História Aonde mora o caos. - Jaeyong - - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Hansol, Jaehyun, Jeno, Johnny, Lucas, Personagens Originais, Taeyong, Ten
Tags Jaeyong, Nct, Tdi
Visualizações 110
Palavras 958
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Aonde mora o caos. - Jaeyong - - Capítulo 13 - Capítulo 13

Breve feixes de luz passavam pela cortina, como Taeyong estava sobre o peitoral de Jaehyun não foi algo para acorda-lo.

O mais alto foi o primeiro acordar e pode ter a melhor visão do mais velho, estava deitado sobre seu braço e os olhinhos  e cara inchada pelo sono.

Jaehyun sorriu da maneira fofa a qual Taeyong dormia.

Com o coração apertado cutucou o outro para que acordasse, esse que soltava murmurinhos “irritados”, tão ato vez Jaehyun sorrir mais largo.

Logo Taeyong foi despertando do sono, com o rosto tão sereno.

Que logo foi substituído por uma cara de espanto, ficou analisando Jaehyun, que logo ficou nervoso, já iriam se estranhar?

Mas logo viu o sorriso do outro nos lábios, relaxou-se sobre a cama novamente.

 — bom dia, Hyunie. – Taeyong disse com a voz manhosa por ter acabado de acordar.

Jaehyun deu um sorriso dez vezes mais aberto, nunca pensou que fosse acordar desta forma. Com a pessoa que gosta.

bom dia, pequeno. – afagou os fios lisos do mesmo.

Ambos estavam parados se olhando de forma boba.

Até Jaehyun lembrar dos afazeres, logo dizendo que Taeyong devia se arrumar, iriam para primeira consulta de Taeyong. E estava mais nervoso que o Lee.

Foram para dentro do banheiro, despiram-se e logo começaram um banho calma, Jaehyun estava lavando o cabelo de Taeyong, as espumas caíam sobre o corpo branquinho.

Tão cena deixava Jaehyun em êxtase, se aproximou do menor e puxou o corpo magro do mesmo, analisou as cicatrizes do menor passando os dedos delicados por cima delas.

Sabia que algo estava errado com outro, e ver as inúmeras cicatrizes fez com que seu coração se apertasse.

Começou a distribuir selares no pescoço do outro, deixando marcas por ele, eram essas marcas de amor que deveriam estar pelo corpo do menor.

Como o corpinho de Taeyong ficava todo molezinho aos toques do maior, era algo tão surreal para o mesmo.

Depois de trocar carícias com o mais velho, logo saiu do banheiro com o mesmo para se arrumarem.

Depois de se vestirem, desceram sobre as escadas, Taeyong havia dito que varia o café da manhã antes de saírem.

– o que você acha de comermos panquecas? – Taeyong olhava de forma infantil para o outro.

Jaehyun concordou com o mesmo, como não né? Amava panquecas, quer dizer.. amava Taeyong.

– boa ideia, eu gosto bastante. – falará.

Deu um selinho em Taeyong e se sentou no balcão para esperar o outro fazer as panquecas, achava fofo como o mesmo estava manuseiando.

Depois de fazer as panquecas colocou nos pratos levando até a mesa.

— qual recheio você quer? – perguntou enquanto analisava as coisas no armário.

Analisou os vários recheios que Taeyong tinha guardado.

— podemos colocar chocolate, e morango.. – respondeu para o mesmo.

Taeyong então pegou as coisas que poderiam colocar e enfeitaram as panquecas.

Se sentou a mesa com Jaehyun, e começou a comer a panqueca de forma alegre.

Viu como a forma que o seu hyung comia, deixando alguns cantos da boca sujos, sorriu e passou o dedo indicador pelo lábio do mesmo, levando até sua boca.

Deixou Taeyong com as bochechas coradas.

Assim que terminaram de comer, escovaram os dentes para saírem de casa.

Jaehyun tinha as mãos de Taeyong entrelaçadas a sua, os dois garotos caminhavam de forma tranquila pela as ruas de Seul, ignorando alguns olhares sobre si.

Chegaram a grande clínica, viu como Taeyong estava meio apreensivo, então sussurro ao ouvido do menor.

— está tudo bem, eu estou aqui com você meu amor. – falará na forma de acalmar o outro. – eu prometo que lhe fará bem.

Esperaram alguns minutos sentandls nas cadeiras da clinica até ouvirem anunciarem o nome.

— Paciente, Lee Taeyong, por favor se dirigir a sala 091. 

Jaehyun despertou rapidamente e pegou na mão do Lee, o levando até a grande sala, se sentou junto ao Lee olhando para a mulher a frente.

qual o paciente? – olhou para os dois e viu o garoto de fios acizentados confirmar que era ele.

muito bem, você poderia me dizer o que se passa? – pergunto de forma calma, Taeyong apenas olhou de forma confusa.

Viu Jaehyun se pronunciar.

— Bem, o Taeyong, digamos que as vezes ele muda de atitudes, eu não sei muito bem como posso explicar, mas simplesmente parece outra pessoa. – deu uma pequena pausa para terminar de falar. – teve um dia, em que eu fui até ele e ele me afastou dizendo para não tocar neles por causa dos germes que eu tinha. 

Eu sei como ele é amável, e que aquilo não era ele. – falou com a fala sentimental. – e também, ele tem várias cicatrizes pelo corpo.

A mulher anotava constante as coisas sobre o papel, e analisava Taeyong.

Você é próximo ao Lee a muito tempo? – Jaehyun negou com a cabeça.– bom, eu não posso afirmar ainda, precisamos de mais testes, mas a minha principal suspeita é o Transtorno Dissociativo de Identidade. 

Jaehyun tinha a feição confusa para que a mulher o explicasse.

— Pode-se definir o transtorno como uma condição psicológica severa em que aspectos importantes como memórias, comportamentos, sentimentos e a própria identidade são afetados.  – falou de forma explicativa para os dois rapazes.– geralmente pessoas que sofrem algum tipo de abuso são propensos a desenvolver esse transtorno.

Jaehyun viu a forma como Taeyong extremesseu ao ouvir aquilo, e as primeiras lágrimas caíam sobre o rosto, levantou-se e foi abraçar o Lee de forma reconfortante, chorando junto ao mesmo.

— está tudo bem meu amor, eu estou aqui para proteger você agora.

A mulher receitou alguns medicamentos que ajudaria a Taeyong, e dias para terapia comportamental.

Jaehyun saiu agarradinho ao Lee para o então passeio que havia programado.

— Você consegue ir para o parque comigo, amor?


Notas Finais


Espero que gostem. ❤️❤️😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...