1. Spirit Fanfics >
  2. Apaixonado por dois alfas >
  3. O líder alfa

História Apaixonado por dois alfas - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde pessoal! Como vcs estão nessa quarentena?
Eu estou levando. Tirando algumas coisas, como o teclado bugado e a net bosta.
Por isso esse motivos, eu não postei nesses três dias. Esta sendo uma droga!
Resolvi que nessa fanfic vai ter luta sim, e eu to muito animado para escrever! Pelo menos uma coisa boa!
Em fim, espero que vcs gostem do capitulo!
Boa leitura!

Capítulo 3 - O líder alfa


 

       O dia dava abraços a uma manhã bem saudosa e dormida para Uzumaki Naruto. Para quem dormiu a tarde inteira ontem, está bem descansado e disposto no dia seguinte, ou seja, hoje. O loiro abre os olhos devagar coçando-os para poder enxergar melhor. Levantou o tronco espreguiçando estalando as costas, para começar o dia sem dores musculares. Deu um grande bocejo levantado o traseiro da cama. Saiu de seu quarto dirigindo-se para o banheiro.

         Quando abriu a porta, se deu de cara com Boruto tomando banho. Claro que a reação de ambos foi clássica. Naruto tampou os olhos e seu filho se cobriu com as mãos sua parte intima, mesmo com a porta do box fechada dava para ver TUDO. Nesse instante, ele se virou de costas e saiu fechando a porta atrás de si. Seu rosto estava levemente corado.

“Ok! Vamos fingir que isto nunca aconteceu!” – Suspirou profundamente balançando a cabeça. Seguiu para cozinha preparar seu café, quando escuta a porta do banheiro se abrir.

         Boruto sai de lá vestido apenas de short, por conta do calor. Como já estava no verão, ele tinha dormido na sala onde não tinha algum ar fresco, acordou completamente suado e foi direto tomar um banho frio para refrescar seu corpo. Porém não imaginou seu pai chegar bem na hora que estava lavando seu “amigão”.

         Atravessou desviando olhar do mais velho que estava de costas. Abriu a geladeira pegando uma garrafa de água bem gelada. Na medida que bebia, o líquido caia em gotas no canto de sua boca descendo para o seu peitoral descoberto, logo em seguida escorregando para o seu abdômen e sumindo na barra de seu short. Naruto espiava de canto de olho com a boca aberta. Como diabos seu filho ficou tão musculoso assim?! Ele só tinha 18 anos!

“Merda de genética alfa!” – Resmungou em pensamento irritado. Olhou para sua barriguinha sem definição, dava vontade de chorar ali mesmo.

- O que foi? – Perguntou o filho percebendo a cara de decepção de seu pai. Naruto recobrou a consciência ao ouvir a voz grossa do filho, acabou se arrepiando.

- Ah, nada não. Apenas pensando no que cozinhar para o café da manhã...- Murmura passando a mão pelo pescoço e desviando olhar. – “O que foi isso?!”

- Não se preocupe com isso, eu faço. – Ofereceu o loiro pegando um avental e amarrando envolta da sua cintura.

- Ok. – Concordou pegando sua xicara de café e sentando-se na cadeira.

“Ainda bem que ele não insistiu. Caso contrário seria uma terceira guerra mundial!” – Pensava Boruto aliviado.

         Naruto observava cada passo de seu filho na cozinha. Via como seus músculos dos braços enrijeciam ao pegas alguma coisa com força, podia até ver veias presentes ali! As pernas torneadas, pareciam duas toras grossas e grandes, o tronco rígido e bem definido. Tudo em Boruto gritava másculo! Até seu cheiro amadeirado era de macho.

        Enquanto o loiro era apenas magro, mas também tinha suas gordurinhas na barriga, isso por comer só besteira. Mesmo assim, ele não conseguia mudar. Parecia que seu corpo tinha mudado totalmente quando se viu ômega. Isso era tão injusto. Sem contar que, Naruto estava longe de ser o ômega perfeito, ou melhor “padrão”.

     O que seria um ômega padrão? Aquele (a) que cozinha, passa lava, cuida das crianças em vez de trabalhar, e muitas vezes e alvo de preconceito. Mas isso temos os betas que apenas são pessoas normais sem feromônios, claro que apenas fêmeas betas podem engravidar. Com toda via, eles são os que mais sofre em questão social. 

    Ou seja, Naruto podia engravidar, porém não chegava a ser um terço igual aos outros ômegas. Jamais queria ter outro filho, muito menos se casar com um alfa só para satisfazer seus cios, e ser marcado. Ele estava muito bem, sem ninguém lhe dando ordens ou o forçando a transar. (Muitos alfas dominantes fazem isso.)

- O café está pronto. – Disse Boruto colocando em cima mesa. Automaticamente Naruto acorda de seu devaneio sentindo o cheiro maravilhoso daquela comida. Sua boca chegava até babar. – Pode se servir.

  O patriarca agradeceu a comida e caiu de boca. Mais novo olhava-o comer com satisfação, sorriu de lado. Pegou seus hashis começando a comer também. Mas tinha alguma coisa incomodando Boruto, era o silencio. Nenhum dos dois puxava conversa ou tinha algum assunto em comum. Isso incomodava muito.

- Pai... – Chamou o filho ganhando atenção dos olhos azuis curiosos. - ...sobre ontem, eu queria me desculpar. Sei que passei dos limites...realmente não queria ter dito aquilo. – Disse com olhar cabisbaixo. Naruto sorriu.

- Não se preocupe. Eu entendo como deve ter sido difícil para você. – Respondeu afagando levemente os cabelos loiros do filho. Boruto corou levemente com o toque.

- Por caso estou atrapalhando? – Falou Kushina de braços cruzados observando ambos. Eles tomaram um susto, Naruto afastou a mão rapidamente envergonhado.

- Que diabos, mulher! Quer nos matar de susto?! – Esbravejava o loiro eufórico pelo susto.

- É assim que sou tratada por te manter vivo todo esse tempo. Seu ingrato! – Fala a ruiva ofendida. – Sorte sua que Boruto está aqui para te alimentar. Coitado do meu netinho! – Dizia dengosa lhe dando um beijo na testa. Naruto revira os olhos.

- Aproveite e tome café conosco, vó. – Disse se levantando e puxando uma cadeira para a ômega.

- Obrigada meu loirinho! – Agradece sentando-se ao lado de ambos. -Por que você não é assim, hein?! – Se vira para o filho lhe batendo no braço. Naruto faz bico igual uma criança.

- Você só vem aqui para me bater? – Questiona o loiro voltando a comer.

- Claro que não. Vim lhe entregar isto. – Puxa um envelope branco de sua bolsa e desliza até o mais velho.

         Naruto pega desconfiado. Abre retirando vários currículos e fotos de alfas a procura de um ômega. Era quase igual aqueles programas de relacionamentos que encontrava o seu parceiro perfeito, e sua mãe era a locutora. Suspirou franzido o cenho devolvendo os papeis ao envelope irritado. Boruto percebia toda a mudança de humor do pai, ficou curioso em saber que tinha ali.

- Já te disse milhões de vezes que não preciso disso. – Fala irritado tomando um gole do seu café.

- Nós dois sabemos que isso está fora de questão. Até quando pretende viver desse jeito, Naruto? – Pressiona a ruiva. – São alfas que eu conheço. São todos interessados em você.

- Não vamos discutir isto aqui. – Respondeu digerindo-se o olhar para Boruto que percebeu o clima ficar tenso.

- Vou deixar vocês conversarem sozinhos... – Fala se levantando. Porém, e segurado pelo braço por Kushina.

- Não. Boruto, fica e convença seu pai. Diga a ele que eu estou certa! – Retruca a Uzumaki cruzando os braços.

- Você não pode colocar ele contra mim. Boruto diga a ela que EU estou certo! – Rebate Naruto encarando a mãe também cruzando os braços.

         Boruto não sabia o que fazer. Estava no meio do fogo cruzado. Quando esses dois colocam na cabeça uma coisa vão até o fim para provar quem está errado. Claro envolvendo terceiros na discussão, como ele estava agora.

- Ih, eu acho que o leite está acabando, é melhor eu ir comprar mais! – Disse correndo da cozinha. Mãe e filho se entreolharam confusos. Escutaram a porta da frente se fechada. Kushina descruzou os braços suspirando pesado. Naruto também relaxou a postura.

- Eu sei que não quer fazer isso. Mas de uma chance a eles. São todos filhos da nossa antiga alcateia. Precisamos de um líder, você sabe disso. – Explicou a ruiva.

- Mãe, sei que você está querendo proteger a posição do papai, mas oferecendo minha mão por que sou um ômega? Não concordo com isso. – Respondeu se levantando.

- Mas Naruto você está correndo perigo! Não entende isso? – Argumenta ruiva se levantando também. Naruto a encara surpreso.

- O que você quer dizer com isso?

- Escutei rumores dos moradores deste território que uma matilha perigosa está tomando todos os outros, matando seu líder, estuprando ômegas e aumentando seu número cada vez mais! – Conta amedrontada. –  E nós estamos em menor número, não vamos conseguir combater. Por isso precisamos de um líder agora!

- Ai meu deus! É o Boruto? Ele não pode se tornar o líder? – Questiona o loiro.

- Creio que seja difícil, ele não tem experiencia alguma. Terei que contatar “ele” – Diz a mãe pegando seu celular e discando o número.

- Você pode ter se esquecido dele, mas foi ele quem segurou tudo depois que seu pai se foi. Ele irá nos ajudar. – Colocou o telefone no ouvido.

 

         Na rua, Boruto vinha com uma sacolinha nos braços. Tinha acabado de sair da loja de conveniência na esquina, onde comprou o leite e mais algumas coisinhas. Olhou seu relógio e viu que a já havia passado do meio dia. Voltaria para casa fazer o almoço.

“Acho que foi o suficiente para ambos se acertarem. Espero que a vó Kushina não tenha quebrado a casa.” – Imaginava o estrago que ficaria.

         Mesmo ela sendo um ômega, sua coragem e força lembrava muito um alfa. Falando em alfas, realmente seu pai se casaria com um? No caso, ele ficaria bem vendo o patriarca formar outra família? Onde Boruto se encaixaria nisso? Talvez não tenha sido uma boa ideia voltar, no final das contas. -“Eu o quero feliz, mas ao mesmo tempo não quero vê-lo com outro alfa.” – Pensava enquanto caminhava. Quando alguém correndo esbarra nele o fazendo cair no chão.

         Boruto nem deu tempo de reclamar, se levantou assim que viu um grupo de quatro passarem voados por ele, e travessarem o sinal verde. O loiro acompanhou o trajeto deles, estavam entrando na rua de seu bairro. Rapidamente se levantou e os seguiu correndo atrás, repentinamente parou em uma praça vendo o grupo rodeando um homem alto e moreno. O clima estava tenso, o cheiro de alfas fortemente pelo ar. Era provável que os quatro atacariam aquele homem. O que mais o intrigava, o fato daquele alfa moreno não está cheirando a medo, ele parecia estar confiante. Boruto deu alguns passos para trás se escondendo atrás de um poste observando bem o campo de batalha.

- Então eram vocês que estão perambulando o meu território. – Pronunciou o moreno de óculos.

- Pelo que sabemos você não é mais o líder daqui! – Falou o alfa 1.

“Como assim? Esse sujeito era o líder antigo desse território incluindo o bairro onde moro?!” – Pensava Boruto surpreso.

- Um deserdado como você, não merece ser o líder. – Comenta o alfa 2.

- Você não tem mais alcateia e nem matilha, vive como um lobo solitário arruinado. – Retruca o alfa 3.

- Chegada de papo! Vamos, ataquem ele! – Grita o alfa 4.

- Podem vir. Vou acabar com vocês em menos de dois minutos. – Disse entrando em posição.

         Os quatro lobos partiram para cima dele ao mesmo aleatoriamente. O moreno desviou do soco direto do primeiro alfa, logo em seguida recebendo um chute no estomago o afastando, o segundo veio por trás o segurando-o para que os outros dois atacassem. Porém, não contou com a força daquele sujeito, quando se deu conta já estava sendo arremessado no chão com as mãos em seu pescoço e cabeça, pronto para serem quebrado. Os outros pararam subitamente chocados com a velocidade e agilidade do filho bastardo.

- Eu posso ter sido o filho bastardo, mas isso não quer dizer que sou fraco, igual a vocês seus merdas. Creio que seu atual “líder” não está ensinado direito.  – Provocava com um sorriso de lado.  

- Não fiquem olhando seus filhos da puta! Ataquem ele! – Fala alfa rouco por conta do aberto em seu pescoço. O moreno riu anasalado.

- Eu fui treinado para ser eficiente, rápido e preciso. No final, não preciso usar muita força bruta para matar. E só eu empurrar sua cabeça, entendendo sua coluna vertebral, assim... – Empurrava a cabeça lentamente assustando a vítima.

- P-Por favor! Me deixe ir! – Implorava.

- Então, eu poderia girar seu pescoço em 135-180 graus enquanto pressiono sua tragueia, seria o suficiente para acessar a circulação sanguínea para uma, duas células cerebrais... sem sangue, sem oxigênio. E adivinha o que acontece com o cérebro sem oxigenação? Vamos testa essa teoria!

- Não!! Por favor não!! Pedimos perdão, Sasuke-sama!! – Pediam os outros 3 alfas deitando-se no chão implorando por perdão.

         Sasuke gargalhou divertindo-se com o medo deles. Seus olhos chegaram a se encher de lagrimas. Acessou as risadas voltando seu humor sério, todos tremeram na base, até Boruto que observava com o corpo inteiro tremendo. – “Esse cara é um psicopata!”

- Sorte de vocês, estou de bom humor. Podem ir, se eu vir qualquer um da laia de vocês zanzando pelo meu território, eu vou matá-los com minhas próprias mãos! – Ameaçou largando o jovem que saiu correndo se juntando ao grupo. – E podem avisar o seu líder que, Uchiha Sasuke está de volta! – Sorriu mostrando seus dentes pontiagudos de lobo. Os alfas assentiram e fugiram dali correndo.

         Suspirou passando a mão pelo pescoço e o estalando-o. Tateou os bolsos procurando algo, quando achou um maço de cigarro e seu isqueiro. Colocou nos lábios pressionando, quando o fogo acendeu, levou até cigarro acendendo-o. tragou um pouco, logo soltando pela boca, aquilo o relaxava demais. ( Obs: Não fumem gente!)

“Melhor eu sair daqui de fininho. Aproveitar que ele misturou os cheiros no ar possivelmente anulando o meu. É minha chance.” – Boruto mexeu os pés devagar, pois ainda tremia pelo acontecimento de antes.

- Até quando vai ficar escondido? Apareça, eu não mordo. Ao menos que me de razão. – Disse virando-se. Boruto congelou no local. – Anda! Estou perdendo a paciência!

“Merda!” -  C-Calma! Eu não sou nenhum inimigo! – Gaguejou saindo de trás do poste com as mãos em frente ao peito rendido.

         Sasuke se surpreendeu ao ver o jovem loiro. Seus olhos não estava o engando, eles realmente eram parecidos, na aparência pelo menos. – “Hm. Então Minato tem um neto sub alfa? Interessante. Porém, está longe de ser um líder.” – Analisava a postura do jovem alfa.

- Quem é você, moleque? – Questionou se aproximando dele. Boruto arregalou os olhos. – Calma, não vou te atacar.

- Sou Uzumaki Boruto.  – Respondeu firme sendo observado por aqueles olhos ônix assustadores. A presença de Sasuke era avassaladora. O loiro nunca havia sentindo algo assim antes.

- Ok, Boruto. Quero saber por que estava espionando? Saiba que eu odeio que fazem isso. – Questionava intimando-o. O loiro engoliu o seco suando. – Relaxa garoto! Parece que está com dor de barriga! – Ria divertindo-se da cara de bobo do jovem.

“Esse cara é doente! Por acaso você é bipolar?!” – Pensava irritado. – Ok! Você já pode para de rir!

- Quem é você para mandar em mim? – Muda repentinamente de humor. Boruto o encara.

- Isso não vai funcionar comigo novamente. – Disse tomando seu caminho para casa. Sasuke bufa decepcionado.

         O Uzumaki seguia entrando em seu bairro, Sasuke vinha logo atrás dele fumando e com uma das mãos no bolso da calça. Bem estilo playboy. Boruto parou olhando para trás indignado.

- Por está me seguindo?!

- Por acaso você não ouviu lá atrás? Eu sou líder desse território. Vou aonde quiser. – Responde debochado. O loiro trinca os dentes furioso.

“Nunca vi um líder agir dessa maneira tão arrogante!” – Pensava.

Viu Sasuke tomar a frente dele, se virou caminhando um pouco atrás dele. O Uchiha parou de repente fazendo Boruto quase se chocar contra ele. Acompanhou o olhar do moreno fixo naquela casa. Espera, aquela era sua casa! O que diabos ele estava fazendo ali? Ao olhar aquela casa, podia ser dizer que já foi seu lar por muito tempo. Viveu momento ótimos, sorriu sendo envolvido pela nostalgia. – “Estou de volta, Minato.” – Entrou pelo portão da frente.

- Ei! O que está fazendo?! – Questionava o loiro entrando apressado.

- Apertando a campainha? Relaxa, jovem. Eu já vivi aqui também. – Disse apertando a campainha.

- O que? – Pergunta o loiro surpreso. Sasuke sorri de lado.

         A porta foi aberta revelando mais um loiro de olhos azuis e risquinhos nas bochechas. Ele franziu o cenho estranheza, Sasuke abriu um sorriso presunçoso.

- Olá novamente, Usuratonkachi!

 

 

 

 


Notas Finais


E ai? o que acharam do Sasuke? gostaram desse jeito dele ou odiaram? Deixe seu feed com amor, claro!💖😊
Até a próxima semana com as novas atualizações dessa e de outras fanfics minhas, fiquem ligados!
Se cuidem,e cuidem dos pets!🐾 Beijos!💋😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...