História Ao seu lado mais uma vez - Capítulo 53


Escrita por:

Visualizações 207
Palavras 1.707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Agradeço aos que tiveram paciência e não abandonaram a Fic. vou tentar escrever sempre que puder. Seus comentários so me ajudam cada vez mais

Capítulo 53 - Crise de meia idade


Depois de quase três horas de conversa com o quadro de Dumbledore, Hermione e Severus foram para seus aposentos. Agora que todos os filhos estavam na instituição, eles acharam que o melhor seria ficar ao menos esse ano por lá, ou pelo menos a maior parte do tempo. Temiam que seus amados filhotes colocassem a baixo toda a estrutura da escola.

Hermione percebeu que por esses dias seu esposo estava cansado. Os anos estavam pesando em seus ombros, e notou um dia ele observando os filhos mais velhos, até mesmo comentando que estava impressionado como seu primogênito já havia adquirido barba. Pensou que ele poderia estar chegando ao que os trouxas chamam de crise de meia idade.

- Meu amor, você está pensativo hoje – disse a Castanha indo para trás da poltrona que ele estava sentado para começar a fazer massagem – o que tanto te perturba?

- Nada demais, minha Castanha – ele colocou a mão sobre a dela, fazendo carinhos – acho que estou ficando um velho chato.

- Nem de longe você é velho.

- Então quer dizer que a parte do chato está certo? – ele arqueou a sobrancelha.

- Também não, não seja assim – ela deu um risinho – mas acho que você tem se preocupado com muita besteira ultimamente. Severus, precisa compreender que o tempo passa, os anos passam e a vida segue. Logo seremos mais uma vez apenas você e eu, e nossos filhos terão os babies deles, nós seremos avós e teremos nosso cantinho sossegado.

- Acho que você está certa. Mas ainda assim, não tem sido fácil.

- E quando é que é. Hum? Agora... que tal você e eu brincarmos um pouquinho – a voz dela denunciava as intenções – ainda está muito cedo...

- Ah é? – ele entrou no jogo dela – o que a senhora pretende fazer?

- Senta na cama, senta...

Ela estendeu a mão em direção a ele, fazendo com que ele desse um sorriso, segurando na mão dela na mesmo hora. Hermione o levou para a cama, conjurando uma venda para os olhos do homem e um par de algemas. Ela o prendeu na cama, o que o fez ficar intrigado.

- O que você pensa que está fazendo? Acha mesmo que eu não vou conseguir sair daqui?

- Pode tentar, disse ela dando a volta na cama – elas são magicas, justamente para bruxos. Você pode fazer o feitiço que for que não vai adiantar – disse ela com um sorriso triunfante ao perceber que ele fez o teste, mas nada aconteceu – apenas relaxe, meu Severus, prometo que não vai doer... muito, e que você vai pedir para ser solto, implorar na verdade. – ela já fora pegando a venda.

- Eu? Implorar? Essa eu quero ver. Nem sob as maiores torturas eu cheguei a implorar coisa alguma.

- Sempre há a primeira vez para tudo não é mesmo?

Ela o vendou, para logo depois sentar por cima dele. Se inclinou e tomou para si os lábios do homem a quem tanto amava, mesmo depois de tantos anos de casados. O beijo era calmo e muito excitante. Logo pediu passagem com a língua, o que fora prontamente atendido pelo bruxo. Deslizava pela boca dele, explorava em todos os lugares possíveis, para depois ir ao pescoço dele. Beijava, mordiscava e deixava pequenas marcar vermelhas que certamente ficariam roxas no outro dia.

- Vendando você vai se concentrar mais no que eu vou fazer no seu corpo – dizia ela em um sussurro no ouvido dele.

- Ah Hermione... – ele já estava completamente excitado só com ela o acarinhando e beijando. Adorava quando sua esposa tinha essas ideias que deixava o relacionamento mais picante. Dentro de sua calça já estava um verdadeiro incômodo, já que seu pênis estava completamente duro e pulsando por ela.

Hermione foi desabotoando a camisa dele botão por botão calmamente. Queria que aquilo durasse, para que ele a desejasse cada vez mais. Depois que a camisa estava aberta, ela arranhou de leve o peitoral dele, vendo-o ficar completamente arrepiado com o seu toque.

- Humm.. acho que alguém está gostando disso...

- Eu quero te ter...

- Mas já estou conseguindo te fazer implorar?

- Ah não... isso você nunca vai conseguir, mocinha. Lamento – estava com um sorriso diabólico nos lábios.

- Veremos...

Ela passou a beijar o corpo dele, voltando ao pescoço, descendo, contornando os mamilos com a língua. Sanpe estava adorando aquela nova forma dela o amar. E a medida que ela ia descendo os beijos e arranhões pelo corpo dele, maior estava sendo a expectativa do que estava para vir.

- Parece que alguém aqui já está mais do que pronto para mim – disse ela colocando a mão sobre a ereção do homem ainda por cima da calça, vendo o esposo soltar um leve gemido com esse toque – o que quer que eu faça, hein?

- Quero que me surpreenda...

Ela deu um riso de lado. Ele tinha resposta para tudo mesmo, tinha que admitir.  Abriu o botão da calça dele, descendo o zíper bem devagar, para baixar as calças dele até as coxas do esposo. Ainda por cima da cueca branca dele, ela envolveu o membro com a mão, fazendo leves movimento de vem e vai, o sentindo pulsar com isso.

- Hummm – Severus soltava o ar pela boca – que tal um pouquinhos mais de contato.

- E que tal se eu simplesmente parasse por aqui mesmo?

- Não ouse! Ou quando eu sair daqui, vai ver com quem a senhorita pensa que está brincando.

- Quer saber... acho que posso fazer pior que isso.

Ela puxou a cueca dele que logo estava fazendo companhia a calça do homem, o que liberou o pênis do Snape que suplicava por atenção.

Hermione começou a massagear os testículos dele com calma e delicadeza, o vendo gemer baixinho com aquilo. Estava se deliciando com cada movimento, para depois ela se abaixar, segurando firme o membro do homem pela base, passando a língua bem de leve, até a pontinha do pênis , se concentrando um pouco no local.

Severus jogava a cabeça para trás com isso. Aquela mulher o faria enlouquecer. Ela mais que prontamente foi colocando bem devagar ele na boca, movimentando a língua para acarinhar o membro do homem. Ela sabia muito bem onde eram os pontos mais sensíveis do seu esposo, concentrando a língua por lá, fazendo movimentos de vai e vem.

Severus a muito que não tinha mais nenhum pensamento concreto. Estava gemendo cada vez mais alto. Ela passou a fazer os movimentos de forma mais veloz, continuando a massagem nos testículos dele.

- Eu... Eu vou gozar – disse ele com uma voz quase sofrida. Até que sentiu que ela parou o que fazia – mas hein?

- Peça para continuar – disse ela retirando a venda dele.

- Hermione não brinque com isso – ele estava quase que desesperado olhando para ela.

- peça... – disse ela levantando da cama, retirando as roupas dela de forma sensual, ficando apenas com a roupa de baixo – se pedir, implorar, te solto e serei sua – disse ela tirando o sutiã, revelando os seios que ele tanto amava – a escolha é sua – se virou de costas para ele, descendo de forma sensual tirando a calcinha, ficando em uma posição quase de quatro, o que o fez imaginar entrando nela dessa forma – e só sua, voltou a se virar para ele, agora completamente nua, jogando a calcinha no corpo do homem, passando a pontinha dos dedos bem de leve sobre a cabecinha do pênis dele.

- Eu te quero – disse ele quase gritante – por favor, por favor me tire daqui!

O sorriso da castanha fora de um lado a outro do rosto dela. Tinha conseguido o que queria, e rapidamente o libertou.

Severus a agarrou pela cintura, a trazendo para baixo de si. Estava mais do que sedento pelo corpo dela, pelo gosto dela. Por gozar dentro dela.

- Agora você me paga – disse ele com a voz mais grossa do que o normal.

Ele colocou as pernas dela sobre os seus ombros, entrando de vez da esposa. Aquela posição conseguia fazer com que ele fosse bem mais fundo que o normal. Além de ser muito prazerosa para ela.

Ele fazia movimentos de vem e vai com rapidez, se deliciando como ela estava completamente molhada e apertada para ele. Sentia que conseguiria gozar ali mesmo, mas estava se concentrando. A cara de prazer que ela fazia com cada estocada dele era impressionante.

- Ah, Severus... você está tao... tao duro....

- Voce que me deixa dessa forma. Tao apertinha que não sabe como estou me controlando para não gozar em você todinha.

- Posso apertar mais então – ela se concentrou, vendo ele urrar de prazer ao apertar ainda mais o membro dele.

- Está quase o partindo no meio – Severus respirava com muita dificuldade – está tao... tao bom, minha Castanha... aaaahhh isso... issoooo....

Ele foi a um ponto que Hermione jogou complatamete  cabeça para trás, arqueando as costas com a onda de prazer que sentia.

- Ah, então acertei o ponto G de alguém – disse ele sorrindo – vamos aumentar isso, vamos? Quero você gozando... – ele voltou a se concentrar nela, aumentando a velocidade, vendo a esposa quase sofrer com o prazer que estava sentindo.

- Se-Severus... – a voz dela falhava.

- Isso, meu amor – a voz dele era um veludo misturado com pura luxuria – goza... goza pra mim chamando meu nome.

- Severus!

Aquilo foi demais para ela, derramando-se completamente sobre ele, e ele gozando no mesmo momento de forma tao forte que estava completamente rubro. Deitou imediatamente ao lado dela, ambos respirando com muita dificuldade.

- Isso... foi... incrível – disse ela ainda sem folego – acho que nunca chegamos a esse nível.

- não, nunca – disse ele ainda puxando o ar com força – você é a mulher mais incrível e maravilhosa que eu poderia ter na vida – a puxou para si, beijando a testa dela.

- Eu te amo, Severus Snape.

- Eu te amo, Hermione Granger.

Estavam quase dormindo, quando ouviram batidas na porta. Se entreolharam. A essa hora não poderia ser boa coisa. Vestiram os roupões e foram ver de quem se tratava. Ao abrirem, se depararam com Tiago e Astrid.

- Pai e mãe, precisamos conversar – disse a menina de forma séria.

 


Notas Finais


Curtiram? Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...