História Apaixonada por uma (quase) homicida -Dahmo - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Tags Dahmo
Visualizações 191
Palavras 1.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - Sixteen


   Descendo rapidamente do carro Momo e Mina andaram apressadamente até a entrada principal, perceberam logo de cara alguns policiais já a espera de ambas fazendo a mais velha pensar em uma distribuição 

-Vocês investigam a parte do colégio, salas, biblioteca e afins -Apontou para um grupo de policiais que assentiram ao comando -Vocês dois vão para o dormitório masculino, Mina e eu vamos verificar o feminino e você fique aqui de guarda da entrada -Deu as seguintes ordens e logo em seguida bateu palmas como se quisesse que andassem logo

-E se resistir? Temos permissão para atirar? -Um dos homens perguntou olhando em direção a morena que se sentiu incerta

-Não, há grandes chances de se tratar de um adolescente. Não vamos nos reduzir a isso, apenas o peguem

-Certo

-Agora vamos -Acenou com a cabeça chamando por Mina que começou a acompanha-la

Enquanto corriam até o local parou para pensar em suas atitudes, fora idiota de ter acatado a ideia de Dahyun e ir em seu aniversário. Sua missão se resume em descobrir o autor dos homicídios e se envolver com uma aluna qualquer não se encaixava e nem combinava com seu trabalho. Pensou em toda sua incompetência e imaginou diversas maneiras que a deixariam se sentir impotente, e uma delas e a principal seria se a estudante; Kang Seulgi estivesse morta

-Você tem um plano?

-Não pensei em nada

-Como assim? Fez toda aquela distribuição de tarefas sem nada em mente -Mina falhou

-Me desculpe se eu fui a ultima a saber de suas reais intenções sobre esta ida até a festa

-Okay, não vamos brigar agora. Vamos apenas... -Sua fala foi interrompida, ao longe pode se escutar um grito que fez com que rapidamente Momo disparasse em direção aos corredores, controlando sua respiração e passando a dar leves passos Hirai não demorou em levar uma de suas mãos a cintura, tirando dali a arma que portava. Acenou com a cabeça para dentro de um dos quartos para Mina que assentiu de imediato

Uma contagem silenciosa foi feita e assim que terminada Momo jogou sua perna contra a madeira a quebrando no mesmo momento. Seus olhos foram de encontro a janela agora toda estraçalhada e tratou de bater seu punho contra a parede

-Chegamos tarde -Mina disse

-Não, não chegamos -Momo respirou fundo antes de caminhar rapidamente e enfurecidamente até a janela quebrada. Poderia ter sido coisa do ódio ou o simples fato de Momo se sentir culpada mas a mesma pode jurar naquele momento ter visto uma presença correr para o portão de entrada. Uniu de toda sua sanidade e sem pensar duas vezes pulou. A queda não havia sido longa e muito menos dolorosa, afinal os arbustos presentes aliviaram toda a dor que aquele pulo poderia ter causado. Se reerguendo rapidamente Hirai tratou de correr atrás da sombra escutando os gritos de Mina atrás de si, cortou pelo caminho mais rápido e chegou ao portão principal, encarou o corpo do policial ao chão e suspirou se aproximando, ele ainda estava vivo

-Por que você... Wow ele está bem?

-Vai ficar, ligue para a emergência. Ele ainda tem pulso -Falou e suspendeu seu corpo ao notar que Mina passaria a avalia-lo. Olhou os arredores e trincou o maxilar, estava irritada consigo mesma e como havia sido irresponsável

-Senhorita Hirai, preciso conversar com você -Escutou a voz de um dos guardas e se aproximou

-Diga

-Não achamos nenhum sinal de Kang Seulgi ou qualquer pessoa suspeita -A morena revirou os olhos, isso já não era nenhuma novidade -Entretanto, encontramos isto no corredor

-O que é? -Perguntou e antes que pudesse puxar o plástico das mãos do homem Mina a interrompeu fazendo tal ato ocasionando baixos xingamentos por parte da mais velha

-Uma mecha de fios negros junto a um de meus pontos -Recitou baixinho -Obrigada, será definitivamente de grande ajuda -Subiu seu olhar para o homem que se curvou se distanciando

-O que descobriu? -Momo perguntou acompanhando a garota que andava decidida até a entrada do colégio

-Esta vendo isso? É uma de minhas escutas que eu havia grudado em Tzuyu e  em você -Falou fazendo a morena assentir -Antes de sairmos consegui prega-la em nossos dois suspeitos; Kim Dahyun e Mark Tuan

-Isso não é lá muito coerente. Mark possui fios tingidos de um tom acinzentado já Dahyun possui seu tom ruivo

-Eu sei, por isso me leva a acreditar que foi alguém que ambos se comunicaram e  que sabiam disto -Momo revirou os olhos

-Mina, essa bebida fez mal a você? Dahyun era a aniversariante, obviamente o número de pessoas que ela teve contado foi enorme

-Também sei disto, por isso suspeito de uma pessoa que não esteve ou sequer apareceu diante de meus olhos. Kim Taeyeon

-A irmã mais velha?

-Sim

-Com que motivos a acusa? Ela me parece uma pessoa de bem

-Momo, francamente. Depois de tudo que já passamos e vivemos ainda acredita nisto? Eu consegui algo depois de uma noite em claro -A chamou com o dedo entrando no escritório que fora oferecido pelo colégio a elas -Tentei achar uma das peças que formam o quebra cabeça, admito que não foi nenhum pouco fácil mas eu consegui uma ligação de todos os que foram mortos -Falou fazendo a morena a fitar com surpresa

-Sério?

-Sim -Tirou de dentro de sua gaveta alguns papéis e os espalhou sobre a mesa, passou uma mecha que insistia em cair em seu rosto para trás da orelha e suspirou sorrindo -Aqui está. Todos estes alunos são de classe alta e incrivelmente seus pais tinham fortes ligações com a empresa dos Kim's, exatamente 8 dias após a mesma cortar qualquer tipo de afiliação ou parceria

-Por isso dúvida de Kim Taeyeon -Momo concluiu

-A senhora Kim é a presidenta da empresa, então obviamente tem alguma relação com tudo isso. Mas chegar a esta conclusão não significa que descartaremos Kim Dahyun

-E por que?

-Dahyun é irmã de Taeyeon. E possivelmente cúmplice -Momo fez careta, não gostava da ideia que que a ruiva fosse culpada mesmo que indiretamente -Alguém esta passando as informações dos alunos não é mesmo?

-Isso pode explicar o caso do broche que achamos -Mina assentiu -Estou com uma dúvida

-O que é?

-Kang Seulgi. Ela não faz parte desta classe social, pelo que os registros dizem ela é bolsista

-Isso é verdade, mas sabemos que ela se estranhou com Dahyun a alguns dias

-Acha que isso foi...

-Uma forma de proteção. Taeyeon me parece uma garota de objetivos, e todo esse cuidado com a irmã não é apenas amor de sangue -Mina negou enquanto se jogava na cadeira -Com certeza não é, claro que em porcentagem se trata disso mas a maioria... Eu não sei, remorso? Culpa?

-Culpa de que?

-Isso ainda temos que descobrir. Não diremos nada ainda, preciso descobrir se minha teoria está certa

-E como fará isso?

-Quero entender até onde ela iria para proteger a irmã. Armarei algo, te direi logo que estudar mais os casos

-Certo. E quanto a Seulgi? Se algo a acontecer eu...

-Não se culpe Momo, faremos o que for necessário para protege-la mas agora iremos priorizar as teorias

-Mas...

-Por que não vai dormir? Mande os policiais ficarem de guarda do colégio

-E você?

-Eu irei ficar mais um pouco, vou assim que puder -Hirai assentiu

-Quero te dizer uma coisa que está me intrigando. Outros estudantes foram mortos no mesmo instante, a pericia dos corpos todos verificados relataram que a morte veio rápida. Mas Seulgi foi levada, se trata de um sequestro. Os padrões de morte foram quebrados -Falou deixando uma Mina confusa -Adicione isso em suas pesquisas

-Obrigada por avisar. Isso me fará ter mais trabalho mas creio que estamos mais perto do que pensamos

-Eu espero -Sorriu a mais velha e se virou em direção a porta, no mesmo instante a memória de seu beijo com Dahyun veio a tona, estacou-se e suspirou -Mina

-Fale Momo -A mais nova suspirou

-Eu preciso te contar uma coisa

-Diga -Mesmo com Hirai de costas para si, Mina ergueu seu olhar para a morena

-Dahyun e eu, nós...

-Eu sei -Disse, havia entendido exatamente o que ela queria dizer

-Você não vai...

-Não vou contar a ninguém se é isso que lhe preocupa -Voltou a sua leitura pelo papéis -Mas não preciso dizer o que acho disso não é? -Olhou de relance para a mais velha percebendo o olhar fixo em si

-Sei. Não irá se repetir, eu prometo

-Não prometa coisas que você talvez não possa cumprir Hirai. Não há problemas em amar, mas quando isso inclui ferir o próximo...

-Entendi. Bom nos vemos amanha, boa noite

-Boa noite Hirai, tenha bom sonhos -Hirai sentiu a ironia no tom de voz da amiga mas tratou de ignorar se despedindo


Notas Finais


Hey Hey Hey

Eu disse que sairia esta semana e não menti, certeza que seu tivesse falado que sairia hoje provável que este capitulo não estivesse aqui kkkkkkkk mas enfim, não tenho muito o que dizer já que expliquei minha demora na minha fic de Satzu, que se caso você ainda não leu... O que está esperando?

Bom eu espero que tenham gostado do capitulo de hoje, finalmente temos pistas mais concretas do que esta por vir. E Kim Taeyeon mais conhecida como a mais suspeita entre vocês faz parte delas, bom veremos o que acontecerá... É isso meus amores, até o próximo capítulo

Beijinhos e amo vocês ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...