1. Spirit Fanfics >
  2. Antes que seja tarde demais - Segunda temporada >
  3. Dolorosa verdade

História Antes que seja tarde demais - Segunda temporada - Capítulo 6


Escrita por: Luna94

Capítulo 6 - Dolorosa verdade


Fanfic / Fanfiction Antes que seja tarde demais - Segunda temporada - Capítulo 6 - Dolorosa verdade

Sem saber o que fazer, Jungkook encaminhou a garota até ao seu carro, no intuito de a levar para o seu apartamento já que ________ não se encontrava em condições para dirigir nem de ficar sozinha. O que o deixara apreensivo, pois nunca tinha visto a sua amiga daquele jeito... nem mesmo quando Taehyung tivera aquele surto que quase os matou de susto e medo, há anos atrás.

Ao chegarem ao apartamento, Yoongi – que estava a tratar de algumas papeladas relacionadas à empresa e às obras da sua casa – ficou ainda mais surpreso quando viu Jungkook a entrar acompanhado por uma __________ num estado quase catatónico.

— _______-ah?! – chamou apreensivo. — O que aconteceu? – inquiriu o empresário ao desenhista.

— Não sei. Ela ficou assim de um momento para o outro... – respondeu Jungkook prontamente, enquanto a jovem permanecia em silencio. Com o apoio de Yoongi, os dois homens a auxiliaram a se sentar na cadeira mais próxima da porta de entrada. — Como ela não reagia, acabei por trazê-la para cá. Não tive coragem de a deixar sozinha, neste estado! – confessou, encarando depois o amigo. Jungkook arrependera-se de ter aberto a boca no segundo seguinte, devido ao olhar fulminante que Yoongi lhe lançara. O jovem podia sentir as chamas incandescentes e invisíveis a torriscar cada centímetro de pele até ao tutano dos seus ossos.

— Atreve-te a fazê-lo alguma vez na p*** da vida e logo verás com quantas letras e canas se escreve o nome «Min Yoongi». – jurou o rapaz de Daegu, num tom cortante e com uma vivida promessa de uma futura ameaça que seria cumprida, custe o que custasse.

— Deixa-o em paz, Yoonie. – murmurou________, parecendo ter acordado do transe com que havia chegado. A sua voz estava arrastada, abatida e com uma estranha perplexidade. O seu semblante não tinha mudado. Ela continuava séria, a olhar para o infinito e com o pensamento longe. — Há coisas bem piores com que devemos nos preocupar! – advertiu em seguida, deixando os dois amigos confusos.

— O quê por exemplo?

— O Oh Gunwoo foi libertado há cerca de dois anos e meio. E está de volta à cidade... – revelou esta, sem conseguir conter a vontade de chorar. — Se ele descobrir... que estou viva... seremos todos mortos, Yoongi! – supôs, soluçando ao mesmo tempo que _________ travava uma dura batalha entre conter o seu choro compulsivo causado por uma crise de ansiedade e a razão, pois ela era a única pessoa que poderia impedir que uma enorme catástrofe acontecesse... além de que tudo o que havia feito nos últimos anos não tinha servido de muito, pelos vistos.

Yoongi a encarou perplexo por um instante. Assim que a rapariga pousara o rosto no seu ombro para esconder e abafar o choro, Yoongi a envolvera num abraço confortante e protetor, da mesma forma como fazia quando __________ era criança.

— Se acalma! Respira fundo e me conta tudo o que se passou. – pediu ele, numa tentativa de a acalmar, de ele mesmo se acalmar e de descobrir o que realmente se passava... de saber o que o regresso de Oh Gunwoo tinha haver com a suposta morte da sua amada, sem ter de recorrer a uma caçada. Pois só ele, o Jungkook e o Jimin contra o dito cujo não iria adiantar de nada! Fosse qual fosse o motivo, Gunwoo os venceria se eles não passassem a ser mais cautelosos e estratégicos no futuro.
Jungkook, por sua vez, estava ainda mais baralhado do que Yoongi. Se existiam várias questões antes daquelas palavras... agora existiam dezenas delas e inúmeras hipóteses de resposta para qualquer uma. Isso o deixava furioso, pois tudo indicava para um dominador comum, vendo os factos ocorridos de um outro prisma. Um prisma que Jimin já lhe comentado, muito surperficialmente... mas nem ele, o Namjoon ou o Hoseok tinham-lhe dado ouvidos!

— Quando fui embora da Coreia, da primeira vez, a Interpol me contactou. Descobriram que tinha sido uma das vítimas do Gunwoo, durante as investigações que eles tinham em colaboração com outras identidades policiais. – começou a contar num tom baixo. Quase como se aquele segredar dependesse da sua própria sobrevivência e a dos restantes. Quer a de Yoongi, Jungkook Jimin ou a dos outros quatro que desconheciam a dura realidade que lhes fora omitida por todos aqueles anos de sofrimento e angústia. O mais bizarro de tudo é que __________ estava realmente certa: a vida de todos dependia do máximo de sigilo possível. Isto, se quisessem sobreviver para ver as suas famílias a vingarem na vida e a traçarem os seus destinos como qualquer outro ser humano. — Eles atingiram os objetivos com a minha ajuda. Os idiotas quiseram colocar as culpas em você, mas não o permiti! – revelou ainda trémula. — Nunca houve indícios que comprovassem as teorias conspiratórias ditas pelos capangas do Gunwoo... o que abonou à minha versão dos factos. Posso ter sido enganada por você, mas me recusei a acreditar que o meu melhor amigo seria capaz das mesmas atrocidades que aqueles... – continuou a jovem, com um sorriso tímido que se desvanecera ao recordar de algumas infelizes conversas e discuções na época. — Você é mentiroso, não um assassino desumano e sociopata! – afirmou. — As poucas provas que existiam falaram por si e os caras acabaram por serem condenados. Uns à prisão perpétua, outros à pena de morte por injeção ou enforcamento. 

— Então, porque é que ele foi solto? Porque é que ele não teve a pena de morte, como os outros, se ele é que era o líder do gang? – perguntou Yoongi.

— Ele fez com que parecesse o oposto. Para qualquer efeito, o Min Suga era o verdadeiro e mais temido líder! – explicou a jovem. — Até ao meu depoimento em tribunal, todos estavam convencidos de que ele tinha sido coagido pelo Suga. Como bem sabemos, era tudo uma mentira pegada até ele jurar vingar-se de mim... que haveria de te ver a morrer lentamente, sem ter meios para te salvar. Como não poderia arriscar que isso acontecesse, voltei com o objetivo de vos proteger! – continuou enquanto os outros a ouviam atentamente. — Mas como o meu plano inicial não estava e nem iria correr como planeado de qualquer das formas, mudei de tática. Pedi ajuda a algumas pessoas para forjar a minha própria morte e assim podia afastar aquele monte de esterco de vocês... – referiu, detalhadamente, e com um toque de reprimenda nas frases finais.

— Pessoas? – repetiu Jungkook, confuso. — Então não foi só o Jimin que te ajudou?

— Lógico que não, Kookie. – disse a jovem, quase que revirando os olhos. — A ajuda do Jimin era apenas para garantir que eu conseguisse executar o plano sem provocar a morte de algum de vocês os sete... Onde é que ele tem contactos na policia, na medicina legal e em laboratórios criminais? – acrescentou como se fosse algo lógico.

— E você tem?

— Tenho primos que trabalham no ramo policial, laboratorial e hospitalar, sim. – confirmou prontamente. — Foram eles que me ajudaram a declarar o meu óbito. – continuou ela, meio que perdendo-se nas suas lembranças. — Nunca tinha visto os meus pais tão serenos quanto no meu funeral. Eles pegaram no prémio do seguro que autorizei e desapareceram do mapa. – comentou num tom tristonho e desapontada.

— Eles nunca foram presentes! Não é de admirar que tenham tanta falta de sensibilidade. – retorquiu Yoongi, num tom seco. Se havia coisa que o irritava era a forma como os pais de ________ a tratavam e com o tempo, tudo parecera a piorar, sem que ninguém suspeitasse. — Bem, se o Gunwoo-ssi regressou, é porque veio atras de mim! Fui o único que não sofreu as consequências...

----

Depois de uma longa conversa, Jungkook e Yoongi compreenderam os motivos que levaram a que a melhor amiga de ambos tivesse tomado medidas tão radicais. Era algo extremamente necessário, visto que Oh Gunwoo não tinha mais nada a perder, nesta altura do campeonato. Além de que ele era um excelente manipulador!

Com o passar do tempo, a tarde foi avançando dando o seu lugar à noite que se avizinhava, então Yoongi optara por encomendar o jantar. Assim poupavam tempo para continuar a conversa que talvez servisse de gancho para resolverem outros assuntos que estavam pendentes entre eles. Para agradecer a hospitalidade dos dois amigos, ___________ começou a preparar a mesa, enquanto aguardavam pela entrega.

— Acho que já poderíamos dar-lhe a resposta, Kookie... O que você acha? – perguntou Yoongi a Jungkook, após o Ceo ter puxado o amigo para um canto mais afastado de __________, a fim de que esta não os ouvisse, enquanto ambos admiravam cada cuidadoso movimento que fazia durante a sua pequena tarefa.

— Não é um pouco... cedo demais? – inquiriu o desenhista, receoso. — Não é que eu não queria aceitar, mas não seria melhor fazermos uma coisa mais... “gradual”? Do tipo, cada um de nós teria uma saída com ela ou algo do género... e depois uma saída a três? – sugeriu o jovem de Busan, timidamente.

— Desde que os dois tenham juízo... por mim, tudo bem! – comentou a garota, tranquilamente e sem os encarar. Ambos foram apanhados desprevenidos naquele momento, pois não sabiam que ________ os poderia ouvir.

— Então... pode ser? Quero dizer, sairmos juntos e individualmente, quando quisermos? – perguntou Jungkook um tanto nervoso.

— Pudemos deixar estabelecido um dia da semana. – sugeriu Yoongi. — Pelo menos até nos habituarmos à cena de trisal...

— Eu sei que o poliamor é uma coisa nova para vocês. – comentou _________, tendo terminado de colocar a mesa para três pessoas.  — Para mim também o é! Mas acho que é a forma mais justa... para nós os três. – confessou, um tanto envergonhada. — Eu realmente não consigo escolher de entre vocês os dois. – admitiu, sendo que Yoongi e Jungkook assentiram, compreensivos.

— Ah! É verdade. - exclamou Jungkook, lembrando-se repentinamente de algo. — O Jimin-hyung pediu para avisar de que a gente tem uma reunião na próxima semana. Parece ser importante. – informou, pensativo.

— E é! – afirmou a rapariga, descuidadamente. _________ não tinha dado conta do olhar desconfiado que ambos os amigos lhe lançaram e continuou: — Mas não adiantarei mais nada além... – proferiu até que perdera a linha de raciocínio ao dar conta que estava encurralada entre os dois amigos de Jimin que a encaravam com expressões duras e sérias. — O-o q-que foi? – perguntou ela, gaguejando e engolindo em seco, devido aos seus nervos.

— O que é que você sabe sobre essa reunião? – interrogou Yoongi, sendo interrompido pela campainha.

— Salva pelo gongo! - expressou aliviada, correndo para a porta.

Assim que pagara ao entregador, _____________ voltou a entrar no apartamento, tendo agora as suas mãos ocupadas por transportar a comida. Jungkook depressa a intercetou, tirando-lhe a encomenda das mãos suaves da garota, deixando a Yoongi a tarefa que melhor sabia fazer... e da qual já não praticava há demasiado tempo.

— Temos a noite inteira. – advertiu Yoongi, começando a avançar passo por passo na direcção da jovem garota. — O que é que você sabe sobre a reunião? E o que é que mais está escondendo de nós? – insistiu saber, sem lhe dar qualquer hipótese de fuga.

— N-não será melhor... conversarmos durante o jantar? Comida fria não tem graça... – verbalizou ela, gaguejando desconcertada.

— Você só fica nervosa quando está escondendo alguma coisa, ________-ah. – constatou Yoongi, acabando por a pressionar emocionalmente e contra a parede. — Fala! – exigiu, sem deixar a sua entonação se alterar.

Apreensiva, __________ gelara. Mas não de medo. Ela nunca teria medo do Yoongi! Mas o poder que este e Jungkook exerciam sobre si era indescritível.

— _________-ah. – chamou Jungkook, por sua vez, juntando-se aos dois. — Ou você explica, agora... ou a gente vai ter de ir por...

— A vossa empresa não surgiu ao acaso! – disparou ela, repentinamente. — O Jimin nunca teve dinheiro suficiente para criar algo do zero... e muito menos seria credível para um empréstimo bancário. – continuou ela sob o olhar atento dos dois rapazes. — O Jimin tem estado... sido, na verdade, o meu representante na empresa. E sim, fui eu que insisti para que você fosse o director! – revelou, encarando Yoongi em seguida. — Pensei que o cargo pudesse te ocupar tempo suficiente para evitar as suas crises suicidas. – confessou por fim, derrotada. — A reunião servirá para apresentar a minha nova identidade... como acionista.

— Espera! A ideia não partiu do Jimin? – quis saber Jungkook, num misto de curiosidade e incredulidade. — Eu sempre pensei que...

— Não. Ele só teve a ideia da criação dos personagens e não do conceito empresarial. - confirmou a garota em seguida. — Podemos ir jantar, por favor? – suplicou, voltando encarar Yoongi.

Este ficou a olhar bem no fundo dos olhos daquela mulher tão destemida, imerso nos seus pensamentos. O aroma das pizzas ainda quentes não detivera a vontade absurda que o coreano tinha de tomar os seus lábios... tocar no seu corpo, sentia a sua pele sedosa e macia. Da mesma forma que __________ sentia o desejo oculto na profundidade nos olhos de Yoongi, ele podia sentir o desejo reprimido dela através daquela troca de olhares. E embora que o seu desejo transparecesse a olhos vistos, __________ não se sentia confortável para entrar a matar, ainda que soubesse que não tardaria para que os seus futuros companheiros pudessem desfrutar e de lhe proporcionar longos momentos de prazer.

— Pudemos. – aceitou Yoongi ao depositar um beijo na testa da jovem mulher à sua frente. — Mas antes, acho que precisamos de fazer uma coisa primeiro. – comentou, piscando o olho a Jungkook de forma que _________ não entendesse o que estaria para acontecer (mesmo que fosse algo óbvio).

No instante seguinte, Yoongi baixou ligeiramente o rosto para beijar os lábios da jovem. O toque inicial indicava um beijo doce, delicado e terno. Porém e mesmo que __________ gostasse da ideia, não era provável que aquele fosse o primeiro beijo de um sentimento que estivera reprimido por mais de uma década e nem era propriamente o estilo de Min Yoongi. E tal como a rapariga tinha calculado, aquele toque não era nada em comparação com a intensidade, a profundidade que aquele beijo se tornara numa fração de segundos. A mesma conseguia sentir o gosto do desejo reprimido e sofrido daquele homem, pelo qual amou durante tanto tempo...
Jungkook fora apanhado de surpresa, ainda assim mal podia esperar para ser o próximo e o último daquela lista da noite.

Com algumas dificuldades, __________ lá conseguiu manter-se minimamente lúcida, a fim de que nenhum dos três desse um passo maior do que as seis pernas que necessitariam para que aquela relação chegasse a algum lado. O seu medo de perder dois dos seus melhores amigos e as suas maiores paixões da sua – ainda – curta vida, fazia com que ela mesma receasse falhar ou que algo inevitavelmente ruim pudesse acontecer...

Já Yoongi mal conseguia conter o seu batimento cardíaco, a sua repiração, a sua adrenalina ou até mesmo os seus movimentos. Fazia demasiado tempo que o rapaz ansiava por aquele repentino assalto à boca de __________, que nem o próprio sabia como tinha arranjado coragem para tomar tal iniciativa! Mesmo que a sua natureza fosse assim mesmo: ser um homem de ações.

Assim que Yoongi se afastou de _________, dando por terminado aquele beijo ardente e apaixonado, folego foi a última coisa que __________ tinha recuperado. Pois, Jungkook não conseguiu conter-se por muito mais tempo e puxou a sua velha amiga para junto do seu corpo, tomando-lhe os lábios em seguida. Ao contrário de Yoongi, o seu gesto foi mais gentio e inóspito. Todavia, o beijo em si, fora mais tímido e vagaroso... como se Jungkook quisesse não só saborear o momento, como também o gosto de __________ e imortalizar aquele mesmo sabor na sua memória.

Todavia, a timidez durou pouco devido ao gesto instintivo de __________ ter puxado a nuca do rapaz, a fim de aprofundar o beijo de ambos. Os dedos suaves emaranharam-se no cabelo do jovem de Busan, fazendo-o arrepiar-se por inteiro. Por consequência, a respiração de ambos ficara rapidamente descompensada e Yoongi, que se divertia com a cena, não perdeu a oportunidade de abraçar ___________ por trás, beijando suavemente desde a sua orelha esquerda até ombro desta. O corpo de ______________ se arrepiara sob as mãos esguias de ambos os homens, das quais percorreram cada centímetro da sua pele. Ela sentia—se invadida por uma gigantesca onda de prazer, que a tentava para que aquele momento fosse mais além do que o necessário. Jungkook e Yoongi, apesar da ousadia de ambos, continuavam a agir de forma respeitosa, pois as mãos impacientes e destemidas acabavam por não descer mais além do espaço que delimitava o final das costas e o  inicio  do osso da bacia. Pois ambos aguardavam por um sinal positivo para que pudessem seguir a diante e __________ agradeceu internamente a Deus pelos seus futuros companheiros serem tão respeitadores, apesar dos inúmeros defeitos que tinham...

Aquela sede de paixão que os três ansiavam por saciar quase que desesperadamente, ainda não constava nos planos de _____________. Era demasiado cedo, tanto no seu ponto de vista, quanto a situação nas circunstâncias em que eles se encontravam! Ela tinha “renascido” dos mortos, ocultou várias informações vitais e importantes na vida de todos... as coisas não poderiam acontecer daquela maneira, só porque sim. Só porque eram adultos e podiam fazer o que bem entendessem.

— Rapazes... – proferiu ela, ofegante, assim que os lábios de Jungkook abandonaram os seus para atormentar o lado direito do seu pescoço. Apesar da urgência que a garota tinha para travar o avanço daqueles toques e beijos tão aguardados, ___________ não conseguia impedir o frenesim de sensações que há muito estavam adormecidas. Não apenas o calor que os corpos masculinos exerciam sobre o seu ou o calor provocado pela adrenalina que lhe corria nas veias... todo o seu corpo implorava por mais, especialmente no que dizia respeito à sua vulva que ansiava para que aquelas mãos fossem menos respeitosas e cedessem ao impulso que levara o trisal no maior amasso. — Nós devíamos ir jantar... – recordou, um tanto desconcentrada, enquanto os rapazes impediam o seu corpo de se esquivar involuntariamente.

— Sshh. – proferiu Yoongi ao seu ouvido. — Você precisa tanto disso quanto a gente, __________-ah... – referiu num tom sedutor, beijando o lóbulo da sua orelha.

— Ou você não quer? – questionou Jungkook, um tanto apreensivo, parando bruscamente.
Após um momento para respirar, a mulher não tardou em responder:

— Não tenho intenções de perder a virgindade hoje. – confessou ela, com as bochechas ganhando uma tonalidade mais rosada. — Além de que ainda é muito cedo para andar a pular etapas. – mencionou, receosa por sua vez.

— Virgem?! – repetiram os dois amigos, completamente apanhados de surpresa. Uma vez que não era comum alguém da idade de ____________ continuar virgem...

— Durante todo este tempo? – questionou Yoongi, meio incerto, meio incrédulo.

— Vocês devem pensar que eu sou como vocês os dois, não?! – criticou, quase que ofendida. — Obviamente que me bastariam duas garrafas de sake, soju, whisky ou de vodka para ter coragem de transar com uma pessoa por quem não sinto rigorosamente nada? – continuou ela, indignada e sob o olhar culposo e envergonhado de ambos os homens parados à sua frente. — Ou vocês julgam que eu não sei da Rose, da Jisoo, da Jieun e da Jennie?

— Foi uma vez sem exemplo, nem volta! – defendeu Jungkook, impulsivamente, enquanto Yoongi baixara o olhar e permanecera calado. ____________ tinha razão! Nenhum deles tinha defesa possível ou teria direito de a criticar do quer que fosse.

— Você o fez durante anos. – revelou _________ a Yoongi, pacificamente. — Então, como eu não nenhuma chiclete, para vocês jogarem fora...

— Jamais... – proferiu o jovem de Busan antes que a garota o fulminasse com o olhar. O mesmo se rendera, erguendo as mãos em sinal de tréguas.

— Como estava dizendo, vamos seguir as minhas regras! – concluiu, seriamente e com determinação. — Sexo, só depois do acordo estar devidamente estabelecido e assinado em conjunto. E nem pensem que vão conseguir tirar vantagem, um do outro, nas saídas a dois! – advertiu, irredutivelmente, deitando por terra quaisquer que fossem as intenções e planos criados na mente de Jeon Jungkook para aquelas futuras saídas sem o Yoongi. — Já pudemos passar ao jantar? Estou morrendo de fome...


Notas Finais


Espero que tenham gostado deste capítulo!
Dediquei-me um pouco mais aos preliminares desta vez... para que a cena ficasse mais coesa.
Espero também ter conseguido isso! ^///^
Boa semana <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...