1. Spirit Fanfics >
  2. Apaixonado pelo Isolado! >
  3. Desentendimentos

História Apaixonado pelo Isolado! - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus queridos leitores!
Como vocês estão?
Espero que estejam todos bem!

Voltei com mais um capítulo fresquinho para vocês! Acho que esse vai abalar bastante vocês, aliás
ʕ º ᴥ ºʔ

Dessa vez eu demorei mais para postar, mas eu já havia avisado que eu provavelmente vou demorar para postar atualizações e peço que entendam o meu lado.

Eu sou uma estudante e ainda tenho uma vida para viver, além de ter outros hobbies que eu me dedico tanto quanto a escrita!

Mas, enfim,
Boa leitura!

Capítulo 3 - Desentendimentos


Denki acordou de manhã com seu estômago implorando por comida. Sua fome era tanta que ele sentia sua barriga doer, assim como sua cabeça que também estava doendo. Ele estava péssimo.

Não demorou muito para o garoto levantar por causa disso, logo entendendo, graças as roupas que ele estava, que ele havia caído no sono no dia anterior e que já era domingo de manhã. Na verdade, eram cinco e trinta e sete da manhã, então talvez ele até pudesse considerar que ainda estava de madrugada.

De qualquer forma, após pensar sobre isso e chegar a conclusão de que ele precisava ir comer algo, ele procurou por Shinsou no quarto, pensando que talvez o outro estivesse acordado já que ele nem deveria dormir muito — Denki ainda não havia conseguido sanar essa dúvida. Mas logo o loiro notou que ele estava sozinho no quarto.

Ele começou então a procurar qualquer coisa que o dissesse onde seu colega de quarto estaria, encontrando rapidamente um post-it amarelo colado na mesa da sua escrivaninha:


Eu voltei para casa agora a tarde e devo voltar só amanhã a noite. Fique a vontade mas não esqueça do nosso trato :P

- Shinsou


Denki soltou uma risada ao ver o desenho de um rostinho no papel, pensando que talvez aquela fosse a forma de Shinsou de tentar não parecer tão grosso o lembrando das regras. Ele havia até torcido a letra "P" para parecer um sorriso.

Shinsou era muito fofo.


—•⎙•—


Sem Shinsou para passar o tempo com ele e sem o Bakusquad o chamando para qualquer evento social, Denki não teve muito mais o que fazer do que passar o seu domingo mexendo no seu celular, comendo e jogando.

Isso fez com que a noite chegasse rapidamente, trazendo com ela a pessoa por quem Denki de certa forma passou o dia esperando pela chegada: o seu querido colega de quarto.

— Oi Kaminari — Parecendo um pouco cansado, Shinsou cumprimentou assim que entrou no quarto.

— Eae cara, tudo bem? — O loiro perguntou meio assustado. Shinsou estava um caco, parecia que ia desmaiar a qualquer momento sem aviso prévio. — Você parece meio morto.

— É o que não conseguir dormir pode causar — O arroxeado respondeu, sanando sem saber uma dúvida que atormentava o loiro. — Mas minha irmã mais nova merece parte do crédito — O outro brincou, fazendo Denki gargalhar.

— Vai fazer o que agora? — Denki quis saber, olhando o relógio. Se Shinsou não tivesse planos talvez eles pudessem jantar juntos.

— Estava pensando em pedir algo para jantar — Shinsou comentou, levantando os braços e se alongando, causando um barulho de algo estalando. — Ai minhas costas.

— Você parece um velho falando assim — O mais baixo brincou, se sentando em sua cama. Estava hesitante sobre sua ideia. — O que acha de dividirmos uma pizza? Se você quiser, claro.

— Parece uma boa ideia — O arroxeado concordou, sentado na cadeira da sua escrivaninha. — Eu não estava afim de ir para o refeitório mesmo.

Depois disso a conversa se desenrolou normalmente, com os dois concordando rapidamente em pedir um refrigerante e que metade dois queijos e metade portuguesa era a melhor opção mas, novamente, discutindo sobre quem iria pagar. Como antes, a briga entre eles foi  totalmente desnecessária já que eles resolveram dividir o valor entre eles, como seres humanos decentes.

— A gente precisa parar com isso — Shinsou comentou, franzindo a testa.

— Com certeza — Denki não pode deixar de dar razão ao que o outro havia dito.

Denki tomou a iniciativa de ligar para a pizzaria, pedindo o que eles combinaram e logo encerrando a ligação. O pedido deveria chegar depois de meia hora, o loiro compartilhou com o colega, que murmurou em concordância enquanto abria seu computador novamente.

Como Denki achava que era melhor deixar Shinsou ter seu próprio espaço, já que ele parecia morto de cansaço, o loiro decidiu voltar a mexer no celular. Logo que pegou o aparelho, que vibrava sem parar, ele notou que os amigos dele do Bakusquad estavam conversando no grupo, chamando por ele.


[Biribinha]

PIKACHU!!!! Nos responda agora!!


[Kiripima]

Calma Bakubro, logo ele responde


[Pinky]

Se ele não responder logo eu vou comer tudo sozinha 🍕🍟🍔


Gente??? O que foi? O que eu perdi?


[Biribinha]

Mas tinha que ser lesado mesmo


[Fita crepe]

Nós vamos jantar fora cara, você vem?


Denki olhou para o lado, vendo Shinsou bocejar enquanto usava sua mão de apoio para a cabeça. O loiro sorriu.


Foi mal galera

Talvez numa próxima ves

Vez*


[Pinky]

FOMOS TROCADOS POR UM ZUMBI 😭😭😭


[Kiripima]

DEPOIS NÃO VENHA RECLAMAR QUANDO ELE COMER SEU CÉREBRO!!!

😭😭😭😢😢😢


Eu bem que queria que ele me comesse né

Mas essa noite a gente só vai comer pizza mesmo 🍕


[Fita crepe]

Que delícia

Digo

Credo**


[Biribinha]

Os pais dele ensinaram ele a não pôr lixo na boca, pelo visto


[Kiripima]

BAKUBRO

KKKKKKK

Foi mal Denki, mas essa foi boa


O loiro deixou seu celular de lado, se levantando e indo em direção ao banheiro. Ele entrou no cômodo e deixou a porta aberta mesmo, já que só havia ido ali lavar o rosto e se acalmar um pouco.

Às vezes, sem querer, os amigos tiravam a paz de Denki.

Não era como se ele não entendesse que se ele não falasse nada, nada iria mudar. Mas, o que dizer? O que você fala para os seus amigos quando você se sente mal com as brincadeiras que eles fazem com você? Depois de tanto tempo sem falar nada? Com certeza ficaria um clima ruim entre eles, e Denki não sabia lidar com esse tipo de acontecimento.

— Ei... — A voz de Shinsou fez Denki dar um pulo pelo susto. O loiro rapidamente se virou para o outro, que estava se apoiando no batente da porta com o ombro. — Está tudo bem? Você está bem?

— Claro! — Soando desesperado, era assim que Denki pareceu. Logo o garoto tentou se retratar, sorrindo com mais calma. — Estou ótimo.

— Você... — Shinsou se interrompeu, parecendo meio hesitante. Também parecia bastante tenso. — Você está bem mesmo...? — Perguntou novamente, olhando o mais baixo nos olhos.

— Tenho certeza — Denki confirmou, sendo salvo dos questionamentos com o telefone do quarto tocando. — Eu vou buscar!

Denki atendeu o telefone já que, como o previsto, o porteiro estava avisando que sua comida havia chegado. O loiro agradeceu e se despediu do homem, acenando para Shinsou antes de sair fingindo animação. Denki não queria ser jogado contra a parede, muito menos ser obrigado a falar sobre como ele se sentia em relação aos amigos.

Ou em relação a ele mesmo.


—•⎙•—


Depois de pegar a entrega e pagar o dinheiro contado para o motoboy — que por um verdadeiro milagre Denki havia lembrado de pegar — o loiro voltou ao quarto a passos lentos. Estava pensando em como seria quando ele chegasse ao quarto.

Shinsou obviamente era muito observador e havia definitivamente notado que tinha algo errado. Mas será que ele iria voltar a questionar Denki sobre? Isso estava martelando na cabeça do loiro com força, fazendo ele se sentir perdido.

Talvez a melhor opção seja fingir normalidade. O garoto pensou, parado em frente a porta do quarto. Ele entrou, tentando conter seu coração acelerado.

— Voltei! — O mais velho anunciou, sem se demorar a atravessar o mini corredor para ir ao quarto. — Está com um cheiro bom.

— Está mesmo — Felizmente, o arroxeado não fez nenhum comentário estranho. Ele parecia até ter esquecido daquilo. — Vamos comer em cima da minha cama.

— Nós não temos copos, não é? Nem guardanapos... — Decepcionado pela lerdeza deles, Denki reparou, suspirando. — Espera aí, eu já volto.

— Não precisa!? — Agarrando rapidamente o pulso de Denki, Shinsou exclamou, logo soltando o pulso do loiro. — Foi mal, mas acho que pode ter um jeito melhor para isso.

— Tipo o que? — Denki questionou, ficando vermelho ao imaginar Shinsou sugerindo que eles bebessem no bico mesmo.

Ele não conseguia não pensar que seria um beijo indireto.

— Você não tem uma garrafinha? Podemos usar elas — Shinsou pegou a sua própria em cima da sua escrivaninha, mostrando ao loiro.

— E sobre os guardanapos? — O mais velho perguntou enquanto ia buscar sua própria garrafinha em sua mochila.

— Acho que eu tenho uns guardanapos na minha mochila — O mais novo argumentou, indo em direção ao objeto citado e tirando de lá alguns guardanapos com um sorriso orgulhoso.

Denki não pode deixar de achar uma graça a reação dele. Os olhos de Shinsou se apertavam quando ele sorria mostrando os dentes e isso deixava Denki bem boiolinha pelo outro.

— Então vamos comer! — Denki sentenciou, sentando-se na cama e Shinsou fingindo que não se importava que aquela era a cama de Shinsou.

Eles se serviram de refrigerante e fizeram um brinde silencioso, cada um pegando um pedaço de pizza. Shinsou começou com uma de portuguesa enquanto Denki optou pela de queijo, que estava o tentando fazia tempo.

— Mas... — Enquanto comiam, Shinsou começou, murmurando. — O que rolou? — Perguntou por fim, parecendo tentar trazer o assunto de forma leve. Denki sabia que ele estava trazendo à tona o assunto de mais cedo.

— O que? Eu estou bem cara! — O loiro soltou uma risada tensa, tentando fingir que não havia sido nada.

— Não parecia — Eu sei, mas você não precisa saber sobre isso. Denki pensou, em pânico. Shinsou continuava comendo com calma, mas parecia insistente sobre. — Você pode me contar as coisas Kaminari. Eu não estou aqui para julgar você.

— Eu sei! Mas não tenho o que dizer — O mais velho mentiu, terminando de devorar seu segundo pedaço de pizza. Ele gostava de ouvir aquilo, mas achava besteira preocupar o outro com aquilo. — Você não precisa se preocupar tanto.

O mais alto estava sentado na frente do colega em pose de índio. O tronco de curvava para frente e seus braços se apoiavam nas pernas. Ele estava próximo demais de Denki, fazendo o loiro prender a respiração de nervosismo. Parecia analisar cada milímetro da face do loiro.

Mas então ele desviou o olhar, passando a mirar o colchão enquanto se afastava. O mais velho chegou a questionar-se se o outro não estaria abatido.

— Então o problema é entre nós? — Murmurando de tão baixo que falava, Shinsou perguntou. Olhava agora nos olhos de Denki, a feição delatando sua insegurança. — Eu fiz alguma coisa?

— Céus, não! Não tem nada errado! Nem tudo tem haver com você! — Falando mais alto do que gostaria por conta do nervosismo, o mais velho explodiu, fazendo Shinsou se espantar. — Aí, não, Shinsou eu...

— Eu entendi Kaminari — O colega interrompeu, curto e direto. Estava sério e parecia até mesmo um pouco bravo. — Eu não vou me envolver mais na sua vida — O garoto observou a pizza sem nenhum ânimo, quase com nojo. — Perdi a fome — Terminou, olhando de maneira acusadora para Denki.

— O-ok? Eu vou... — O loiro interrompeu a si mesmo, se levantando enquanto tirava a pizza de cima da cama e pegava sua garrafinha com refrigerante no chão. — Vou tirar isso daqui...

— Ótimo — Shinsou estava sendo grosso. Estava distante e não gostava mais tanto de Denki.

O loiro colocou a garrafinha com o líquido em cima de sua escrivaninha e saiu quase que correndo para fora do quarto. Ele estava a ponto de chorar e não queria que o outro o visse naquela situação.


—•⎙•—


Que ótimo Denki. Que ótimo! Mais uma vez você estragou tudo! O loiro pensou enquanto se deixava escorregar, apoiado na porta do seu próprio quarto, até que ele estivesse sentado no chão. Havia deixando a caixa de pizza no chão para abraçar seus joelhos, enfiando a cabeça no buraco ali e chorando um choro contido.

Ele estava se sentindo um idiota. Havia sido grosseiro com Shinsou quando o garoto só queria garantir que ele estava bem mesmo ou que tivesse algo que ele pudesse fazer para ajudar. O colega do loiro havia até mesmo achado que ele poderia ser o culpado!

Denki se sentia pior a cada lembrança da cena que tinha, sendo todas muito claras já que elas haviam acabado de acontecer afinal.

Ele se sentia a pior pessoa do mundo. Havia feito aquilo com a pessoa que gostava! Se Denki havia tratado o outro assim, ele não conseguia imaginar o quão cruel ele devia ser às vezes, talvez sem nem perceber.

Sentado ali, ele começou a se sentir grande, pela primeira vez. Um grande problema, uma grande falha, um grande e irritante idiota.

Ele se sentia tão sem coração que o loiro não podia evitar de colocar a mão em cima da camiseta bem onde se localiza o coração, apertando o tecido com toda força que tinha. Estava se encolhendo em si mesmo, tentando se sentir menor, menos culpado.

Mas, naquele ponto, já não havia mais o que fazer. Dessa vez era ele quem queria uma máquina do tempo para voltar no passado e deixar de cometer aquele erro.


—•⎙•—


Denki e Shinsou naquela noite foram dormir brigados. Ambos viraram para a parede e ficaram quietos, Denki tendo que fazer um grande esforço para não soltar um soluço alto ou um barulho de choro.

O loiro havia ido dormir sem perdoar a si mesmo.

E, apesar daquele dia ter sido realmente triste para o estudante, os outros talvez tivessem decidido competir entre si para ver se aquele seria mesmo o pior. Pelas próximas três semanas.

A manhã no dia seguinte ao da briga, segunda-feira, era o dia em que oficialmente as aulas estariam voltando. E Denki e Shinsou haviam caído na mesma sala. Isso poderia ter sido a chance perfeita para eles conversarem casualmente e se resolverem, mas não aconteceu.

Shinsou evitava Denki. Fugia do loiro como se ele fosse uma ameaça, ou talvez o próprio diabo. 

Sentava do outro lado da sala, saia de perto das rodas de conversa quando Denki surgia nelas, almoçava com seus amigos da outra sala. Estava basicamente voltando a ser um estranho. Um estranho que dormia no mesmo local que o loiro.

E isso se seguiu por três semanas mais ou menos, talvez naquela segunda já fizesse um ou dois dias a mais que acontecia. Denki não estava contando.

O garoto conhecido por ser todo elétrico parecia ter perdido toda a sua energia, toda sua vida. Não estava dormindo direito, não comia direito e havia chorado quase todos os dias. Seu cérebro parecia se divertir ao lembrar o loiro que ele era o culpado por aquela situação.

— Cara, você parece um caco! — Até mesmo o Bakusquad havia notado que Denki estava uma desgraça. Kirishima analisava suas olheiras com confusão.

— Eu notei que o zumbi está te evitando — Provocativo, Bakugou comentou. Ele provou estar correto quando Denki arrumou a postura e desviou o olhar, nervoso. — Está triste, hum? — Ele zombou do outro loiro, irônico.

— É por causa disso? — Mina perguntou assim que Bakugou acabou de falar, parecendo brava. — O que eu te falei sobre sofrer por macho?!

— Isso é meio bobo — Baixinho, mas alto o suficiente para Denki escutar, Sero murmurou.

Aquela conversa estava deixando Denki triste. Ele sabia que os amigos não sabiam da situação e que se soubessem não estariam zombando dele.

No entanto, ele acabou deixando essa informação ser jogada para escanteio.

— Isso não é algo bobo! — Um pouco mais alto do que gostaria, o loiro retrucou olhando na direção de Sero.

— Nossa cara, calma! — Kirishima tentou amenizar a situação, tocando o ombro de Denki que estava sentado do seu lado. — Porque não se preocupa com outras coisas? Temos um trabalho para fazer, por exemplo, lembra?

— Isso é importante! Para mim é! — Denki continuou a argumentar, com um pouco de raiva no meio de toda a sua tristeza.

— Nossa, que problemão! — Bakugou ironizou, se jogando para trás na cadeira e colocando a mão na testa, provocativo.

— Desculpe se meus problemas para vocês não são tão legais quanto fazer piadas sobre mim — A fala do outro loiro pegou a todos os outros que estavam na roda de surpresa.

Por um momento, Denki se arrependeu. Mas ele se sentiu tão bem em enfrentar os amigos e colocar seus sentimentos em primeiro lugar, sendo realista sobre eles, daquela vez que ele apenas pegou sua bandeja e saiu dali com a cabeça erguida. Se sentia um ator agindo daquela forma, com tanta confiança.

Como eles teriam mais aulas depois do almoço, ele decidiu voltar para a sala e ficar mexendo no celular. Ou então ficaria apenas sentado em sua mesa, pensando sobre o que havia feito.

Ele acabou optando pela segunda opção já que, o que havia sido aquilo? Ele havia enfrentado Bakugou? Mesmo?

O loiro nem sabia dizer se aquilo havia sido uma discussão ou uma briga, já que apesar de não ter sido algo legal, não pareceu algo tão sério. Denki sentia que eles iriam se reajustar logo.

Mas ele não estava gostando de pensar sobre o assunto. Aquilo o lembrava do seu colega de quarto por quem ele secretamente era apaixonado: Shinsou Hitoshi. O garoto que fugia dele como o diabo foge da cruz.

Aquela expressão nunca pareceu se encaixar tão bem em uma situação quanto naquele momento.


—•⎙•—


Quando os dois estudantes e colegas de quarto voltaram ao seu próprio dormitório no mesmo horário, como sempre, ambos estavam quietos. Nenhuma palavra que não fosse necessária o bastante em seus diálogos era dita.

Nada fora do normal se pensassem que aquilo havia se repetido todos os dias, com exceção do fim de semana.

O loiro entrou cansado, mas silenciosamente deixou que o colega fosse tomar banho primeiro, dando a deixa para que o outro fosse quando se jogou em sua cama.

O mais alto foi tomar seu banho e como sempre logo saia do banheiro limpo, liberando a passagem para que o outro fizesse o mesmo. Denki não perdia tempo em ir tomar seu banho, já que agora ele tinha muitas emoções ruins para ter que se livrar.

Na verdade, recentemente, essa técnica era praticamente um fracasso total. Denki não conseguia pensar nas coisas ruins e não chorar com elas, perdido e triste por não conseguir se livrar da culpa. Além da nova briga que ele havia arrumado, que ele nem sabia dizer se iria afetar a amizade dele com os amigos.

Mais uma vez, Denki aproveitou aquele momento para deixar suas lágrimas caírem livres, o barulho da água caindo cobrindo o barulho dos soluços e fungadas que ele soltava.

Assim que saía de baixo da água, se sentia ainda pior. Toda vez era como se ele lembrasse a ele mesmo que aquilo não estaria acontecendo se ele fosse diferente. Se ele fosse melhor. Ele se sentia podre, como uma maçã estragada tentando contaminar as que estão ao redor dela.

Quando chegava no quarto e tinha que lidar com ele vazio porque mais uma vez Shinsou não estava lá, era cada dia mais fácil, no entanto. Ele já estava se acostumando com aquela nova rotina, afinal.

Mas, daquela vez, Shinsou não havia fugido. Estava ali, sentado em sua escrivaninha e escrevendo na mesma velocidade impressionante de sempre. Denki só notou que o outro não andava fazendo aquilo pelas últimas semanas quando teve um déjà vu. Aquilo fez o coração do loiro se apertar em seu peito.

Por que eu fui fazer aquilo? O loiro se perguntava em pensamento, a mão direita apertando a camiseta na região do coração. Denki sentia que seu coração se apertava dentro de si.

Ele só notou que ele estava chorando e que Shinsou estava o perguntando desesperado se ele estava bem quando o mais alto tocou ambos os ombros de Denki.

Kaminari! — Shinsou chamou, desesperado. Soltou um suspiro de alívio logo em seguida, vendo Denki finalmente olhar realmente para ele. — O que aconteceu? Por que você está chorando?

— Eu... — O loiro olhou para os lados, envergonhado. Passou a mão no rosto, tentando secar as lágrimas com certo desespero. — Não precisa...

Para! — Com um grito, Shinsou interrompeu Denki. Sua expressão era de pura agonia e raiva. — Deixa eu me preocupar! Deixa eu me importar! — Ele mandou, usando as mãos que tinha colocado nos ombros do loiro para puxar ele para mais perto. — Por favor Kaminari, deixa eu me aproximar de você?! — Shinsou terminou, usando a mão direita para segurar a mão do loiro.

Ele não havia desviado os seus olhos dos de Denki nem por um segundo. Ele falava com tanta agonia, com tanto desespero, que Denki não pode evitar cair no choro novamente.

Shinsou queria ele em sua vida. Queria se aproximar, queria ter o loiro por perto. Saber disso havia feito o loiro se sentir pegando fogo por dentro, como se o outro tivesse acendido uma chama escondida dentro de Denki.

— Uhum! — O mais baixo murmurou, apertando a mão do colega que segurava a dele. — Por favor, não se afaste de mim! Eu prometo não fazer aquilo de novo! — Ele prometeu, chegando ainda mais próximo de Shinsou.

— Só não me deixe sem saber de nada — O arroxeado pediu, deslizando a mão esquerda para as costas de Denki e puxando ele para um abraço. — Não preciso que se abra de uma vez só, mas não me deixa à deriva — Cochichou, perto do ouvido do loiro, que se arrepiou inteiro.

— Acho que posso fazer isso — O mais velho concordou, rindo baixinho. Podia sentir o coração acelerado de Shinsou com a cabeça encostada no peito dele como estava. — Você me quer mesmo por perto? — Ele não pode deixar de perguntar, inseguro. — Eu posso ser tão chato as vezes...

— Todo mundo pode ser um pé no saco as vezes — O mais alto comentou, fazendo Denki rir ao imaginar a cara que o outro devia estar fazendo. — Você também vai ter que me aguentar, se for assim.

— Mas você é legal — O loiro retrucou, dando de ombros em seguida. — Mas acho que você tem razão — Admitiu, olhando para cima para poder ver o rosto de Shinsou.

O mais alto olhou para baixo também, deixando seu rosto bem visível para o loiro. Shinsou não sorria, mas não estava menos bonito por causa disso, ele nunca parecia estar feio, na verdade. Ele estava com as bochechas e nariz vermelhos, talvez por conta da vergonha que sentia em abraçar o loiro, mas parecia completamente tranquilo ali. Era como se Shinsou estivesse tão aliviado quanto Denki por terem se resolvido.

Era uma cena que Denki guardaria para sempre em suas lembranças.



Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Capítulo mais curtinho mas com muito amor como sempre (灬º‿º灬)♡

Deixem nos comentários o que acharam! Críticas construtivas e opiniões diversas são como sempre bem-vindas!

E, pessoalmente, eu gostaria muito de saber o que vocês estão achando sobre esses conflitos? Quem está errado? Quem está certo? Quem devia se desculpar? Quem deveria, mas não se desculpou?

São vocês quem vão me dizer! 〜(꒪꒳꒪)〜

O próximo deve sair mais ou menos daqui a uma semana também, já que eu estou começando a ter algumas avaliações e vou ter menos tempo agora.

Era isso pessoal,
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...