História Antidepressivos - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Hinata, Musical, Naruhina, Naruto
Visualizações 95
Palavras 1.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Luta, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo guys! Beleza? Mano, eu tô muito beleza! Esse capítulo estava muito grande, então eu dividi ele em dois. E também, preferi deixar toda a explicação da situação para o próximo capítulo pq eu amo suspense hehehe. Então é isso, espero que gostem e até a última nota!!!!!!

Capítulo 9 - Café das 6


Fanfic / Fanfiction Antidepressivos - Capítulo 9 - Café das 6

O abraço foi interrompido por parte de Hinata, que já mal podia respirar. Encostou completamente os pés no carpete cor de roxo acinzentado e olhou com seus olhos prateados fixamente para os de Neji.

- Mas... - Ela pronunciou pausadamente - Eu não pude entender direito. Como pode você estar "bêbado"? Você não bebe, Neji! - Sentiu cuspir as palavras, pois não havia pensado no que falara, apenas jogou as palavras. Estava preocupada com seu primo, que andava fazendo coisa pouco habituais.

- Bom... Digamos que... Okay! Eu vou falar a verdade, porque eu não gosto de mentir para a senhorita. Ontem... Quando você estava com a Sakura no andar de cima, o Rock Lee mandou uma mensagem. Acontece que ele estava sofrendo, não sei porque, então acabamos bebendo mais do que devíamos. - Ele falou rápido, parecia querer que aquilo acabasse logo.

      O pedido de socorro foi uma ordem, pois não foi muito tempo de prosa para que Neji saísse do quarto com um sorriso no rosto. Hinata, por outro lado, estava preocupada, tanto com Neji, quanto - muito mais - com Naruto, que lhe deixara uma vaga impressão de que algo ruim estava acontecendo, e não tinha certeza se ia poder ajudar.

``8:00am, Hinata on``


      A luz fraca de uma manhã de inverno entrava pela fina fresta que a cortina não cobria e se espalhava em meu rosto, me lembrando de acordar. A verdade é que eu mal havia pregado o olho durante toda a noite. Meus pensamentos voavam longe, mas especificamente à umas quatro quadras daqui, na esquina mais próxima ao Ichiraku Lámen, onde mora Naruto Uzumaki.

     Foi ao abrir meus olhos, que senti uma onda violenta de desespero, que me puxou para baixo como em um buraco negro. Os pensamentos que rodeavam a minha cabeça apenas me faziam pensar que Naruto, nesse momento, poderia estar tentando suicídio. Todos os meus devaneios horrorosos se espantaram ao ouvir a voz, muito conhecida, de Hanabi gritando na porta.

- Onii-san! Hora de acordar! Você vai perder o café! - Eu ouvia cada palavra me levantando aos poucos, logo apertei minhas mãos contra meus ouvidos para me prevenir, sabia o que estava por vir - AGORAAA! - Levantei em um pulo indo até a porta, me apoiando contra a mesma.

- Ora, se acalme! Eu já estou indo, juro. - Sorri por trás da madeira bem lixada e caminhei até o banheiro.

      Após fazer minha higiene matinal, fui trocar a roupa. Peguei minha calça de jeans vermelho vinho, minha camiseta da Ac/Dc e meu sweater preto. Após me vestir, desci as escadas correndo. Ao chegar no andar de baixo, me deparo com algo que já estou bem acostumada: um café da manhã perfeitamente servido, almofadas acinzentadas no chão, e sobre elas, Hanabi - minha irmã - e meu pai, Hiashi. Me sentei ao lados deles logo sentindo falta de alguém: Neji. Ele não estava sentado ao meu lado, como de costume, nem estava posto à mesa, na verdade.

      Não queria pensar nisso. Neji certamente estaria bem, ele sabe se virar sozinho. Comi em um segundo, saindo da mesa, logo fazendo uma reverência em agradecimento à comida. Caminhei até a porta, calçando meus tênis marrom caramelo.

- Hinata! - Ouvi a vozinha de Hanabi em meus ouvidos, sentindo os olhos byakugan dela me penetrarem pelas costas. - Onde você pensa que você vai?

- Eu... B-bom... Eu tenho um compromisso! - Falei rapidamente o que veio em minha cabeça, meu rosto começou a ferver, eu estava, provavelmente, vermelha. - É, é isso... - Passei as mãos em uma mexa do meu cabelo enquanto deixava meu rosto voltar a coloração normal. - Então, beijinhos, até logo. - Sorri abrindo a porta e caindo fora o mais rápido o possível.

{...}

      Eram 9:00am quando eu decidi deixar a vergonha de lado e tomar coragem para sair da praça e ir à casa de Naruto. Foram dez longos minutos de caminhada tentando conter minha ansiedade. Ao chegar no prédio onde o loiro morava, fui até o apartamento e bati delicadamente na porta com os nós dos dedos. Ouvi passos se aproximarem da porta, senti todo o meu corpo tremer. A chave foi girada para a esquerda e o que eu pensei por um segundo ser o Naruto, se transformara em... Minato! O quarto Hokage estava apenas de calção e coçava os olhos antes de me ver. Pareceu espantado mas logo um sorriso singelo e gentil se desenhou em seus lábios, me fazendo corar.


- Hinata! - Ele disse preguiçoso. Seus olhos mal se abriam, pois a luz da sala estava realmente forte - O que faz por aqui? E ainda mais essa hora! - Ele me perguntou de forma brincalhona ainda com o mesmo sorriso de antes.

- Bom... São quase nove e meia, e o Naruto havia me pedido para que viesse para.... Para... Para conversar. - Minhas palavras saíram pausadamente. Minha frase mais parecia uma pergunta.

- Hm... Conversar? - Ele riu erguendo uma sobrancelha. - O Naruto? "Conversando" com garotas? - Eles estava prestes a falar alguma coisa quando seus olhos se abriram, sua feição era assustada. - Você disse que são quase o que? Nove e meia? - Ele foi correndo até o sofá e pôs a causa jeans por cima do calção, pondo também sua capa de Hokage. Voltou correndo e me deu um beijo na bochecha de forma apressada. - Tchau, Hinata. Cuide bem do meu filho, tenham uma boa "conversa"! - Ele enfiou os pés nos sapatos e saiu andando bem rápido. Minato  ia se afastando aos poucos até sumir no andar.

      Eu caminhei lentamente para dentro do apartamento, fechando por trás de mim a porta com muita delicadeza. A casa estava impecável, exatamente como eu havia deixado ontem. Forcei um sorriso e fui caminhando mais para dentro. O ap tinha apenas dois quarto, sala e cozinha conjugada e um banheiro. Era relativamente pequeno, mas o bastante para Naruto e o pai.

      Um dos quartos estava arrumado, apenas na cama, estava um cobertor enrolado e os lençóis bagunçados. Provavelmente, era o quarto de Minato. Minha teoria foi confirmada ao ouvir um suspiro de sono profundo vindo do outro quarto. Naruto estava dormindo. Abri lentamente a porta do segundo quarto. Minhas bochechas queimaram e se avermelharam violentamente. Naruto estava esticado na cama, dormia um sono longo. Parecia confortável. No pulso que pendia para fora da cama, marcas de corte de estilete estavam quase cicatrizando. Eu dei um passo para frente e ele abriu um de seus olhos. Congelei. Parei completamente. Ele sorrio de canto enquanto tentava abrir os olhos decentemente.

- Mas você já está aqui? - Sua voz estava arrastada, ele levantou os olhos em minha direção, logo se ajeitando na cama de forma que pudesse me ver direito. - Achei que desistiria. Acho que tem muita coisa que eu não sei sobre você, Hime. - Nós mantemos contato visual por segundos, até eu desviar meu olhar para o outro lado com um sorriso disfarçado.

      Quando prendi meus olhos no chão, parei para prestar atenção no que ele acabara de falar. Naruto Uzumaki havia me chamado de "Hime", que significa, literalmente, "princesa". Acordar Naruto e logo depois ser chamada de princesa não é o sonho de qualquer garota de 16 anos, mas por um segundo eu me senti feliz. Não é como se eu quisesse estar em uma situação onde a vida de Naruto corra riscos, eu apenas gosto de pensar que em algum momento estamos próximos, gosto de ser quem ajuda ele.

- Bo-bom... Eu vim pois... Eu... Você sabe... Quero saber o porque de você estar se machucando, sem necessidade. - Minhas bochechas estavam levemente voltando a coloração normal enquanto eu falava pausadamente, evitando ao máximo contato visual.

- Por que se importa tanto comigo? - De repente ele ficou sério e se sentou na cama. Seus olhos se arrastaram pelo ar até chegarem de encontro aos meus. - Você era a última pessoa que eu esperava que falaria comigo.

- Naruto-kun, eu me importo com você, muita gente se impor-

- NÃO! - Naruto se levantou com rapidez da cama logo se jogando sentado de volta e abaixando a cabeça. Pude sentir que ele chorava. Caminhei até ele e sentei-me ao seu lado na cama. Gentilmente, passei a mão direita sobre suas costas nuas enquanto me inclinava um pouco para ficarmos na mesma altura. - Ninguém se importa comigo! Na hora que eu mais precisei, todos fugiram, todos decidiram viver suas vidas! - A voz de choro de Naruto me cortava os ouvidos.

Naruto levantou a cabeça em minha direção. Ficamos a milímetros de distância entre um e o outro. O contato visual era inevitável agora. Nosso lábios quase se tocavam. Pisquei os olhos algumas vezes, sem tirar minha atenção dos olhos azuis cansados de Naruto.


- Eu me preocupo com você, Naruto-kun. - Disse quebrando o silêncio. Naruto se jogou para trás, me dando espaço para respirar. - Eu me preocupo com você porque eu não gosto de te ver assim...Triste.

- Mas... Hinata. Eu não entendo. Nós mal nos falamos e... ah, eu não consigo! Não consigo parar de pensar que minha vida tá uma merda! Não consigo acreditar em uma praticamente desconhecida! É difícil pra mim! - Eu podia quase sentir que Naruto estava chorando, de novo, eu não podia ver seu rosto, mas algo nele me despertava essa sensação. O seu tom de voz era alto, como se estivesse estressado ou algo assim.

      Eu pude quase ver o sorriso no meu rosto se desfazer. Eu fui chamada de "desconhe- cida" pelo cara que, com toda certeza, eu mais conhecia nesse mundo. Me levantei da cama não dizendo nada. Caminhei até a porta abrindo a mesma devagar. No subconsciente, eu tinha esperança, esperança de que Naruto ia me chamar de volta, esperança de que ele ia me deixar o ajudar. Mas meus pés passaram pela porta do quarto e nada aconteceu. Ele permanecia deitado na cama olhando para o teto. Eu já não conseguia saber como ele se sentia. Eu caminhei a passos lentos pelo corredor estreito. Passei pela cozinha/sala até chegar na porta. Por um segundo senti meu corpo fraquejar, pois foi apenas meus dedos tocarem a maçaneta, para que eu pudesse ouvir a voz fraca e rouca de Naruto pelo corredor, que era visível de onde eu estava.

- Hime, desculpa! - Ele estava de pé. Naruto parecia estar com dificuldade em tal ato, mas, como sempre, determinado ao que quer. - Eu não devia ter te tratado daquela forma. - O loiro abaixou a cabeça, evitando olhar para mim.

      Novamente, senti meu corpo arrepiar ao ouvir a voz rouca de Naruto dizendo "Hime" diretamente para mim.


Notas Finais


Foooooi isso! Eu espero que tenham gostado, sério mesmo, vocês são os amores da minha vida.
Aqui está o link da música (como eu tava com saudades de falar isso): https://youtu.be/By9wvt5SwnE
FALOW!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...