História Apaixonada por dois irmãos vampiros?! - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Kagami Kyoko Tsurugi, Lila Rossi (Volpina), Luka Couffaine, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Nathalie Sancoeur, Nino, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Tags Amor, Mariblanc, Marichat, Vampiros
Visualizações 36
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Literatura Feminina, Luta, Magia, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei mais de 8 dias para postar o primeiro capítulo , porque o meu notebook estava no conserto para a troca de teclado, que ficou muito bom mesmo.
Muito obrigada pelos quase 15 favoritos,e comentários de apoio.
E tenham uma boa leitura.

Capítulo 2 - O vilarejo humilde.


Em um vilarejo humilde, na Inglaterra do século XVI ,o tempo na aldeia era de Inverno , onde tinha nevado muito na noite passada , as ruas estavam muito escorregadias , dificultando  a passagem das carruagens, que tinham tombado de lado, criando problemas para todos. 


 

Os moradores faziam o que podiam para ajudar os necessitados, levando comida, e curativos para os feridos dos acidentes, dentre eles , tinha Marinette , que enfaixava a cabeça de uma menina, que tinha quebrado um pouco a sua cabeça , ao cair do chão. 


 

(···)


 

_ Dói muito , Marinette. Sinto muita tontura.  E quero a minha mãe. - choramingou a menina. 



 

_ Ah, calma. A sua mãe já… -  diz Marinette pausando a sua fala ao ver a mãe da menina  correndo até o lugar das duas. 



 

_ Muito obrigado por cuidar da minha filha . Passei um bom tempo, procurando um hospital , aqui por perto. E como está a minha filha? -  perguntou ansiosa ao se agachar na frente das duas. 



 

_  Acho melhor que leve a sua filha ao hospital. Ela está muito mal mesmo. Com muita tontura. Quanto mais cedo levar a sua filha ao hospital , melhor.  - diz Marinette ao entregar a menina a mãe. 


 

_  Mãe, mãe, mãe… - chamou a menina ao esticar os seus bracinhos para abraçar . 



 

_  Obrigado por tudo, Marinette. Vou indo. -  diz a mulher com a criança nos braços e saindo correndo. 



 

( ····)


 

Marinette viu a mãe correndo com a filha nos braços, escutando o choro incontrolável da menina, seguindo pela floresta gelada , onde o hospital ficava , apressando- se para salvar a vida da filha. 


 

E a mestiça teve a sua atenção chamada por um outro morador  , que a fez virar para ver a chegada do homem conhecido. 


 

( ···)



 

_ Que bom, tudo foi resolvido. Bem, precisamos de sua ajuda com mais pessoas.  A nevasca de ontem foi muito pesada, nunca tanta neve na minha vida inteira.Os meus filhos queriam brincar na neve… - começou a falar sobre a família dele e perdendo em pensamentos. 


 

__ Tudo bem, aceito o seu pedido. Onde estão? - disse Marinette antes que o homem mude de idéia. 


 

_ Perto da floresta gelada . E não entre nela. Tenha cuidado. -  recomendou o homem que voltou ao normal. 


 

_  Ah, para mim, parece tudo bem.  - disse Marinette olhando para a direção da floresta gelada. 


 

_ Parece tudo bem, Marinette. Porém, engana- se . -  disse o senhor perto do ouvido da mestiça. 


 

_  Como assim ? -  perguntou Marinette voltando a olhar para o homem conhecido com rapidez. 



 

_  São histórias do nosso vilarejo humilde, Marinette. Sei que a sua família se mudou para cá, nem faz muito tempo. Se quiser, posso contar uma. -  cochichou o homem no pé do ouvido da mestiça. 



 

_  Para mim, são apenas lendas. E agora, tenho que ir ajudar os demais. Agradeço a sua compreensão comigo. Porém, não tenho tempo para conversar com ninguém. -  disse Marinette ao recusar o homem conhecido , começando a se afastar gradativamente . 


 

_  Tudo bem . Até logo. - disse o homem ao ver a mestiça caminhando pelo vilarejo até a floresta gelada. 


 

(···)



 

 Marinette nunca acreditou em lendas, mesmo aquelas , que os seus pais contavam para ela e os irmãos Plagg e Tikki , nas noites frias, perto da lareira.. 


 

Esforçando- se para se manter quente, sentido o vento gélido no seu rosto, caminhando por uma estrada , deixando as suas pegadas na neve, concertada em sua missão . 


 

No meio do caminho, algo chamou a atenção da mestiça, era um senhor com um rapaz , que o ajudava. 


 

Então, Marinette decidiu mudar o seu rumo, disposta a auxiliar os dois viajantes,que pareciam perdidos. 


 

( ···)


 

_ Bom dia, senhores.  Precisam de ajuda?!  - disse Marinette ao chegar perto bastante dos visitantes do vilarejo.

 

 

_ Sim, eu e o meu mestre aqui, estamos realmente muito perdidos . E que chegamos faz um bom tempo na nossa viagem. E até agora, ninguém nos ajudou. Pelo menos, até agora. - respondeu o mais jovem ao lado esquerdo do senhor chinês.

 

 

Bem, se precisarem de qualquer coisa, podem pedir para mim. Sou moradora aqui, nem faz muito tempo . Porém, conheço bem o mapa daqui. O memorizei , quando fui pela primeira vez na biblioteca . E então, do que estão precisando ? - disse Marinette humilde .

 

 

_ Que moça mais boazinha. Bem, estamos tentando encontrar uma estalagem, ou um hotel, para passamos algum tempo aqui. Enquanto, o Wyazz encontra uma casa para moramos aqui. Achei a vila encantadora, mesmo debaixo deste gelo. - disse o senhor admirado com a gentileza demostrada pela mestiça.

 

 

_ Ah, sim. Tem a estalagem da senhora Garcia. Geralmente, ela recebe muitos visitantes cansados , em qualquer estação do ano. Ela nunca negou abrigo para os necessitados. E cobra um preço justo pela moradia temporária . Uma vez , trabalhei lá . E posso dizer, que o serviço é muito bom mesmo. - respondeu a mestiça ao apontar a direção.

 

 

_ Ah, por que não está mais trabalhando na estalagem, senhorita... - disse o senhor com pena da moça.

 

 

_ Marinette Dupain Cheng, senhor . É que a minha mãe ficou muito doente mesmo. E pedi demissão por conta da doença da minha mãe. Tive que ir ajudar o meu pai na padaria . - respondeu Marinette ao abaixar o braço.

 

 

Que pena, a sua mãe já melhorou ? - perguntou o senhor solidário com a jovem.

 

 

_ Sim, isso faz um bom tempo. Aconteceu nos primeiros meses , que viemos morar aqui. - respondeu a mestiça com um sorriso simples aos dois.

 

 

No mesmo , está trabalhando em algo fixo ? - perguntou Wyazz ao olhar para a jovem.

 

 

 

_ Por enquanto não, a vida aqui no vilarejo está muito devagar. Os comércios nem estão abrindo mais , devido a forte nevasca , que caiu a noite toda de ontem , até hoje. Hoje, estou ajudando as pessoas, que se acidentaram nas carruagens, porque a estrada está muito escorregadia , devido ao fino gelo.- explicou Marinette.

 

 

_ Vimos tudo de perto. Os cocheiros deveriam ter mais cuidado.- disse o senhor em solaridade


 


 

_ Sim, concordo plenamente. E quem é o senhor ? - perguntou a mestiça ao analisar o senhor.


 


 

Ah, perdoe-me pelos meus maus modos. Ando me esquecendo de algumas coisas, com o passar do tempo, por sorte , tenho o meu amigo Wyazz, que me ajuda muito mesmo. Até mesmo, ele encontra os meus óculos , quando os perco de vista. E o meu nome é Mestre Fu. - respondeu o senhor ao rir de leve.


 

_ É um prazer, bem, a estalagem da senhora Garcia, fica depois do hospital. Não muito longe dali. Agora,vou indo até a padaria, tenho que ajudar os meus pais com as vendas de hoje . Até logo. - disse Marinette ao sair rapidamente de perto dos dois conhecidos.


 


 

_ Ela vai ser perfeita , Wyazz. Sinto que ela é diferente das princesas vampiras . - disse Fu no ouvido de Wyazz ao seu lado.


 

Não sei não, mestre. O Hawmoth somente aceita vampiras da alta linhagem na família dele. Mesmo que se casou com a Le Paon , que antes foi como ela , no passado. Vai ser complicado para a Marinette . Ela vai ter uma concorrência muito pesada contra as escolhidas. Ouvi dizer que os Rossi não são muito amigos de todos , que os conhecem - disse o Wyazz no pé do ouvido do mestre.


 


 

Bobagem , Wyazz. Sei que a Marinette é perfeita. Somente, ela vai descobrir o segredo dos irmãos vampiros . - disse Fu calmamente para o Wyazz.


 


 

_ Espero que o senhor tenha razão, como sempre. - disse Wyazz com um pouco de fé na palavra do mestre.


 


 

Agora, vamos a estalagem da senhora Garcia. Estou muito frio aqui, mesmo sendo quem sou.- disse o mestre Fu mirando para a estrada do vilarejo.


 

_ Sim, pelo o que me recordo das instruções de Marinette . A estalagem fica perto do hospital. Vamos indo, senhor. - disse Wyazz começando a trilhar o caminho na direção da estrada.


 


 

_ Vai com calma, Wyazz. Lembre- se , estou muito velho. Preciso de ajuda para me locomover.- pediu o senhor chinês ao amigo.


 


 

_ Sim, sim, mestre. Por favor, me perdoe. - disse o Wyazz percebendo o seu erro.


 


 

- Tudo bem, acontece- disse Fu com simplicidade.


Notas Finais


me desculpe por algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...