1. Spirit Fanfics >
  2. AP 502. - Ten e Jaehyun - Shortfic >
  3. Bônus III - Final.

História AP 502. - Ten e Jaehyun - Shortfic - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, amigas de quarentena! Como estão? Espero que bem! 💜

Sim, eu sei que esse bônus demorou... Tenho bons motivos, infelizmente:
Primeiro que aconteceu um bloqueio de criatividade que durou mais de 12 meses pra essa história, mesmo que eu tenha certa facilidade em imaginar esse trio... PORÉM, acho que o motivo maior MESMO é que... Bom, a verdade é que eu não gosto muito dessa história KKKKKK.... Eu só não apaguei, de todo coração, por que eu sei que muitas de vocês gostam dela, e então isso me deixa de coração mole!

Eu comecei essa história em 2018... É tempo o suficiente pra muitas coisas mudarem na minha cabecinha maliciosa. Aprendi muitas coisas nessa quantidade toda de meses, mas tentei ao máximo possível manter o que eu construí desde o prólogo, embora eu tenha adicionado um pouquitito do que eu tô buscando pras minhas "histórias atuais"....

Obrigada de todo meu coração pelos comentários e favoritos até aqui! E pela paciência por esse último bônus! 💜
Te vejo lá embaixo? 🐇

Capítulo 6 - Bônus III - Final.


Era dia dos namorados pra ser precisa, e eu estava de folga. 

E claro que eu não teria outra escolha senão passar um dia entediante como aquele no 502, só para não perder o costume.

Essa data não era lá tão especial, já que nenhum título oficial acontecia entre nós três. Mas tudo aquilo era sempre divertido de alguma forma.

Estávamos trancados em seu quarto comemorando aquele dia da melhor forma possível, eu e Jaehyun. Mas o trato era claro: eu e o coreano poderíamos ficar juntos até as 22h. Depois disso, o tailandês exigia que meu tempo fosse também exclusivamente dele. Assim, o dia dos namorados seria "justo" para todos.

Havia passado mais cedo em uma sex shop, para arranjar o presente perfeito de dia dos namorados para o meu príncipe: um gel de efeito retardante que prolongaria nossa noite de comemoração. 

E, é, estava funcionando perfeitamente.

Ver Jaehyun suado e concentrado em seus movimentos estava me matando pela quarta vez naquela noite. Minhas pernas estavam tremendo enquanto sentia meus músculos se contraírem por tanto esforço físico.

Via seu pau tão lustroso de gel, inchado e pulsante… E suas veias tão destacadas que pude jurar ser visível o sangue  impulsionado por aqueles caminhos que desenhavam sua pele pálida ao longo de seu tronco. Especialmente em direção ao seu pescoço que condensavam gotas grossas do suor dos cabelos que estavam excessivamente úmidos.

A sensação dos movimentos corporais ondulados de seu forte tronco por cima do meu, fazendo com que sua extensão se curvasse por completo dentro de mim, companhavam os gemidos arrastados de Jaehyun que parecia estar a poucos estocadas de gozar em mim.

Só que não. 

Parecia, mas claramente poderia aguentar que eu gozasse antes dele mais algumas vezes…

Embora eu estivesse frágil, sentia que meu corpo estava completamente viciado no jeito em que o coreano fazia aquilo tudo por mim. Claramente dedicado a fazer o impossível, enquanto via seu abdômen desenhado ondular contra minha barriga, buscando espaços que não existiam para me preencher completamente.

[JAEHYUN] - Olha o que você f-az comigo… Tá feliz, não é? - As gotículas de suor se acumulavam em seu rosto, prestes a escorrer.

[_____] - Meu príncipe quer muito gozar e não consegue…? Ora, coitadinho… 

Vê-lo sensível, meu princípe sôfrego por mais, desesperado por seu objetivo, me fazia sorrir satisfeita.

 Minha intenção talvez fosse deixar um pouco de energia para quando eu estivesse com Ten, mas meu corpo não reagia contra qualquer tentativa a mais de prazer que Jaehyun trazia.

Para tentar aliviar a tensão, minha pele era amassada e maltratada por suas palmas inquietas que teimavam em me segurar fortemente contra o colchão, fazendo-me arfar alto em consequência, mesmo que às vezes eu deixasse escapar algum risinho por que, além de gostoso, era ótimo vê-lo nervoso.

 Ten odiaria ver roxos na minha pele sabendo que Jaehyun teria sido o culpado, e aquilo me deixava especialmente mais ansiosa em saber como estaria meu estado daqui algumas horas.

Em alguns momentos, o coreano tinha a agilidade e pressa de me fazer mudar um pouquinho a posição, não se importando com meu conforto. Direcionava meu corpo de acordo com sua própria facilidade em me estocar, buscando a velocidade perfeita para si. 

[_____] - A-ahh, Jae, vou gozar de novo e você nem-

[JAEHYUN] - Você pode, por favor, calar a boca?! - Sua palma pousou contra meus lábios pesadamente. 

Era como se realmente seus instintos tivessem atingido o limite máximo. 

Engraçado o que o tesão extremo fazia… Meu doce Jaehyun, o príncipe carinhoso, estava um tanto impaciente… Hmmm.

Lambi e mordi seus dedos que se dedicavam em me manter em silêncio, controlando meus gemidos que saiam por alguns espaços entre seus dígitos.

[JAEHYUN] - Por que você tá se divertindo tanto…? - Manhou sôfrego mais uma vez quando percebeu minha acidez. - Cadelinha desgraçada… -  Sorriu sádico.

Seu pau esvaziou meu interior agilmente, então passou a roçar sua extensão contra a minha pele, apertando minha intimidade como um “sanduíche”, me fazendo tremer em sensibilidade e uma falsa reprovação. 

Fez muito esforço com aquele ato, fazendo seu tamanho todo preencher meus grandes lábios em um movimento lento mas certeiro. 

Sua pressão me mantinha colada ao colchão sem chance alguma de me mexer de outro modo. Mesmo que eu estivesse sentindo meu braço dormente contra os dedos nada gentis de Jaehyun, eu queria de qualquer forma estar sob aquela força toda. A cama se estralou inteira, quanto mais esfregava-se em um gentil desespero na minha intimidade.

Gemi mais alto contra aquela tortura gostosa, demonstrando pra todos naquele prédio, que eu já estava pela quinta vez me entregando para ele, quando ouvi sua voz também engrossar conforme seus movimentos se intensificaram contra mim.

[JAEHYUN] - Isso, aaah! - Mal se completou a frase e tremeu seus braços esporrando arrastadamente todo meu abdômen e parte de sua cama, em muita quantidade. Parecia estar fora de si conforme pendia o pescoço para frente, completamente sem forças extras, gemendo muito longo e satisfeito.

Me concentrei para acompanhá-lo, e aquilo teria o final perfeito, no time perfeito se não fosse-

 

Meu celular vibrou alto contra a madeira da escrivaninha, cortando meu momento ao me dar um susto muito grande.

[_____] - Mas que desgraçado, filho de uma puta!!!!!!!!!!!!!!!!!! - Arfei entre os dentes sentindo meu corpo pegar fogo. 

Era a porcaria do tailandês propositalmente tentando estragar o final perfeito da minha foda. 

Tive o impulso imediato de pegar o celular em mãos trêmulas e ligar de volta só pelo prazer de mandá-lo pro inferno quando as mãos ágeis de Jaehyun agarram o aparelho o atirando em algum canto aleatório, sem muita paciência.

Aproximou-se gentil, beijando o canto da minha boca. Me puxando para sentar apropriadamente na cama. Seu gozo escorria pela lateral da minha barriga, deixando minha pele ainda mais úmida. Seria sexy ou tentador se eu não estivesse tão puta.

[JAEHYUN] - Pronto, relaxa...

Respirei fundo selando os lábios à minha frente para tentar me recompor. 

 [_____] - Me desculpa, príncipe… - Tentei manter a calma com aquela baixaria, sentindo minha respiração se libertar, enquanto passava as mãos entre meus fios, completamente quente.

Jaehyun esfregou uma pequena toalha em minha pele, limpando sua sujeira enquanto ria da minha brabeza, sabendo que eu poderia sair do quarto correndo a qualquer momento pra acabar com o tailandês.

[JAEHYUN] - Vocês dois precisam ser menos competitivos… Às vezes eu… - Engoliu a saliva durante a frase, calando-se a seguir.

 [_____] - “às vezes…”?

[JAEHYUN] - Pra ser sincero, às vezes eu queria que você fosse só minha, sabia?…

 [_____] - Ser sua não é o suficiente? - Agarrei suas bochechas para arrancar um selinho estalado naqueles lábios tão convidativos. Aproveitei para secar o suor em seu rosto com meu polegar.

[JAEHYUN] - Você entendeu o que eu quis dizer… - Tornou o semblante sério.

Fiquei por alguns segundos paralisada com aquele diálogo, afinal… Não estava esperando algo do tipo dito com tanta seriedade… 

[JAEHYUN] - Queria que fosse minha namorada… Você aceitaria? Poderíamos viver no seu apartamento. Eu faria tudo por você, e você sabe.- Vi aqueles olhos desaparecerem em um sorriso tímido no canto de seu rosto, enquanto sentia suas grandes mãos desenharem meus braços, apertando-os levemente. Meus lábios tremeram, por que a resposta pra mim era óbvia...

 [_____] - Jae, eu… - A imagem de Ten imediatamente veio em meus pensamentos. O seu riso gostoso pareceu ecoar pelo quarto. Eu jamais poderia aceitar aquele pedido naquelas circunstâncias, e o coreano sabia disso. 

[JAEHYUN] - Tudo bem, tudo bem…! - Me fez engolir a frase quando começou a rir um pouco debochado como se aquilo fosse uma pegadinha. - Não precisa me falar nada. Eu tava só brincando… E a noite ainda não acabou, certo, princesa? Você deve ter algumas surpresas vindo por aí... - Beijou meu pescoço, arrastando suas palavras contra minha pele.

Podia ser apenas uma brincadeira, mas por que aquela frase parecia um tanto suspeita? 

Depois daquilo ficou difícil relaxar completamente.

Estavam aprontando algo?


 

 

Passaram às 22h e eu já esperava o tailandês batendo a porta nervosamente, avisando que aquele momento já era dele.

Porém nada. Nem um sonzinho vindo de fora daquele quarto. Aquilo estava me deixando irritada. Seria típico demais de Ten fazer aquilo comigo.

Vesti o roupão cheiroso de Jaehyun, mesmo que ele ficasse um tanto grande em mim e saí do quarto indo imediatamente em direção ao quarto do tailandês, não esquecendo de colocar o presente de Ten no bolso da roupa que me cobria. Logo que abri a porta, que estava um pouco entreaberta, pude ver que estava vazio. 

[_____] - Ten…? - Empurrei. Nem sombra do garoto…

Virei-me na direção oposta do corredor e pude ver que a sala estava iluminada pelo crepitar óbvio de luzes de vela. Sabia que deveria ir para lá, mesmo que não tivesse visto ninguém naquela direção, mas algo não estava certo.

Passei de novo por Jaehyun, apoiado no vão da porta de seu próprio quarto. O garoto escondeu suas covinhas quando estava praticamente em sua frente.

[_____] - Já entendi a brincadeira. Você tá com cara de cúmplice.

[JAEHYUN] - Eu?! Princesa, eu passei a noite inteira do seu lado. Você sabe que não tenho nada a ver com isso… - Engoliu seu sorriso em um tom um tanto provocante.

[_____] - Tá bom… - Segui caminhando devagar pelo corredor do apartamento, tendo aos poucos mais visão da sala em que me aproximava.

Em alguns passos á mais, tive visão da mesa central coberta por candelabros lindíssimos, espalhados de uma maneira um tanto satisfatória de se olhar. Pude pegar a hora exata em que Ten estava acendendo os últimos pavis daquela decoração romântica. 

[_____] -  O que você tá fazendo…?

[TEN] - Yoon Oh… Porque não me avisou que já tinha acabado? - Olhou em direção ao coreano que já estava atrás de mim, praticamente me encurralando naquela sala, como se eu tivesse que passar por um ou por outro se quisesse sair. Não que eu tivesse aquela intenção…

[TEN] - Gostou da decoração? - Coçou a nuca um tanto sem jeito.

Arqueei uma das sobrancelhas esperando qualquer outra ação, cruzando os braços impacientemente. 

[_____] -  Eu quero saber o que você tá fazendo…

[TEN] - Nossa, tá vendo, Jung? Eu falei que ela ia ficar com essa cara… - Encaminhou-se até mim, segurando meu queixo empinando-o em direção ao meu rosto. - Só por essa resposta, não sei se você merece o que eu tenho pra você. 

Pude ouvir a risada fofa de Jaehyun ecoar atrás de mim. Senti as mãos do coreano passeando os dedos pela minha nuca e pousarem em meus ombros logo depois.

[_____] - Vamos com isso, por favor?! - Afastei o tailandês com alguma força.

Ten segurou minha destra, brincando rapidamente com meus dedos e olhando-me no fundo dos olhos, tornou-se a se ajoelhar em minha frente. 

Engoli seco ao ver aquela ação…

Meus pensamentos se tornaram brancos, e pude ouvir minha consciência gritar contra mim: “Diga não!”. 

Minha mão involuntariamente começou a tremer, quando senti os lábios afáveis de Ten pousarem na minha pele.

O garoto enfiou uma das mãos no bolso e dali saiu uma caixinha de veludo de tamanho perfeito para algo muito óbvio.

Não, não, não, não. Eu não poderia aceitar, seja lá o que estivesse acontecendo ali.

Os mesmos pensamentos que me passavam pela cabeça há minutos atrás com Jaehyun estavam se repetindo naquele instante. Eu não poderia aceitar qualquer pedido daquela casa… Por mais instável que fosse nossa relação à três, todos sabiam que eu jamais trocaria minha rotina por um ou por outro… Não existiria paz em mim. Que diabos estava acontecendo com aqueles garotos?!

[TEN] - Tudo bem, jagiya… Yoon Oh não vai se importar. - Piscou em minha direção enquanto ameaçava abrir aquela caixa.

Parecia que estava em câmera lenta aquela ação torturante, quando meus olhos viram reluzente o brilho dourado de uma chave personalizada arrumada no centro daquela caixinha, quando ri nervosa.

[_____] -  A chave do apartam...

[JAEHYUN] - Sua própria chave do 502...

[TEN] - Feliz dia dos namorados, jagiya. Você até que merece… - Beijou minha bochecha, me deixando imediatamente quente. 

Mais que uma chave, aquilo pra mim representava confiança. Ter amolecido o coração de Ten até aquele ponto, e significar ser bem-vinda em qualquer momento do dia, tinha uma importância enorme para o relacionamento estranho que tínhamos. 

Algo cresceu em mim, uma felicidade imensa por tudo o que construímos, quase oficiais, namorados.

[JAEHYUN] - Bom, é o momento perfeito pra dizer. Eu amo o que você faz por mim, e o que você faz pro Ten… Sou grato por ter isso tudo, e eu não mudaria nada… Nem uma vírgula do que temos. - Buscou na mesa um dos buquês de flores que a enfeitavam e uma caixa de chocolates. De que outra forma um namorado agiria?

Eu nunca fui a garota que achava graça nesse tipo de presente, e havia recebido poucos destes na minha vida, mas aquela cena derreteu meu coração imediatamente, me fazendo sorrir em reação, ignorando qualquer outro pensamento que arruinasse aquela perfeição.

Segurei as flores me pondo nas pontas dos pés para beijar a doce boca do coreano que tinha os lábios espaçados por conta do sorrisão que esboçava.

[_____] - Te amo tanto, principe...

[TEN] - Okay, okay… Deu? Pronto? - Tornou a agarrar minha cintura fazendo força para meus pés se desgrudarem do chão, então facilmente me conduziu em direção ao corredor. - Vamos? Nessa brincadeira já perdemos uma meia hora… - Bateu na minha bunda com a palma firme.

[_____] - Elas são perfeitas, Jae! - Disse enquanto era carregada pela leveza dos braços do tailandês apressadinho.

[JAEHYUN] - Bons sonhos, princesa...- Nos seguiu pelo corredor até parar na porta de seu próprio quarto, beijando minha testa algumas vezes. - Até depois...

 


Notas Finais


Entãaaaaaaaao.... Presente melhor nessa situação eu não achei, mas só quem acompanhou tudin é que sabe disso 🔑💜

Acho que expliquei tudo o que eu queria nas notas iniciais, mas queria agradecer uma última vez por sua confiança, comentários, paciência, enfim...!
AP. 502 (2018-2020) uhwuhwuhwuw quero ver se aguento não excluir (grraaaaaaaaaAAAHH!!!)

💜🌼 meu coração tá muito acelarado nesse momento, antes de enviar ekekekekekke


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...