, me parecendo um pouco incomodado. Ou seria eu, que estava imaginando coisas? - Mas não tem motivo para alarme! Ele é nosso amigo, então, ele não te faria mal algum. - assegurou. - Ele e alguns amigos estão lá fora... Eu entrei na frente, para que você não ficasse nervosa demais, ou entrasse em pânico, novamente! - contou, acariciando o meu cabelo.

- Você pode me responder a algumas perguntas? - perguntei, me sentindo a maior chata do universo. - Não quero parecer chata ou...

- Não! Você não é chata. - interrompeu ele, com um sorriso meigo. - E você poderá me perguntar qualquer coisa... sobre o que você quiser! - garantiu. - E aos hyungs, também! Se eu te condicionar só para mim, eles ficariam magoados... - confessou, rindo timidamente, corando, enquanto passava a mão pelo cabelo.

- Obrigada! - agradeci, respirando fundo. - Kookie. Eu posso não me lembrar de quem sou, ou de como nos conhecemos, ou que tipo de amizade a gente tinha, antes de eu acordar nessa cama... mas eu posso te garantir uma coisa: você têm sido um bom e grande amigo. Obrigada!

Me senti nervosa por falar aquelas coisas. E idiota, também! Mas parecia, que eu não conseguia fazer outra coisa senão expressar as poucas coisas de que eu tinha a certeza. bom, isto, me guiando pelo meu instinto, claro!

- Você tem sido muito mais, para mim, acredite! - disse ele. - Bom, eles estão esperando... É melhor chamá-los. Pode ser? Você se sente em condições? - questionou preocupado.

- Desde que não volte a sentir aquela sensação de abuso. - esclareci, acenando com a cabeça. - Pode mandá-los entrar! - autorizei sorrindo, sem entender bem o porquê de tal reacção.

Jungkook saiu do quarto, com um ar mais calmo. Mas pressenti que havia alguma tensão no seu espírito...
Não tive muito tempo para pensar em teorias -  ou outros "ses" - já que não levou muito tempo para cinco rapazes entrarem no meu quarto.

O primeiro a entrar foi um garoto baixo, de cabelos alaranjados. O seu rosto era bonitinho e o seu sorriso era doce e afável...
Se seguiu, depois, um garoto era um pouco mais alto, com cabelos castanhos. E infelizmente, era mais um que nada me dizia, por enquanto... o que me deixava um pouco assustada, triste e frustrada! Afinal, segundo Jungkook, eles eram meus amigos.

Depois, entraram três garotos ao mesmo tempo! Dois, deles - que eram um pouco mais altos -, também não me diziam nada... excepto o mais novo! Apesar de agora ele ter tingido o cabelo, com outra cor, mas continua sendo o mesmo...
Rapidamente, flashbacks surgiram, diante dos meus olhos. Eram lembranças sorridentes, felizes! Nelas, pude perceber que os restantes eram realmente meus amigos... mas infelizmente, não tinha memórias deles.

- Jimin? - murmurei, sentando na cama, sem me aperceber de que tinha falado em voz alta.

- Você se lembra de mim, _________? - perguntou o mesmo, tão atónito quanto os restantes.

- Claro, sua cabeça oca! - resmunguei. - Pode parecer bizarro, mas... sim, eu me lembro de você! - disse respondi, pensativa. - Quem mais iria pensar em me levar a ver um filme de terror, num encontro? - questionei, encarando os outros. - Eu detesto filmes de terror, certo? Pelo menos tenho essa lembrança de não gostar...

- Qual era o filme, então? - desafiou o mais novo, impedido que um dos outros me respondesse.

- "Fenómenos paranormais." - citei, me arrepiando. - "Vamos, dongsaeng! Vai ser divertido... E não se preocupe! O filme não é de terror, nem bizarro." - continuei, recordando e reproduzindo o entusiasmo dele, naquela época.

Um dos rapazes que estava junto dele, se aproximou do mesmo, com um sorriso trocista.

- Jiminie. esse não foi aquele filme - que você, eu e o Suga fomos ver no cinema - em que você ficou tão assustado, que ficou agarrado a mim, o filme inteiro? - questionou um dos morenos.

- Hyung, me dá uma pausa, ok? - pediu Jimin. - Preferia que você não se lembrasse disso... - disse ele, vindo na minha direção. Assim que ele estava próximo o suficiente, me abraçou fortemente. Me senti sufocada! - Apesar de tudo, fico feliz por você ter acordado e estar bem! - disse ele, sorridente.

- Eu... não consigo... respirar... - proferir, tentando fazer com que ele me largasse.

- Ei! Jimin. A gente já passou o suficiente para manter a dongs viva... não queira ser você o responsável pela morte dela! - aconselhou o baixinho, enquanto outro se aproximou de nós e arrancou o Jimin para longe.

- Você é mesmo idiota! - acusou o garoto que entrara com Jimin, momentos atrás. - Você não entendeu o que ela quis dizer?

- O que é que você está querendo dizer? - questionou o Jimin em resposta.

- Não é de você. que ela se lembra, propriamente. - afirmou o mesmo. - ________... você se lembra de algum de nós, ou que idade você tem?

- Lamento, mas não. - respondi, após recuperar o fôlego. - Os vossos rostos são me familiares, mas não há muito mais... - disse, indicando para a minha cabeça. - E sobre mim, só sei o meu nome porque o Kookie mo disse!

- Tá vendo? Ela se lembra de você, porque vocês têm o segredo, em relação ao Jungkook! - afirmou o mesmo, parecendo indignado. - E desculpa, dongsaeng. Eu sou o Namjoon...

- Muito gosto! - disse antes de assimilar a informação recebida. - Espera aí... Park Jimin! Você não prometeu que não iria abrir essa sua boca grande?

- Eu sei. Mas a culpa foi do Tae e do Namjoon, que estavam brigando, lá fora. - justificou o mesmo. - Mas fica tranquila! Nenhum de nós vai contar ao Kookie...

- Não conte com o Taehyung para isso. Ele está falando agora com o dongsaeng e é bem provável que ele coloque o jogo dele na mesa! - afirmou aquele que me parecia ser o mais velho.

- Taehyung? - repeti, sem saber de quem se tratava.

- Taehyung é meu irmão e do Jin. - disse Namjoon. - Ele é seu amigo...

- O idiota, de há pouco, é o seu irmão? - inquiri, associando a expressão do Jungkook ao cretino que me agarrara há momentos atrás.

- "Idiota"? Você nunca falou assim dele, antes. - estranhou Jimin. - Vocês eram bastante amigos...

- Como é que você se sentiria, se você fosse agarrado e beijado, à força, por alguém que você não conhece, Minie? - questionei, chateada. - Sabe qual foi a sensação que eu tive? Que ia ser violada, a qualquer instante, por um maluco qualquer!

CONTINUA...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...