1. Spirit Fanfics >
  2. Ao seu lado >
  3. Em meus sonhos

História Ao seu lado - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


* Boku no Hero não é meu, mas se fosse seria uma história medieval com final trágico, pois é... *

Oieee!!

Essa fic... eu amei escrever e ainda assim... bem, é uma forma de começar a se despedir da Week, né... 😢

Temas Escolhidos:

→ Dia 6~> Monarquia ✅ Estranhos ✅

Posso dizer que me inspirei em Merlin, e lendas arturianas, mas quem já leu minhas fics medievais sabe disso...

* A arte de capa foi desenhada por ezariumi *

BOA LEITURA!!

Capítulo 1 - Em meus sonhos


Havia bandeiras espalhadas na entrada da cidadela, mas o vento que as faziam tremular era uma brisa funesta, as crianças que corriam pelo pátio do castelo eram felizes em sua ignorância, no entanto os murmúrios se espalhavam como pólvora na palha seca, porque no centro da praça em frente à entrada do palácio uma pérfida situação se desenrolava.

 

Ochako olhou para a janela sentindo uma pontada no coração, uma nova execução era orquestrada na praça onde momentos atrás crianças brincavam e mulheres coletavam água da fonte principal, ela sabia que o Rei era contra a magia, e também era sabido por todos que qualquer indício de feitiçaria levava o praticante direto para a decapitação, ou pior a fogueira.

Ela fechou os vitrais e se afastou, não precisava ver a cena novamente, uma ama entrou no seu aposento e Ochako fingiu que estava apenas indisposta quando pediu para ficar sozinha, a moça meneou a cabeça e deu a volta, deixando a protegida do Rei por sua própria conta.

Os olhos castanhos fecharam-se e ela lembrou seu último sonho, as labaredas desfigurando o corpo enrugado de uma velha curandeira do povoado, exatamente a cena que acontecia na praça abaixo de sua janela, e o peito de Ochako pesava com o segredo que ela carregava.

Meses atrás, em seu aniversário, Ochako foi prometida a um Rei de uma terra distante, ela não tinha muita escolha senão seguir em frente com o que seu Protetor escolhera para ela, como uma de suas amas dissera, ela deveria dar graças aos deuses que seu futuro marido era um Rei idoso, que com sorte deixaria um filho em sua barriga, riquezas e um Reino antes de morrer.

Mas ela sabia que isso não aconteceria, ela não estava destinada a casar com um Rei, nem trocar votos na beirada de um leito de morte e muito menos conceber algum herdeiro. Ochako sonhara com seu futuro, e ele estava muito longe daquele castelo onde pessoas queimavam na praça enquanto nos corredores pareciam congelar.

Ela sonhara por anos que trocaria juras de amor com um valente cavaleiro embaixo de uma árvore, o nome dele era sussurrado na voz dela, uma chuva de flores lilases os rodearia enquanto seus lábios se uniam aos dele, e Ochako sabia que essa cena não aconteceria ali naquele Castelo, talvez nem mesmo naquele Reino.

Por isso esticou a mão e olhou embaixo da cama, uma bolsa de couro com itens e moedas suficientes para uma viagem até um navio, já pedira para a uma das amas de confiança trazer sua égua impetuosa para perto do portão antes do amanhecer, e também tinha um planejamento para alcançar antes do meio dia uma estalagem em que a proprietária era filha dos amigos dos falecidos pais de Uraraka.

Naquela noite ela iria embora do Reino para nunca mais voltar atrás.

 

 

~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

 

 

Iida era um cavaleiro juramentado, dera sua palavra que protegeria pessoas, e quando parou na Sala do Trono, não esperava que a Protegida do Rei tivesse desaparecido.

Ele foi incumbido, pelo próprio Soberano a trazer aquela donzela de volta e sem pensar duas vezes saiu dali e montou em seu cavalo, ganhando as estradas empoeiradas e atalhado pelas florestas verdejantes, seu corpo pedia por água e alimento, mas ele não parou até que chegou a uma clareira.

Ele apeou e se aproximou do rio, com as mãos em conchas bebeu a água fria e organizou seus pensamentos.

A Protegida do Rei se chamava Ochako, era uma menina alegre, seus cabelos castanhos, suas maçãs do rosto coradas, sua energia e sua bondade eram sua marca registrada, e Iida era levado a pensar que ela fora sequestrada.

O Reino tinha muitos inimigos, o Monarca era visto como um inescrupuloso conquistador, apesar de ter terras suficiente, ele continuava mandando exércitos para além das colinas para que todas as terras fossem tomadas em seu nome.

Os impostos cobrados do povo eram catastróficos para subsistência dos plebeus, enquanto a nobreza comia e bebia o melhor, dormindo em camas de plumas e se banhando nos mais requintados óleos perfumados, tudo que o que povo tinha eram mingaus ralos e sopas aguadas feitos com restos da colheita, grãos defeituosos e hortaliças estragadas que também eram compartilhados com os animais esqueléticos.

O povo dormia ao relento ou com palhiçadas úmidas, por não ter tempo livre nem acesso a material para trabalhar e reforçar suas moradias, o inverno se aproximava e não havia nenhuma reserva, pouco a pouco os súditos mais e mais começavam a querer ir embora, e Iida não podia criticar pessoas que apenas queriam ter uma vida menos dura que aquela.

Ele mesmo era um órfão, seu irmão mais velho e seu pai morreram combatendo em nome do Reino, sua mãe não fora forte o bastante para resistir a uma febre de verão, que costumavam ser mais violentas que aquelas contraídas no inverno morrendo alguns poucos anos depois, o que deixou o pequeno Tenya aos cuidados dos estábulos.

Sua dedicação o transformou em um Cavaleiro da Guarda Real, e agora em suas mãos carregava a tarefa de levar a Protegida do Rei até seu futuro marido.

Ele estava orgulhoso com a tarefa importante que lhe fora dada, mal sabia ele que não seria uma tarefa fácil, mas sim, bem sucedida.

De alguma forma.

 

 

~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

 

 

Ochako cavalgou sem parar, sua égua branca estava com sede quando decidiu parar, mas se arrependeu imediatamente quando ergueu os olhos e viu a armadura prateada brilhando com os raios de sol.

Era um cavaleiro do Reino de seu tio e ela com certeza não iria muito longe se ele a visse.

Puxando sua égua silenciosamente, Ochako se afastou do leito do rio sem fazer qualquer ruído, e ela estava indo muito bem quando alcançou o coração da floresta, porém não contava com as raízes que simplesmente brotaram do chão e a fizeram cair com um baque surdo.

Iida ergueu a cabeça assim que o som chegou até ele, com o punho pousado sobre o botão da espada embainhada ele se aproximou a passos rápidos e silenciosos dando a volta e alcançando o centro do que poderia ser um bosque, um gemido podia ser ouvido quando ele finalmente circulou uma árvore enorme e viu uma imponente água branca.

— Ugh...

O resmungo de dor vinha do chão onde uma linda donzela estava atirada como uma boneca de pano, ele chegou a ela em velocidade assustadora, o capuz marrom se misturava com as raízes onde um dos pés dela estava preso.

— Por favor, não se mexa!

Iida se inclinou em direção a ela, a mão puxou a espada da bainha e ele atorou a raiz que a prendia, ela puxou o pé e ele curvou as costas para ajudá-la, foi quando o capuz marrom caiu revelando cabelos castanhos, bochechas coradas e rosto redondo, e ele a reconheceu.

— Lady Uraraka...

Ochako não fora apresentada a ele em nenhum festim no Castelo, mas assim que os olhos dela tocaram os dele era como se tivessem compartilhado uma vida inteira, ela o conhecia, certamente...

— Tenya...

Mas ela nunca o vira fora de seus sonhos.

Iida tirou o elmo expondo sua face, ele sentiu uma revoada de borboletas sacudirem-se dentro de sua cota de malha, o calor se espalhou pelo seu rosto apesar da brisa leve que passeava por entre as árvores da floresta antiga, Tenya a segurou pela mão, no entanto ela encolheu-se de dor, e ele não pensou duas vezes.

— Deixe-me...

Hipnotizado pelas maçãs do rosto coradas e pele imaculada, ele rodou os braços poderosos por baixo dos joelhos dela e apanhou-a no colo, seus narizes roçaram e ele viu o brilho castanho dos olhos dela, o cheiro de lavanda o atingiu como uma rajada de afeto fazendo com que ele sentisse que flutuava.

Desnorteado ele e a pôs em seu próprio cavalo, o animal a recebeu de bom grado curvando o flanco para que a moça fosse depositada com segurança em sua cela.

Um instante passou em silêncio antes que Ochako pudesse reorganizar seus pensamentos, os dois estavam muito próximos ainda, porque ele não podia parar de encará-la.

— Já alguma vez nos encontramos, Sir...? — Ela tentou, já conhecia várias expressões que ele um dia mostraria para ela, mas seu nome nunca fora dito nos momentos que compartilharam em seus sonhos.

— Acabou de dizer meu nome de batismo, Lady Uraraka. — Ele respondeu ainda abalado com a força do magnetismo que o puxava para ela. — Onde o ouviu? No Reino de seu Guardião sou chamado Sir Iida.

— Eu o conheci em meu sonho. — A voz dela era como uma carícia do vento, e ele não sabia mais como pensar direito. — Você veio me levar de volta?

— Eu vim levá-la ao seu marido. — Ele disse e doeu como uma espada cravada em seu coração.

— Eu não posso ir para lá. — Ele não conseguia deixar de fitá-lo. — E não serei bem-vinda no Reino de meu Guardião.

— Tem magia, Lady Uraraka?

— Apenas magia dos sonhos. — Ele a ouviu com cenho franzido. — Premonições, antevisões que podem ou não acontecer.

— Entendo.

— Vai me executar, Sir Iida? — Ochako perguntou depois de um momento.

Iida a encarou suas mãos estavam nas dela tão rápido que ele não conseguia pensar suas ações.

— A ordem do Rei e levá-la para seu noivo no Reino das Montanhas. — Quando as palavras deixaram os lábios dele, Tenya sentiu como se mil adagas o atravessassem rasgando sua carne, pois não podia deixá-la... — Estou enfeitiçado?

Ele procurou qualquer sinal de malignidade naquele rosto bonito, mas tudo o que recebeu de volta foi um olhar puro de afeto inegável.

— Se você estiver, então estamos os dois.

Aquela declaração fez o coração dele oscilar novamente, sua voz estremeceu quando ele finalmente conseguiu abrir a boca.

— Nada me prende aqui neste Reino. — Tenya apanhou a outra mão dela. — Vem comigo, Lady Uraraka?

Ela pressionou os dedos nos dele, assistindo quando os lábios carnudos desceram para tocá-los respeitosamente e com devoção.

— Vamos cruzar o oceano. — Ela olhou para onde o vento soprava. — Começar uma vida nova, do outro lado do mundo, uma vida só nossa.

— Uma vida só nossa. — Ele repetiu como uma oração.

E então ele montou no cavalo atrás dela, eles cavalgaram levando a égua branca dela para usarem como moeda de troca por estadia e comida em sua fuga.

Porém a vida tinha outros planos para eles.

 

O sol já lançava sua luz avermelhada quando eles chegaram a uma floresta com frondosas árvores que derrubavam flores ao chão, era um lindo tapete lilás, mas eles não puderam ver o fim da estrada, porque um rastro de sangue substituiu sua jornada no instante que uma flecha atingiu Lady Uraraka direto no peito.

 

O corpo macio caiu para o lado e tudo aconteceu muito rápido, Iida desceu do cavalo e a colocou no gramado, estavam muito perto de uma estalagem onde alguém poderia ajudar, mas o Rei forma mais esperto e desconfiado enviou um mercenário, com a ordem de matar a ambos se tivessem pego um caminho diferente.

Enquanto o perseguidor esticava outra flecha certeira, Ochako sentia o peito doer, mas não pela flecha que ali estava postada, e sim porque quando abriu os olhos a primeira coisa que viu foram as lágrimas de Tenya transbordarem os olhos azuis caindo em seu colo.

Ele a abraçou, e ela o recebeu em seu peito manchado de sangue, uma rajada de vento fez com que as flores lilases dançassem em torno deles como uma chuva perfumada.

— Nós ainda vamos nos encontrar novamente... Tenya...

O nome dele escorregou como um sussurro dos lábios dela, e então eles se beijaram, era um beijo com a força de uma promessa de um amor que eles não poderiam compartilhar, porque no instante seguinte o calor do beijo foi tingido de vermelho, e o peito dele que parou de bater quando uma segunda flecha certeira atravessou a nuca dele e saiu pela garganta.

Eles ainda se encontrariam novamente, em outra vida, nos sonhos dela.


Notas Finais


Oiee...

Não posso ver uma história medieval que isso acontece... escrevi essa fic durante duas horas de choro... 😭


Os prompts são esses (futuramente mais links serão adicionados):

Dia 1: Beijo/Aniversário ~> https://www.spiritfanfiction.com/historia/desajeitadamente-apaixonados-20490711
Dia 2: Casa/Doméstico ~> https://www.spiritfanfiction.com/historia/os-momentos-favoritos-20499328
Dia 3: Troca de corpos/citação | frase de efeito ~> https://www.spiritfanfiction.com/historia/danos-20508564
Dia 4: Pro Hero/Futuro ~> https://www.spiritfanfiction.com/historia/meteor-fafrotskies-20517706
Dia 5: Encontro/Distância https://www.spiritfanfiction.com/historia/distante-mas-presente-20528253
Dia 6: Monarquia/Estranhos ~> (VOCÊ LEU AGORA MESMO!)
Dia 7: Tema Livre

Esse é um ÓTIMO MOMENTO PARA VOCÊ COMENTAR!!

Amanhã será o último dia ~*

Mil Bjs,
Vivi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...