História Apaixonada por um assassino - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 0
Palavras 858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Can I get to know you?


Fanfic / Fanfiction Apaixonada por um assassino - Capítulo 2 - Can I get to know you?

Ruddy

Já havia se passado uma semana desde que saí com a Jéssica, ela não veio me ver no outro dia de visita, confesso que fiquei desanimado. Esperava notícias sobre ela, e principalmente sobre o meu caso. Não é tão ruim ficar na cadeia, bem, não a cadeia cadeia, e sim uma cela provisória, enquanto o caso não for resolvido ficarei aqui.

****

Era uma segunda feira de sol, estava tentando ouvir as conversas dos policias que citavam uma bela dama, de cabelos longos e ondulados, logo imaginei que era Jéssica, ela era a única mulher que eu conhecia com aquela descrição. Não havia outra, sai dos meus pensamentos quando vi que alguém aparecia na morta, a mulher que antes era citada, foi revelada na grande porta cinza. A mulher segurava uma bolsa branca, se sentou e deixou o objeto na mesa, conversou com os guardas, e imagino que pediu a minha liberação já que minutos depois o guarda apelidado por Jeff pela advogada, veio em direção a cela e a abriu, ofereceu um sorriso irônico, disse:

-Está liberto.

Sai um pouco apressado, como estava sem algemas fui ao encontro de Jéssica, ela segurava uma folha com algumas anotações, estendi a mão, e com o melhor sorriso que tinha a cumprimentei:

-Olá Jéssica! Pensei que não viria mais.

A dona do cabelo ondulado nem apertou minha mão e muito menos me cumprimentou, deixando todas as etiquetas de lado, ela apenas se levantou e disse:

-Já lhe disse que não abandono meus casos facilmente. Agora vamos, temos muitas coisas pra fazer.

Segui a morena até seu carro, tentei fazer uma brincadeira com ela, mas a mesma não interagiu, parecia irritada ou até mesmo concentrada em algo, ela nos levou até uma casa, que eu sugeri que era a dela. A casa era amarela, um amarelo bem vivo com alguns traços brancos nas janelas, o que dava mais destaque a casa. Ao estacionar o carro, nós descemos e fomos até a entrada, ela sugeriu que eu entrasse primeiro e que me sentasse no sofá enquanto ela pegava algo.

Acredito que se passaram um cinco minutos desde que fiquei sentado, quando a morena apareceu fiquei de pé quase que instantaneamente, ela se sentou na minha frente e com uma papelada nas mãos começou a dizer:

-Acredito em você. -pela primeira no dia ela me encarou, me perdi um pouco nos belos olhos castanhos que me encaravam, ela abaixou a cabeça e pegou um papel na mão, me encarou novamente e voltou a dizer- Falei com um dos supostos apostadores que você comentou na semana passada. Ele não confirmou que apostou com você.

A encarei sem entender nada.

-Mas se ele não confirmou, como pode acreditar em mim?

O papel que estava em sua mão, foi então revelado, era uma lista de pessoas que estavam devendo, no começo não entendi nada, mas logo depois percebi que era a prova que eu tanto queria.

-Achei isso na mesa dele, tendo isso em mãos, consigo liberar você por mais tempo. Vai poder me ajudar a encontrar outras provas, assim não deixarei você entrar na cadeia. Bem, não por tanto tempo, já que você de fato matou um homem.

-Em legítima defesa Jess, em legítima defesa.

A advogada um pouco assustada pelo apelido que acabou de receber, abaixa a cabeça por alguns segundos e logo depois está de pé com um telefone na mão.

-O que está fazendo? -perguntei assustado-

-Precisamos marcar um encontro com o cara das apostas. Vou marcar pra daqui 3 horas, ou melhor, você vai marcar. -ela me entrega o telefone-

-Não posso, esses encontros com marginais, duram cerca de 6 horas, principalmente com um devedor. Não temos tempo pra isso, tenho que voltar para minha cela.

-Não se preocupe Ruddy, já havia pensado nisso. Uma amiga minha está cuidando para que você possa ficar 3 dias fora da cela. Três dias para juntarmos provas, planejar ataques no tribunal…. Enfim, dias cansativos.

-Você é mais esperta do que pensei. E mais bonita também. -ela tenta protestar algo, mas em vão , já estou discando o número do senhor das apostas e marcando o encontro. Ele preferiu em um lugar escondido, típico de quem estava afim de se esconder. Pediu para que ninguém fosse, mas tive que quase obriga-lo a deixar Jess ir. Ele disse que a receberia se fosse minha namorada ou irmã, menos que isso a morena não iria. Mesmo não querendo, me tira eu queria sim, colocar a Jess como minha namorada, aceitei o acordo.

-Pronto. Encontro marcado.

-Ótimo, já preparei nosso almoço, só precisamos esperar a hora chegar. -entreguei seu celular, e a segui até a cozinha de sua casa-

-Sabe Jess, sua casa é bem colorida.

-Sim, acho que deixam o imóvel mais bonito, alegre.

-De fato, nós temos aproximadamente 3 horas e alguns minutos até o encontro -ela acena positivamente enquanto coloca um prato com macarrão na minha frente, esperando que eu o pegue- será que pode responder minhas perguntas nesse tempo?

-Sim, desde que não sejam perguntas íntimas.

-Onde vou ficar durante esses três dias?

-Minha casa, no quarto de hóspedes.

-Vou poder sair sem você do lado?

-Não, vamos dizer que você tem uma coleira agora. -ela sorri dá própria piada e se senta na mesa.-

-E vou poder lhe conhecer melhor?

….



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...