História AOMG. ( Jay Park) Vs GOT7. ( Jackson) YOU BELONG TO ME! - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, GRAY, Jay Park, LOCO, Monsta X, Simon D., Zico
Personagens BamBam, GRAY, Jackson, Jay Park, JB, Jinyoung, Joo Heon, Ki Hyun, LOCO, Mark, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Simon Dominic, Won Ho, Youngjae, Yugyeom, Zico
Tags Aomg, Got7, Gray, Jay Park, Loco, Monsta X
Visualizações 87
Palavras 2.807
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - JB : É se seu maior ponto fraco fosse um homem?


***KANA ONN***

JB : Prazer me chamo, Im Jaebum, mas por ser uma bela moça pode me chamar de JB.

XXx : Diz isso a todas que acha gostosa!.

Murmurou assim tendo um olhar raivoso da parte de Im Jaebum, bufei juntamente dando uma risada nasal, olhei fixamente para Kai a qual já havia acendido um cigarro e fumava olhando cruelmente o magrelo cinzento que o encara síndico com um pequeno sorriso de lado.

Eu : Também gostaria que as outras mariquin- quer dizer...

Fiz de propósito, balancei minha cabeça realmente dando a entender que errei na fala, mas todos ali sabiam minha real intenção; olhei, sorrindo de canto JB que de olhar sexy passará a mortal.

Eu : Gostaria muito, que vocês, cavalheiros se apresentassem.

Balancei a cabeça em " cumprimento" para os que do lado de Im Jaebum se encontra.

Jinyoung : Jinyoung.

Yugyeom : Yugyeom.

Falaram sérios e ríspidos, fechei a cara, cruzo meus braços e logo digo em um tom não tão alto mas também não tão baixo e para completar, totalmente confiante e debochada.

Eu : Já ouviram falar em " Se realmente quer alguma coisa, faça e suma da minha visão"!

Yugyeom : Sim!

Eu : Então por que não exerce??

Yugyeom : Porque não quero!

Kai & Eu : Não sou obrigado a ter que ficar aturando essa sua cara de merda, faça o favor e some!

Sorri alegre e totalmente prazerosa ao vê-lo engolir saliva e ficar sem jeito, um de seus parceiros que se apresentara como Jinyoung o observou dando algumas risadinhas como que " toma" ; Já Im se preocupava mais em me encarar frio e obsessivo.

Eu : Que foi? Perdeu o cu na minha cara ou tá admirando a moça que lhe dera o trabalho de procurar pra dar algum recado?

JB : Como tem tanta certeza disso?

Disse saindo se cima da moto logo cruzando os braços e se escora em seu veículo.

Eu : Não viria aqui me dizer em vão o que sou e principalmente vestidos dessa forma e outra, se realmente fossem uns babacas tentariam me atacado porém, como provavelmente receberam informações o suficiente para não o fazer...

Abri os braços encolhendo os braços;

Eu : Não o fizeram.

Voltei a cruza-los.

Kai : Se fosse trama do senhor Nora, com certeza já teriam feito algo mais interessante do que essa conversa sem mais nem menos.

Yugyeom : Quem pediu su-

Kai : Opiniões e aquela que se pede, mas como não pediu...

Ele mordeu o lábio inferior, jogou um pouco seu tronco pra trás abriu um pouquinho os braços soltando a fumaça pela boca ainda encarando o magrelo a sua frente; disse...

Kai : Isso é um tapa na sua cara, e uma marca de fodão pra mim.

Tava nítido o vermelhidão em seus olhos, assim entendo que o mesmo estava em estado satânico de loucura elevada psicológicamente, sorri, vi e ouvi Yugyeom rosnar e abaixar um pouco a cabeça.

Jinyoung : Hoje e seu dia de Sorte YugYug!

Deu risada, Kai se vira pro mesmo e o deixo fazer o trabalho.

Kai : Talvez também seja o seu meu bem...

Kai vem um pouco pro meu lado assim querendo encarar melhor Jinyoung.

Kai : Quer que eu prove?

O branquelo o olha dos pés a cabeça ainda com aquele sorriso psicopata.

Jinyoung : É o que irei ganhar em troca?-

Kai : Um belo filho da puta que comanda os armamentos da 4° maior máfia do mund-

Jinyoung : Sou irmão do Cabeça que comanda a 2° maior máfia do planeta Terra.

O mesmo se favorece com a fala, antes mesmo que Kim ficasse desconfortável, pego o cigarro de sua mão, dou uma pequena tragada e digo olhando pro rosto de Kai.

Eu : E eu sou a filha do homem que se der na telha, toma mais de 8 países pra si e derruba o governo imperial do mundo, mais conhecida como casa branca, ou seja....

Dou mais uma tragada, me viro pro mesmo que agora se encontrava mais pálido e com os olhos arregalados.

Eu : Sou a filha das trevas, primeira filha mulher da primeira máfia do mundo e se possível a próxima a comandar o inferno na terra; O Império Nora!

Ao acabar de dizer JB se pronuncia.

JB : É se seu maior ponto fraco fosse um homem?

Revirei os olhos, comecei a ficar irritada pois eles não falava o que queriam, fui criada assim, faço um jogo INTERESSANTE e depois parto para o que quero ou devo fazer... Esses homens com certeza sabem se algum ponto fraco meu... " É se seu maior ponto fraco fosse um homem"?, como eles sabem? Por quê? E como?. Im da um largo sorriso, se ajeita 3 logo diz novamente.

JB : Éaí? Vai me dizer que mentira?!

Eu : Com certeza não.

Me aproximo do mesmo e ele abre um largo sorriso sapeca, paro em frente a sua moto e digo.

Eu : Não sabe com quem realmente está mexendo... Se realmente quer continuar respirando...

Mordo o lábio inferior tentando contém minha alegria e adrenalina dentro de mim.

Eu : Fica na sua e continua obedecendo seu chefinho.

Yugyeom : Papai não nos dera instruções do que fazer realmente com você... Ou seja fazemos o que quisermos.

Eu : Ae?

Abri os braços e fui em sua direção, ele se assusta um pouco e da um pequeno passo pra trás.

Eu : Por quê tem medo de uma mulher? E ainda mais...

Estava centímetros de distância do mesmo, ele evitava contato visual enquanto eu buscava me conectar a suas córneas.

Eu : Uma estranha... Esse não é seu trabalho? Matar estranhos? Já deveria estar acostumado.

Me afasto voltando ao meu lugar.

Eu : Então? Só vieram fazer visita e atrapalhar ou me deixarem um alerta?

JB bufa irritado enquanto coloca o capacete junto ao magrelo pra ir embora, enquanto Jinyoung caminha em minha direção e diz olhando-me no fundo dos meus olhos.

Jinyoung : Senhor Wang mandara dizer que quer sua última pétala negra...

Ele pega em meu colar de cruz, chega em meu ouvido e sussurra.

Jinyoung : Nem que a mate para que ninguém mais a toque.

Ele ia se afastar mas pego-ó pelo colarinho e digo rente ao seu ouvido sentindo sua respiração contra a pele do meu pescoço.

Eu : Diz ao senhor Wang, que baixo papão eu mesma me encarrego de socar dentro do armário.

Pude perceber o sorriso que formou em sua boca, Jinyoung faz um leve contato visual comigo mas logo da as costas para ir embora.

(...)

Jongin é eu estávamos em mais puro silêncio enquanto eu dirijia de volta para sua casa; ele somente olhava a janela e as vezes tentava me olhar nos olhos, porém finja que nem existia, até uma hora que isso me irritou.

Eu : QUE FOI PORRA??

Kai : Estou admirando sua beleza.

Eu : Haa não Kai, pelo o amor de Deus.

Avia estacionado o carro pra gritar aquilo na cara de Kai, quando vejo que só queria zoar com minha cara volto pra estada irritadissima.

Kai : Que f-

Eu : CALADO!

Kai : JÁ TÔ CANSADO DE TER QUE FICAR C-

Eu : HÁ SÓ LOKA, SE VOCÊ ME IRRITAR EU VIRO ESSA JOÇA DE CARRO DE RODAS PRO AR! CERTEZA QUE QUER DISCUTIR AGORA?

Kai : Não!

Eu : Então fica queto.

Respirei fundo tentando conter minhas lágrimas, sim isso pode ser estranho, sou uma assassina fria e maldita mas pelo menos ainda tenho sentimentos, diferente de meu pai; odiava discutir ou ficar brigada com alguém que amo... Principalmente perder.

(...)

Parei o carro em frente ao seu prédio de luxo, me encostei no banco o esperando sair.

Kai : Você não vai subir?

Eu : Não tenho nada pra falar com você!

Me virei pro outro lado pra evitar olhar em sua cara de pau...

Kai : Não, tu não me fez gritar no meio da estrada pra agora me dizer que não vai esclarecer as coisas comigo?!!!

Eu : Se for sim? Algum problema?

Olhei pra frente com a mão na boca sentindo as lágrimas escorrer, escutei o suspiro de meu primo ao me observar naquele estado idiota e repugnante a qual tanto odeio demonstrar.

Kai : Kana sai do carro.

Eu : Eu não conversar com você hoj-

Kai : ANDA!

Bati com força no painel do carro logo saindo de dentro do veículo.

Eu : Satisfeito?

Cruzei os braços o encarando;

Kai : Ainda não.

Me pega pelo braço me arrastando pra dentro de seu apartamento. Ao entrar ele me solta e logo diz.

Kai : Pra que todo esse seu showzinho? Han? Me diz?

Eu : Que? Show? Acha mesmo que estou nesse estado a toa?

Kai : Sim!

Me estressei, bati em sua bancada fazendo um estrondo e grito.

Eu : TEM NOÇÃO DO QUE É FICAR PREOCUPADA COM VOCÊ? KYUNGSOO ESTAVA LÁ KAI! ELE É INGÊNUO ELE É UM SIMPLES BAR MEAN, NÃO SABE SE DEFENDER E COM CERTEZA FOI ATÉ LÁ POR VOCÊ!

Tomei fôlego e Kai mau-mau conseguia me olhar pois sabia que eu estava certa.

Eu : Você me avia dito que foi atrás dele, mas tenho certeza que é mentira, no amor você é orgulhoso Kai, não ninguém melhor que pra lhe conhecer como a palma da mão... Ele foi quem quis se reconciliar... Como sempre... E ele quem corre atrás de você.

Kai : DA PRA PARAR DE FALA DO MEU RELACIONAMENTO CO-

Eu : NÃO! NÃO PARO!

Kai : DEIXA DE SER INTROMETIDA!

Fala me deixando pra trás indo até seu quarto.

Eu : DIZ ISSO PORQUE SABE QUE SE NÃO FOSSE POR MIM D.O ESTARIA MORTO E ISSO POR SUA CULPA!

Kai : PARÁ DE LEMBRA DAQUELA NOITE PORRA!

Ele entra pra dentro do banheiro batendo a porta com tudo, respiro fundo, tiro meu salto e entro batendo a porta ainda com mais força me deparando com o mesmo pelado.

Eu : Por quê você o faz sofrer desse jeito?

Kai : PARA DE FALAR NELE!

Eu : ASSUME QUE O AMA KAI!

Kai : NÃO PORRA!

Ele entra dentro do box abrindo o chuveiro se apoiando nos dois braços na parede e deixando a água fervente cair sobre seus cabelos negros iguais aos meus.

Eu : Deixa de ser egoísta Kai!

Me aproximei do box colocando as mãos sobre o mesmo te tentando olhar mais nítido pra ele sobre aquela fumaça.

Kai : Me deixa em paz.

Virou a cara pro outro lado escondendo o choro.

Eu : Vó ligar pra ele vir aqui.

O silêncio tomou conta.

Eu : PORQUE NÃO PROTESTOU??-

Kai : POR QUE É ISSO QUE EU QUERO! ELE AQUI COMIGO.

Eu : Você definitivamente não cresce!

Disse me afastando, ao chegar na porta grito pra Kim logo depois batendo a porta.

Eu : VÊ SE VIRA HOMEM DE UMA VEZ!

(...)

Entrei pra dentro do carro, peguei meu celular e ligo pra D.O como avia dito.

***LIGAÇÃO ONN***

Kyungsoo : Alô?

Eu : Oi D.O...

Kyungsoo : Há, oi Kana... O que foi?

Tirei o celular do ouvido tampando a tela pra respirar fundo; volto a colocar o aparelho no ouvido.

Eu : Kai já está no apartamento dele e...

Travei... Depois de um tempo escuto o fungado dele.

Kyungsoo : Ok...

Antes mesmo que eu pudesse dizer algo ele desliga.

Eu : Merda!

Fechei meus olhos, me ajeitando no banco do carro com as mãos no cabelo respirando fundo mas rápido. 

Eu : Quem é você?


Quem é Wang?... O que quer comigo?, tantas perguntas de uma vez... Será que ... Jackson?


Eu : Não...


Olho pela janela admirando a noite e as luzes dos carros que ali passava.


Eu : Você está morto... Impossível!


*** SIMON D ONN ***


Eu : Essa pirralha! COMO ELA MEXEU NA PAPELADA?


Jay! Maldito, disse pra tomar cuidado enquanto estivesse no escritório fazendo minha parte das empresas... Esse mulek incompetente! Vou em direção a bancada pegar meu IPhone e fazer uma ligação.


*** LIGAÇÃO ONN***


Jay : Fala pai.


Eu : Venha no meu apartamento agora!


Jay : Que? Porque?


Eu : CALA A MERDA DA BOCA É OBEDECE!


Desligo e jogo o celular no sofá com um pouco de força; subi novamente até meu quarto pra tomar banho, Kana definitivamente e uma naja... Sou seu superior... E ainda mais não sabe em que área está pra me ameaça desta forma, tem sorte por Jay a proteger.


Eu : Mulek sem noção...


(...)


Vesti meu terno azul escuro Amosu Suit, lembro-me até hoje como esse belo tecido veio parar em minhas mãos; sorri sozinho em frente ao espelho enquanto o ajeitava em meu pescoço. Kristen, mãe de Jay o me deu de Natal... Achei estranho pois normalmente ele custa US$ 101.860 Bilhões, ela com certeza não teria dinheiro o suficiente para o pagar... Esse dia fora a última vez que a vi...


Jay : PAII!


Sou despeço de meus pensamentos com Jay me chamando da parte de baixo do apartamento.


*** NARRADORA ONN***


Jay, vestido com um terno do mesmo ao do pai (coisa rara a se ver, pois o garoto odeia ternos ou roupas formais que normalmente apertam seus músculos).


Jay : Então? Porque me chamou com toda aquela calmaria?


O silêncio ficou, Dominic apenas acabou de descer as escadas, pegou um pano branco que avia em uma bandeja de bebidas, enrolou em volta ao punho e mão; voltou-se a mirar em seu filho que agora se encontra pasmo.


Jay : Pai o que eu fiz?


Dominic : O que você fez??


O barulho do corpo troncudo de Park chocando-se contra a bancada de madeira ecoou por toda a casa.


Dominic : VOCÊ SIMPLESMENTE DEIXOU NORA TOCAR EM NOSSAS PAPELADAS MULEK SEM NOÇÃO!!!


Jay : Vai com calma ae coroa.


Dominic armou dar outro murro em seu filho mas o mesmo recuou com a mão no maxilar estalando o mesmo por culpa do impacto do murro que levou.


Jay : Me desculpe Simon mas-


Dominic : Chega.


Desenrolou o pano o jogando pra qualquer canto voltando a bandeja que retirará o objeto, se serviu e foi até seu escritório com Park logo atrás; sentou-se e assim bebeu sua bebida favorita, Vigneti del Salento, vinho tinto originário da Itália.


Dominic : Jay... Já estou prevendo que essa garota trará muitos problemas.


Diz encarando uma caneta qualquer em cima de sua mesa.


Jay : Dominic el-


Dominic : É eu exijo que me diga o que realmente sente por essa garota!


Jay se via indeciso... Não sabia como responder ao pai; passou a mão sobre os cabelos com a outra na cintura tentando assimilar melhor as coisas.


Jay : Pai... Isso é algo muito pessoal.


Dominic : O que é pessoal?


Disse seco, mas ao mesmo tempo sinico, batia cada dedo de uma vez em frente ao seu corpo na mesa de escritório esperando a resposta de sua cria indecisa.


Jay : Pai por favor!


Dominic : Jay, por favor digo eu! Não sou obrigado a ter que aturar essa mulher em minha família por um sentimento incógnita como o s-


Jay : EU TO APAIXONADO POR ELA PAI! SERÁ QUE NÃO ENTENDE?


Simon, satisfeito por que conseguiu o que queria, se aconchego melhor no assento com um sorriso maligno nos lábios.


Dominic : Por que não disse antes?


Jay : Haa pai! Vai te ferrar vai!


Disse dando as costas e saindo do escritório do pai, a qual fora atrás do mesmo com toda a calmaria do mundo, mas seu sorriso permanece em sua face.


Simon : Vamos Jay! Não seja assim.


Ele se senta no sofá bebendo seu vinho a qual era maravilhoso, olhando o céu sobre aquele vidro enorme de sua sala, enquanto isso escutava Park tentar abrir a porta pra ir embora.


Jay : Abre!


Falou ofegante voltando pra sala com uma mão no quadril e a outra apontando pra saída da casa.


Simon : Pega que você consegue abrir.


Dominic enfiou as chaves dentro de sua cueca e logo após apertou seu membro.


Simon : Vai encarar?


Jay revira os olhos molhando seus lábios já cansado do joguinho do pai.


Jay : Qualé né pai!? Sai de dentro de você, acha mesmo que isso é um desafio pra mim?


Em passos rápido foi até o pai com as mãos procurando seu objetivo, mas Simon começou a rir da situação do filho tentando o impedir de pegar sua única chance de sair dali e se livrar do interrogatório maluco que o pai sempre faz quando quer algo.


Jay : PAI PORRA MANO! PELO O AMOR DE CRISTO, ME DEIXA!


Dominic já avia prendido as mãos do filho com a própria gravata, e seus pés com a gravata do filho já extremamente nervoso.


Simon : Não até você deixar tudo esclarecido sobre esse assunto.


Jay : SIMON! Mano eu não tenho nada pra falar com você sobre isso-


Simon : Já há de cotas que você me fala disso mas nunca deixa claro as coisas seu mulek bastardo!


Jay : PEGA NO MEU PAU!


Simon : JAY PARK!


Jay : Haa~


Bufou entediado jogando a cabeça pra trás a escorando no sofá olhando pro teto.


Simon : Tenho a tarde toda.


Voltou a se sentar em frente a Park, se apoia nos joelhos logo exigindo.


Simon : Jay olha pra mim.


Jay : Não.


Simon : JAY!


Park sem vontade alguma volta sua cabeça pra cima mas dando algumas voltas parecendo que estava bêbado, encara o pai com um bico na boca e olhar de tédio.


Simon : Ainda continua com uma criança.


Jay : É Jackson como um homem? Haha, faça-me o favor.


Simon : Não mencionei seu irmão até agora, então não fala merda!


As palavras saiu de sua boca em tom algum, simplesmente saiu sem autoridade.

Jay : Dominic...

Bufa novamente fechando os olhos, mas logo os abre.

Jay : Quando eu era-

Park e interrompido por uma ligação do telefone do pai.

*** LIGAÇÃO ONN***

Dominic : Alô?

Wang : Olá papai! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...