História Ao mestre com carinho. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Ação, Amor, Diferença De Idade, Drama, Fanfic, Harry Potter, Poema, Poesia, Português, Romance, Soneto, Tragedia
Visualizações 26
Palavras 1.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 4 - Capítulo 4: Danos profundos.


Era um dia de chuva muito forte. Hermione e Harry corriam para a aula de transfiguração que estava sendo ministrada por minerva quando algo a espantou, ela e Harry passaram pela sala de Snape e viram pela primeira vez a porta aberta, ele nunca deixava a porta nem sequer destrancada quanto mais aberta, ela ficou preocupada e Harry ficou curioso. E se algo tinha acontecido? Ele ainda podia não estar completamente curado das mordidas de Nagini, ela abriu a porta e entrou com Harry atrás dela. No quatro de Snape haviam várias coisas interessantes, o quarto estava muito bagunçado, isso não era de se esperar Snape era um homem bem organizado.

Harry vendo o vazio disse: Professor Snape? –Ele não respondeu, eles foram andando para dentro da sala até chegarem no outro cômodo do quarto onde ele dormia. Ao chegarem lá viram Snape sentado em uma cadeira olhando para a chuva caindo na janela quase em transe.

Harry disse: Professor o senhor está bem?

Ele não respondeu, parecia nem estar vendo eles. Algo estava definitivamente errado no chão havia uma garrafa com poção derramada e um copo com cerveja. A cama estava intocada então era provável que ele estivesse assim a noite toda.

Hermione disse: Harry tem algo muito errado com ele, vá chamar madame Pomfrey e a professora Minerva. –Harry saiu correndo. Hermione se aproximou lentamente e gentilmente falou. –Professor Snape? –Ele não respondeu então ela respondeu. –Snape? –Seu olhar vazio estava a preocupando muito. Ela começou a se desesperar e agarrando seu braço gritou. –Severo! –Os olhos dele correram contra ela, mas sem brilho algum apenas uma mancha escura, ele evidentemente não a reconheceu, ele violentamente a pegou pelo pescoço e a levantou a sufocando.

Snape disse: Quem é você! Trabalha para o lorde das trevas! Está querendo me matar! –Hermione estava sufocando.

Hermione disse com uma voz sufocada: Sou eu professor... Hermione Granger... –Então ela sem perceber começou a chorar, o fazendo voltar a terra, ele a soltou espantado e ela caiu no chão tentando respirar.

Snape gritou: Não! –Ele se abaixou tentando ajuda-la e implorando. –Desculpe senhorita Granger, eu não sei o que me deu... Eu não sei o que fiz, desculpe. –Ele pegou uma poção e deu para ela para melhorar sua garganta ferida. Ela tomou calmamente e olhou para ele, mas ele não tinha coragem de olhar para ela.

Hermione falou baixinho: Eu sei que não era você... Você é uma boa pessoa...

Snape disse quase em um sussurro: Você está errado... Eu não sou uma boa pessoa... Todos podem acreditar nesta mentira, mas não deixa de ser mentira.

Hermione cerrou os punhos e disse: Depois de tudo que você fez por nós, ainda não consegue ver a si mesmo... Por que não pode se perdoar?

Snape falou: O que eu fiz não merece perdão, não importa se fiquei livre de Azkaban, eu ainda sou um monstro assassino... Quando a professora de ensinos trouxas a Burbage foi capturada por Voldemort, ele a colocou sobre a mesa com os comensais da morte em volta... Ela me implorou... Ela me implorou por ser minha amiga... E eu queria salva-la, mas tinha que manter meu disfarce, tudo que eu pude fazer era olhar Voldemort a matar...

Hermione sentia lágrimas nos olhos ela disse: Não foi culpa sua, você prometeu a Dumbledore...

Snape deu um riso de escárnio: Aquele velho... Ele me implorou para mata-lo... Eu não queria, o olhar que Potter me deu quando matei Alvo, foi terrível...

Hermione estava percebendo algo que nunca tinha percebido, Snape era um homem forte, mas ele não era um monstro sem coração, apesar de fingir muito bem, cada pessoa que ele matou se tornou uma cicatriz em seu passado.

Hermione agarrou sua mão e a acariciou disse: Eu sinto muito Severo...

Snape disse irritado: Não me chame de Severo, senhorita Granger exijo seu respeito. –Ele arrancou sua mão da dela e disse. –E não quero que sinta pena de mim, não mereço tal gentileza, agora por favor saia.

Harry neste momento chega com Minerva.

Minerva: Severo está bem?

Snape: Ótimo Minerva agora pode sair do meu quarto.

Minerva disse com um olhar complacente: Não precisa se esconder do mundo e disfarçar Severo sabemos que você é muito forte e corajoso.

Snape disse irritado: Bom ouvir isso depois de ter tanto me chamado de covarde traidor.

Minerva se calou realmente ferida.

Snape continuou: Eu não te culpo de fato, você tinha toda a razão em acreditar nisso, mas agora eu não quero a pena de vocês. Eu resolverei isso sozinho.

Minerva disse: Pelo menos deixe a madame Pomfrey examina-lo... Você não parece bem... –Minerva logo percebeu que esta crueldade não era culpa dele algo o estava fazendo agir assim provavelmente o veneno de Nagini.

Snape disse irritado: Nunca se importaram com minha condição, não quero que comecem agora! Então por favor saiam do meu quarto! –Todos saíram preocupados com Snape, mesmo que por hora tenham deixado ele sozinho Minerva iria cuidar dele, não querendo vendo-o mal, iria mandar algumas pessoas ficarem de olho nele. Todos saíram exceto Hermione.

Snape disse de costas para ela: Tenho que ser mais específico Granger? Deve ser difícil para uma irritante sabe tudo da grifinória me entender.

Hermione estava triste, mas sentia mais pena que mágoa sabia que ele estava fazendo aquilo de propósito para ninguém se preocupar com ele, ele acha que não merece preocupação.

Hermione gentilmente o abraçou por trás o fazendo enrijecer. Ela então se afastou falando baixinho: Quando Harry e Ron falavam mau de você eu sempre te defendi, por que eu acreditava em você, fui a última a desacreditar em sua inocência após a morte de Dumbledore... Naquele momento você me enganou, eu duvidei de você e de sua bondade... Mas não vai me enganar novamente. Eu vi suas memórias, eu vi sua dedicação. Eu vi sua bondade... –Ele olhou para trás cruzando seus olhos com os dela espantado. Ela então terminou dizendo quase como um sussurro. –Eu vi seu amor por Lily... –Ele percebeu que seus olhos brilhavam e ela disse com um sorriso choroso. –Eu confio e acredito no senhor... Mesmo que você não acredite em si mesmo... –Hermione se virou e deixou o quarto batendo a porta.

Snape disse com os dentes trincados: Insuportável sabe tudo... –Ele deitou-se na cama tentando dormir.

Hermione estava encostada na porta tentando não desmontar chorando... Ela sentia seu coração pulsando ela sentia muita pena de Severo Snape. Depois de descobrir tudo sobre ele nestes últimos dias, ela passou a admira-lo, ele se tornou o herói dela. E ela não vai permitir que ele se perca... Ela tentou se endireitar e correr para a aula, nunca permitindo que Severo saísse de seus pensamentos.

Continua.


Notas Finais


Estou iniciando minha primeira história original. Ficaria muito feliz que lesse e comentários seriam muito bem vindos nela.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/as-trilhas-da-perdicao-17853670


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...