História Apaixonada pelo Professor 2 - A Formatura - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 84
Palavras 5.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Saga
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que esta segunda parte te prenda tanto quanto a primeira...
Boa leitura ♡

Capítulo 4 - 01 - Como vão suas férias?


Fanfic / Fanfiction Apaixonada pelo Professor 2 - A Formatura - Capítulo 4 - 01 - Como vão suas férias?

 O relógio marcava 2:46, mas Tori já havia perdido a noção do tempo, logo após que chegara ali.

Estava um dia lindo, ensolarado e quente. Vez ou outra, o sol se escondia por trás de uma das grandes nuvens brancas que manchavam o infinito céu azul, e todo o quarteirão mergulhava numa maravilhosa sombra.

Tori e Zayn estavam embaixo de uma grande e volumosa árvore de folhas verdes vivas. Ele sentado na grama e apoiado com as costas no tronco. Ela descançando a cabeça em sua coxa grossa e esparramada com o corpo no chão, com as pernas cruzadas.

Zayn trajava uma camisa branca lisa e uma bermuda xadrez, e embora estivesse descalço, no momento, seus chinelos descançavam há uns dois metros deles, junto a uma cesta de pique nique cor palha. Tori estava com uma camisa vermelha de manga cavada e um short jeans curto. Sua sapatilha dourada, refulgia à luz do sol amarelo.

Ambos de olhos fechados, sem dizer nenhuma palavra, apenas aproveitando o momento. Cada um absorto em seus próprios pensamentos, e Tori tinha certeza que Zayn pensava o mesmo que ela...

"Essas férias não podiam acabar nunca!"

O único som que se ouvia, era a brisa fresca cortando o ar, sons de carros que pareciam muito distantes e o cantarolar de alguns pássaros. Embora parecesse uma coisa muito tola, o mais agradável, era o som da respiração um do outro. Sem dizer nenhuma palavra, apenas sentir o companheiro tão perto, e tão distante ao mesmo tempo.

Zayn tinha uma mão muito firme e grossa, mas que usava com muita delicadeza para fazer um cafuné na namorada, acariciando seus longos cabelos chocolates, enquanto ela esfregava um pé no outro. O professor parou com o carinho e empurrou a franja dela para longe de seus olhos castanhos, antes de quebrar o silêncio.

- Case-se comigo... - exclamou ele de repente.

Suas palavras foram ditas com muita suavidade, mas não era um pedido ou uma pergunta. Estranhamente, parecia uma sugestão.

Tori hesitou por um momento. Abriu um dos olhos com a mesma cautela que abriu um pequeno sorriso. Seu olhar se encontrou com o de Zayn, que também sorria. Ela tornou a fechar os olhos, respirou fundo e respondeu:

- Não! - disse com determinação e segurança.

Embora a resposta fosse assustadoramente negativa, não foi uma surpresa para Zayn, que alargou ainda mais seu sorriso e voltou a fazer cafuné na namorada, fechando os olhos.

- Nós já falamos sobre isso... - continuou Tori - Eu já disse milhares de vezes que eu sou muito nova para me casar! - concluiu ela.

- E eu já disse que te amo... - suspirou Zayn.

- Eu também te amo... - interrompeu ela levantando as costas para ficar sentada de frente para ele - Mas eu já te expliquei. Ainda tem tanta coisa para acontecer, tantas coisas que eu quero e sonho em fazer... - argumentou Tori sonhadora, fazendo gestos com as mãos.

- E por acaso eu não estou incluído nesses planos? - perguntou ele sorridente, se inclinando para ficar mais próximos. Cara a cara.

- Está! - confirmou ela sorrindo - Você é meu presente...

- Passado... - continuou Zayn estendendo a mão para a amada.

- E futuro! - concluiu ela segurando a mão do professor.

- Você é o meu TUDO! - exclamou ele antes de dar um breve beijo em Tori.

- Você é o meu para sempre! - suspirou ela sorridente retribuindo o beijo.

(...)

Já havia pouco mais de duas semanas que Zayn havia surpreendido Tori com uma aliança e o pedido de casamento. Ela ficou absurdamente emocionada, e mesmo sem encontrar a maneira certa de responder o pedido, ela recusou; Alegando ser temporariamente.

Zayn fez o pedido quando os dois estavam em um passeio de barco pelo lago. Foi com grande pesar no coração que Tori recusou, aquele foi um dia inesquecível e que,com toda certeza, Zayn planejou cada detalhe, cuidando para que tudo fosse muito especial para Tori, talvez, mais até do que ela merecia (pelo menos ela pensava assim. Ao contrário de Zayn que se esforçava de fazer sempre o melhor para ela, pois segundo ele, nada que ele fizesse era demais para Tori).

Primeiro Tori dormiu na casa dele na sexta-feira (dizendo é claro que iria dormir na casa da amiga Cat), e na manhã de sábado tomaram o café da manhã juntos no hotel de Zayn. Logo depois, eles foram ao parque, e por volta dos 12:30 foram almoçar em um restaurante.

Depois do almoço (risoto harmonizado com vinho), os dois voltaram para o hotel, tomaram banho, e deram prosseguimento às suas atividades. Zayn levou Tori para o cinema, onde eles assistiram um encantador filme romântico, e em seguida foram para a praia.

"Tentação assistir um filme romântico e logo depois ver ele só de sunga..."

Tori pensava que aquele seria o último passeio do dia, e eis a surpresa. Quando o sol já estava se pondo, Zayn levou ela para um passeio de barco à dois no lago.

O sol já havia desaparecido, dando lugar para uma gigantesca e brilhante lua rodeado de estrelas espalhadas pelo céu quando eles estavam enfim no meio do lago. Zayn parou de remar, e deixou o barco flutuando sozinho nas águas calmas. Devido a falta de luz, ali pelas redondezas, eles estavam em um lugar muito escuro. Iluminados apenas pelos brilhos das estrelas e a luz do luar, encantados com o reflexo da lua branca-prateada nas águas do lago.

- Oque estamos fazendo aqui? - perguntou Tori esfregando as mãos nos braços, com frio.

- Vivendo... - exclamou ele em resposta.

- Vivendo? - repetiu ela sem entender.

Zayn não explicou, apenas apalpou o bolso de trás da jeans e quando voltou, estava segurando uma caixinha de veludo preta. Tori apurou as vistas. Não conseguia ver mais que uma silhueta quadrada na escuridão.

O professor abriu a caixinha com cautela e duas alianças douradas (folheadas a ouro) cintilaram diante dos olhos brilhantes de Tori. Ela levou as mãos a boca surpresa. Olhando das alianças para Zayn, incrédula.

- Eu não acredito... - suspirou ela antes de mais nada. Sua voz tão rouca, que foi quase inaudível.

Ele sorriu, achando muito engraçado a reação dela.

- Tori Vega... - começou ele se ajoelhando diante dela (o barco balançou um pouco) - Você aceita se casar comigo? - perguntou ansioso. Talvez aquele momentos fosse mais importante para ele do que para ela.

Tori olhou a sua volta, tentando encontrar apoio, coragem. Mas tudo que via era a luz dos postes e dos faróis de carros há muitos metros dali, além das janelas iluminadas dos altos prédios.

- Zayn, eu... - começou ela perdida com as proprias palavras. Tori respirou fundo e prosseguiu - Eu realmente não estava esperando por isso... - guaguejou ela emocionada.

Zayn sorriu.

- Pois eu sempre imaginei isso, pelo menos desde que te conheci! - exclamou ele alegre.

- Eu também... - apressou-se ela a dizer - Eu também sempre me imaginei casando com você e tudo mais... - explicou ela.

- Então oque? - perguntou ele tornando a se sentar no lugar para encará-la nos olhos, percebendo que a conversa estava tomando um rumo diferente do que ele planejara.

- Mas eu não pensei que seria agora, tão cedo! - argumentou ela, fazendo o máximo de esforço para parecer sútil e não um descaso, sem deixá-lo magoado.

- Eu sei que isso é muito preciptado, mas eu tenho certeza dos meus sentimentos por você... - suspirou ele nervoso, atrapalhado como Tori já não via havia semanas.

- Não, não, não... - interrompeu ela apressando-se a segurar as mãos do namorado - Eu também tenho certeza dos meus sentimentos, eu também quero me casar com você! - garantiu ela.

- Eu sei disso! - afirmou ele sorrindo para tranquilizá-la.

- O que eu quis dizer é que eu não planejei isso para agora, entende... - continuou Tori - Eu ainda sou muito jovem para isso, aliás, NÓS somos muito jovens para isso! - alegou ela.

- Pensei que você fosse gostar... - exclamou ele fechando a caixinha de veludo, fazendo o brilho das alianças douradas desaparecerem.

- E eu gostei, eu amei essa surpresa! - interromepeu ela puxando as mãos dele com mais força - Eu sempre soube do seu amor. Eu te amo!

- Eu também te amo! - disse Zayn forçando um sorriso - É melhor nós irmos, eu vou te levar pra casa... - continuou.

Sua voz ainda era muito calma, mas demonstrava todo o desapontamento que ele tentava esconder com suas expressões forçadas.

- Zayn eu quero me casar com você... - exclamou Tori segurando o ombro largo do namorado quando ele apanhou os remos - Só que isso pode esperar, não é mesmo? - insistiu ela pedindo amparo - Ainda temos a vida toda pela frente!

- Eu ainda vou te convencer! - garantiu ele, voltando a dar seu habitual e legítimo sorriso.

- E eu vou te mostrar que podemos ser tão felizes quanto se fôssemos casados! - afirmou Tori beijando-o.

Desde então, Zayn fazia isso. Vez ou outra, pegava Tori de surpresa com essa pergunta, mesmo sabendo qual seria sua resposta, e nunca dava a batalha como perdida, insistindo sempre no pedido de casamento.

E quanto mais Tori dizia "NÃO", mais satisfeito ele ficava, e em seu interior, o desejo de se casar com ela aumentava mais e mais.

De todo jeito, Tori estava certa do que estava dizendo, ela não havia planejado e também não queria casar-se com dezessete, dezoito ou dezenove anos. Quando se imaginava casada e com filhos, tinha no mínimo a idade que Zayn tem hoje, vinte e quatro anos.

E embora parecesse falta de consideração, a culpa não era inteiramente dela. Os dois tinham muitos assuntos para conversar quando estavam juntos, mas nunca mencionaram se casar até Zayn surpreende-la com o pedido. Se tivessem entrado neste assunto antes, ela haveria esclarecido que pretendia se casar com no mínimo 24 anos.

(...)

Eles ficaram relaxando no parque quase que a tarde toda, foram embora depois das cinco horas da tarde, quando o sol já beijava as montanhas distantes, enquanto que no céu as cores brincavam e se misturavam em tons azuis-alaranjados; E antes de levar a namorada embora, Zayn passou em seu apartamento para eles trocarem de roupas.

Era inevitável não rolar alguma brincadeirinha entre os dois quando estavam em seus momentos mais íntimos, como por exemplo quando ficavam apenas de roupas de baixo um na frente do outro, ou quando passavam só de toalha, mas não se deixavam levar pelos impulsos, segurando-se e fazendo o máximo de esforço para que não passasse disso, pois desde a sua primeira vez juntos, o sexo se tornou um vício para o casal, e eles tentavam equilibrar isso, para manter a relação saudável. Fora que conter o desejo por alguns dias era muito prazeroso no momento ideal.

Quanto ao cigarro, Zayn parecia ter esquecido de vez, nem mesmo Tori se lembrava que um dia já havia visto o professor fumar. Aquele foi um episódio da vida deles que já havia sido deletado completamente. As tatuagens que desciam rabiscando todo o braço dele, Tori já nem ligava mais, não só porque estava seu retrato e seu nome ali, mas também porque era muito excitante e sexy.

Estava tudo tão perfeito assim...

Sem aulas, sem atividades, sem provas, sem Stacy, sem Allex, sem Sam...

Só eu, ele e mais duas semanas inteiras de férias...

Naturalmente os pais de Tori já sabiam sobre o namoro da filha, embora não soubessem quem era o genro. Imaginavam ser algum colega de escola, e de certa forma, estavam certos. Não foi só a aliança que entregou Tori, sua mãe sempre dizia que via um carro preto buscar e entregar a filha na porta de casa, mas com os vidros escuros, ela não podia ver o motorista e Zayn tinha o cuidado de não descer do carro.

Embora seus pais fossem muito flexíveis nesse assunto, ela achava e sabia que ainda não era o momento de assumir o namoro. Não sabia como seria a reação dos dois, ou melhor dos três. Além disso, para todos os efeitos, Zayn se chamava Loiz, pelo menos para seus pais, pois foi como ele mesmo se apresentou. Um dia ela explicaria tudo isso, por mais difícil que seria.

Tori mudou toda sua rotina desde a chegada de Zayn. Em geral, ela passava as férias curtindo com Cat ou viajando com a família. Até mesmo quando estava com Allex, deixava o namorado sozinho muitas vezes para sair com a melhor amiga, e pensando bem, isso poderia ter ajudado em seu rompimento, mas hoje nada disso mais importava, foi o melhor que poderia ter acontecido em sua vida.

Estranhamente, Cat não ligava mais para Tori cobrando a amiga da sua ausência. E ela ficou imaginando oque será que a amiga ruiva estaria fazendo, mas não tinha nada além de hipóteses ou especulações.

Viajando... Provavelmente...

O único que deu um sinal de vida durante as férias, foi seu amigo do segundo ano Loiz, o autêntico, verdadeiro. Havia quatro dias e ele ligou para ela dizendo que estava viajando com os pais e os irmãos para Nova Iorque, contando para a amiga como era lá.

Tori não conhecia Nova Iorque, somente por fotos, mas tinha vontade. Ainda havia tantos outros lugares que ela queria conhecer:

Londres...

Roma...

Brasil...

Turquia...

Egito...

Ao menos já havia conhecido Paris.

Os sonhos de Tori com seu amado Zayn, já era um hábito e algo totalmente natural. Todas as noites ela sonhava com ele, mas já não dava muita importância a esses sonhos, não era como antes. Agora ela tinha ele em sua realidade. Seus sonhos com ele, era como qualquer outro sonho.

O professor, mesmo durante as férias, cobrava muito a aluna sobre tudo. Os exercícios pendentes que ela ficou de fazer para o primeiro dia de aula após as férias, a matéria que ela prometeu que iria estudar para melhorar suas notas, a formatura, o baile, seu futuro...

O que fazia Tori pensar sem parar...

O que eu vou fazer quando acabar as aulas, quando eu me formar?

Uma coisa era fato. Ela queria ser uma artista. Cantora, de preferência, e desde sua surpreendente apresentação no festival de Paris, muitas portas se abriram para a garota.

Tori recebera muitos convites e ofertas tentadoras que prometiam deslanchar sua carreira, contudo, ela teria que abrir mão da Hollywood Arts,então ela adiou sua resposta final para estes convites.

Assim como Zayn previra, ela recebeu a mesma oferta que havia sido proposta para ele há muito tempo atrás, a de ficar e trabalhar com os produtores do maior evento musical de Paris e muitos outros países. Que assim como o casamento (ela devia estar maluca), não estava em seus planos para acontecer tão cedo.

Este era o sonho de qualquer outro aluno da Hollywood Arts, e até alguns meses atrás também era o dela, mas o seu namoro com Zayn mudou algumas coisas. Ela não iria abrir mão dele, seu amor era maior do que qualquer outro sonho, mas isto não iria impedir ela de viver sua vida, desde que fosse uma vida ao lado dele.

Seu namoro com Zayn não era uma coisa automática, não havia rotinas. O professor sempre surpreendia a garota de alguma forma, até mesmo para um parque de diversões eles foram durante as férias. Se divertiram na roda gigante, na montanha russa, até mesmo no "tromba-tromba"...

Constrangedor, só havia nois dois de mais velhos ali, no meio das criancinhas brincando naqueles carrinhos coloridos;

... e muitos outros brinquedos do parque. Tori sempre pensou que ir na caverna do amor com o namorado seria uma coisa melosa, mas não, foi uma das melhores escolhas que eles haviam feito. No Kamikaze, as gargalhadas de Zayn só eram abafadas pelos gritos de Tori. Ele não tinha vergonha e nem colocava limites para ver sua namorada alegre, feliz, sorrindo. Puxando ela pelo braço ele à levou até a cama elástica, a casa de bolinhas e ao escorregador gigante.

Zayn sempre inovava, era criativo romântico.

Você gostaria que seu namorado te levasse para comer um "dogão" na rua? Em um trailer de esquina?

Acredite, essa foi uma experiência única para Tori.

Era uma sexta feira, enfim o fim de semana. Tori e Zayn não tinham um programa marcado, só queriam ficar juntos. Por mais que desejassem que as férias durassem muito mais tempo, já não sabiam oque fazer com tanto tempo livre.

Talvez seria uma boa ficar em casa, conversando, dormir de conchinha... Mas como ela previa Zayn iria planejar algo de última hora e sem dar explicação, saiu com Tori pela noite fria.

- Não vamos de carro? - perguntou Tori quando eles passaram reto pela garagem e foram para a porta que dava acesso a rua.

- Hoje nós vamos passear aqui por perto! - respondeu ele animado, e os dois saíram de mãos dadas.

Os dois andaram umas três quadras (ou até mais, Tori se perdeu com a conversa), quando no final da rua, eles avistaram um pequeno trailer na calçada, espalhando uma fumaça branca junto à um maravilhoso aroma que Tori conhecia, mas já não sentia há meses.

- Esta com fome? - perguntou Zayn passando seu braço pelo ombro da namorada. No fundo Tori agradeceu, porque estava com um pouco de frio, e ele estava bem quente.

- Oque? - suspirou ela como se não tivesse entendido a pergunta.

- Você já comeu um dogão? - perguntou ele rindo.

- Mas é claro que já, todo mundo já comeu cachorro-quente! - respondeu ela.

- Mas este é especial... - retorquiu Zayn parando em sua frente - Esse não é um cachorro-quente comum! - disse ele segurando suas mãos.

Aquilo foi um alívio para ela. Já havia algum tempo que ela já não sentia as mãos de tão frias que estavam e agora, estavam sendo aquecidas pelas de Zayn.

- E oque esse dogão tem demais? - perguntou ela rindo.

- Pensa assim... - começou Zayn erguendo as mãos de Tori para beija-las, com seus lábios quentes (quase como se soubesse o quanto ela tremia por dentro) - Este pode ser o melhor cachorro-quente que existe no mundo... - ele deu uma pausa para ebcara-la nos olhos - Mas para saber, você precisa experimentar! - insistiu.

- Ok... - assentiu ela.

Zayn fez o pedido e os dois se sentaram na calçada, esperando enquanto conversavam. Passados alguns minutos, Zayn retirou sua jaqueta de couro e colocou-a sobre Tori, que já não conseguia mais conter seus dentes que se chocavam cada vez que tremia.

Dois minutos depois, os lanches ficaram prontos, Zayn pegou e eles ficaram por ali mesmo, sentados na calçada, na noite fria e vazia. Era impossível conter a risada quando Zayn se lambusava com mostarda ou quando Tori tentava morder o lanche e não conseguia (o pão era maior que sua boca), e os dois ficavam rindo à toa.

Foi como Zayn prometeu, o melhor Dogão de todos. Não pelo sabor, mas pela companhia um do outro. Tudo oque faziam juntos, era a melhor coisa do mundo.

Porque a felicidade está nas coisas simples... Basta ser com a pessoa certa!

Tori se sentia como uma ampulheta, e que cada grãozinho de areia era um dos seus milhares de momentos felizes que se perdia quando passava para o outro lado; Quando se lembrava que as férias estavam acabando, e que agora ela tinha menos que seis meses para se formar. Menos de cinco meses para fazer dezoito anos; e quando concluísse seus estudos, quê faria?

Por vezes, ela saía de sua realidade e embarcava no mundo dos sonhos mais uma vez. Imaginando como seria sua vida se aceitasse um daqueles convites que prometiam uma carreira invejada por muitos. Tori vivia recordando os dias em Paris. Os shows que presenciou no festival, e os que participou em cima do palco. E aquela era a certeza, a certeza de que era isso que ela queria para seu futuro. Só que daí, Zayn invadia seus pensamentos mais uma vez, e tudo ficava confuso. Se ela seguisse a carreira de cantora e ele de professor... como ficariam juntos?

Porque uma coisa era fato, Zayn ama a profissão tanto quanto Tori ama cantar. Então ela evitava tocar nesse assunto. Ele era tão compreensível com ela (principalmente em relação a recusa de seu pedido de casamento), então não havia a menor possibilidade dela pedir para que ele abrisse mão do que batalhou tanto para conseguir.

E então seus pensamentos voavam para longe mais uma vez. Agora ela imagina o momento em que se casaria com Zayn. Vestida de noiva, segurando um buquê de rosas vermelhas, os cabelos chocolates presos em um longo véu, trabalhado em um fino e delicado bordado. Andando com seu elegante salto alto Branco por um longo tapete vermelho, que ligava a noiva e o noivo. Zayn logo ali, a uns nove metros, parado, sorridente, ansioso, mas seguro.

Realizar este sonho parecia ser mais fácil que qualquer outro, mas ao mesmo tempo, parecia ser tão difícil... era absurdamente complicado!

Além do mais, outras milhares de preocupações pertubavam Tori.

~ Ela e Cat eram tão próximas, Tori considerava mais Cat como irmã, do que sua própria irmã Trina. Como ficaria essa relação depois da escola, depois do casamento? Elas ficariam tão distantes...

~ Como sua família iria reagir quando soubessem que ela está pra se casar com um professor mais velho?

~ Como ela iria explicar que Zayn não é Loiz?

~ E quando todos os outros alunos da escola descobrissem? Os comentários e piadas seriam gigantescos...

~ Tinha que se preparar para a formatura, ela ouvia as amigas comentando sobre isso desde o ano passado, antes mesmo de entrarem para o último ano, mas decidiu não se preocupar tão cedo e agora, elas estavam separadas por alguns meses....

~ E o Baile? Tori não sabe dançar valsa, e mesmo que soubesse, com quem iria? Não poderia chegar la de mãos dadas com Zayn...

~ Seu aniversário de dezoito anos vinha no mesmo embalo do baile e ela ainda não sabia oque fazer... não sabia a queria festa ou não, E sua mãe não parava de cobrar uma resposta para poder organizar tudo.

~ E para fechar o pacote com chave de Ouro, sua irmã Trina veio passar as férias em casa, e estava deixando Tori à beira da loucura.

Mais todas essas preocupações poderiam esperar mais um pouco, pois tudo oque Tori queria agora era cair na cama e dormir. Ela colocou o pijama, mandou uma mensagem de Boa noite para Zayn e ja ia colocando o aparelho na escrivaninha quando ele começou a vibrar com uma chamada repentina.

"Cat ♡ chamando..."

- Até que enfim... - suspirou Tori atendendo o celular.

- Tori... - chamou Cat do outro lado da linha.

- Oi Cat, você está bem? - perguntou Tori ansiosa.

- Sim e você?

- Estou bem! - respondeu ela se atirando na cama - Mas e ai... oque você tem feito?

- Acabei de chegar de viagem. Minha família foi conhecer o Japão... - explicou ela.

- E lá não tem sinal para ligar para a melhor amiga e avisar sobre as novidades? - disse Tori sarcástica.

- Meu celular quebrou, acabei de comprar outro! - defendeu-se Cat rindo.

- E como é lá? - perguntou Tori.

- Fala sério né, eu não entendia uma única palavra do que eles falavam... - riu-se Cat - O nosso guia que fazia tudo por nós!

- E não conheceu nem um japa bonitinho por lá? - perguntou Tori ainda rindo.

- O Zayn ainda não te contou? - exclamou Cat surpresa.

- Contou oque? - perguntou Tori sem entender.

- Eu estou namorando! - explicou ela.

Tori ficou de boca aberta e olhos arregalados. Como poderia ter acontecido tanta coisa em tão pouco tempo?

- Como assim? Que namorado? Quem é ele? Quando se conheceram? Onde? Como? - perguntou Tori num atropelo de palavras. Desesperada para entender toda a história. - E oque o meu namorado tem a ver com isso? - Tori deu prioridade a esta pergunta.

- Calma eu vou explicar... - exclamou Cat rindo. - Antes da viajem, o Zayn foi lá em casa... - dizia Cat.

- Oque? - exclamou Tori.

"Ele não me disse nada..." - pensou ela.

- Calma... - pediu Cat - Ele foi la levar o Liam! - explicou.

- Liam? - repetiu Tori. Cada vez mais confusa.

- É. Você lembra dele. Do festival em Paris, ele foi amigo de faculdade do Zayn! - continuou Cat.

- Ele está aqui na cidade? - perguntou Tori.

- Sim, ele se mudou durante as férias!

- E vocês estão namorando? - perguntou ela.

- Sim! - confirmou Cat.

- Pucha, amiga... Parabéns! - exclamou Tori agora mais calma.

- Obrigada! - disse Cat animada.

No fundo Tori continuava sem entender o porque de Zayn não ter falado nada para ela, e pensando nisso, até se esqueceu de que estava conversando com Cat depois de semanas e ficou muda por um instante.

- Você ainda está ai? - perguntou Cat.

- Ãn... ah estou, desculpa... pode falar. - gaguejou Tori.

- Vamos comigo amanhã na Hollywood QI? - convidou Cat.

- Fazer oque? - perguntou Tori surpresa.

- Vou me matricular nas aulas de matemática aplicada! - explicou ela.

- Desde quando você gosta de matemática? - estranhou Tori. As duas sempre foram péssimas em matemática, nas provas colavam da amiga Stacy.

- Desde que o novo professor chegou... - exclamou ela.

- Novo professor? - repetiu Tori.

- Sim. O Liam vai ser o novo professor fixo de matemática! - exclamou Cat Alegre.

- Eu não acredito... - suspirou Tori rindo.

- Pois é amiga... - riu ela - Mas e você, tem novidades? - perguntou Cat.

-Nada demais... - disse Tori - Só que eu fui pedida em casamento!

- Quê? - gritou Cat surpresa - Como assim me conta isso direito.

E assim Tori passou a noite inteira contando toda a história para Cat que fez a amiga repetir os detalhes várias vezes, principalmente a cena no lago. E agora contando tudo aquilo e refletindo um pouco (fora o sermão de Cat), Tori percebeu o quanto foi indelicada recusando o pedido de Zayn; mas ainda estava certa de sua escolha.

Quando enfim as duas pararam de conversar, antes que Tori desligasse seu celular, ela abriu uma mensagem que havia chegado a pouco mais de quarenta minutos...

"Am♡r: Princesa eu já vou dormir. Amanhã cedo tem reunião na Hollywood Arts... Boa noite!

Ps: pensa com carinho no meu pedido."

Era uma tortura pensar nisso. O fato deles já terem uma reunião marcada, significava que as aulas estavam cada vez mais próximas e isso era muito ruim. Ruim porque eles não teriam mais tanto tempo para ficar juntos. Ruim porque quanto mais rápido chegasse o fim das férias, mais rápido chegava a formatura e tudo acabaria.

Seria inconveniente e até cruel ligar para ele a esta hora, sabendo que ele já estava dormindo e teria que acordar cedo amanhã, má enquanto ela não tirasse essa dúvida da cabeça, ela é quem não conseguiria dormir. Tori respirou fundo, apanhou o celular e discou o número do namorado.

Foram apenas alguns segundos a mais em relação ao tempo que ele demorava para atender normalmente, mas naquele momento mais pareceu uma eternidade.

- Alô... - disse Zayn com a voz fraca de sono.

- Zayn, eu quero te perguntar uma coisa... - disse Tori sem rodeios.

- Pode falar! - exclamou com a voz confusa.

- Porque não me disse que a Cat e o Liam estão juntos? - perguntou ela ansiosa.

- Eu estava ocupado... - retorquiu ele calmo.

- Ocupado com oque? - insistiu ela incrédula.

- Tentando te convencer a aceitar meu pedido! - argumentou ele rindo.

- Eu estou falando sério... - disse ela segurando a risada.

- Eu só achei que ela é quem devia te contar isso... - começou Zayn.

- É só isso? - insistiu ela.

- Além do mais, quando estou com você eu só penso em nós! - explicou ele.

- Eu te amo tanto! - suspirou ela.

- Eu também! - exclamou ele.

E tudo oque Tori queria naquele momento era estar lá com ele, em seu apartamento, em seu quarto, em sua cama. Abraçados... de conchinha até pegarem no sono.

Aquele foi um dos melhores dias de sua vida. O piquenique, o parque, a conversa, as brincadeiras...

E pensando nisso ela adormeceu, tendo o seu sonho mais bonito e rotineiro, ela e Zayn.

Os dois andavam por uma estrada tortuosa em um bosque de árvores secas, e em toda sua volta, o chão estava forrado de folhas secas que haviam caido das árvores.

Bizarro, mas não tinha nada de filme de terror. Eles simplesmente andavam, de mãos dadas e olhando para o horizonte. O sol era uma linda aquarela, que Tori supoz estar nascendo. Os dois vestiam roupas brancas, Tori um vestido liso e rodado. Zayn um camisete e uma bermuda. Ambos descalços, sentindo a areia gélida e macia entre os dedos.

Zayn como sempre estava sorrindo. Segurando mão segurava a de Tori com força. A luz do sol refulgia em seus olhos e dava a estranha impressão de que suas peles fossem diamantes que cintilavam a luz, e o unico som que se ouvia, era o gargalhar das folhas ao vento.

Entre os galhos marrons e secos, algo se destacou de longe, chamando a atenção dos dois. Uma pequena e única flor rosa estava no alto da árvore, havia brotado de um dos galhos. Tori apontou para a flor, olhando dela para Zayn. Sentiu uma estranha felicidade que não soube explicar.

Ele soltou sua mão e se dirigiu a árvore. Tori olhou confusa, por um instante, pensou que ele subiria até o alto oara apanha-la para ela, mas não. Tudo oque Zayn fez, foi estender o braço direito com a mão aberta e então com um sopro do vento, a pequena flor se desvencilhou do galho e pousou com delicadeza na mão aberta de Zayn.

Tori levou as mãos a boca, surpresa com o que acabar de presenciar. Então Zayn voltou até ela e entregou a pequena flor em sua mão. Tori segurou-a com todo cuidado, como se fosse um cristal delicado, e de fato era. Assim que a flor tocou a palma de sua mão, ela se desmanchou. Todas suas pétalas caíram revelando uma brilhante aliança dourada onde deveria ser o seu miolo.

Zayn tornou a pegar a aliança e colocou-a no dedo anelar de Tori. Ela sentiu um fogo queimar seu peito, especificamente seu coração. Zayn sorria. Ele estendeu sua mão para ela e ela concedeu. Com um giro muito lento, quase como se tivessem dançando, ele virou Tori.

Ela quase não reconheceu o lugar. As árvores secas, agora tinham tantas flores Rosas, que quase não se podia mais ver seus galhos. As folhas secas no chão, haviam sido substituídas por um belo gramado verde. Zayn agarrou sua cintura e ficou abraçado com ela, enquanto Tori admirava a paisagem, então o celular tocou, chamando Tori de volta para sua realidade.

Ela abriu os olhos e tardou desesperada atrás do celular, em um gesto automático, seu sonho ainda estava fresco em sua mente.

- Alô... - disse ela sonolenta.

- Amiga eu estou te esperando... - exclamou Cat.

Tori olhou oara o relógio que marcava 9:16.

- Eu me atrasei um pouco, mas já estou indo! - disse ela desligando o celular.

Agora mais calma, ela notou algo diferente... estranho.

Seu peito queimava da mesma maneira que no sonho, como se ainda estivesse dormindo. Ela esfregou no local e a temperatura amenizou um pouco, tornou a pegar o celular e abriu a mensagem que segundo o aparelho, havia chegado as 7:54.

 "Am♡r: Indo para a reunião... na hora do almoço passo ai para te buscar, beijos. TE AMO!!!"



#Favoritem/Comentem/Add. à lista de leitura pra poder continuar.


Notas Finais


Não fiquem bravos (a) por favor kkk
Hoje em dia minha vida é muito corrida e sobra muito pouco tempo para escrever, mas não vou desistir...
Contudo nesta segunda parte, eu vou postar apenas 1 capítulo por semana (De preferência aos sábados à noite, mas pode acontecer de sair só no domingo), e peço a compreensão de todos e por favor NÃO PAREM DE LER!!!
Duas ou três vezes por semana, eu estarei postando uma "Espiadinha" de cada capítulo.

Então até o próximo, beijoooos 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...