1. Spirit Fanfics >
  2. Apartamento 007 (Gaaino, sasusaku, Naruhina) >
  3. EXTRA: Lembrando do passado...

História Apartamento 007 (Gaaino, sasusaku, Naruhina) - Capítulo 19


Escrita por: , Dalane457 e annyte362


Notas do Autor


Mais um, espero que gostem 👇👇 esse capítulo foi um extra, muitas pessoas estavam me pedindo um capítulo sobre Shikatema, fiz esse capítulo especialmente para vocês.
O próximo será com os casais principais da fic, espero que gostem ❤😘

Capítulo 19 - EXTRA: Lembrando do passado...



^~~~ LEMBRANDO DO PASSADO ~~~^


SHIKAMARU NARA...


-- Foi uma piada -- Temari rir. Eu estreito meus olhos para ela. Estávamos apenas nos dois próximos um do outro. 

-- Uma piada? -- eu faço eco. 

-- Então você não tem interesse em ficar comigo? -- Inferno, por que eu estou falando disso com ela? 

-- Quero dizer, não seria o fim do mundo se o fizéssemos -- diz ela com uma piscadela. 

-- E é sempre bom ter alguém para beijar à meia-noite. Mas eu estava brincando, no entanto. Eu apenas gosto de fazer você corar -- a irmã de Gaara é bem irritante as vezes

-- Eu não coro -- eu me oponho, porque sou um cara, e caras não saem por aí declarando que coram.

Temari vaia. 

-- Sim, você cora! Você está corando agora. 

-- Sério? Você pode ver este suposto rubor através da minha barba, hein? -- Eu esfrego meu rosto desafiadoramente.

-- Uhum -- Ela estende a mão e acaricia minha bochecha acima do crescimento da barba pesada. 

-- então, ano que vem começa nosso primeiro ano como universitários. -- Temari continuava a falar, depois morde os lábios tímida. 

Eu odeio o quanto sou atraído por ela.

-- Shikamaru -- ela sussurra no meu ouvido, e meu pulso vai aumentando. 

-- Eu acho que nós- deveriamos ...

-- Feliz Ano Novo porra! -- Salvo por Naruto. Meu amigo se aproxima de nós e dá um beijo na bochecha de Temari que sorri para ele. 

-- Você está cerca de vinte minutos adiantado com esse sentimento -- ela informa ele.

-- E você não tem uma bebida na sua mão! -- Ele encara ela com um olhar de desaprovação. 

-- Por que ela não tem uma bebida na mão? Alguém pegue uma bebida para essa linda mulher! 

-- Eu não sou uma grande bebedora --  Temari protesta.

-- Besteira -- Gaara gargalha. Ele está perambulando, sua namorada Matsuri está a seu lado. 

-- Você estava fora de si quando você queimou a casa da irmandade. Por isso teremos que nos mudar próximo mês -- Gaara acusa, sim, vamos começar a dividir uma casa todos junto em algumas semanas 

-- Você queimou uma casa de fraternidade? -- Pergunta uma voz familiar. Gaara gira ao redor. 

-- Sasuke -- Ele fala 

Sasuke nosso outro amigo caminha até a mesa. 

-- Havia uma pilha de dez carros na ponte. Fiquei lá por quase uma hora antes de o tráfego começar a se mover novamente. -- o Uchira fala. 

-- Ino - Temari diz feliz, jogando os braços em volta de sua amiga que também chegou a poucos segundos. 

Ino é a garota de um dos caras da fraternidade vizinha, Sasori, eles escolheram fazer faculdade em lugares diferentes, já que Ino quer ficar perto de Temari e Sasori não quer ficar longe dos amigos. Elas são realmente melhores amigas. 

-- Estou muito feliz por você estar aqui! 

-- Eu também! Feliz véspera de Ano Novo.

Sasori cumprimenta cada um da mesa.

várias cabeças se voltaram em nossa direção. A maioria das pessoas aqui está martelada demais para prestar muita atenção em seus arredores, está tudo lotado. 

Temari envolve um braço em torno de Ino 

-- vamos pegar uma bebida, finalmente todos temos mais de dezoito anos, podemos beber -- Temari e Ino somem na multidão até o bar 

Ao meu lado, Naruto examina a sala com um grau surpreendente de intensidade para um cara bêbado. 

-- Eu tenho que decidir a língua que eu quero na minha boca à meia-noite -- ele anuncia rabugento. Esse cara é nojento quando está bêbado

Ele fica com cara de lobo olhando para as meninas que voltam com várias coisas em mãos 

-- se você jogar suas cartas corretamente, essa língua pode ser sua -- Temari responde jogando a cabeça para trás e depois rir.

Por sorte, Naruto tem um ego feito de concreto. Ele dá de ombros e se afasta pela multidão, o que estimula a maioria dos outros caras a se dispersar. Apenas Gaara e Matsuri permanecem grudados um no outro, assim como Ino e Sasori que estão sentados no sofá. E Sasuke tem uma cerveja em uma mão e seu celular na outra. 

-- Eu não faço beijos de Ano Novo. As garotas sempre tentam encontrar um significado que não esteja lá -- Sasuke sussurra e vem em minha direção para conversarmos. 

-- Faltam apenas dezesseis minutos, Ino, preciso caçar, você vai comigo, me ajudar - Temari parecia impaciente, segurou no braço da Yamanaka e correram para a pista de dança

-- Volto logo -- Ino dá um beijo em Sasori e depois segue Temari

Percebo Sasuke me olhando.

-- O quê? -- Eu digo sem jeito.

-- O que está acontecendo entre você e a Temari? 

-- Nada -- Porra. Eu respondi rápido demais?

-- Mentiroso. Você respondeu rápido demais --  Droga.

Seu tom se torna cauteloso.

Honestamente, se eu gostasse de dançar, provavelmente deixaria que ela me arrastasse para o chão.

-- Ela está ... Bem, ela está afim de mim -- eu digo devagar. Sasuke bufa. 

-- Cara. Essa garota quer montar em você -- eu sorri. 

-- Eu sei -- Espero não estar liderando ela hoje à noite. 

-- Não se preocupe -- eu asseguro a ele. 

-- Eu não vou ficar com ela. -- Ele parece surpreso. 

-- Por que eu ficaria preocupado? -- Suas sobrancelhas franzem. 

-- Você teria que falar com o Gaara primeiro, no entanto. Ele acha que ela é uma menina livre, que faz o que quer, mas ele é protetor dela -- Falar com o Gaara? 

-- tem que pedir permissão para o Gaara para transar com sua irmãzinha -- Sasuke é louco se... Meu processo de pensamento para.

-- não vou fazer isso. Ela é irmã do Gaara. Ele me mataria de várias maneiras, e também, vamos morar na mesma casa, será estranho pra caramba. 

Eu abro a garrafa e tomo um gole profundo da cerveja antes de responder. 

-- ela não é meu tipo. Não temos nada em comum -- Sasuke sorri 

-- Ela gosta de hóquei -- ressalta. 

-- Isso é um começo. E eu acho que pode acabar aí -- eu digo secamente. 

-- Ela é obcecada por sapatos, de acordo com Gaara. E ele insiste que ela tem problemas, ela é maluca cara, tocou fogo na antiga casa eles. 

-- Ela parece uma boa menina, Shikamaru -- Eu estou desesperado agora, porque meu corpo ainda está atrás de razões para não transar com Temari Sabakuno. 

-- Ela é... superficial -- eu termino.

-- Superficial -- Sasuke faz uma pausa por um longo momento, olhando meu rosto.

Ele fica olhando por tanto tempo que eu me perturbo com a manga do meu casaco, me sentindo como um espécime sob seu microscópio. 

- Oh, entendi. Eu estava perdendo meu tempo tentando vender você para ela. Você já foi vendido -- Seus olhos escuros brilham alegremente. 

-- Você tem uma queda pela irmã do Gaara -- zomba ele. 

-- Naah -- eu digo, mas é uma negação desanimada na melhor das hipóteses.

-- Mesmo? Parece que você está tentando se convencer de que ela não é certa para você --  Ele sorri. 

-- Está funcionando? -- Eu suspiro em derrota. 

-- Mais ou menos? Quer dizer, consegui manter minhas mãos longe dela a noite toda -- Isso me faz rir. 

Conheço os irmãos Sabaku a quatro meses. Mas Temari e eu... não estamos nem no mesmo pedaço de papel. Pelo que eu vi e pelo que Gaara me disse, ela é dramática com força total, o tempo todo. Ela anseia pelos holofotes. Eu me afasto disso.

-- Tudo o que estou dizendo é manter uma mente aberta. Não lute contra isso -- Ele bate no meu ombro. 

-- Apenas deixe acontecer -- Deixar acontecer.

E, porra, isso absolutamente poderia acontecer. Tudo o que eu tenho que fazer é sorrir na direção de Temari, e ela estaria em meus braços. Ela está enviando vibrações interessadas para a esquerda e para a direita. Mas… Eu acho que tudo se resume a que ela está fora do meu alcance.

Eu jogo hóquei. Eu sou bastante inteligente. Eu sou bonito. Mas no final do dia, eu sou aquele garoto nerd que ficava em seu quarto jogando videogame. 

No fim do ensino médio, fiz um esforço maior para ser social, mas no fundo ainda sou o cara que quer permanecer invisível.

Temari é a pessoa mais visível que já conheci.

Mas Sasuke está certo. Eu estou sendo um bastardo crítico. Ela pode parecer um pouco mimada e superficial às vezes, mas ela merece uma chance. Todo mundo merece.

 São dois minutos para a meia noite.

Eu franzo a testa, porque Temari não está por perto. Droga. Onde ela está?

Eu decidi aceitar o conselho de Sasuke e parar de lutar contra isso. Eu vou ceder, beijar o inferno fora dela quando o relógio bater meia-noite e ver onde vai a partir daí.

-- Um minuto para ir, meninos e meninas! -- A voz do DJ troveja.

Eu dou uma boa varredura visual. Temari ainda está longe de ser encontrada.

Eu quero perguntar a Ino onde ela está, mas Ino tem os braços em volta do pescoço de Sasori e eles só têm olhos um para o outro.

-- Trinta segundos! -- Grita o DJ.

Ao meu redor, as pessoas estão se juntando ou reunindo-se com o grupo de amigos. Gaara e Matsuri já estão se beijando. Sasuke sumiu. 

-- DEZ! -- Todo mundo grita.

Os números vermelhos no relógio marcam no tempo com os gritos da multidão.

-- NOVE! --  Cada segundo que passa traz outro choque de decepção.

-- OITO! SETE! -- E então eu a localizo. Ou pelo menos eu acho que é ela. 

-- SEIS! CINCO! -- Vestido branco. Sapato de balé vermelho. O rabo de cavalo.

-- QUATRO! TRÊS! -- Definitivamente é Temari

-- DOIS! -- Mas ela não está sozinha.

-- UM! -- Eu desviei meu olhar no momento em que a boca de Naruto colidiu avidamente com os lábios perfeitos de Temari. 

-- FELIZ ANO NOVO! ...

.

.

 Um mês depois estamos todos morando na mesma casa, Sasuke, Naruto, Gaara, Temari e eu, a faculdade já está para começar e nosso apartamento é bem perto de konoha 

Ino aparece no nosso apartamento algumas vezes e essa é uma das vezes, foi direto para o quarto de Temari. 

-- Meus colegas de quarto são caras. Três caras gostosos -- escuto Temari falar quando passo pela porta do quarto dela. Eu não posso deixar de rir. 

-- quatro caras gostosos, o Gaara é  seu irmão então não pode falar, mas eu falo mesmo -- as duas riram.

-- Mas é uma situação confusa. Eu fiquei com o Naruto na véspera de Ano Novo. Foi um erro -- Eu mordo meus lábios. 

-- Eu tenho uma queda por um dos outros dois, mas eu ouvi ele falando merda sobre mim, e eu estava chateada, então.… 

-- Então você se vingou beijando seu colega de casa. Entendi. -- Não há julgamento no tom dela, mas percebo que Temari está na defensiva 

 -- Não foi um beijo de vingança. Foi um beijo muito bom, mas eu não teria feito isso se não estivesse com raiva do outro -- ela continuava a falar, droga será que está falando de mim? 

-- Que tipo de merda ele estava dizendo?-- Ino pergunta curiosa. Meu pé treme no pedal do freio enquanto revivo a mágoa e o embaraço de que talvez ela tenha escutado. 

-- Ele disse ao amigo que eu sou do nível superficial --  Meu rosto se aquece. Droga, ela escutou, e sou eu o cara que ela queria ter ficado naquela noite.  

-- Foda-se. Ele, você é incrível -- ela está certa, nunca concordei tanto com a melhor amiga de Temari, mas ela está absolutamente certa 

-- Oh meu Deus, e agora você tem que viver com o esquisito? -- Simpatia genuína toca em sua voz, não quero mais escutar a conversa delas, acho que agora perdi qualquer pequena chance de ficar com essa menina. 

Uma coisa que percebi esses dias é que Temari e Naruto não parecem nenhum pouco estar interessados amorosamente um no outro, talvez Naruto esteja um pouco interessado, ele vive se sentando perto dela, mas Temari não dá muita bola para ele, e nem para mim depois de tudo. 

.

.

.

.

.TEMARI SABAKUNO...


 Me acordo as quatro da manhã, gosto de caminha esse horário, não é cheio de pessoas passando por todos os lados. Então chuto o edredom e saio da cama. Eu estou pegando algo para comer antes de sair

 Gaara me disse que ele e os outros meninos têm uma prática às seis da manhã, então eles acordam mais tarde que eu. Mas estou errada. Um colega está muito acordado antes do horário. 

Shikamaru e eu liberamos ruídos assustados quando nossos olhares colidem na cozinha.

-- Merda --  eu amaldiçoo. 

-- Você me assustou 

-- Desculpa. E idem -- Ele está sentado à mesa, pernas longas descansando na cadeira ao lado dele, um bloco de desenho no colo.

Ah, e ele está sem camisa. Eu não posso negar uma olhada. 

Shikamaru solta uma onda de arrepios. Eu quero colocar minha boca nele. Eu quero traçar cada linha e curva de suas tatuagens com a minha língua. Eu não entendo. Ele não é meu tipo de costume.

-- Não consegue dormir? -- Ele diz levemente.

-- Não, estava com vontade de dar uma caminhada -- eu admito. Abro a geladeira e escaneio o conteúdo para algo apetitoso. 

-- E quanto a você? 

-- Eu quis acordar antes dos meninos, terminar um esboço que estava a dias sem conseguir terminar -- Pego um pouco de iogurte e granola, olhando para Shikamaru enquanto preparo uma tigela. 

-- O que você está desenhando? 

-- Apenas algo para um videogame em que estou trabalhando -- Ele fecha o caderno de esboços, mesmo que eu não estivesse tentando dar uma espiada nele.

-- certo -- não tento puxar assunto, se ele não quer falar, tudo bem para mim. 

Eu me inclino contra o balcão e engulo uma colherada de iogurte.

O silêncio cai sobre a cozinha. Eu o observo enquanto como e ele me observa comer. É dolorosamente desconfortável e estranhamente confortável.

Tantas perguntas mordem minha língua, a maioria delas relacionadas à véspera de Ano Novo.

Você realmente não estava afim de mim naquela noite? Acabei de imaginar as vibrações interessantes? Você realmente acredita em todas essas coisas de merda que você disse sobre mim?

Eu não dou voz a nenhuma. Eu me recuso a revelar até mesmo uma sugestão de vulnerabilidade para esse cara. Ele não tem permissão para saber o quanto suas palavras de julgamento me machucam.

Sorrindo, eu desligo a torneira e coloco a tigela limpa no escorredor. Meu coração dá uma cambalhota quando os passos de Shikamaru aparecem atrás de mim.

-- Desculpa, apenas pegando um copo --  ele murmura. Um longo braço se estende em direção ao armário, a centímetros da minha bochecha.

 Ele cheira tão bem. 

.

.

 Alguns dias depois, no primeiro jogo dos meninos em konoha eu perco a linha da bebida completamente. Todos se reuniram no nosso apartamento, uma festinha somente com os mais próximos, quando deu uma hora da madrugada Gaara e Matsuri foram dormir na casa dela, Ino e Sasori já tinham ido embora e eu estava apenas com Sasuke, Naruto, Shikamaru e uma menina que Sasuke trouxe para nossa casa, uma menina que ele estava ficando. 

-- Eu acho que é hora de dormir -- A voz baixa de Shikamaru ressoa no meu ouvido. Ele vem atrás de mim enquanto eu danço uma música Whitesnake da playlist de metal de Sasuke.  

Eu estava no meio de um movimento de rabo de cavalo, então meu cabelo bate na cara dele quando giro ao redor. Ele nem sequer recuou. Apenas planta uma grande mão no meu braço para me firmar antes que eu caia.

-- Eu não estou cansada -- eu o informo, encolhendo a mão.

Mais uma vez, eu balanço meus pés. E mais uma vez, ele me agarra. Só que desta vez, ele dá um passo adiante. Antes que eu possa piscar, todo o meu corpo está no ar. Shiakmaru me puxa por cima do ombro e, de repente, estou olhando para a parte de trás de sua camiseta preta enquanto minhas pernas balançam sobre o peito largo.

Eu chuto ele. 

-- Me ponha no chão! Ah meu Deus, Shikamaru, seu irritante 

Eu chuto ele de novo. Mais forte. 

-- Me ponha no chão! Kit, me salve! -- grito pedindo ajuda a menina que estava dançando comigo. 

Não consigo vê-la, porque Shikamaru ainda está me manipulando como um homem das cavernas.

-- Sério! Eu não sou um brinquedo que você pode brincar! Eu sou um ser humano e tenho direitos! -- Tudo que recebo em resposta é uma risada baixa.

Eu não posso acreditar que ele está me levando para cima. Como se eu fosse uma criança de seis anos que já passou da hora de dormir e precisa ser banida. 

Seus olhos castanhos brilham para mim quando ele me coloca no chão em frente a porta de meu quarto

 -- Você estava a três segundos de cair e esmagar sua cabeça em uma peça de mobília 

-- Ah meu Deus, porque todos na minha vida são tão dramáticos! Eu estava apenas dançando!

Ele ruge, e estou momentaneamente surpresa porque eu acho que nunca ouvi Shikamaru levantar a voz. 

-- você está agindo como uma Piralha 

-- e você com o  meu pai -- berro para ele também 

Eu cerro meus punhos e os pressiono para os meus lados. Shikamaru ainda está me observando, não mais irritado ou frustrado, mas contemplativo. 

Quando Shikamaru passa os dedos longos pelos cabelos despenteados, os arrepios se transformam em um nó apertado de necessidade.

Ele me excita tanto que chega a irritar 

-- Eu gostava de você --  eu deixo escapar. Sua mão congela no cabelo dele. 

-- O que? 

-- Nada. Esqueça. Estou bêbada --  Eu recuei como se minha vida dependesse disso, porque Shikamaru não tem permissão para saber que eu estava interessada nele, ou que ele me machucou. Contar a ele significa admitir que eu ouvi todas as palavras que ele falou sobre mim.

-- Temari …

-- Eu disse esqueça. Você está certo, é hora de dormir. Muito obrigada por me acompanhar até o andar de cima -- O sarcasmo escorre como melaço.

-- Agora você vai sair do meu quarto? -- Ele hesita por um segundo. Então seus ombros se enrijecem e endurecem, e ele dá um breve aceno de cabeça. 

-- Boa noite -- Eu solto um gemido esgotado no momento em que ele se foi.

Droga. Eu e minha boca idiota. Eu realmente preciso parar de deixar escapar exatamente o que está em minha mente o tempo todo.

Ficamos dois dias sem nos falar, ele é irritante e eu não suporto infantilidade, nesse momento ele está sento MUITO infantil. Eu que deveria está com raiva da seninha que ele fez 

É quarta a noite, eu estava sozinha no apartamento. Quando menos espero Shikamaru entra pela porta da entrada e me vê largada no sofá assistindo um filme na TV. Ele sabia que estava sozinha e se aproximou de onde eu estava, não queria falar com ele agora...

.

.

.

.

.SHIKAMARU NARA...


-- Eu sinto muito que você ouviu tudo no dia do fim de ano -- é o que eu finalmente falo. Finalmente tive coragem para falar, depois de quase dois meses, preciso me desculpar com ela. 

E eu sei imediatamente que era a coisa errada a dizer. Sentada na beira do sofá, ela olha para mim com tristes olhos verdes.

Jesus. Sua expressão. É como uma flecha no coração.

-- Eu não sou superficial -- Suas palavras são apenas um sussurro. Ela limpa a garganta e, quando fala de novo, está num tom forte e regular. 

-- Sim, eu tenho uma quantidade estúpida de energia. Sim, gosto de fazer compras e sou obcecada por roupas. Sim, eu estava em uma irmandade, e sim, eu gosto de dançar e me divertir com meus amigos -- Ela exala em uma respiração rápida. 

-- Isso não me faz superficial, Shikamaru. E isso não significa que não há mais para mim abaixo da superfície. Porque há. 

-- Claro que existe -- Tomando uma respiração irregular, eu afundo ao lado dela. 

--- Eu sinto muito, Temari. Eu não queria te machucar 

-- Você sabe o que realmente dói? Que você apenas falou que não havia nada mais para mim do que festas e compras. Eu sou uma amiga leal. Eu sou uma boa filha, uma boa irmã. Você gastou, o que? Noventa minutos na minha presença? E você acha me conhece?

A culpa sobe para cobrir minha garganta. Eu tento engoli-la, mas ela só engrossa, como uma camada de alcatrão que reveste o pavimento. Ela está absolutamente certa. 

-- Eu sinto muito -- eu digo asperamente. 

Temari fica em silêncio por um longo tempo. Seu cabelo espesso e dourado está caindo sobre um ombro, fazendo meus dedos coçarem para tocá-la.

-- Eu estava me divertindo com você naquela noite -- Seu tom é plano, desapontado. 

-- Foi divertido conversar com você. Provocando você sobre ser um rabugento -- Ela faz uma pausa.

-- Shikamaru. Se você não estivesse interessado, poderia ter me dito, em vez de me jogar no lixo para o Sasuke --  Suas mãos se tornaram punhos de novo, pressionadas contra suas coxas.

A vergonha mais uma vez sela minha garganta até que mal posso respirar. Eu nunca me senti tão mal por nada em toda a minha vida.

Ela se levanta, um tanto rígida. 

-- Eu realmente sinto muito sobre o Ano Novo. Verdadeiramente. Eu não quis dizer nada disso -- Ela dá um sorriso resignado que mais uma vez me corta ao núcleo. Então ela encolhe os ombros e diz:

-- Sim, você quis. -- depois dessa fala, ela some da minha frente subindo as escadas 

Não sei por quanto tempo fico ali, desenhando com os olhos fechados, mas quando me registro que meu lápis não está mais afiado e meu pulso está doendo, olho para o desenho e descubro que desenhei Temari.

Eu respiro fundo.

Ela é completa e absolutamente perfeita para a personagem do novo jogo que estou criando. Eu tenho trabalhado nos recursos nos últimos meses, mas não encontrei nenhuma inspiração para a liderança feminina, e isso está atrasando minha produção.

Eu olho para o esboço por quase cinco minutos antes de me forçar a fechar o bloco e guardá-lo. 

.

.

.

.

.TEMARI SABAKUNO...


Quando você é uma adulta, sempre há consequências.

Por exemplo, se eu tiver que beijar Shikamaru agora? Todos nesta sala vão ver o quão afim eu estou pelo cara.

Estamos na primeira festa da Sigma, é a primeira vez que venho aqui, Ino brigou com Sasori e me arrastou com ela para essa festa, os meninos falaram que logo chegariam também. Encontrei kit, a menina que estava ficando com Sasuke da última vez, ela praticamente me puxou para a sala de jogos da Sigma. Era o dia dos jogos adolecentes. 

Shikamaru e Naruto assim que nos viram jogando, eles se juntaram a mesma mesa onde estávamos. 

-- Deixe-me girar de novo -- eu deixo escapar. 

-- você beija quem a garrafa aponta. Nenhuma exceção -- Meu olhar se volta para Shikamaru. Ele está usando o que eu gosto de chamar de sou um "babaca arrogante" Gaara usa muitas roupas assim. Ele está lindo. 

A ideia de me beijar é muuuita repulsiva para ele? Como eu, Naruto não parecia muito empolgado para jogar este jogo, apesar de eu não tê-lo visto reclamando

-- Congele! - Kit ordena quando Shikamaru tenta dar um passo para pegar bebida. 

Olhamos os dois ao mesmo tempo para a garrafa. 

-- Shikamaru você vai ter que beijar Temari, agora --  Meu Deus. Onde está a Ino quando você precisa dela? Se ela estivesse aqui poderia me tirar dessa enrascada, mas está do lado de fora, discutindo com Sasori como sempre. 

Onde eu estava com a cabeça para aceitar participar disso? 

-- Eu vou girar de novo -- eu insisto. Neste ponto, eu ficarei feliz em beijar qualquer outra pessoa, porque não saiu Naruto? Já nos beijamos antes, não seria problema nenhum. Ou uma das garotas.

-- regra é regra -- as outras pessoas falam na roda. Puta merda, o que eu faço agora? 

Antes que eu possa piscar, Kit está puxando minha mão. Meu queixo cai quando me dá um pequeno empurrão.

-- Você é assustadoramente forte  -- eu rosnei para ela. 

Ela sorri. “Eu sei.”

O olhar desconfiado de Shikamaru varre o quarto. 

-- Quão bêbados vocês estão, exatamente? -- Ele levanta uma sobrancelha para o capitão da equipe. Não respondemos essa pergunta. 

-- Desde  quando jogamos jogos de beijos? Eu achei que já tínhamos passado dessa etapa. 

Sasuke que tinha acabado de entrar na sala encolhe os ombros e levanta a garrafa de cerveja. 

-- Só vive uma vez, certo? -- Sasuke diz facilmente.

-- Tudo bem, bebês.Beijem e façam as pazes -- kit grita 

Eu dou um guincho indignado quando há outro empurrão forte nas minhas costas. Eu tropeço para frente, e estou a dois segundos de bater meu nariz no batente da porta antes das mãos fortes de Shikamaru me firmarem.

Seu toque envia um raio de calor pelo meu corpo, e minha respiração fica presa na minha garganta quando percebo que seus olhos se suavizaram. 

-- Vamos apenas fazer isso para que eles calem a boca -- ele murmura, então só eu posso ouvir.

-- Tudo bem -- murmuro de volta, quero que essa vergonha acabe logo

 -- Sem língua. -- falo e vejo a menor sugestão de um sorriso. 

-- Sem promessas 

Eu mal tenho tempo para processar o inesperado comentário antes que Shikamaru cubra meu queixo com uma grande mão. Eu vagamente registro um assobio alto - acho que vem de Sasuke. E então ele se afoga pela batida do meu coração enquanto os lábios de Shikamaru toca suavemente os meus.

Eu não esperava que ele começasse tão firme. Na frente de todos. Mas ele faz. Seu polegar varre minha bochecha enquanto sua boca se move tão lenta. Ele tem os lábios mais suaves que eu já experimentei, e ele os usa com confiança. Eu deixei sua língua varrer minha boca. Deixei seus dedos cavarem possessivamente em minha cintura, seu hálito quente para aquecer minha pele. 

Eu me forço a separar nossas bocas. O que exige ainda mais força de vontade não é olhar para ele. Estou com medo do que a expressão dele vai me mostrar, então evito-a olhando por cima do meu ombro para a nossa audiência.

Mas eu sinto isso. Como uma marca derretida queimando o centro da minha espinha.

 Meu sorriso é excessivamente brilhante e minha voz muito alegre. 

-- Nós nos beijamos e fizemos as pazes. De quem é a vez agora? -- todo mundo grita animado, mas sinto Shikamaru me olhar intensamente sem saber o que fazer. Foi aí que começou nossa história louca e complicada. 



Notas Finais


Esse é um capítulo extra, somente para falar como foi a história de Shikatema, outro casal que eu amo ❤❤
Posso fazer uma parte 2 da história deles se vocês quiserem ✌ é só pedir rsrs
Domingo posto o próximo capítulo, com Gaaino, Sasusaku e Naruhina normalmente
Esse capítulo fiz porque tinha muita gente pedindo a história de Shikatema.
Até o próximo e bom fim de semana ❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...