História Ao mestre com Carinho. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Minerva Mcgonagall, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Amizade, Carinho, Drama, Harry Potter, Loli, Romance, Tragedia, Violencia
Visualizações 102
Palavras 968
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem. :)

Capítulo 12 - Capítulo 12: Seja livre...


Passaram-se alguns minutos com eles se olhando, Hermione então se posicionou levemente sobre ele dando-lhe um beijo leve nos lábios, em seguida o beijo se intensificou sobre a cama e pela primeira vez na história Snape não estava afastando Hermione Granger, a leoa subiu sobre a cama e começou a beija-lo com prazer, línguas dançando, Hermione era pequena em relação a Severo, ele era alto e relativamente magro, ela por sua vez era pequena e bem magra, Snape a estava abraçando enquanto ela o beijava. Ele sentiu as costas dela, com a camisa tão fina que elas pareciam nuas.

Quando o beijo se afastou Snape levemente beijou Hermione na nuca e ela gemeu com este sentimento, ele a afagava enquanto ela era conduzida por seu toque, quando a mão dele desceu levemente tocando na saia dela próximo das áreas mais femininas dela, com esse toque ela tremeu e corou de forma muito expressiva, então Severo retornou a realidade quando percebeu “Ela ainda era virgem”, foi um choque, quando ele parou de tocar aquela bela criatura, Hermione amuou tristemente com o fim do estímulo.

Snape disse: Não podemos fazer isso Granger...

Hermone se sentiu ofendida com o “Granger” e disse quase chorando: Achei que tínhamos superado isso... Eu te amo, e você me ama...

Snape disse: Eu sei, eu sei, mas é diferente... Eu sou seu professor e você ainda é muito... Muito...

Hermione suspirou percebendo o que ele queria dizer e falou triste: Virgem?

Ele não disse nada, ele se sentia envergonhado, ele tinha tido sua primeira vez com alguma comensal da morte vadia por que o Voldemort o havia forçado, ele não tinha tido uma primeira, nem segunda, nem terceira experiência boa, na verdade ele não se lembra de ter tido uma única relação que fosse de fato prazerosa e não violenta e cruel. Ele não queria passar estar frustrações para ela, Hermione merecia uma primeira vez de conto de fadas, e não seria ele capaz de proporcionar isso... Ele parou, mas ela não parou, Hermione voltou a beija-lo tentando faze-lo entender, implorando para que ele entendesse.

Era tentador para ele, Snape realmente estava desconfortável com ela sobre ele.

Snape falou: Por favor Hermione, não quero que faça algo que vai se arrepender...

Hermione falou entre os beijos: Eu sei que não vou me arrepender.

Era terrível para Hermione, ela queria aquilo, ela precisava, se Snape prestasse atenção perceberia que a calcinha dela estava completamente encharcada enquanto roçava na perna dele, ela estava exalando luxúria.

Hermione falou: Deixe-me provar que não sou uma criança...

Ela desceu beijando e se aproximou para tirar o cinto dele, para fazer algum muito pouco condizente com a personalidade dela, o coração dela corria de vergonha e medo, pois ela era completamente inexperiente e não sabia o que fazer, mas ela tinha que mostra-lo que

Snape ia perder sua compostura cedendo a lasciva de seu coração, ele amava Granger, ele se perdeu no amor por ela a tempos atrás, mas isto era demais, o amor doce e gentil era o suficiente, até que ela o trocasse por um homem mais jovem, Snape acreditava que o amor dela iria acabar um dia quando ela percebesse o quão velho ele era, e um relacionamento sexual tornaria as coisas mais difíceis.

Ele a parou quando ela tirou o cinto para impedir que ele perdesse todo o resto de sanidade que ele tinha

Snape disse puxando-a para perto dele: Eu sei que ambos queremos isso... Mas não podemos...

Hermione recebeu o abraço dele com dor, ele parecia querer aquilo do fundo do coração também, mas ele não queria perverte-la.

Snape disse quase chorando, mas não choraria pois ele era um homem forte: Eu te amo... Mas eu não vou tirar de você o que a juventude mais tem de belo... A inocência...

Hermione disse agora chorando: Mas... Você disse...

Snape disse agora mais severo: Nós estamos juntos, mas... Não desta forma...

Hermione disse chorando irritada batendo no tórax dela: Então que tenho que fazer? Me masturbar sozinha na banheira enquanto sinto frustração por você me excitar? Severo eu quero ter um relacionamento normal com você!

Snape falou irritado: Como nosso relacionamento podia ser de alguma forma normal?

Hermione o abraçou chorando: Por que esse é meu maior desejo... Como pode exigir que eu seja sua integralmente se não quer que sejamos um como deveríamos?

Snape disse beijando levemente a bochecha dela e dizendo palavras frias, mas verdadeiras: Desculpe Granger, eu te amo... Mas... Mas você não é só minha... -Ela ficou em silêncio e estática, com o que ele disse depois ela chorou. – Eu não sou digno de prende-la a mim, força-la a viver inteiramente com um homem velho, você é livre... Livre para sair com quem quiser e amar quem quiser...

Hermione disse: Isso não é amor! Isso é o relacionamento que tínhamos antes... Eu não quero isso... Eu quero tudo de você... Eu quero você todo...

Ela disse chorando se levantou e saiu correndo da sala frustrada e magoada. Snape pela primeira vez na sua vida fez algo que nunca pensou que faria, ele a seguiu...

Pelos corredores ela correu com ele atrás dele até ela cair de joelho chorando em frente a porta da frente, ela queria correr para a floresta proibida, mas não ela não fez. Ela ia se levantar quando ele a abraçou por trás, ela continuou chorando.

Hermione gritou naquela estrelada noite vazia: Eu te amo! Eu te amo droga! O que quer de mim?!

Severo disse baixinho: Eu te amo... E quero que você seja livre...

Hermione o beijou no escuro falando: A liberdade é estar-se presa por própria vontade...

Eles ficaram abraçados por alguns segundos tristes com a tragédia que estavam vivendo, alheios a um certo olhar indiscreto que via aquela expressão gigantesca de amor e frustração.

Continua.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentário são sempre bem vindos. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...