História Anymore: The Immortal - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys (BTS), Comedia, Drama, Kim Namjoon, Park Jimin, Romance
Visualizações 29
Palavras 1.602
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeonghaseyo!! 👋🏻

Como estão? Espero que bem!! 🤗
Mais um capítulo para vocês!
Espero ansiosa pelos comentários! Hihihihi.
Desculpem qualquer erro e boa leitura!
💜

Capítulo 8 - Touch your heart - Parte I


Fanfic / Fanfiction Anymore: The Immortal - Capítulo 8 - Touch your heart - Parte I

Jimin

Jimin parou em frente ao colégio de Hyon Hyolin. Era difícil não o ver, pois ele estava parado bem na entrada, um pouco afastado do portão. E quando Hyon Hyolin saiu deu de cara com Jimin. Seus olhos se arregalaram e, apressadamente, correu para o outro lado seguindo pela calçada.

- Espere, alma omitida! - Jimin foi atrás dela. - Espere! Vamos conversar!

- Pare de me seguir! - disse ela olhando para trás e quase correndo pela calçada. - Oh! - bateu em alguém, Park Jimin para ser mais exato. - Desculpe, senhor... - ela subiu sua cabeça e viu Jimin. Hyolin arregalou os olhos e deu dois passos para trás. - Como que...? - ela apontou para trás. - Como que...? - não conseguia formular frases, ela estava atordoada. - Você não estava bem ali... Agora mesmo? - apontava para trás de si.

- Vamos dar uma trégua. - disse Jimin em um tom calmo.

- Trégua? - ela franziu o cenho. - É você que fica me perseguindo. "Vou levar você, alma omitida". - tentou imitar Jimin que estava de cara fechada a sua frente.

- Não faça mais isso. - alertou sério.

Hyolin limpou a garganta.

- Então? - disse ela.

Era melhor do que se desculpar, Jimin não podia esperar isso da jovem menina.

- Deixo você em paz em troca de me ajudar.

- Ajudar em quê, ceifador?

- Preciso de um nome.

- Uai. Ceifador. - riu e logo recolheu seu riso diante de um Jimin sério. - Desculpe. Vou levar a sério agora. Para quê precisa de um nome? - cruzou os braços ao indagar.

- Uma pessoas me perguntou meu nome. - começou ele. - Acontece que eu não sei meu nome. - Jimin levou a mão direita a têmpora. - Ou talvez eu só não me recorde. Eu não tenho as minhas lembranças passadas.

- Entendo. - ponderou ela levando a mão ao queixo. - O que eu não entendo é o que você quer de mim?

- Você é uma garota.

Hyolin abaixou a cabeça e correu os olhos por si mesma.

- Jura? - prendeu um sorriso.

- E deve saber que tipo de nomes as garotas gostam.

- Ah, sim. - ela balançou a cabeça positivamente. - Entendo. - elevou três dedos. - Bim, Choi, Min. Qual você quer?

- Como eu vou saber. - disse ele elevando uma mão ao dar de ombros. - Não é meu nome de verdade.

- Como pode saber se você não se lembra de seu nome? - retorquiu ela e Jimin comprimiu os lábios ao concordar levemente com sua cabeça. - Que tal Bim?

- Não.

- Choi? - sugeriu ela.

- Min? - Jimin estreitou os olhos.

- Pode ser. - ela elevou os ombros. - Agora temos que pensar em um nome.

- Eu não sei porquê, mas gosto de Christian.

Hyolin arregalou os olhos e encarou Jimin atentamente.

- Não sabe por quê? - disse ela lentamente. 

- Não. - deu de ombros.

- Você andou lendo livros... - ela limpou a garganta antes de continuar. - ... eróticos ultimamente?

- Alma omitida, você andou lendo livros eróticos ultimamente? - rebateu ele assustado.

Hyolin engoliu em seco.

- Deixa para lá. - deu de ombros. - Então vai ser Min Christian. Boa sorte! - se esquivou de Jimin e correu para sair dali.

(...)

Jimin estava sentado no sofá com os cotovelos apoiados sobre os joelhos e tronco reclinado para frente. Seus olhos estavam atentos ao anel, que segurava entre os dedos. De algum modo aquele anel era importante para ele.

- Tio! - a voz de Taehyung se tornou presente e passos se aproximaram de Jimin. - Oh! Tio do final do corredor, não tinha visto você aí. - Jimin voltou a cabeça lentamente para encarar Taehyung, porém não moveu nada além da cabeça. - Aigoo! Que horror. Você sabia que seu olhar negro é macabro quando olha desse jeito para as pessoas? - Taehyung bufou. - Você viu meu tio, Namjoon? Ele não está na empresa.

- Não sei do seu tio. - Jimin disse ainda com os olhos em Taehyung.

- Posso me arrepender disso, mas... - Taehyung se sentou no sofá de frente para Jimin que estava sentado no outro sofá. Taehyung estava sendo observado atentamente pelo ceifador em todos os seus movimentos. - Qual o problema?

- Tenho um encontro. - disse Jimin. - Ah, eu não pensei nisso direito.

- E qual o problema com isso, tio do final do corredor?

- Ela disse para eu levar um amigo. - Taehyung elevou ambas as sobrancelhas. - Eu não posso levar um de meus amigos do trabalho.

- Por que não, tio do final do corredor?

- Não me chame assim na frente dela.

- Oh! O quê?

- Vamos! - Jimin se pôs de pé e rapidamente colocou o anel dentro do bolso da calça. Ele já havia decidido que Taehyung iria com ele. - Ela disse que vai levar uma amiga.

- E onde fica a minha opção de querer? - Taehyung estava sentado no sofá e sua expressão era de espanto. - Eu não quero um encontro às cegas. 

- Vamos!

- Okay. - se rendeu ao se levantar. - Vamos com o meu carro. - os dois se caminharam para a porta principal da casa. - Vou cobrar esse favor depois, hem?! E espero que elas sejam bonitas... - revirou os olhos.

Jimin nunca esteve tão tenso desde que se lembrava. Suas mãos suavam frio, temendo o encontro. Ceifadores não tem relacionamentos. O que ele estaria fazendo? Coisas do tipo, rondavam sua mente como moscas rondam manga podre. Jimin se encantou com o carro conversível da Mercedes Benz de Taehyung que sorriu.

- Uau.

- É! - Taehyung alisou seu carro que era de um azul perolado. - Esse é meu bebê. - disse todo apaixonado pelo carro. - Eles só tinham a opção prata, vermelho e preto. - ele continuou alisando seu carro. - Mas eu queria azul perolado então disse: Quero azul, ou não compro! - Taehyung riu e encarou Jimin de pé a seu lado com os braços pendentes. - Eles não tiveram opções. - ele abriu os braços brevemente ao continuar, porém Jimin falou alguns milésimos de segundos antes:

- Eu posso dirigir?

- Esse é o poder de um herdeiro. - disse Taehyung e então ele abaixou os braços, pois sua cara era de incompreensão. - O quê? - sibilou ao perceber o que o ceifador dissera.

- Posso dirigir?

- Tio do final do corredor, você sabe dirigir? - ironizou.

- Sei. - Jimin sentia que sabia, mas não tinha convicções sobre este fato de verdade.

- Não. - disse Tae com o cenho franzido. - Esse é o meu bebê. Só eu dirijo o meu bebê!

(...)

Sun _______ (Sunny)

- Tem certeza de que está tudo bem? - questionou Lee Hi Young, amiga se Sun ______.

A jovem de cabelos ondulados tinha olhos grandes e brilhantes fitando a amiga apreensiva.

- Ah, sim. - _____ deu de ombros. - Hi Young, eu pedi a ele para trazer um amigo também. - ela elevou o dedo indicador. - Sabemos exatamente como é um cara quando vemos o comportamento dele com um amigo. - cochichou a última parte para a amiga cobrindo parte da boca. - Que sugere intimidade e anos de convivência. - se recostou a cadeira que estava sentada na cafeteria. - A pessoa fica mais relaxada.

- Ah! - a amiga balançou a cabeça vagarosamente. - Entendo. - as duas olharam para a janela e viram um carro azul perolado parando junto ao meio fio. - Aquilo sim é um incentivo de verdade. - disse ela vendo os dois rapazes deixando o carro conversível de modo elegante. - Aigoo! Eu ficaria feliz de ter um encontro assim.

_____ olhou atentamente e ao reconheceu Jimin sorriu discretamente.

- Ah, com certeza. - disse _____.

(...)

Jimin

Algum tempo depois Taehyung cruzou os braços no banco do carona.

- Como foi que isso aconteceu? - bufou fitando Jimin ao volante a seu lado.

- Você é um bom amigo. - disse Jimin com o semblante sereno. - Seja lá o que isso quira dizer.

Jimin influenciou Taehyung para que ele pudesse dirigir o carro conversível.

- Aigoo!! - Taehyung descruzou os braços. - Pelo menos você está sentindo o possante. - sorriu quadrado.

- Tem bastante força e velocidade, de fato. - disse Jimin.

- É! - sorriu voltando sua atenção a estrada. - Vermelho.

- O quê? - Jimin olhou de soslaio para Taehyung.

- Vermelho!! Vermelho!!! - Taehyung apontou para frente. - Pare! Pare!!

Jimin freou bruscamente e Taehyung soltou o ar pela boca, aliviado. 

- Desculpe.

- Aigoo!! - ele levou a mão ao peito fazendo drama. - Caramba! - encarou Jimin. - Você não disse que sabia dirigir?

- Eu sei. - Jimin olhou para frente. - Eu sei dirigir. Eu só não sei o que as cores representam.

- Já chega! Eu vou dirigir. - disse Taehyung tirando o sinto e saindo do carro. Rapidamente ele deu a volta e abriu a porta do motorista. - Afasta para lá. - Jimin o encarou atravessado com seu olhar negro penetrante. - Anda! Tira essa bunda daí! Esse seu olhar não me assusta mais, tio do final do corredor!

Jimin tirou o sinto e passou para o lado do carona rapidamente, só elevando seu corpo e pulando para o lado, uma vez que o carro era conversível. 


Notas Finais


Acompanhem minhas outras fics @Kathy95 !!

Então??
O que acharam deste capítulo??
Deixem comentários.. sua opinião é muito importante para mim.. 😊😊
Vejo vocês em breve..
XX #Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...