História Antevasin - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Abo, Bangtan Boys (BTS), Gay, Jimin!top, Jungkook!ômega, Jungkookbottom!, Magia, Romance, Sope, Taenamjin, Yaoi
Visualizações 104
Palavras 2.608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aviso!!

Capítulo contém smut/lemon 🔞

Boa leitura 😘

Capítulo 8 - Vermelho Escarlate


Fanfic / Fanfiction Antevasin - Capítulo 8 - Vermelho Escarlate


🌗🌗


— Alteza! O rei... Sua Majestade— o criado pessoal de Kim Taehyung diz após entrar afobado em seu quarto, e o ômega se levanta com pressa já sabendo do que se tratava.

Seu querido avô estava doente já há algum tempo. O fardo da coroa tinha sido pesado demais para o monarca que havia lutado para continuar vivo por tempo suficiente para que o neto atingisse a idade necessária para assumir o trono, mesmo após o duro golpe de perder a filha e o genro para a tuberculose. O rei sabia que o conselho real queria impôr um casamento ao príncipe para que pudesse assumir o trono efetivamente, não desejavam serem governados por um ômega. Então para garantir que o neto assumiria o trono por direito, o monarca o tornou membro no conselho da Aliança, o treinou pessoalmente nos assuntos políticos, e escolheu a dedo os homens da guarda.

E agora com todos os direitos do neto garantidos, o sábio e benevolente rei, por fim sucumbe a doença. O príncipe se aproxima da cama do velho que o tinha criado desde pequeno com imenso carinho e dedicação, suprindo a falta dos pais como pôde, já com lágrimas nos olhos.

— É chegada a hora meu neto. Os deuses me chamam, finalmente poderei juntar-me aos seus pais — o velho diz com dificuldade de respirar. O ômega olha para o médico real, que balança a cabeça pesarosamente em negativa.

— Vossa Majestade, por favor não se esforces — o ômega diz segurando o choro.

— Lembre-se do que eu disse: Um bom rei é como um bom pai — o velho começa a dizer, e engasga em busca de ar.

— Um bom rei é como um bom pai. Primeiro deve ter pulso firme e autoridade para que as coisas não saiam de seu controle, segundo, deve trabalhar duro para prover o sustento que o filho precisa para crescer forte, terceiro, deve sempre ouvir o filho com atenção para que não confunda autoridade com opressão, e quarto, deve amá-lo acima de seu orgulho e o proteger com sua vida — o príncipe de cabelos prateados recita a lição de cor, com lágrimas silenciosas correndo por seu rosto.

— Aqui vai o último... e o mais valioso de todos — o velho alfa toma um fôlego e o neto se aproxima afim de ouvir melhor — assim como um pai, um bom rei não está isento de cometer erros, mas deve se manter confiante ao saber que está fazendo o seu melhor. Serás um rei melhor do que eu, Kim Taehyung — o velho diz pouco antes de revirar em busca de ar.

— Majestade? Vovô? — o ômega pergunta baixinho quando o monarca para de arquejar, e junto com seu silêncio, o cheiro de tristeza e morte tomam conta do aposento real.

🌗🌗🌗


Jimin teria um ataque de nervos a qualquer momento. A qualquer momento. Jeon Jungkook só podia estar no cio, não era possível. Há uma hora, o policial tinha sido praticamente atacado na cama. O moreno tinha beijado-o, cheirado-o como se o estivesse farejando, e gemido manhosamente, enquanto se esfregava contra ele. Aliás, esfregava uma ereção contra ele. 

Isso explicava porque o acastanhado estava ofegante colado na porta do lado de fora do quarto, onde tinha acabado de trancar o mais novo, ostentando uma ereção dolorosa, enquanto o outro choramingava de dentro do quarto chamando seu nome? Talvez. Se ele fosse um personagem de desenho animado, no momento teriam um anjinho e um demoniozinho em cada um de seus ombro, sussurrando em seu ouvido, e tentando-o convencer a tomar sua próxima decisão.

Aquilo era surreal, e francamente ele estava um pouco assustado. Jungkook parecia estar com dor, definitivamente parecia um pouco febril, mas ao mesmo tempo... gemia seu nome, tentando beijá-lo? Ele tinha até mesmo lambido seu pescoço enquanto rebolava contra ele. Aquilo só podia ser um sonho erótico-alucinógeno. Ou Jimin tinha morrido e ido parar no purgatório, e aquele era o teste final para ver se iria para o céu ou para o inferno.

A campainha toca e ele pragueja. De dentro do quarto ele escuta um outro choramingo e seu nome sendo chamado.

— Puta que pariu hyung, essa não é uma hora ideal, o Jungkookie enlouqueceu e eu tenho que decidir o que fazer — o mais novo diz quando vê que é Yoongi à porta.

— Eu senti que tinha que vir. O que aconteceu com ele? — o vidente pergunta.

— Ué, você não sabe de tudo? — o acastanhado pergunta de mau humor e vai até a geladeira, virando uma garrafa de água de uma vez.

— Claro que sei, é por isso que jogo na loteria toda semana e ganho. Não seja idiota, idiota. O que aconteceu? Sua aura está uma bagunça.

— Desculpa, eu estou de mau humor. Eu acho... acho que Jungkookie está doente? Mas levar ele pro hospital sem nenhum documento e sem saber o idioma é arriscado. Mas ao invés de tentar me dizer o que está sentindo quando eu tento perguntar, ele fica tentando... — O mais velho passa as mãos pelo cabelo frustrado — ele fica— sua fala é interrompida por uma voz chorosa chamando seu nome.

— Deixe-me dar uma olhada nele — o mais velho diz já em direção à porta do quarto.

Quando o vidente vê a porta trancada, ele levanta uma sobrancelha na direção do amigo que dá de ombros constrangido. 

— Puta que pariu — o mais velho diz quando abre a porta e olha na direção da cama, onde o moreno se contorcia agarrado no travesseiro de Jimin — Caralho — sua expressão geralmente impassível, demonstra surpresa.

— O que foi? — Jimin pergunta receoso, ainda do lado de fora.

— Esse é o vermelho mais sexual que eu já vi. Escarlate. Também consigo ver claramente o lobo agora — o vidente volta para trás e encosta a porta atrás de si, antes que o moreno com o rosto enterrado no travesseiro notasse sua presença.

— O que? —Jimin o persegue até da frente, porque aparentemente o mais velho estava indo embora.

— Lembra do que te falei semana passada quando ele mostrou o desenho? — ele pergunta e Jimin revira os olhos.

Ele tinha dado um caderno de desenho para o mais novo, que tinha se mostrado um verdadeiro artista. Sua intenção no começo era melhorar a comunicação entre os dois, mas Jungkook insistia em desenhar cenas medievais e rostos de pessoas desconhecidas.

Em uma das visitas de Yoongi no apartamento, ele tinha ficado lívido ao ver o desenho do rosto de um cara, que segundo ele era o lobo dourado, e Jungkook o tinha chamado de Jung Hoseok. O policial ficou incomodado com o assunto, tinha tentado perguntar quem era aquele tal de Hoseok que o mais novo ficava desenhando, mas ele parecia triste quando questionado, então ele desistiu de perguntar.

 Mas acontece que Yoongi tinha ficado obcecado com os tais desenhos, e quando viu uma das ilustrações que mostrava a lua, o mais velho surtou insistindo em que Jimin comprasse lápis coloridos. Depois de muita insistência, e de ter conseguindo os tais lápis, o vidente surtou mais ainda. Ele pediu para  o moreno colorir a cena, e o mesmo tinha escolhido um lápis cor de rosa para pintar a lua, por algum motivo.

Desde então o amigo surtado insistia com Jimin em uma teoria absurda de que Jungkook era de outro mundo, um mundo com lobos em outra dimensão, e que o tal de Hoseok o tinha mandado ali. O policial no fundo até acreditava que o mai velho tinha visões, apesar de se assustar com essas coisas, mas aquilo de outra dimensão tinha passado de todos os limites.

— Essa história de novo hyung? Dimensões diferentes, lua cor de rosa, lobos? Yoongi hyung você tem ideia da maluquice que está dizendo? — o mais novo pergunta frustrado.

— Não tenho tempo para o seu temperamento cético de libriano Park Jimin. O garoto não está doente, apesar de estar sim com dor. Aquela aura é de alguém com o mais profundo desejo sexual. Tesão. A dor provavelmente vem da vontade de ser saciado. O lobo está completamente consciente, boa sorte com isso. Tome bastante água antes de voltar pra lá, e não demora muito não, parece que o coitadinho tá subindo pelas paredes, isso é crueldade — o mais velho sorri e acena já de costas.

— Min Yoongi! — o policial grita em vão, e bate a porta com raiva em seguida. Distraído enquanto pensava sobre o que fazer, ele dá um pulo de susto quando sente seu corpo ser agarrado por trás enquanto seu pescoço era farejado.

— Jimininnie hyung — o mais novo choraminga em seu ouvido e começa a beijar seu pescoço.

— Jungkookie não faz assim — o acastanhado resmunga e segura os pulsos do moreno, se virando em sua direção. O mais novo imediatamente avança contra sua boca, começando um beijo desajeitado. 

Jimin se arrepia com o cheiro que o rapaz estava emanando, era gostoso demais. Ele leva as mãos para a cintura do outro com a intenção de afastá-lo, mas era tão fina, e ele se inclinava em sua direção, que no final o que saiu foi um apertão.

Jungkook geme em resposta e cruza os braços atrás do pescoço do mais velho, que desiste de tentar resistir. O anjinho que fosse à merda, o demônio ganhou a briga em sua consciência. Se Jungkook queria tanto foder, Jimin daria isso à ele com o maior prazer.

Tomando o controle da situação, ele empurra o mais novo contra porta, e o beija com vontade, enfiando a língua em sua boca com volúpia. A forma como o rapaz respondia ao mínimo dos seus toques com total entrega estava acabando com a sua sanidade. Ele se move com urgência contra o policial, e coloca a mão por dentro da camisa arranhando suas costas. Jimin se separa do beijo e segura firme os cabelos escuros pela nuca, passando a beijar o pescoço lisinho.  Sem interromper os beijos, o policial empurra o mais novo,  que tentava tirar sua camiseta, até o quarto, e o senta na cama, tirando a peça ele mesmo logo em seguida.

Jungkook encara Jimin com tanto desejo que o mais velho perde a noção de espaço-tempo. Ele só recupera um pouco de consciência, quando já só de cueca em cima do moreno, que choramingava e se contorcia arranhando seus braços, ele decide tirar a única peça que o mais novo estava usando e se assusta com o que vê. Com um conjunto de coisas na realidade.

Primeiro, o moreno não tinha nenhum pelo na região genital e a pele parecia tão lisinha quanto a de seu pescoço. E então a umidade. 

— O que... nossa... você achou o lubrificante? — Jimin pergunta confuso, e toca de leve a entradinha que estava mais do que lubrificada.

— Hyung... vem — Jungkook resmunga choroso com uma careta de dor, e puxa o mais velho para cima de si enquanto abre as pernas. No primeiro contato entre as suas ereções, mesmo que o mais velho ainda usasse sua cueca, fica impossível pra ele conter o gemido de tesão que escapa de sua garganta. O mais novo morde seu ombro e remexe os quadris impaciente, e com uma das mãos puxa a cueca que o outro ainda usava para baixo, puxando sua nádegas contra si.

— Caralho — Jimin xinga e tira as mãos do mais novo de sua bunda, e leva os dois braços do rapaz acima da cabeça, segurando-os pelo pulso — Você quer tanto assim o hyung, Jungkookie? — ele pergunta ofegante e tira uma das mãos que segurava os pulsos do mais novo para terminar de tirar ele mesmo a própria cueca, enquanto encara os grandes olhos negros que pareciam duas obsidianas. 

— Hyungie... alfa... vem — o moreno geme manhoso e tenta levantar os quadris na direção do outro, que segura e ereção pela base e pincela a ponta na pequena entrada, que inexplicavelmente parecia ainda mais lubrificada, o que faz o mais velho morder o lábio inferior com força tentando se controlar.

— Caralho Jungkookie... você tá tão molhadinho, será que já se preparou pra mim? — o acastanhado aproxima sua boca da outra, que emitia choramingos constantes, e esfrega a cabeça do pau na entradinha que parece pulsar novamente.

Jungkook aproveita a oportunidade e joga o quadril para baixo, se empalando alguns milímetros no membro, antes de ser detido pelo policial que pragueja baixinho e segura o seu quadril com força.

Hyungnim — o mais novo protesta quase chorando, e em desespero o mais velho começa a penetrá-lo devagar. O rapaz resmunga, e Jimin não consegue identificar pela sua expressão, se é de dor ou de tesão. Ele ainda o segurava pelos pulsos com uma das mãos, mas solta levando-a até o quadril, tentando segurá-lo no lugar. 

Jungkook imediatamente leva uma das mãos soltas até suas costas o arranhando, enquanto Jimin termina de penetrá-lo com um ofego, tentando se manter parado, e espera ele se acostumar à invasão. O mais novo joga a cabeça para trás com um gemido, que mais parecia um uivo, saindo de seus lábios.

Jimin revira os olhos meio fora de si. Aquilo mal tinha começado e ele já estava com vontade de gozar. A entrada do mais novo era inacreditavelmente apertada e estava muito bem lubrificada. Jungkook flexiona os joelhos e move o quadril, e aquilo foi o suficiente para o mais velho gemer e começar a se mover.

— Jungkookie? — o policial segura seus cabelos com a mão,  e vira o rosto do rapaz em sua direção, na intenção de fazer uma pergunta — Ruim ou gostoso? — ele pergunta aumentando o ritmo das estocadas.

— Gostoso! Gostoso hyung — Jungkook responde afobado com os olhos lacrimejantes — Nomu choah, alfa — ele resmunga em sua língua.  Em uma das estocadas, ele geme alto e morde os lábios, dando a dica para o mais velho acertar aquele ponto novamente.

Jimin nunca em toda sua existência tinha fodido tão gostoso. Ele perdeu noção de tudo a sua volta, Jungkook era como uma obra de arte, todo entregue, gemendo loucamente e movendo os quadris de encontro aos seus. Ele agarra a ereção do moreno em desespero, pois sabia que estava muito perto de gozar com tantos estímulos. O cheiro de flor de laranjeira, amora e canela estava tão embriagante, que o policial se pergunta no canto de sua mente tomada pelo desejo, se não estava delirando. O mais novo choraminga mais uma vez e expõe o pescoço. Jimin tem o impulso de levar a boca ali, mordiscando de leve, o que parece ser o gatilho para o rapaz atingir o ápice. O mais velho sente o líquido quente em seu abdômen, e a entradinha do moreno se contrair com força, o que é muito mais do que ele poderia aguentar. Com uma última estocada, ele tem o orgasmo mais intenso da sua vida, preenchendo o interior do mais novo antes de se retirar sem forças, e cair do seu lado ofegante.

O moreno solta um lamúrio de olhos fechados e enterra o nariz no pescoço do mais velho, se enroscando em seu corpo em seguida. Jimin nunca saberia dizer qual dos dois caiu no sono mais rápido


🌗🌗🌗🌗


Jung Hoseok desmaia assim que consegue chegar a seu destino. Ele mal tinha forças para se trasportar sozinho, carregar alguém consigo era praticamente suicídio. Antes de perder completamente a consciência, ele consegue ver o alfa bastardo Kim Namjoon olhar em volta chocado.





Notas Finais


Desculpe se o lemon ficou uma bosta, ser descritiva não é meu forte kkkkkkk

#Jungkookdeoutromundo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...