1. Spirit Fanfics >
  2. Apaixonada pelo meu Chefe - Ruggarol >
  3. Capítulo 21 - Maratona 1 de 10

História Apaixonada pelo meu Chefe - Ruggarol - Capítulo 23



Notas do Autor


Feita com amor e carinho para todos vocês

Espero que gostem 😘

Boa leitura!

Capítulo 23 - Capítulo 21 - Maratona 1 de 10


Fanfic / Fanfiction Apaixonada pelo meu Chefe - Ruggarol - Capítulo 23 - Capítulo 21 - Maratona 1 de 10

P.O.V Karol

Acordei sentindo o meu corpo todo dolorido, olhei para o meu lado esquerdo e vi um homem escrevendo em um papel e conversando com uma mulher, quando eles me viram, veio correndo em minha direção

Médico: Como a senhorita está se sentindo? - perguntou o mesmo me examinando

Karol: O meu corpo está todo dolorido. - disse fazendo cara de dor. — Aonde eu estou e como eu vim parar aqui?

Médico: Você foi picada por uma cobra coral e esteve em estado vegetal durante cinco dias

 Cinco dias? Minha nossa, é muito tempo

Enfermeira: A senhorita lembra de alguma coisa antes do acidente?

Tentei lembrar de alguma coisa, mas nada vinha na minha mente

Karol: Infelizmente não, eu não lembro de nada. - disse me endireitando na cama

Médico: Isso não é nada bom. - disse o médico olhando o meu soro. — Vá chamar o cirurgião rápido. - disse e a mesma saiu correndo

Cirurgião? Pra que um cirurgião?

Karol: Mas pra que um cirurgião? - perguntei um pouco assustada

Médico: Está sentindo dor aonde? - perguntou ignorando a minha pergunta

Karol: O meu corpo dói de mais e minha cabeça, parece que vai explodir

Nessa hora vimos mais um homem entrar

Cirurgião: Me chamou Doutor Carlos? - perguntou o mesmo entrando sendo seguido pela enfermeira

Médico: Sim, chamei. - disse pegando sua prancheta. — Ela está tendo uma hemorragia, temos que fazer uma cirurgia nela rápido

Nessa hora eu sinto uma dor imensa entre minhas pernas e tento olhar pra vê o que está acontecendo, mas não consigo me levantar

Cirurgião: Diga pro Doutor Fernando preparar a sala de cirurgia rápido. - disse e a enfermeira saiu correndo

Tentei levantar mais uma vez e uma dor invadiu a minha coluna parecendo que está partindo a mesma ao meio

Karol: Aiiiiii. - disse chorando de dor

Médico: O que aconteceu senhorita? 

Karol: Minha coluna, dói demais, minhas pernas, eu não consigo levantar

Cirurgião: Vamos precisamos levar ela rápido pra sala de cirurgia, a picada da cobra entrou 100% nas veias dela e se não fizemos uma cirurgia urgentemente novamente, ela pode morrer. - disse pegando minha cama e arrastando até fora da sala. - Traz as coisas dela rápido

Passamos pelo corredor e vimos o Ruggero sentado na cadeira, que ao nos ver vem correndo em nossa direção

Rugg: Karol. - disse se aproximando

Cirurgião: Me Desculpe Senhor, mas você não pode ver ela agora, ela está tendo uma hemorragia e precisa fazer uma cirurgia imediatamente. - disse me levando pra uma sala aonde tinha dois médicos e quatro enfermeiro

Médico: Pega uma anestesia rápido. - disse um dos médicos para uma das enfermeiras

Logo a enfermeira entregou a anestesia para o médico e ele aplicou no meu soro

Médico: Tragam mais oxigênio

Essa foi a última coisa que eu ouvi, pois depois disso eu apaguei

P.O.V Emília

Meu Deus, não pode ser, esse tempo todo era mesmo verdade, o papai está devendo sim pros agiotas e eu simplesmente não tenho dinheiro para pagar, e o salário do papai e o da Karol nunca vai dá pra pagar esses agiotas, e agora meu Deus o que eu faço?

Estava indo pro meu quarto, quando eu ouso o celular da mamãe tocando, ela tinha saído e havia esquecido o celular

Me aproximei do mesmo e logo atendi para saber quem era

Ligação on

- Alô? - perguntei ao atender

- Mônica? 

- Não, aqui é a Emília filha dela, quem é?

- Sou eu o Ruggero, Emília

- Oi Ruggero, aconteceu alguma coisa? Como está a Karol?

- A Karol acordou

- Graças a Deus

- Mas tem um problema

- O que aconteceu Ruggero? Que problema é esse? - perguntei preocupada

- O médico disse que vão fazer outra cirurgia na Karol por que ela teve hemorragia

- Meu Deus, protege a minha irmã por favor

- Bom, eu vou ter que desligar por que ainda estou no hospital e não posso falar muito

- Sim claro, mas quando você tiver mais notícias, me avise por favor

- Claro, tchau

- Tchau

Ligação off

Meu Deus, isso não pode ser verdade, se a Karol morrer eu nunca vou me perdoar, jamais

Até que eu me lembro do que aquela tal de Katja falou, o dinheiro que ela me ofereceu ia resolver todos os meus problemas e ainda dava pra pagar a dívida do papai, mas em compensação eu teria que acabar com a vida da minha própria irmã. E agora, o que eu faço?

Pensei bastante na melhor solução a tomar, e já sei o que eu vou fazer

Fui pro meu quarto peguei minha bolsa e sai em direção a empresa do Ruggero

Chegando na mesma, peguei o elevador e fui até a secretária que me olhou de cima abaixo

Secretária: Pois não? - perguntou com cara de nojo

Emília: Eu preciso falar com a senhora Katja

Secretária: Sinto lhe informar mais a senhora Katja mim pediu pra não deixar ninguém entrar. - disse dando um sorriso falso

Emília: Eu te garanto que foi ela mesma que me chamou aqui

Secretária: Duvido muito. - disse baixinho mais o suficiente para eu poder escutar

Emília: Ok. - fingi um sorriso e entrei de vez na sala da Katja sendo seguida pela secretaria

Katja: Mas o que está acontecendo aqui? - perguntou assustada

Secretária: Senhora, essa louca entrou na sala de vez sem ao menos....

Emília: Eu tenho certeza que a senhora vai amar o que eu tenho pra dizer. - disse de vez

Katja: Pode ir Tâmara, obrigada

Tâmara: Sim senhora. - disse me olhando com raiva e saiu

Katja: Eu sabia que você iria voltar. - disse sorrindo. — E então, o que me diz sobre a minha proposta?

Emília: Eu aceito, mas com uma condição

Katja: Pode dizer

Emília: Eu só aceito ser sua cumprisse se quando alguém descobrir a verdade, você nunca disse que eu estava envolvida nisso tudo, eu não quero que a Karol descubra nunca que eu fui sua cumprisse na descrição da mesma

Katja: É claro que sim querida, não se preocupe, eu sei que se seus pais descobrissem essa traição horrível da sua parte, eu sei que eles nunca te perdoaria. - disse vindo em minha direção. — Eu nunca te sujeitaria a algo assim

Emília: Se é assim, eu aceito

Katja: Te garanto que você não vai se arrepender

Emília: Então, me diga o que é pra fazer?

Katja: Aqui não, eu vou te mandar uma mensagem com a localização do restaurante aonde agente vai se encontrar hoje a noite e aí eu te conto o que você tem que fazer

Emília: Está bem, estarei esperando sua mensagem

Katja: Sim

Quando eu estava saindo a mesma me chamou

Katja: Espere, eu preciso te dá uma coisa antes. - disse indo até uma gavetinha na sua mesa e tirando de lá um envelope. — Tome, esse é o seu adiantamento por você ter aceitado me ajudar

Emília: Não senhora, Isso aqui é mais do que o combinado

Katja: Pra você ver que eu cumpro o que eu falo, agora só resta você

Emília: Eu não vou te decepcionar

Katja: Eu sei que não

Agradeci a mesma novamente e sai

Meu Deus isso aqui tem muito dinheiro, agora a única coisa que eu preciso é de uma boa desculpa para poder da o dinheiro para o papai pagar o agiota, bom isso eu penso depois, agora eu preciso pensar em um lugar para esconder esse dinheiro todo

P.O.V Katja

Eu sabia que a Emília era uma cobra, uma falsa assim como eu, nós falsas conhecemos outra falsa e assim que eu bati o olho na Emília, pude perceber que ela séria a pessoa ideal para me ajudar a destruir a Karol, só não imaginava que seria tão rápido assim

Uma alguém da família para destruir outra pessoa é um golpe de mestre, pois ela nunca irá imaginar da onde saiu a traição, e é exatamente isso o que eu quero, que a Karol nunca saiba quem a traiu, obvio que se eu fosse descoberta é lógico que a Emília cai junto comigo

Eu só aceitei aquela condição dela, pois eu sabia que se eu recusasse, nunca iria encontrar uma aliada tão forte como ela

A Karol não perde por esperar, ela vai se arrepender amargamente por ter entrado no meu caminho, ou eu não me chamo Katja 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...